Cunha restringirá acesso à Câmara na semana de votação do impeachment

Só terá acesso ao Salão Verde e ao plenário quem estiver com uma credencial específica para o período de votação.

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decidiu restringir o acesso às dependências da Casa a partir da próxima segunda-feira (11), semana em que deve ir à votação no plenário o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A partir de quinta (14), só entrarão no prédio da Câmara parlamentares, servidores, prestadores de serviços e pessoas credenciadas. Com exceção dos parlamentares, todos deverão passar por detector de metais -hoje, servidores e credenciados não precisam.

A partir de sexta (15), data prevista para o início da votação, só terá acesso ao Salão Verde e ao plenário quem estiver com uma credencial específica para o período de votação.

A previsão é de que o debate e a votação no plenário tenham início na sexta e se estendam por três dias, terminando no domingo (17).

Na sexta-feira (8), Cunha havia dito que teria que “definir um critério qualquer” para os dias de votação, já que há muitos jornalistas credenciados na casa e muitos parlamentares querem levar “filhos, esposas, maridos”.

“Você não vai conseguir atender na galeria todo mundo e vai gerar briga por ocupação, provavelmente claque, e não é esse o objetivo”, afirmou.

As visitas a todo o Congresso, que ocorrem diariamente, das 9h às 17h30, ficarão suspensas a partir deste sábado (9) até o outro domingo (17).

SEGURANÇA

Segundo o comunicado da Diretoria-Geral da Câmara, o policiamento ao redor do Congresso será feito pela polícia legislativa com apoio de “tropas designadas pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal”.

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), reuniu-se na última terça-feira (5) com Cunha na Câmara para discutir o esquema de segurança dos dias de votação.

Grupos a favor e contrários ao impeachment já se preparam para manifestações em frente ao Congresso neste período e há o temor de confronto entre os grupos.

O deputado Wadih Damous (PT-RJ) já acusou Cunha de “querer um cadáver” ao prever a votação no fim de semana -o que certamente reunirá mais gente no gramado em frente ao Congresso do que se ocorresse num dia de semana.

JORNALISTAS

Na última sexta (8), Cunha já havia dado indicações de que deve restringir bastante o acesso de jornalistas à dependências da Câmara nos dias de votação. Segundo ele, só os jornalistas credenciados já se igualam em número aos deputados (são 513).

O comunicado da Diretoria-Geral divulgado neste sábado diz que só terá acesso “ao Salão Verde e às galerias do plenário os jornalistas com credenciais específicas para cada um desses espaços”. Ainda segundo o texto, haverá um “número limitado” de credenciais “devido às questões de segurança e limitação de espaço”.

Na sexta, já tinham sido instaladas várias barreiras pela Câmara e no Anexo 1, onde ocorria a sessão da comissão do impeachment, para checar credenciais.

http://www.opopular.com.br

Operação Bonifrate: prefeito de Minaçu e outros sete têm prisão temporária prorrogada

Acolhendo pedido da Procuradoria de Justiça Especializada em Crimes Praticados por Prefeitos, a desembargadora Carmecy Rosa Maria Alves de Oliveira, do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, determinou a prorrogação da prisão temporária do prefeito de Minaçu, Maurídes Rodrigues Nascimento, e de outros sete suspeitos de envolvimento em fraudes em licitações da prefeitura. Eles permanecerão por mais cinco dias no Complexo Prisional de Aparecida, onde estão desde esta terça-feira (5/4), quando foi deflagrada a Operação Bonifrate (Veja sobre a operação no Saiba Mais).

No pedido foi destacada a importância da medida para a continuidade das investigações, tendo em vista que foi apreendido um volume considerável de documentos e materiais, que apontam fortes indícios de desvio de dinheiro público em benefício de particular, sendo necessária análise com maior precisão desse material e, consequentemente, fazer novos interrogatórios para esclarecimento dos fatos. Além disso, servidores do município ainda estão sendo ouvidos.

Ao acolher o pedido, a desembargadora reconheceu que, em liberdade, os réus poderão interferir na apuração dos fatos, seja coagindo ou orientando eventuais testemunhas a omitirem informações. (Texto e foto: Cristina Rosa / Assessoria de Comunicação Social)

http://www.mpgo.mp.br

 

Relator do impeachment diz que Dilma faz “pouco caso” do Congresso

Jovair Arantes (PTB-GO) é o relator do processo que tramita na Comissão de Impeachment na Câmara dos Deputados e afirmou ao jornal ‘Folha de S. Paulo’ que Dilma Rousseff “não gosta do Congresso”. Ele ainda disse que a culpa por grande parte da crise se deu porque ela fez “pouco caso” dos parlamentares.

“Se ela quer fazer qualquer tipo de ação que possa ser diferente do que foi aprovado, tem que pedir. E o Congresso tem que aprovar. É simples assim. O contrário é coisa de governo totalitário, absolutamente centralizado, que não quer saber dos outros. A presidente Dilma não gosta do Congresso, não tem afeto pelo Congresso”, comentou. “Você vê outros países e outros presidentes que passaram pelo Brasil. Eles têm relação próxima, conversam amigavelmente, pegam sugestão de deputados. O governo tem que ouvir o Congresso, consultar o Congresso”, continuou o deputado. E que, por conta dessa péssima relação, a crise começou a se instalar:

“O início dessa crise política foi o pouco caso que ela faz do Congresso. Para ela, o Congresso era só para votar o Orçamento para fazer do jeito que ela quisesse e depois aprovar as contas, quando viessem, do jeito que viessem. E ficou provado que não está certo”, analisa.

Ainda de acordo com Jovair, Dilma Rousseff manteve a prática das pedaladas fiscais em 2015, mesmo após ter sido duramente criticada pela conduta em 2014. Segundo o deputado, isso mostra que a presidente se sente “acima da lei”.

“é aquela velha história que se fala no sertão: ‘O governo tem coragem de mamar em onça parida’. Porque quem foi alertado que não pode, que está cometendo um crime, e continua cometendo, é porque não tem medo, está acima da lei”, afirmou.

Fonte:msn noticias

Motociclista morre ao colidir com caminhão parado em acostamento

Acidente foi registrado na BR-153, próximo de Colinas do Tocantins.
Motorista do caminhão não estava no local e não foi encontrado.

caminhao
Motociclista colidiu com caminhão parado (Foto: PRF/Divulgação)

Um motociclista de 22 anos morreu na madrugada deste sábado (9) em um acidente na BR-153, próximo de Colinas do Tocantins, na região norte do estado. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Ray Wanderson Lima dos Santos colidiu com um caminhão que estava parado no acostamento.

Ainda segundo informações da PRF, o motorista do caminhão ainda não foi identificado porque possivelmente o veículo estava com problemas mecânicos e ele saiu para pedir ajuda.

O motociclista morreu ainda no local. O corpo dele foi levado para o IML de Araguaína e liberado para os parentes no início da manhã deste sábado.

Fonte:g1.globo

‘Ser deputado é tranquilo… Faço de conta que trabalho’, diz Paulo Maluf

Depois de ser duas vezes candidato à Presidência, prefeito de São Paulo outras duas, governador do Estado paulista e quatro vezes deputado federal, Paulo Maluf (PP-SP), aos 84 anos, diz preferir o último posto.

“Vou cumprir este mandato de deputado federal em 2018, aos 87 anos. Se estiver com boa saúde, não preciso fazer campanha para deputado. É só que dizer que sou candidato que estou eleito. Executivo não tem mais”, diz. E completa: “(Ser) deputado é tranquilo: trabalho terça, quarta e quinta metade do tempo. Faço de conta que estou trabalhando.”

Criticado por ter faltado a 8 das 10 reuniões da comissão especial que discutiu o impeachment na Câmara (“não tinha obrigação”), o político explica, em entrevista à BBC Brasil, que sua defesa pelo afastamento de Dilma Rousseff é apenas política.

“Ela é correta e decente, mas voto pelo impeachment”, diz, acusando o presidente de seu partido, o senador Ciro Nogueira (PP-PI), de ter negociado apoio ao governo sem consultar os demais políticos de sua base. Para Maluf, a negociação de cargos foi “espúria, para não dizer pornográfica” e Nogueira se comportaria de maneira “monocrática”, como um “ditadorzinho do Piauí”.

O político diz ainda considerar “uma vergonha nacional” o fato de seu partido ser o recordista de citações na Lava Jato, com mais de 30 investigados. Ele também comenta os casos de corrupção em que esteve envolvido, como sua recente condenação à prisão pelo Tribunal Criminal de Paris, por lavagem de dinheiro – à qual recorre na Suprema Corte Francesa.

Leia os principais trechos da entrevista:

BBC Brasil – Depois de defender o governo, o senhor anunciou que vai votar pelo impeachment. Por quê?

Paulo Maluf – Tenho muito respeito pela pessoa física da presidenta Dilma. Por todas as informações que tenho, e tenho informações na área econômica e política, ela é uma mulher correta e honesta. Sob este aspecto, deve ser inocentada.

Entretanto, no processo de votação, o meu partido (PP) e seu presidente Ciro Nogueira negociaram de maneira espúria. Toda negociação de partido tem que ser feita ou pela bancada, ou pelo diretório. Não pelo presidente. O presidente negociou presidência da Caixa Econômica Federal, Ministério da Saúde, Ministério das Relações Institucionais.

Como ele decidiu monocraticamente, pode parecer perante a opinião publica que fui parte desta negociata. Só tem uma maneira de provar que não fui: votar pelo impeachment. Portanto ela é correta e decente, mas voto pelo impeachment.

BBC Brasil – Isso significa o prenúncio de um divórcio com o PP?

Maluf – Não. O partido não fechou a questão. Se eu votasse contra uma decisão do diretório nacional eu poderia até ser punido. Mas não. Para provar que não sou base da operação de compra e venda, tenho que votar pelo impeachment.

A negociação de cargos é espúria, para não dizer pornográfica. Não é o presidente do partido que vai lá e pega uns carguinhos para seus companheiros.

© Fornecido por BBC

BBC Brasil – E qual deveria ter sido a postura do governo nesta articulação?

Maluf O governo por meio de seu ministro de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, poderia ter procurado a executiva do partido e a bancada e ter uma discussão aberta sobre quais são os pecados ou não do governo e como ele gostaria que fôssemos parte do governo. Foram no mínimo subterrâneos. Fizeram o acordo no porão da igreja e não no altar.

BBC Brasil – Como fica o clima entre o senhor e o presidente do partido daqui para frente?

Maluf Não fica nada. Ele que vá ao governo e diga: eu decidi e não consultei o Maluf. Ponto final. Não tem clima nenhum. Uma coisa é a sua amizade pessoal, que tenho com muita gente, inclusive do PT, inclusive com o próprio Lula, que almoçou na minha casa. Mas eu sou independente. Tenho meu eleitorado.

O presidente do partido avançou o sinal e não consultou ninguém. Esse é um ditadorzinho do Piauí e quer dar ordem? Ele é senador, não vota na Câmara!

BBC Brasil – Acha que o governo vai conseguir apoio suficiente no processo de impeachment?

Maluf É muito difícil. Infelizmente, a oposição radicalizou. Recebi ontem (quarta-feira), sem exagero, cem mensagens me congratulando porque mudei de posição. Eu estou onde estava, não me influencio por mensagens que me mandam. Não preciso do fulano de Rondônia que me mandou um e-mail para conseguir votos. Mas, eu digo, tem muito deputado que se influencia. (Por isso,) Hoje, é mais problemático barrar o impeachment.

BBC Brasil – O tiro então saiu pela culatra?

Maluf Acho para Dilma o tiro foi pela culatra. Dos 49 (deputados), ela poderia ter 29 (votos contra o impeachment). Acho que hoje não tem 20.

BBC Brasil – Há pedidos de impeachment contra Dilma, contra o vice Michel Temer e contra o ministro Marco Aurélio Mello, do STF. A ferramenta estaria sendo banalizada?

Maluf Vamos falar de coisa séria! Uma entidade que não existe pede impeachment de um ministro do Supremo e você leva a sério? O ministro Marco Aurélio é um dos mais brilhantes, corretos e corajosos ministros que o Brasil já teve.

Agora, Movimento Brasil Livre eu não sei quem representa. A mim, não representa! Na minha visão, o impeachment sobre Michel Temer não vai se concretizar porque o Eduardo Cunha, que é muito esperto, pediu aos partidos para indicarem os membros (da comissão especial que avaliará o caso). Enquanto os partidos não indicarem, ele está coberto para não abrir (a comissão).

BBC Brasil – Alega-se que o pedido contra Temer é pautado pelos mesmos argumentos que os encaminhados a Dilma. Como avalia?

Maluf Veja, os argumentos contra a presidenta Dilma são fracos. Os argumentos também contra Temer são fracos, não existem. O ridículo tem que ter um limite. Acho o seguinte: Dilma é correta e não tem razão para o impeachment.

As pedaladas na minha visão não são crime. Como também para o Michel. Mas minha posição é política (no caso de Dilma). No mínimo, a minha história tem que ser respeitada. Não me consultaram, eu tomo a decisão que os meus eleitores vão achar melhor.

BBC Brasil – O senhor diz que Dilma é íntegra e que o pedido de impeachment é fraco. Seu endosso ao impeachment não seria uma retaliação na direção errada, já que suas críticas são endereçadas ao presidente do seu partido?

Maluf Não. Ela acertou na administração, mas errou na condução do processo político. Ela tinha que discutir com o partido, e não com o presidente do partido. BBC Brasil –Como vê um eventual governo Temer?

Maluf Conheço o Michel Temer há mais de 30 anos. É integro, correto e competente. Acho que fará um bom governo.

BBC Brasil – Muito se fala sobre a integridade dos deputados que fazem parte da comissão que avalia o impeachment, uma vez que mais de 30 são réus em diferentes tipos de ação. Como vê os comentários? Maluf – O que acho verdadeiramente é que o fato de ser alvo de uma ação é democrático. Ser alvo não quer dizer que estão condenados.

© Fornecido por BBC

BBC Brasil – Então têm legitimidade?

Maluf – Lógico que têm legitimidade. Olha, processos, eu saí da prefeitura com 150. Até porque eu plantei eucalipto e reclamaram que eu estava chupando água da terra. Das 150 ações, ganhei 147. O Maluf foi processado porque tem democracia. Na Rússia você não é processado… Nem no Afeganistão.

BBC Brasil – Essas três ações que restam…?

Maluf – Vou ganhar também. Você sabe que aqui tem muitos recursos. Se você ganha o Ministério Público recorre. Ganha de novo, o MP recorre. Enquanto não ganhar em última instância, não ganhou.

BBC Brasil – O senhor fala da Justiça brasileira, mas também tem processos no exterior, como na Justiça francesa, onde foi condenado a três anos de prisão por lavagem de dinheiro entre 1996 e 2005. E nestes casos?

Maluf – Também recorri. Lá é um absurdo, o mais absurdo do mundo. Abri uma conta secreta, sabe como foi? Em nome de Sylvia Lutfalla Maluf. Bem secreta: mulher do Paulo Maluf. Mais secreta ainda: mora na(ele cita seu endereço no Jardim América, bairro nobre de São Paulo) . Mais secreta ainda: na avenue George V, num banco menor da França que é o Crédit Agricole.

E mandei os recursos para lá via Banco Central. Não tem conta mais limpa! Mas o gerente lá, que é um idiota, disse “lavagem de dinheiro no Brasil”. Bom, então quem tem que me julgar é o tribunal brasileiro, não vocês! Eu vou ganhar, eu recorri. (Dizem que) Eu quase destruí o sistema cambial brasileiro porque mandei um milhão de euros. Um milhão, com M de merda. Que lavagem que eu fiz?

Maluf é dono da Eucatex, de outras grandes empresas, entendeu? Mandei esse dinheirinho lá sabe para quê? Minha mulher é um exemplo de mulher. Somos casados há 60 anos. E ela gosta de fazer comprinhas, é isso. Mandei aquilo para lá para ajudar a balança comercial francesa. E eles querem roubar meu dinheiro! Pode publicar isso.

BBC Brasil – Já que o senhor levantou essa bola: brinca-se que seu nome não apareceu na lista da Odebrecht…

Maluf – Nem Odebrecht, nem Camargo Correa, nem Andrade Gutierrez, nem mensalão, nem petrolão, nem Lava Jato e nem Panamá. Esta é a prova provada de que as outras agressões eram políticas, sem base nenhuma. Dá licença: ‘Frangogate’ (escândalo de suposta compra superfaturada de frangos para merenda escolar, do qual foi absolvido).

Minha mulher tinha no sítio quatro galinhas que vendeu para um frigorífico e o frigorífico vendeu não sei para quem. Aí dizem que Maluf está fornecendo material para merenda escolar da prefeitura. Sabe, quando se tem má-fé, tudo vale. Mas não tem problema: estou vivo. Me imploram para ser prefeito de novo. Se eu fosse nomeado, quem sabe aceitaria, porque 84 anos não são 48. Mas fazer uma campanha na minha idade, o pior que pode acontecer é ganhar a eleição. Quando é que vou me aposentar? Nunca!

BBC Brasil – Uma candidatura à prefeitura está na mira?

Maluf – De jeito nenhum. Vou cumprir este mandato de deputado federal em 2018, aos 87. Se estiver com boa saúde, não preciso fazer campanha para deputado. É só que dizer que sou candidato que estou eleito. Executivo não tem mais. Não aceito ser ministro, ser governador, ser prefeito… nada. (Ser) Deputado é tranquilo: trabalha terça, quarta e quinta metade do tempo… Faço de conta que estou trabalhando.

BBC Brasil – O senhor apoiou o prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) à prefeitura e recentemente recomendou o governador Geraldo Alckmin (PSDB) como presidente em 2018. Qual é a diferença entre eles?

Maluf – Haddad tem uma grande qualidade neste mar de lama: ele é honesto. Não tem nada, posso te garantir. Então não tenho nenhum ressentimento de tê-lo apoiado. O Alckmin eu conheço desde que era secretário de Transportes, aos 40 anos, e ele tinha uns 20. Magrinho, vereador de Pindamonhangaba, que vinha despachar comigo. Acho que ele é uma das reservas morais deste país. Não querendo repetir a fala do ministro (do Supremo Luis Roberto) Barroso, mas, né? ‘Meu Deus, é isso que nos espera?’ Se o Eduardo Cunha fosse realmente amigo do Michel Temer, ele não ia aparecer naquela foto (tirada após o anúncio de rompimento do PMDB com o governo) e, portanto, subir o Michel (a uma possível Presidência). Quem propõe isso? O presidente da Câmara que é o segundo na sucessão? Aquilo não ficou bem. Tanto que o ministro do Supremo (Barroso) fez uma indiscrição que foi gravada. Você pode publicar: se Eduardo Cunha fosse realmente amigo do Michel, ele não compareceria naquela reunião, tanto que Renan Calheiros não foi.

BBC Brasil – Como avalia a operação Lava Jato e a atuação do juiz Sérgio Moro?

Maluf – Ele está imbuído de ser um justiceiro, o que para mim é uma qualidade em um juiz. São uns 20 juízes no gabinete dele. E um deles cometeu um deslize, tanto que ele reconheceu e se desculpou com o Supremo. Se eu fosse o juiz, fechava os autos das gravações de Lula e Dilma e mandava para o Supremo. Agora, tirar o segredo de justiça de uma gravação ilegal… Não acho que ele fez de maneira pensada, nunca nunca, mas ele ter pedido desculpas ao supremo já demonstra que ele sabe que errou.

BBC Brasil – Muita gente diz que a operação, apesar de sem precedentes no combate à corrupção no país, privilegiaria investigações contra o PT. Como vê os comentários?

Maluf – Não, eu acho que não. Quando você está nos holofotes, você tem 50 repórteres que querem conhecer a sua vida. Não encontraram nada dele, então até que me provem o contrário eu o acho correto.

BBC Brasil – O PP é recordista de citações na Lava Jato. Como vê?

Maluf – Isso é uma vergonha nacional. O (deputado) Jair Bolsonaro, que saiu do partido, infelizmente, porque é um homem correto, disse: na Lava Jato só não tem dois, eu e o Maluf, o resto foi tudo. Hahahaha. Eu não preciso de dinheiro para me eleger! Você anda nas marginais, Maluf que fez. Nos túneis, Maluf que fez. No metrô, Maluf que começou. Eu tenho serviços prestados. Construí 999 escolas no estado.

Fonte:bbc

Palmas deve movimentar R$ 10,8 mi na economia

Hotéis, restaurantes e oficinas de bicicletas comemoram o aumento da presença de visitantes na semana do evento

A Praia da Graciosa vai receber no próximo domingo o Campeonato Sul Americano Ironman 70.3 Palmas 2016. Os empresários palmenses comemoram o impacto da prova na economia local. Hotéis com lotação máxima, restaurantes cheios e as oficinas de bicicletas trabalhando com o dobro da demanda normal são alguns dos resultados trazidos pelo evento. Segundo a Prefeitura de Palmas, a expectativa é movimentar R$ 10,8 milhões na economia local.

Para o gerente de uma oficina de bicicletas, Deusivete dos Santos, a prova de nível mundial trouxe inúmeros benefícios para o setor. “Está sendo uma boa oportunidade para aumentar os nossos lucros. Tivemos que contratar mais funcionários durante essa semana tendo em vista que, de uma média de duas ou três revisões que fazíamos por dia, nos últimos dias esse número ficou em cinco”, contabiliza.

Questionado sobre o preparo das oficinas para receberem a maior carga de trabalho, Deusivete explicou que o maior movimento já era esperado. “Fomos informados sobre a prova e desta forma pudemos nos preparar para receber um fluxo maior de trabalho.” Já o proprietário de outra oficina de bicicletas, Vinícius Moura, informou que além do aumento de 50% nos serviços, as vendas de produtos também sofreram um acréscimo na ordem de 30%. “Os competidores nos procuraram e além da revisão fizeram também muitas trocas de peças”, explica Vinícius ao informar que o movimento começou a melhorar em fevereiro, mês que para o comércio costuma ser de baixa.

Desde a última quinta-feira os principais hotéis de Palmas estão com sua lotação máxima e segundo o gerente administrativo de hotel, Marcos Vinícius de Moraes, o Ironman foi o grande responsável. “O evento é sucesso. Não estamos falando de um congresso, mas de um evento internacional”, disse o gerente que completou que as duas mil pessoas que chegaram a Palmas esta semana ocuparam pelo menos mil leitos.

Restaurantes

Para os restaurantes, o cenário não foi diferente e o sócio proprietário de uma churrascaria de Palmas, Reni Tadeu Miri, ressaltou que “quando vem gente de fora a expectativa é muito grande e com certeza o movimento aumenta”.

Ironman

A competição em Palmas abre uma série de 90 provas que vão acontecer em todo o Brasil. Serão atletas de vários países nas categorias profissional e amador e vai premiar os ganhadores profissionais com US$ 75 mil, além de pontos no ranking mundial.

Em Palmas, os atletas terão que fazer um percurso de 1,9 km de natação na Praia da Graciosa, 90,1 km de ciclismo em um circuito de duas voltas que inclui a Ponte Fernando Henrique Cardoso e 21,1 km de corrida, que finaliza o triatlo com duas voltas de corrida às margens do lago de Palmas.

Fonte:jornaldotocantins

Força-tarefa autua oito postos de combustível em Palmas

postos de palmas
A operação autuou 10 estabelecimentos em Palmas

Durante uma força-tarefa, oito postos de combustíveis foram autuados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Além disso, a Superintendência Estadual de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon), recolheu 305 produtos vencidos e concedeu 20 autos de infração, todos em Palmas. A ação foi realizada também em Porto Nacional, mas não houve nenhuma autuação.

Ao todo, foram fiscalizados 36 postos de combustíveis, distribuidoras e farmácias. Oito postos foram autuados por irregularidades como placas de preços, falta de identificação do diesel S10 e problemas com as bombas de combustíveis. A operação não encontrou problemas com a qualidade dos combustíveis.

A ação, que teve início na última segunda-feira e terminou hoje, contou com agentes da ANP, Procon, Corpo de Bombeiros, Ministério Público Estadual (MPE), Agência Estadual de Metrologia e Secretaria da Fazenda (Sefaz). (Colaborou Patricia Lauris) 

Fonte:jornaldotocantins

Polícia Civil de Goiás prende empresário acusado de receptação

Rafael Bustos Dourado Júnior, que morava em um condomínio de luxo, já responde processo por outros crimes

A Polícia Civil prendeu em flagrante na última quarta-feira (6) o empresário Rafael Bustos Dourado Júnior, de 33 anos, acusado pelo crime de receptação. A polícia encontrou mercadoria avaliada em cerca de R$ 14 mil em seu estabelecimento comercial que fica no Jardim Presidente, em Goiânia.

De acordo com os policiais civis, de 2013 até agora ele teria movimentado valores que ultrapassam R$ 1 milhão somente em uma loja virtual. A delegada chefe do Grupo de Repressão a Estelionato e outras Fraudes – cartório adjunto da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) -, Mayana Rezende, afirmou que após a prisão a equipe encontrou outros equipamentos na casa do suspeito, em um condomínio de luxo na Capital.

A delegada explica que, nesse caso Rafael responde apenas por receptação, mas que as investigações em curso podem apontar outros delitos. As investigações foram iniciadas após denúncia de uma grande loja virtual. Na queixa a empresa informou que hackers estariam efetuando compras em nome de diversas pessoas e efetuando os pagamentos utilizando-se de diversas contas bancárias, também de diferentes correntistas.

Segundo Mayana Rezende, o que chamou a atenção dos funcionários e, posteriormente da polícia, é que “o endereço das entregas era sempre o mesmo, ou seja, uma loja de revenda de veículos de propriedade de Rafael”, afirmou a delegada. Após a suspeita a loja cancelou parte dos pedidos, mas aproximadamente R$ 300 mil em produtos já haviam sido entregues. A equipe da Deic identificou dois correntistas que teriam sido vítimas do estelionatário. Um de Mato Grosso e outro do Rio Grande do Sul.

Suspeito em liberdade

Em menos de 24 horas após a prisão de Rafael Bustos Dourado Júnior, ele foi encaminhado à Audiência de Custódia e posto em liberdade. De acordo com a delegada, ele pagou fiança de R$ 8 mil. Ela afirma ainda que, mesmo estando solto, o acusado responderá pelos crimes de receptação, falsidade ideológica e também por posse irregular de arma de fogo permitida, uma vez que a polícia encontrou na residência um revólver com registro vencido.

A Deic também encontrou na casa do suspeito vários laptops que serão analisados para comprovar se os crimes virtuais eram realizados pelo acusado ou por outro criminoso. A delegada afirmou ainda que as investigações vão apontar se além do site autor da denúncia, a prática delituosa era feita em outras lojas.
Durante o tempo em que esteve na prisão Rafael negou qualquer crime ou irregularidade. De acordo com informações da Polícia Civil, ele já respondeu por outros crimes, como furto qualificado, associação criminosa e estelionato junto à Polícia Federal.

FONTE: O Popular

Em Goiânia, Romário diz que governo “passou do limite”

Senador pelo PSB-RJ, ex-atacante está na capital para jogo beneficente e reafirma voto pelo impeachment de Dilma Rousseff

Em Goiânia nesta sexta-feira (8) para uma partida de futebol beneficente que será realizada neste sábado (9), o senador Romário (PSB-RJ) afirmou que votará a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff. O relator da comissão especial na Câmara dos Deputados, Jovair Arantes (PTB-GO), deu parecer favorável ao impeachment na quarta-feira (6) e agora o relatório vai a votação para que a abertura do processo seja autorizada.

“Definitivamente esse governo que nós temos já deu o que tinha de dar. Na verdade, passou até do limite. Eu já tinha dito que iria conversar, ouvir, entender esse processo, mas a conclusão é que realmente o impeachment hoje é a melhor solução para o Brasil”, comentou Romário em entrevista coletiva no centro de treinamento do Goiás. “Esse governo tem de sair, está fazendo mal ao nosso País e a todos os brasileiros. Votarei a favor (do impeachment).”

Para Romário, o ideal seria o País passar por um novo processo eleitoral. “Se não puder atingir o ideal, tem de ter atitude, que é tira esse governo daí e esperar que os que entrarem possam fazer um governo mais decente, mais justo”, disse o ex-jogador, que participará de uma partida em que seu time enfrentará os “amigos de Alex Dias”.

O senador deu sequência aos ataques à CBF e, diante da recusa de Tite em assumir como técnico do Brasil, notícia que percorreu os batidores da seleção brasileira nesta semana, disse que o treinador corintiano está certo. “O momento que vive o futebol e a CBF, aquele treinador que quer fazer um trabalho digno, decente e entrar para dirigir a seleção brasileira com nenbum tipo de peso na consciênia, tem de fazer o que o Tite fez, dar não.”

Romário voltou a dizer que Marco Polo del Nero “é a grande praga do nosso futebol” e que “a CBF está desgovernada”.

Fonte:opopular

Prefeitura de Palmeirópolis Lançou Projeto Objetivando Evitar a Ociosidade de Crianças e Jovens

O público alvo do projeto são crianças e adolescentes em vulnerabilidade social.

prefeito  fala sobre projeto
Prefeito:Fabio Vaz

Na última terça-feira (05), a Prefeitura de Palmeirópolis por meio das secretarias de Assistência Social, Saúde, Educação e Desporto e Lazer, lançaram o projeto Rede do Bem “acreditar é preciso”, o mesmo busca promover inicialmente a formação cidadã, complementação escolar para crianças, e adolescentes em vulnerabilidade social, possibilitando sair da ociosidade e se livrar das influências das drogas lícitas e ilícitas e ainda revelar talentos nas diversas modalidades artísticas, esportivas e culturais além de assegurar melhorias na autoestima e revelação de novos artistas ou novos profissionais. Aproximadamente mil pessoas acompanharam o lançamento do projeto.

        defensor público de Palmeirópolis participou do lançamento do projetoO Projeto Rede do Bem “Acreditar é Preciso” vai atender crianças e adolescentes de ambos os sexos nas modalidades esportivas: futebol, futsal e voleibol de 05 a 17 anos, já na musica com instrumentos de sopro e violão crianças e adolescentes de ambos os sexo na faixa etária de 08 a 17 anos e ainda a capoeira para crianças e adolescentes de 05 a 17 anos de ambos os sexos, as atividades serão pautadas em experiências lúdicas, musicais, educacionais, culturais e esportivas.
projeto rede do

     De acordo com a secretaria de assistência Social, Ana Paula Vaz, o projeto já existia, “já trabalhávamos nesse objetivo desde 2013, mas de uma forma muito tímida, após uma conversa com o gerente da Tractebel Energia UHE São Salvador Marcelo Oliveira, que nos incentivou a criar o Fundo da Infância e Adolescência (FIA), buscamos orientações jurídicas, criamos CNPJ, ou seja, cumprimos todas as legalidades, um projeto criterioso, extremamente fiscalizado inclusive com lançamento de edital”. Disse a secretária

DSC_7611
Vereador:Fabio Gonçalves

O segundo passo do projeto foi marcado por encontros entre secretários diretores de escolas e pessoas ligada ao projeto, “nos reunimos com as secretarias e decidimos o que cada um poderia contribuir com o projeto e em seguida,  reunimos com o Conselho da Criança e Adolescente (CMDCA), para apreciação do projeto o qual foi aprovado,   Hoje estamos aqui com o projeto pronto para o conhecimento de vocês.

Com parcerias, agora temos condições de expandir, nós acreditamos que vai dar tudo certo, temos que fortalecer o acompanhamento escolar e isso só é possível de mãos dadas com as secretarias. Vamos oferecer a todas as crianças que queiram fazer parte do projeto, mesmo os filhos de pais com melhores condições financeiras já que o objetivo maior do projeto é para as famílias ou crianças com vulnerabilidade social”. Disse Ana Paula.

    O prefeito Fábio Vaz, participou do lançamento do projeto e disse que o maior patrimônio são as pessoas, o ser humano, “o que a gestão tenta fazer todos os dias é priorizar as pessoas, tenho uma paixão especial por duas classes, os idosos e as crianças. Sempre acreditei nesse projeto porque criança tem que ter direito de ser criança, de brincar e ser tratada como criança e com a parceria da energisa a maior empresa do estado do Tocantins por meio de incentivos fiscais o chamado recurso estimulado nós tivemos a felicidade de receber R$ 188 mil reais sendo que 94 mil são para o FMDCA/FIA para darmos continuidade nesse brilhante projeto e 94 mil reais foi para Fundo Municipal de Direitos do Idoso (FMDI) para atender as necessidades e dar mais qualidade de vida à 3ª idade.” Disse o prefeito.

     Na oportunidade o prefeito agradeceu o padrinho do projeto Edigar Moura que também prestigiou o evento, “o Edigar é o responsável pela continuidade desse projeto o padrinho, porque foi através dele que nós conseguimos chegar a esses recursos”. Disse Ana Paula.

    Vaz disse ainda que além da Energisa tem como parceira a Tractebel Energia que sempre acreditou em seus projetos e desde então tem buscado formas para contribuir com o desenvolvimento do município e está empenhada na construção de mais quatro salas de aula da creche do Setor União cuja obra está em andamento.

    Os beneficiários Irão receber uniformes e participarão das atividades com o acompanhamento de profissionais da área de educação, Esporte, Saúde, e Assistência Social, o projeto é oferecido gratuitamente pela gestão municipal.

Participaram do lançamento do projeto autoridades políticas, religiosas, judiciária, pais, alunos e a sociedade de modo geral.publico

Mapa da Noticia

 

Informações: Marilene Correia

Fotos: Paullyana