Estado de saúde de deputada é grave; amigos e aliados fazem corrente de oração

A deputada está em coma no Hospital Dom Orione, em Araguaína, e será operada ainda na manhã desta sexta.

A deputada Amália Santana sofreu um aneurisma cerebral e está sendo submetida a   um procedimento cirúrgico no Hospital Dom Orione, em Araguaína.

A parlamentar passou mal por volta das 23 horas da última quinta-feira, 15, quando estava em casa na cidade de Colinas do Tocantins. Ela foi socorrida por familiares e levada para o Hospital Municipal de Colinas aonde já chegou sem falar e recebeu os primeiros cuidados.

Devido a gravidade da situação e por orientação médica, a deputada foi encaminhada para Araguaína em ambulância especial, dando entrada no Hospital Dom Orione por volta das 3 horas.

Após exames,  a equipe da unidade hospitalar constatou o aneurisma cerebral do lado direito, estabilizou o quadro e realizou a indicação cirúrgica.

O estado de saúde da deputada Amália Santana é grave, mas ela está estável.

A família agradece as correntes de oração formadas entre os amigos e correligionários.

Mensagens

Amigos e aliados da deputada desejam melhoras por meio de mensagens em redes sociais. Confira algumas:

“Meu bom dia de hoje é com muita tristeza, nossa amiga e grande companheira Dep Amália Santana do PT, sofreu um AVC hemorrágico nesta madrugada e está em processo cirúrgico na cidade de Araguaína, o estado é crítico. Pedimos vossas concentrações espirituais em favor desta pessoa humana extraordinária”, Milne Freitas, amigo pessoal e aliado político.

“Deus está com vc restaurando sua saúde e vida minha amiga todos nós estamos pedindo pra Deus em muitas orações pois vc e uma pessoa guerreira mulher de princípios que zela de todos com muito carinho e dedicação Deus e o médico dos médicos e esta cuidando da senhora neste momento restabelecendo sua saúde e força pra continuar cuidando do seu povo”, disse outro amigo.

Gazetadocerrado

Metodologia Claves combate abuso sexual e pode ser aplicada nas redes Municipais de Educação e Saúde, CRAS e CREAS

Originada no Uruguai, método busca ensinar crianças a identificar atos de abuso sexual e a buscar ajuda segura; ATM e PM incentivam Municípios a adotarem metodologia.

Com o objetivo de ensinar crianças e adolescentes a se protegerem da violência sexual ocorrida em ambiente domiciliar e/ou fora dele, a Metodologia Claves é uma proposta multidisciplinar que promove a prevenção de casos de abuso sexual por meio de abordagens lúdicas, com diferentes intervenções nos grupos familiares.

Durante reunião com representantes do método de ensino ocorrida nesta quinta-feira, 08, em Palmas, a Associação Tocantinense de Municípios (ATM) e Polícia Militar manifestaram apoio à aplicação da metodologia nas redes Municipais de Educação e Saúde, bem como nos Centros de Referências de Assistência Social (CRAS) e nos Centros de Referências Especializados de Assistência Social (CREAS).

Segundo a representante da Metodologia Claves na Região Norte do Brasil, Elis Sodré, o programa busca orientar a criança para a construção de uma barreira de proteção diante de eventuais casos de abuso sexual ocorridos em âmbito familiar. “Tecnicamente, capacitamos profissionais das áreas da assistência social, educação e saúde para ensinarem crianças e adolescentes a se protegerem, por meio de oficinas, elaboração de recursos didáticos e promoção de campanhas. Buscamos desenvolver fatores de fortalecimento pessoal, familiar e comunitário”, explica.

Originado no Uruguai, o método acumula 20 anos de atividades em toda a América Latina. No Tocantins, é praticado pela Assistência Social do município de Guaraí.

Serviço público

O presidente da ATM e prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, incentiva os governos municipais a implementarem a metodologia nos Municípios. “Infelizmente, temos centenas de casos de abuso sexual que ocorrem no Tocantins anualmente. Nem sempre os profissionais detêm todo o conhecimento para a identificação e solução do problema. A Metodologia Claves se consolidou na América Latina e vem construindo resultados positivos onde é aplicada. O método representa mais um serviço público benéfico que as gestões municipais podem oferecer as comunidades locais”, defende Mariano.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SESAU), em 2017 foram notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN-NET, o total de 644 casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes.

Polícia Militar

Por desenvolver o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), a Polícia Militar apoia a implementação da metodologia nos Municípios. “Iniciativas efetivas que buscam combater de modo educativo os eventuais casos de abuso sexual contra menores recebe total apoio da Polícia Militar do Estado do Tocantins. Queremos que nossos policiais integrem os grupos que receberão as capacitações nos Municípios para que sejam multiplicadores dessa metodologia em toda a corporação”, pede o Coronel da PM, Edvan de Jesus Silva.

Capacitação

Segundo Sodré, a capacitação é destinada a grupo de 30 profissionais que atuam nas áreas de Assistência Social, Conselho Tutelar, Educação e Saúde, tendo vagas destinadas também aos policiais militares. O treinamento é realizado durante três dias e em cinco módulos, contendo conteúdo conceitual, estudos de caso, discussões, trabalhos em equipe, dinâmicas de grupo e avaliações. O local do curso ficará a cargo da contratante, no caso as prefeituras, que deverão ceder espaço contendo cadeias, mesas, datashow e sistema de som.

Os gestores municipais interessados em implementar a Metodologia Claves no Município deve entrar em contato com a representante Elis Sodré, pelo emailclavestocantins@gmail.com . 

Associação Tocantinense de Municípios – ATM

Em Palmeirópolis: Secretaria de Saúde realiza ações de prevenção às DSTs

Campanha alerta sobre a importância da prevenção à Aids durante o Carnaval.

Buscando cumprir metas estabelecidas no Plano de Ações e Metas de 2018, dando continuidade ao projeto de diminuir a gravidez na adolescência em Palmeirópolis, a Secretaria Municipal de Saúde, realizou ações com objetivo de conscientizar e mobilizar a sociedade sobre o aumento do número de casos das doenças transmissíveis como Aids em Palmeirópolis, e a vulnerabilidade a que as pessoas se colocam com a prática do sexo, sem proteção.

Nesta quarta-feira (7), a equipe esteve na feira principal da cidade, orientando e entregando camisinhas à população.

De acordo com Mara Layane Alves Benvindo, coordenadora da Atenção Básica de Saúde, o uso do preservativo ainda é a alternativa mais eficaz e segura na prevenção das DST e da Aids.

Por isso, a estratégia de distribuição de camisinhas em pontos de grande concentração de pessoas nesta época do ano é fundamental para sensibilizar a população sexualmente ativa para a prática de sexo seguro, principalmente durante a folia do carnaval, período onde há aumento expressivo do número de parceiros eventuais.

O prefeito Fábio Vaz também esteve apoiando a equipe no projeto.

Equipe da saúde trabalhando em harmonia afim de concientizar as pessoas.

Da redação

Atentado contra prefeito: estado de saúde de Silvino é estável

O prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino Gomes Neto (SD), e o motorista dele, João Mascarenhas Barros, foram baleados na manhã deste domingo (4). 

O Hospital geral de Palmas divulgou o estado de saúde do prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino, baleado em sua casa.

Segundo o boletim: “Ferimento por arma de fogo”, orifício de entrada em mesogastrico, infraumbilical. Bala alojou em nadega a esquerda. Vai entrar pra cirurgia. Paciente tá bem, estavel, orientado… bem tranquilo”, informou.

O motorista de de Silvino também foi baleado no atentado que aconteceu na casa do gestor.

Entenda o caso

O prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino Gomes Neto (SD), e o motorista dele, João Mascarenhas Barros, foram baleados na manhã deste domingo (4). O caso aconteceu na casa do político.

Ele foi encaminhado para o Hospital Regional de Miracema e depois para o Hospital Geral de Palmas. O motorista está internado em Miracema.

Segundo testemunhas, o prefeito estava em casa com parentes e amigos se preparando para comemorar o aniversário dele. Nesta manhã, ele pediu para que o motorista o levasse até a padaria.

Os criminosos se aproveitaram do momento para entrar na casa e renderam quem estava no local, inclusive os três filhos dele, todos menores de idade.

Testemunhas contaram ainda que os homens agrediram a esposa do prefeito e outras pessoas. Quando o prefeito e o motorista retornaram, perceberam o assalto.

Os criminosos atiraram contra os dois e depois fugiram.

O carro em que eles estavam foi abandonado numa rodovia que dá acesso a Miracema. A Polícia Militar confirmou o caso e disse que está fazendo buscas para encontrar os suspeitos.

Manoel Silvino foi presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) e está no terceiro mandato à frente da Prefeitura de Tocantínia, cidade localizada na região central do estado.

gazetadocerrado

Secretaria de saúde de Palmeirópolis realiza reunião intersetorial sobre planejamento familiar

A primeira reunião intersetorial debateu planejamento familiar, com foco em gravidez na adolescência.

Com objetivo de desenvolver ações voltadas ao planejamento familiar com foco em gravidez na adolescência e doenças sexualmente transmissíveis, a secretaria de saúde de Palmeirópolis realizou na manhã desta quinta-feira (1º), a primeira reunião intersetorial do município.

O evento teve início as 8horas da manhã no auditório da Câmara Municipal.

A saúde da criança e do adolescente foi um dos focos principais da ação, que incluiu o enfrentamento e prevenção da gravidez indesejada e drogradição.

A intenção é que em 2018, haja diminuição dos índices problemáticos referentes a essas questões.

Fazendo parte da equipe do NASF, Daviane Vieira Lôpo apresentou o projeto “Atenção à Saúde do Adolescente”. Pojeto de prevenção da gravidez na adolescência e DST em Palmeirópolis/“ADOLESCENTE CONCIENTE”. Ela ministrou uma palestra sobre o assunto.

O prefeito de Palmeirópolis Fábio Vaz, ao usar a tribuna falou que uma criança mal cuidada leva com ela problemas futuros. A sociedade e as famílias precisam cuidar deste assunto. “Devemos pensar numa solução, sabemos que tem muita situação que existe os abusos sexuais, não vamos “tampar o sol com a peneira”, a importância de nos unirmos e buscarmos uma saída eficaz para nosso município, a criança não tem opção. Se colocarmos uma criança na casa de um vizinho, ou em outro local, ela vai ficar, faz o que determinamos, é vulneral, devemos trabalhar em conjunto com sociedade e principalmente com as famílias”, relatou.

Prefeito de Palmeiropolis Fábio Vaz

A primeira dama Ana Paula Vaz, parabenizou a equipe da secretaria de saúde pela iniciativa do evento e disse que, “quando se trabalha em parceria evita muito este tipo de situação, unidos falando a mesma linga trazemos um bom resultado. Temos que traçar um plano de ação articulado, no qual devemos fazer o trabalho tanto em caráter preventivo quanto de enfrentamento nas problemáticas que alcançam as crianças e os adolescentes, tirar o projeto do papel e “arregaçar as mangas”, destacou emocionada.

Secretária de Assistência Social de Palmeirópolis, Ana Paula Vaz

O secretário de saúde Bartolomeu Moura comentou do filho que nasceu e permanece internado em um hospital do Tocantins e ele (Bartolomeu) observando, ficou comovido de tantas crianças gravidas, outras com bebê no colo dentro do hospital. “Eu fiquei assustado com tantas crianças entre 11, 12, e 13 anos com um filho no colo, uma criança com um bebê na mão, ou seja, uma criança segurando outra criança. A sociedade está vendo isso com naturalidade. Não devemos fechar os olhos, isso acontece no nosso meio, lugar de criança é na escola. Não podemos deixar a criança pular as etapas da vida, elas estão dando um salto assumindo o papel na vida. Está errado, precisam subir os degraus gradativamente, é uma fase do ser humano, e as crianças precisam viver isso”, explicou.

De camiseta branca Bartolomeu Moura, secretário de educação

Bartolomeu ainda acrescentou que a maioria dos pais não conseguem falar de sexo com os filhos, ainda existe este tabu. Nos dias de hoje está difícil, porque é o professor que está fazendo este papel. “Os pais não percebem nada sobre o comportamento dos filhos, entrega na escola para ser cuidado, muitos até dizem que não dão conta de cuidar do próprio filho. É de responsabilidade da família educar, cuidar dos filhos, os pais devem conversar sobre a sexualidade com os filhos, quando a escola faz isso são criticados”, finaliza.

O secretário de saúde Nélio relatou que a sociedade está vivendo numa época que “tudo pode”, os valores estão invertidos. “Vemos casos absurdos em Palmeirópolis, não podemos fechar os olhos, temos que pensar no futuro dos nossos filhos, encontrar formas de ajudar a resolver este problema, a secretaria de saúde está aberta no que puder orientar e também trabalhar no assunto”, disse Nélio.

Secretário de saúde do município Nélio Oliveira.

Mara Layane Alves Benvindo, coordenadora da Atenção Básica de Saúde fez uma apresentação explicando que a saúde veio através desta reunião, trazer uma problemática para que cada secretaria e órgão, e juntos tentar encontrar uma saída. A secretaria de saúde marcou a reunião preocupados com as crianças e adolescentes.

Mara Layane Alves Benvindo, coordenadora da Atenção Básica de Saúde.

“Considera até 21 anos gravidez prematura, a meta do município de Palmeirópolis é de 10 a 19 anos. A gravidez nesta idade pode trazer riscos à saúde da mãe e da criança, acontece toda uma mudança na vida, envolve principalmente a família. O projeto é da secretaria de saúde, com total interesse da prefeitura. A equipe da saúde vem fazendo um planejamento familiar nas escolas, dando palestras, falando das doenças sexualmente transmissíveis, o município é pequeno para o tanto de casos de HIV que existe. A nossa preocupação maior é com as doenças, estamos advertindo que use preservativos. Estamos tentando “cercar” o problema o quanto antes”, enfatizou Mara Layane.  

Para o militar Helon Inácio da Silva, o foco principal, a base de tudo é a família, “a falha é a ausência da família. Os filhos são criados sozinhos, ou com uma baba, irmão (a) mais velho, uma vizinha, ou seja, não adianta nada, sem a família. Devemos começar as reuniões na base, se o pai, ou a mãe não estiver presente não resolve nada, precisamos ser exemplos. Eu posso até ser um profissional mais o menos, agora ser um pai de qualquer jeito não podemos. Temos que assumir a responsabilidade no lar. O filho precisa copiar os pais. As pessoas jogam culpa sempre em alguém sobre o comportamento dos filhos, mas não assumem seu papel dentro de casa”. Desabafou.

Estiveram presentes no evento o prefeito Fábio Vaz, a secretaria de assistência social Ana Paula Vaz, o secretário de saúde Nélio Oliveira Silva, o secretário de educação Bartolomeu Moura Junior, vereadores, (dentre eles): O vice presente da Câmara Nilson Rodrigues, Fábio Gonçalves, Divino da Patrol, Hildene Tóquio, polícia militar, Conselho Tutelar, pastor Marcelo, Amanda, representando o Ministério Público, toda equipe da saúde e servidores da prefeitura.

A equipe da saúde distribuiu vários convites aos orgãos e departamentos de Palmeirópolis, sociedade civil e eclesiástica, escolas, igrejas, mas infelizmente ninguém compareceu ao evento.

Da redação

Janeiro Roxo: Saúde de Palmeirópolis mobiliza população no combate à hanseníase

Campanha nas ruas de Palmeirópolis chama atenção para a luta contra a hanseníase.

A secretaria de saúde do município de Palmeirópolis realizou neste final de mês a Campanha Janeiro Roxo, com foco no combate à hanseníase.

Como forma de adesão a essa campanha, as Unidades Básicas Saúde da Família: UBS (Elena Maria Borges), UBS (Mário José Romão), UBS (Setor Bom Tempo) e o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), realizaram uma intervenção no centro da cidade, cujo o intuito foi esclarecer aos trabalhadores, acabar com o preconceito sobre a doença e informá-los sobre o diagnóstico e tratamento.

O propósito da campanha foi que cada pessoa pudesse expandir este conhecimento para os colegas e familiares, e caso necessário orienta-los a procurar o quanto antes uma da Unidades Básicas de Saúde e realizar as avaliações especificas para diagnóstico.

A equipe fez uma mobilização na área comercial do centro da cidade de Palmeirópolis, orientando os trabalhadores, entregando formulários de autoimagem. Estes formulários consistem no preenchimento de uma figura do corpo humano com as áreas que o trabalhador identificar qualquer mancha, caroços e outros sinais que tenham no corpo.A doença é crônica, infectocontagiosa e transmitida de uma pessoa doente, que não esteja em tratamento, para uma pessoa saudável suscetível.

O diagnóstico e tratamento é oferecido pela rede pública de saúde, (SUS), através do Núcleo de Apoio à Saúde da Família(NASF) em Palmeirópolis.

 “Nós temos em todas as Unidades Básicas de Saúde, profissionais capacitados para diagnosticar a doença e fazer o tratamento que é totalmente gratuito. A doença tem cura, porém depende muito da disposição do paciente, pois o tratamento é longo. É importante que a pessoa com suspeita da doença, procure sua unidade de saúde para ser feita a investigação e dar início aos cuidados médicos, pois a transmissão da doença é interrompida logo no início do tratamento, que quando realizado de forma completa e correta, garante a cura”, explicou Mara Layane Alves Benvindo, coordenadora da Atenção Básica de Saúde.

“Na hanseníase, o diagnóstico precoce é importante, “a orientação é que as pessoas procurem o serviço de saúde assim que perceberem o aparecimento de manchas, de qualquer cor, em qualquer parte do corpo, principalmente se ela apresentar diminuição de sensibilidade ao calor e ao toque. Precisa ser diagnosticada o mais precoce possível, para que possamos evitar as incapacidades físicas, se demorarmos para diagnosticar poderá ter sequelas para o resto da vida”, ressaltou ela.

“O objetivo é alertar a sociedade civil sobre os sinais e sintomas da hanseníase e incentivar a procura pelos serviços de saúde; mobilizar os profissionais de saúde quanto à busca ativa de casos novos e exame de contatos, visando interromper a cadeia de transmissão de forma precoce e oportuna”, ressalta a fisioterapeuta Juliana Correia de Souza.

Palmeirópolis ainda é uma cidade em situação endêmica alta, apesar da redução da taxa de detecção de casos novos, ainda existe pessoas em situação de risco e muitas delas nem sabem que tem a doença. A hanseníase é uma doença infecciosa, contagiosa, não é hereditária. A transmissão se dá entre pessoas.

Uma pessoa doente que apresenta a forma infectante da doença (multibacilar – MB), estando sem tratamento, elimina o bacilo pelas vias respiratórias (secreções nasais, tosses, espirros), podendo assim transmiti-lo para outras pessoas suscetíveis.

O contato direto e prolongado com a pessoa doente em ambiente fechado, com pouca ventilação e ausência de luz solar, aumenta a chance da pessoa se infectar.

Para finalizar a Campanha, foi realizado nesta quarta-feira (31), uma blitz educativa na feira do produtor de Palmeirópolis. Foi montada uma banca com o tema, onde a equipe disponibilizou folders informativos sobre a doença, profissionais esclareceu dúvidas, um som explicando o assunto, entrega de preservativos e lubrificantes para os interessados, dentre outros.

Os profissionais da Saúde acompanhados do secretario Nelio Oliveira Silva, também estiveram em pontos estratégicos da feira, distribuindo folder e tirando dúvidas. A policia Militar, juntamente com o comandante, tenente Rosa Neto no local apoiando a campanha.

Da redação

Preocupados com a gravidez precoce em Palmeirópolis, secretaria de saúde vai realizar uma reunião pública

A reunião está marcada para discutir gravidez na adolescência que preocupa a secretaria de Saúde de Palmeirópolis.

A secretaria de saúde de Palmeirópolis vem lutando, a fim de alertar as autoridades e os pais sobre os casos de gravidez precoce em Palmeirópolis e também o auto índice de doenças transmitidas pelo sexo, como AIDS e sífilis.

Para isso foi marcado para o dia 1º de fevereiro uma reunião com todos os departamentos e autoridades civis e eclesiásticas do município, para juntos discutir sobre o assunto e achar uma solução.

Será uma reunião Inter setorial, Fortalecimento da Rede de Proteção dos Direitos da Criança e Adolescentes, que se refere ao crescimento do índice de gravidez na adolescência e DST (Doença Sexualmente Transmissível).

O evento é aberto ao público e vai acontecer no auditório da Câmara Municipal de Palmeirópolis a partir das 8:horas da manhã do dia 1º de fevereiro.

Denomina-se gravidez na adolescência a gestação ocorrida em jovens de até 21 anos que se encontram, portanto, em pleno desenvolvimento dessa fase da vida – a adolescência.

Esse tipo de gravidez em geral não foi planejada, nem desejada e acontece em meio a relacionamentos sem estabilidade. No Brasil os números são alarmantes.

Pensando em tudo isso a saúde de Palmeirópolis vem desenvolvendo trabalho sobre o assunto, tais como: expansão do programa Saúde da Família, que aproxima os adolescentes dos profissionais de saúde, mais acesso a métodos contraceptivos e ao programa Saúde na Escola que oferece informação de educação em saúde.

Segundo informações do secretário de saúde do município Nélio Oliveira da Silva e da coordenadora da Atenção Básica de Saúde Mara Layane Alves Benvindo, 2017 foi o primeiro ano que a saúde não cumpriu a meta estabelecida que é de diminuir o índice de gravidez em adolescentes menores de 19 anos.

Secretário de saúde do município de Palmeirópolis Nélio Oliveira da Silva e Mara Layane Alves Benvindo, coordenadora da Atenção Básica de Saúde.

“Apesar de a saúde fazer sua parte como palestras em escolas, entregas de contraceptivos, o departamento de saúde sozinho não resolverá tal problema, é por isto que a secretaria convoca para esta reunião, para juntos pensarmos em conjunto numa solução urgente, para que, em 2018 este número de meninas grávidas diminua. Queremos muito envolver as autoridades neste projeto e acima de tudo, envolver as famílias”,explicou Mara Layane.       

Imagem de capa/ilustrativa

Da redação

Os postos de saúde de Palmeirópolis ofertam gratuitamente testes rápido para dengue, chikungunya e zika

Unidades de saúde poderão dar diagnóstico do paciente em cerca de minutos.

A Secretaria Municipal de Saúde informa a toda população de Palmeirópolis, que todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município, ofertam gratuitamente exames de testes rápido de dengue, zika e chikungunya.

Os interessados procurem suas Unidades para realização dos exames caso necessitem.

Testes rápidos para dengue, zika e chikungunya são incluídos na tabela do SUS, que oferece o teste rápido também em gestantes e nas crianças que têm até 1 ano de idade, e qualquer outra pessoa com prioridade. O resultado sai em até 20 minutos.

O objetivo é verificar a possível contaminação e possibilitar imediato acompanhamento do caso. São 2 testes em 1. O primeiro identifica se o cidadão está com o vírus, já o segundo observa se ele já foi portador do vírus em alguma fase da vida. 

Da redação

Ministério da Saúde integra força-tarefa para combater surto de conjuntivite em Caldas Novas

Equipe com integrantes do MS e da Secretaria Estadual de Saúde viajaram para a cidade turística para apoiar as ações do município. Cidade turística registrou 500 casos da doença nos últimos 10 dias.

O surto de conjuntivite em Caldas Novas, no sul goiano, fez com que uma equipe com integrantes do Ministério da Saúde (MS) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES) viajasse para a cidade turística nesta segunda-feira (22). A força-tarefa visa investigar o motivo do aumento do número de casos e a interromper a transmissão. O município turístico registrou 500 casos em 10 dias.

“O objetivo é apoiar o município na investigação do surto visando interromper a cadeia de transmissão. As principais ações do município já foram executadas. Agora, vamos intensificar as ações apoiando o município”, explicou a coordenadora estadual do Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde, Ana Cristina Gonçalves de Oliveira.

A Secretaria de Saúde de Caldas Novas explicou que o número de casos aumentou 30% em relação ao ano passado. Só a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) têm registrado cerca de 50 casos da doença por dia. Além dela, os turistas podem procurar outros 17 postos de saúde e o Centro Médico de Especialidades.

A equipe que viajou à cidade é composta por quatro funcionários da SES e três do MS. Eles devem se reunir com os servidores locais para definir as metas que serão adotadas.

UPA de Caldas Novas reforça atendimento para atender aos turistas (Foto: TV Anhanguera/Reprodução).

Transmissão

A conjuntivite dura, em média, até 15 dias. A doença é caracterizada por dor, coceira, vermelhidão e secreção nos olhos. Os tipos mais comuns são o viral, o bacteriano e o alérgico.

Segundo Ana Cristina, o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) forneceu material para coleta de secreção ocular. A coordenadora explicou que a Secretaria Municipal de Saúde colheu e enviou, na última semana, cinco amostras.

“O objetivo é identificar qual o tipo de bactéria. Estamos aguardando o resultado, que deve demorar de cinco a sete dias. Provavelmente, mais exames serão feitos. Por enquanto, ainda não identificamos vírus como causador”, explicou.

A grande concentração de turistas facilita a transmissão. O coordenador da vigilância epidemiológica, José Custódio Pereira Neto, disse que os hotéis e espaços turísticos da cidade receberam algumas orientações.“Para que tenham nas suas recepções algum álcool gel ou algum tipo de assepsia mais intensificada para a gente diminuir o impacto dessa doença”, disse.

Porém, alguns turistas reclamam de não terem sido informados sobre o surto. “Fiquei sabendo a partir de agora, né? Infelizmente, a gente já está acometido dessa enfermidade”, disse um turista.

Confira dicas para evitar o contágio:

  • Lave com frequência o rosto e as mãos uma vez que estas são veículos importantes para a transmissão de microrganismos patogênicos;
  • Evite coçar os olhos;
  • Aumente a frequência da troca de toalhas do banheiro ou use toalhas de papel para enxugar o rosto e as mãos;
  • Troque as fronhas dos travesseiros diariamente enquanto estiver com a doença;
  • Não compartilhe o uso de esponjas, rímel, delineadores, lápis de olho ou de qualquer outro produto de beleza.
  • G1 Goiás

O SEET aponta os principais problemas da saúde pública no Tocantins

O SEET tem buscado veemente os direitos da categoria para sanar as necessidades e garantir que a população seja beneficiada.

Há muito tempo o SEET – Sindicato da Enfermagem no Estado do Tocantins vêm lutando por direitos que a categoria tem para viver e trabalhar com qualidade, todos nós temos uma pequena noção dos problemas de saúde pública no Brasil, algumas conquistas já foram dadas aos profissionais e mesmo assim os problemas continuam, como por exemplo, exames que demoram, filas de esperas imensas, médicos que estão na escala mas não estão no dia do plantão marcado, entre outras.

Por conta disso, muitas pessoas acabam preferindo tirar do próprio bolso o dinheiro para uma consulta particular ou plano de saúde, descartando o atendimento público, para ter um atendimento mais digno, sem longas esperas e, acima de tudo, ser respeitado não só como paciente mas também como indivíduo. E as pessoas que não tem condições financeiras para isto?

Em várias pesquisas já realizadas o índice de desempenho do SUS sempre se mostra que o maior problema no país é o acesso. Os pacientes têm dificuldade em conseguir atendimento, principalmente nos hospitais, e para os procedimentos mais complexos.

Segundo Claudean Pereira Lima, presidente do SEET, esses problemas que a população enfrenta na saúde pública se dá pela falta de planejamento por parte dos gestores. “Não há um planejamento que se adeque as condições e situações que ocorrem nas assistências de saúde, muitas destas são alugadas e com condições ruins”. Ainda de acordo com o presidente, os profissionais da enfermagem do Estado sofrem com essa falta de estrutura que muitos hospitais tem, sem locais adequado para descanso acaba por gerar complicações na qualidade do atendimento, ainda, sofrendo pela falta de sub-dimensionamento da categoria nas unidades.

Conforme Claudean Pereira, a solução para ter uma saúde pública mais qualificada seria a implantação de novas unidades, contratação de profissionais para suprir a comunidade, programa de educação continuada, dimensionamento adequado desses profissionais, melhor estrutura dos hospitais e aceleração do processo de atendimento.

O SEET tem buscado veemente os direitos da categoria para sanar as necessidades e garantir que a população seja beneficiada com isso, atualmente aentidade tem diversas ações que pleiteiam na Justiça afim de assegurar esses direitos, tanto na forma coletiva, quanto individual.

Seet To