Suspeito de matar técnica de enfermagem e atirar na própria cabeça morre no hospital

José Humberto Nogueira estava internado no Hospital Geral de Palmas desde a semana passada. Informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde, mas causa da morte ainda não foi divulgada.

Morreu na tarde desta quinta-feira (8) o suspeito de ter matado a técnica de enfermagem Juvenia Cunha de Sousa, 36 anos.

José Humberto Nogueira estava internado em estado grave no Hospital Geral de Palmas desde o último dia 31 de janeiro, quando foi encontrado com um ferimento de tiro na cabeça.

A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde, mas a causa ainda não foi divulgada. Nogueira era suspeito de matar a ex-companheira e ter atirado na própria cabeça. O crime aconteceu em uma kitnet, na quadra 804 Sul.

O crime está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP). Segundo a delegada responsável, algumas testemunhas foram ouvidas. Faltam ainda os depoimentos de parentes de Juvenia, que viajaram para acompanhar o velório dela.

Juvenia Cunha foi morta a tiros na região sul de Palmas (Foto: Reprodução/Facebook)

O crime

A técnica de enfermagem Juvenia Cunha de Sousa, 36 anos, foi morta a tiros na noite desta quarta-feira (31), em Palmas. O crime aconteceu em um conjunto de kitnets na quadra 804 Sul.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a mulher foi encontrada sem vida ao lado de José Humberto Nogueira, que apresentava um ferimento na cabeça.

Segundo a Polícia Civil, a suspeita é de que o homem teria matado a mulher e depois atirado contra a própria cabeça. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e levado para o Hospital Geral de Palmas (HGP) com vida.

G1 Tocantins

Menino que morreu afogado em Jataí não sabia nadar e nunca tinha ido ao lago, diz mãe

Mulher disse que Paulo Henrique Ferreira, 8, tinha o hábito de brincar com colegas e saiu de casa sem que ela percebesse.

Mulher que morreu ao ser atingida por raio embaixo de árvore é enterrada no interior do Tocantins

Maria Edileusa Campos Ferreira, de 52 anos, estava passando o fim de ano com a família. Acidente também deixou filha dela e duas sobrinhas feridas.

A dona de casa que morreu após ser atingida por um raio enquanto estava embaixo de uma árvore foi enterrada no final da tarde desta quarta-feira (3). O enterro foi em Bandeirante do Tocantins, onde Maria Edileusa Campos Ferreira, de 52 anos, morava.

Ela estava em uma chácara na zona rural de Pau D’arco passando as festas de fim de ano com a família quando o acidente aconteceu.

Além de Maria Edileusa o raio também feriu a filha dela e duas sobrinhas, que já tiveram alta. A filha, Elaine Campos Ferreira, de 16 anos, disse que ficou com a perna paralisada após ser atingida pelo raio e não conseguiu se levantar para ajudar a mãe.

Ela contou ainda que havia mais pessoas embaixo da árvore momentos antes do acidente, incluindo quatro crianças.

A família disse que percebeu que o tempo começou a ficar nublado antes de o raio cair e que já estava saído debaixo da árvore. A dona de casa ficou recolhendo alguns pertences e acabou não resistindo.

O enterro foi no cemitério municipal de Bandeirante do Tocantins, por volta das 18h.

Esse foi o segundo acidente envolvendo raios no Tocantins em 2017. No dia 1º de janeiro, sete vacas morreram com uma descarga elétrica em Talismã, no sul do estado. Diante dos casos a Defesa Civil orientou a população a tomar alguns cuidados durante a chuva, como evitar ficar em áreas abertas, debaixo de árvores ou de fios de rede elétrica.

 G1 Tocantins

Em Jaú do Tocantins, bombeiros encontram corpo de homem que morreu afogado ao salvar mulher

Corpo desapareceu na manhã do último domingo (17) e foi localizado nessa terça-feira (19). Afogamento foi em um rio na zona rural de Jaú do Tocantins.

O corpo de Sandro Faria de Jesus, 40 anos, foi encontrado nessa terça-feira (19) no rio Santa Tereza, no município de Jaú do Tocantins, no sul do estado. Segundo o Corpo de Bombeiros, o afogamento foi na manhã do último domingo (17).

Testemunhas disseram aos bombeiros que o homem desapareceu na água quando foi socorrer uma mulher que estava se afogando. Ela sobreviveu e o homem não foi mais visto. O corpo do homem será levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Gurupi. 

G1 Tocantins

Corpo de bebê que morreu em hospital de Palmas após queda de energia é enterrado

Corpo de bebê que morreu em hospital de Palmas após queda de energia é enterrado.

O corpo do bebê João Marques de Sá, de 10 meses, foi enterrado na noite desta quinta-feira (5), em Araguacema, região norte do Tocantins. A amiga da família, Mara Cleide, contou que o corpo chegou à cidade por volta das 20h e uma hora depois, foi realizado o enterro. O menino morreu na última quarta-feira (4) na emergência do Hospital Infantil de Palmas, após uma queda de energia durante chuva.

Mara disse que a família não tinha condições para fazer o embalsamento, por isso houve rapidez no enterro. “Os pais estão muito mal e revoltados. Estão indignados porque não precisava ter acontecido isso”, argumentou a assistente social, que mora em Palmas e deu suporte à família.

O bebê estava internado na unidade com pneumonia. Ele respirava com ajuda de aparelhos. Segundo os pais, o equipamento parou de funcionar quando o hospital ficou sem energia. O gerador que deveria evitar o transtorno também parou. Os médicos tentaram improvisar com uma extensão, mas não deu certo.

“A extensão que eles arrumaram não dava para ligar todos os aparelhos que tinham lá. Até a médica brigou, mas eles falaram que não poderiam fazer nada”, conta a mãe Larissa de Souza Sá.

Sem receber oxigênio pelo aparelho, João Marques de Sá, de 10 de meses, não resistiu. A dona de casa Deuziane Batista, que estava com a filha internada na unidade, presenciou o momento de aflição. “A gente ficou usando lanterna de celular e umas lanternas que ficam nas tomadas enquanto o gerador não voltava”.

Um trecho do laudo do Serviço de Verificação de Óbito diz que o bebê estava entubado com ventilação mecânica, faltou energia e o respirador não funcionou, então, foi tentado cateter nasal, sem êxito. Na certidão de óbito, o médico do IML, disse que o bebê morreu por causa de problemas respiratórios.

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou que as frequentes quedas de energia causaram transtornos no Hospital Infantil, mesmo abastecido por um gerador e que em consequência disto, João Marques, morreu. A secretaria também informou que abriu uma sindicância para investigar a morte do bebê.

Menino morreu em hospital após queda de energia (Foto: Arquivo Pessoal)

João era o único filho de José Marques e da Larissa. Eles querem que o caso seja investigado. “Tinha que ter uma manutenção, tinha que fazer alguma coisa porque isso não pode acontecer com outras crianças. Meu bebezinho só tinha 10 meses”, disse emocionado.

Pais de bebê que morrem em hospital cobram investigação (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

G1/TO

Jovem que morreu afogada na Chapada dos Veadeiros nadava em área com ‘correntezas fortes’

Vítima estava fora de região considera segura para banho, conforme corporação. Local é próximo a queda d’água de mais de 80 metros de altura.

A jovem Daniela Cavalcante Bezerra, de 23 anos, que morreu afogada perto de cachoeira na Chapada dos Veadeiros, nadava em área com correntezas fortes, conforme informou o tenente coronel do Corpo de Bombeiros Pablo Frazão. Segundo ele, a área é considerada de risco por ser muito perto de uma queda d’água de mais 80 metros de altura, conhecida como Salto do Garimpão.

“Ela e o grupo estavam em uma região distante da área segura para banho. O local é perigoso porque é profundo e muito perto da cachoeira, o que faz as correntezas serem muito fortes”, disse.

O caso aconteceu na segunda-feira (24), quando a jovem visitava o parque na companhia do irmão e de amigos.

Frazão destacou que os locais em que é permitido nadar são delimitados pela corporação com uma corda e placas. Segundo ele, perto da área restrita existe uma placa que informa que há riscos e as áreas onde é permitido nadar também ficam sinalizadas.

“Todos que entram no parque são orientados a ficar só na área delimitada para banho. Os visitantes recebem informações sobre os riscos e os cuidados necessários”, destacou.

Daniela Bezerra morreu próximo a cachoeira de mais de 80 metros de altura (Foto: Guilherme Gonçalves/G1)

O corpo dela foi encontrado a 12 metros de profundidade e foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Campos Belos. O órgão informou ao G1 que o corpo foi liberado para a família, que mora no Distrito Federal.

Em nota divulgada nas redes sociais, a equipe do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros/ICMBio prestou solidariedade à família e amigos de Daniela e disse que desenvolve, junto com bombeiros, uma série de ações preventivas no local.

“As equipes do ICMBio e Corpo de Bombeiros Militar de Goiás, que desenvolvem uma série de ações preventivas nos atrativos do Parque Nacional, não conseguiram alcançar a visitante, que nadava próximo à cachoeira, quando se afogou”, diz o texto da nota.

Daniela Bezerra morreu próximo a cachoeira de mais de 80 metros de altura (Foto: Guilherme Gonçalves/G1)
Daniela Bezerra morreu próximo a cachoeira de mais de 80 metros de altura (Foto: Guilherme Gonçalves/G1)

G1/GO

Carro bate, pega fogo e morre empresário de Peixe Tocantins

Segundo testemunhas, o acidente aconteceu por volta das 21h desta terça-feira, 27, na BR-242 no trecho que entre o povoado de Vila Quixaba e Peixe.

Uma camionete  Mitsubishi L200 Triton, conduzida pelo empresário Degmar dos Reis Custódio, 51 anos, conhecido como Degmar da Areia, colidiu com uma camionete D-10, a gás, que estava estacionada na margens da rodovia.  As pessoas que estava neste veículo saíram ilesos.

Dagmar da areia faleceu no local do acidente, ele estava conduzindo a Triton. A pessoa que conduzia a gaseira estava parado com parte do veículo dentro da pista, com isso o empresario Dagmar bateu, capotou o veículo e teve o seu corpo arremessado para fora da camionete que pegou fogo com o impacto”, disse a testemunha.

Dagmar da areia era proprietário de uma empresa que atua com mineração de areia às margens do Rio Santa Tereza.

O veículo ficou totalmente destruido.
O veículo ficou totalmente destruido.

 

Com informações de atitudetocantins