Em Palmeirópolis o Projeto ‘Praticar é Divertido’ incentiva atividades físicas

O Projeto é aberto ao público de todas as faixas etárias.

Deu continuidade essa semana em Palmeirópolis o Projeto ‘Praticar é Divertido’ que é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde em parceria com o Núcleo de Apoio a Família (NASF), e Academia da Saúde. O projeto estava parado há alguns dias por falta de profissional, mas voltou as atividades normais, afim de promover saúde aos participantes através de exercícios físicos.

Diversos profissionais da saúde como a enfermeira Mara Layane Alves, a fisioterapeuta Juliana Correia, e os profissionais de Educação Física Richart Barbosa, Ítalo Magalhães atuam no grupo.

De acordo com Richart, para participar precisa de alguns requisitos básicos como a realização de exames físicos assinado pelo médico; eletrocardiograma, lipidograma e o hemograma completo. O cartão de saúde precisa estar em dia. Tudo isso para proteger os participantes de forma correta, evitando qualquer tipo de problema.

Richart Barbosa relata ainda que os exames físicos e o eletrocardiograma serão ofertados pela Unidade Básica de Saúde para todos participantes.

Já o hemograma e o lipidograma vão ser ofertados somente para pessoas de baixa renda, aqueles que não tem condições de pagar. Depois de prontos serão anexados nas fichas de cada participante.

“Iremos trabalhar nas avaliações físicas, índice de massa corporal, (IMC), peso, altura, percentual de gordura atual, e a cada três meses, reavaliaremos cada indivíduo para identificarmos o que melhorou, e o que precisa ser mudado”, disse Richart.

Ele frisou que o público alvo é bem diversificado, “temos muitas meninas novas, e pessoas da terceira idade, um público bastante variado”,

As aulas estão acontecendo no Centro Poliesportivo de Palmeirópolis, segunda, quarta e sextas-feiras, das 18h às 19 horas.  E nas terças-feiras e quintas no ginásio da Vila Bom Tempo das 17:30 às 18: 30.

”Os exercícios vão ser bem selecionados, temos o funcional hit, juntamente com a dança, no objetivo de trabalhar a questão muscular dos participantes, e a parte cardiorrespiratória. Tudo bem diversificado e prazeroso de fazer”, disse o professor Ítalo Magalhães.

Da redação/Edilson Gonçalves

Secretaria de Saúde de Palmeirópolis realiza Projeto Sorrisos do Amanhã

O projeto teve como objetivo promover a saúde bucal nas crianças da rede de ensino municipal de Palmeirópolis, com idade entre 3 e 12 anos.

Teve início, nesta terça-feira (11), o projeto “Sorrisos do Amanhã”, realizado pela Prefeitura de Palmeirópolis através de parceria entre as secretarias de Educação e Saúde.

Através de ações de caráter educativo, preventivo e curativo com ênfase em cuidados odontológicos.

Para realização do projeto, incluiu a participação de toda equipe de saúde bucal e foram executadas palestras educativas utilizando linguagem de fácil compreensão, para que a construção do conhecimento direcionado para prevenção e educação em saúde bucal acontecesse de forma simples e espontânea, para que todos se conscientizassem da importância da adoção de hábitos saudáveis.

Foi realizado também, escovações supervisionadas com ensinamento de técnicas adequadas e eficiente dos dentes, ensinando o uso do fio dental, e fazendo a aplicação do flúor.

Tais ações tiveram dinâmicas para promover a saúde bucal fazendo com que as crianças aprendessem brincando.

“A prevenção é a melhor maneira de se promover saúde, proporcionando qualidade de vida e bem-estar social. Sabe se que apesar do acesso e dos programas de prevenção e tratamento em saúde bucal, o índice de caries infelizmente ainda continua sendo nosso grande vilão”, ressaltou Mara Layane Alves Benvindo, coordenadora da Atenção Básica de Saúde.

De acordo com a palestra ministrada na escola, Dra. Marília Fernandes Sousa-Cirurgiã Dentista, disse que o resultado da falta de higiene bucal inadequada e consumo excessivo de açucares são os principais responsáveis pelos diversos problemas bucais que vem afetando o sorriso da população.

“Diante disso, sentimos a necessidade de promover um projeto de educação preventiva em saúde bucal, nas escolas, por meio de um trabalho coletivo e participativo com toda comunidade escolar, pois a colégio é um ambiente educacional e social, ideal para promover melhorias na qualidade de vida”. Disse Marília.

“Intuito desse projeto é informar, ensinar de maneira espontânea e divertida esses alunos a ter cuidados necessários e fundamentais para uma boa saúde bucal, visando promover ações adequadas que resultem em melhorias na minimização dos problemas em saúde bucal”, explicou Neuza.

A primeira escola a receber o Projeto foi Elda Silva Barros, depois o CEMEI, em seguida escola Bom Tempo, todos com apoio dos coordenadores.

 

Da redação

Produtores do projeto Rio Formoso procuram MPE para regularizar pendências ambientais

Produtores rurais dos municípios de Lagoa da Confusão e Cristalândia que se encontram com pendências quanto à legislação ambiental começaram a atender Edital de Convocação de Regularização Ambiental, emitido pela 1ª Promotoria de Justiça de Cristalândia.

A intenção é que sejam firmados acordos, por meio dos quais os empresários do setor agroindustrial assumam o compromisso, perante o pelo Ministério Público Estadual (MPE), de regularizar suas demandas, evitando que os casos sejam levados à Justiça.

Nesta segunda-feira, 6, o Promotor de Justiça Francisco Brandes Júnior recebeu representantes de dois produtores rurais, que discutiram os termos para a formalização de possíveis acordos.

A iniciativa do Ministério Público visa alcançar, principalmente, grandes empresas do ramo do agronegócio que têm sua atuação vinculada à Bacia do Rio Formoso.

No Edital de Convocação de Regularização Ambiental, a Promotoria de Justiça pede que os produtores apresentem, espontaneamente, diagnósticos ambientais no que se refere a áreas degradadas e atividades poluidoras, nos quais haja confissão detalhada dos fatos em desacordo com a legislação ambiental. Caso necessário, os diagnósticos serão confrontados com laudos técnicos do próprio MPE.

A convocação é válida também para quem tenha procedimento investigativo em seu desfavor instaurado pela 1ª Promotoria de Justiça de Cristalândia, inclusive no que se refere a atividades rurais ou agroindustriais que afetem os recursos hídricos relacionados à Bacia do Rio Formoso.

No edital, a Promotoria de Justiça também abre possibilidade para que órgãos públicos, associações civis, grupos acadêmicos, entre outros, possam contribuir com os acordos, por meio de laudos, pareceres, relatórios, inspeções e outros. 

Imprensa MPTO/Foto Marcelo de Deus

(Flávio Herculano)

Indígenas celebram colheita na seca graças a projeto de irrigação movida a energia solar

Placas solares mantêm equipamento de captação da água do rio Tocantins, que irriga uma lavoura. Milho, feijão, abóbora e outras verduras sustentam famílias Xerente.

Messe período do ano, a produção da maioria das lavouras do estado faz uma pausa. A seca dificulta o plantio, mas o cenário é diferente numa aldeia indígena em Tocantínia, na região central do estado. É que um projeto de irrigação movida a energia solar tem levado água do rio Tocantins às plantações. O resultado é uma roça verde mesmo na estiagem e alimentos que dão sustento aos indígenas Xerente. 

Projeto de irrigação mantém roça verde em pleca seca (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Debaixo do sol forte, os indígenas colhem feijão, milho, abóbora e outras verduras. “Roça bonita. Está cheirosa a flor do milho. Cheira longe”, comemorou um dos moradores da aldeia. Para eles, o projeto leva alimentação para a mesa.

A cidade de Tocantínia foi impactada com a construção de uma usina hidrelétrica há 15 anos. A reserva fica ao lado do rio Tocantins. As águas abastecem as aldeias e a agricultura. Durante a cheia, as margens ficam cobertas pela água e quando o rio baixa, a terra que estava no fundo passa a ser fértil. O problema é que na região, o ciclo das águas não é mais o mesmo.

O jeito foi aproveitar o sol, que é forte o ano inteiro. Com a ajuda de uma ONG e de pesquisadores do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), quatro placas solares passaram a gerar eletricidade. São 1.025 watts de energia que ajudam a levar água para as plantações.

A energia de graça mantém o equipamento de captação de água do rio, que irriga uma lavoura do tamanho de um campo de futebol.

Irrigação é movida a energia solar (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

O sistema de irrigação é por gotejamento. “Fazia algum tempo que eles não tinham mais a prática de plantar, de ter o seu cultivo na sua roça. Isso vem somar melhorando a dignidade, a qualidade de vida, explicou Hertz Ward, representante do Instituto Ekos de Pesquisa Ambiental.

“Tinha que ser uma alternativa que não colocasse, impusesse esse custo mensal. A placa de energia solar é que soluciona essa atribuição”, complementou a bióloga do IFTO, Sylvia Setubal.

A comida tem feito a diferença para cerca de 10 famílias da aldeia. “Eu posso plantar e colher e ter minha sustentabilidade no próprio lugar em que eu vivo”, celebrou o indígena Antonio Claudio Xerente.

Deputada Dorinha comemora aprovação do projeto que cria UFNT na Comissão de Finanças

“A região Norte do Tocantins está se desenvolvendo e, além da localização estratégica, é fundamental ampliar o acesso ao ensino superior e qualificar as pessoas que lá vivem. Além disso, essa medida contribui para que para viabilizar conhecimento científico e tecnológico, bem como a permanência da população na região, não precisando se mudar para cidades mais distantes em busca de qualificação”

Foi aprovado nesta quarta-feira, 11, na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara, o Projeto de Lei 5274/16, que cria a Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT), por desmembramento do câmpus da Universidade Federal do Tocantins (UFT).

A deputada Professora Dorinha (Democratas/TO) atuou pela a aprovação da proposta na comissão e disse que a criação da UFNT atenderá à necessidade de expansão do ensino superior na região Norte do Estado. A Universidade beneficiará cerca de 1,7 milhão de habitantes, abrangendo 66 municípios do Tocantins, Pará e Maranhão.

“A região Norte do Tocantins está se desenvolvendo e, além da localização estratégica, é fundamental ampliar o acesso ao ensino superior e qualificar as pessoas que lá vivem. Além disso, essa medida contribui para que para viabilizar conhecimento científico e tecnológico, bem como a permanência da população na região, não precisando se mudar para cidades mais distantes em busca de qualificação”, disse a deputada.

O projeto estabelece que os atuais câmpus de Araguaína e Tocantinópolis passarão a integrar a UFNT. Com isso, todos os cursos e os alunos matriculados nesses cursos, assim como os cargos do quadro de pessoal desses campi, serão transferidos automaticamente para a nova universidade. Ainda está a apreciação da emenda da deputada Professora Dorinha que amplia a UFNT para os municípios de Xambioá, Colinas do Tocantins, Filadélfia e Guaraí.

Segundo o texto, a administração superior da UFNT será exercida pelo reitor e pelo conselho universitário, com competências a serem definidas no seu estatuto e no seu regimento geral.

A matéria será analisada agora pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e seguirá para o Senado.

CIDIANE CARVALHO.

Projeto que altera idade máxima para ingresso na Polícia Militar volta a ser analisado

Entre os projetos aprovados nesta quarta-feira, dia 4, na reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ), o que modifica a idade máxima de 35 anos nos editais de concurso para ingresso na carreira da Polícia Militar do Tocantins retornou à pauta da Comissão.

Esta é a segunda vez que o projeto é reapresentado. Atualmente, só pessoas com até 30 anos de idade podem participar da seleção por meio de concurso público. A proposta deve ser colocada em votação na próxima reunião da Comissão de Finanças, Administração e Controle.

Reapresentado pelo deputado Elenil da Penha (MDB), o projeto que dispõe sobre a mudança na idade máxima de 35 anos para ingresso na carreira da Polícia Militar foi aprovado em 2016 nesta Casa de Leis, mas vetado pelo Governo do Estado. Para o autor, a proposta atende à solicitação de jovens acima de 30 anos que não podem se inscrever em concurso da PM e ampliar as oportunidades.

Outras matérias aprovadas na CCJ são de autoria dos parlamentares Jorge Frederico (PSC) e Olyntho Neto (PSDB). As propostas tratam da isenção de ICMS nas contas de água e energia das residências habitadas por alunos da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) e da proibição da cobrança de IPVA após a comunicação de venda de veículo.

Maisa Medeiros.
Foto: Clayton Cristus

Histórias e Memórias: Projeto desenvolvido por alunos e professores de Palmeirópolis está fazendo o maior sucesso

O projeto ainda está em andamento, e a equipe de coordenadores, professores e alunos estão muito engajados na execução.

Os alunos do 8º ano da Escola Estadual Maria Guedes no município de Palmeirópolis/Tocantins, estão participando do projeto de construção de um livro.

De acordo com a professora Miriam Nunes da Silva, o livro em andamento “Histórias e Memórias”, é um projeto com a finalidade de resgatar a cultura familiar, local e estabelecer um elo entre as gerações, bem como, desenvolver no aluno o gosto pela leitura e escrita. 

“A partir desse projeto, nós faremos a escrita de um livro com memórias, poemas, crônicas, com todas as turmas do 6º ao 9º ano da Escola Estadual Prof.ª Maria Guedes. Por isso, o diretor José Daniel propôs uma palestra com o filho da prof.ª Maria Guedes, explicou Miriam.

O diretor José Daniel explicou, que convidou Antônio Guedes (Kinka) que também é professor, (ofício herdado de sua mãe), para falar um pouco da trajetória da professora Maria Guedes como sendo a primeira professora do município de Palmeirópolis.

Diretor José Daniel e professor Antônio Guedes

A palestra com o profº. Antônio Guedes, foi para que os alunos entendessem melhor, o porquê deste nome na escola e a história da educação em Palmeirópolis. Ele (Kinka), emocionado, por estar falando da pessoa tão amada e admirada por todos que era prof.ª Maria Guedes, tentou segurar a emoção, mas não conteve as lágrimas por algumas vezes.

Kinka como é conhecido, contou a nossa equipe de reportagem que ficou surpreso e bastante agradecido pelo convite. Ele disse que superou todas as suas expectativas ministrar a palestra em todos os oitavos anos. Fez elogios a professora Miriam e a equipe da escola.

“Estou sem palavras para expressar tamanha gratidão e admiração, muito impressionado com os alunos, todos bem orientados, num trabalho levado a sério, todos unidos no mesmo objetivo”.

Emocionado e quase sem voz disse: “Falar da minha mãe não foi difícil e nunca será, ela vai ser para sempre muito importante na minha vida. Estou radiante com este trabalho aqui nesta escola”. 

Professor Antônio Guedes ainda acrescentou, que ficou admirado com tudo que a escola tem feito. “Confesso que como professor, filho de professora e como pessoa gerada e criada em corredor de escola, eu estou impressionado com a equipe de profissionais desta escola que leva o nome da minha mãe. Com todas as dificuldades que existem em escolas públicas, a equipe tem foco e meta de trabalho, estão de parabéns”. Finalizou Guedes.

As professoras Miriam Nunes (responsável pelo projeto) e Dângela Rodrigues (historiadora) ambas envolvidas no projeto, ficaram impressionadas com a dedicação na pesquisa feita pelo professor Antônio Guedes bem como, pela sua capacidade de exposição e criatividade. A palestra deixou os alunos e funcionários da escola encantados.

A coordenadora Maria de Fátima Cavalcante Silva, ressaltou ainda a importância e relevância do filho da professora Maria Guedes levar ao conhecimento de toda a equipe, bem como dos alunos a trajetória da professora e o legado que ela deixou para o nosso município, sempre enfatizando a sua preocupação com a educação e as questões sociais. “A realização desse projeto faz com que a história da professora Maria Guedes até então desconhecida se torne conhecida e admirada por todos os palmeiropolenses”.

O ideação do livro está sendo desenvolvido com o apoio de toda equipe escolar, da comunidade e da Secretaria Estadual  de Educação e com previsão de término para o final do ano com a culminância do projeto por meio do lançamento do livro  em uma noite de autógrafos. 

Da redação

Projeto de Lei que proíbe cobrança de taxa de religação de água e energia é aprovado

Aprovado por unanimidade, o projeto agora precisa ser sancionado pela prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB), para entrar em vigor.

O projeto de Lei que proíbe a cobrança de taxas para religação ou restabelecimento dos serviços de água e energia, de autoria do vereador Diogo Fernandes (PSD), foi aprovado em sessão plenária na manhã desta quarta-feira, 18. Em entrevista, Diogo disse que o projeto “visa corrigir uma injustiça que as concessionárias comentem com os consumidores”.

Aprovado por unanimidade, o projeto agora precisa ser sancionado pela prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB), para entrar em vigor, como ressaltou o vereador.

Diogo expôs que outras taxas já estão embutidas na próxima fatura caso ocorra atraso no pagamento da conta, que são os juros e multas cobrados pelas concessionárias de água e energia.

Portanto, não há, de acordo com o vereador, necessidade de uma taxa extra de religamento. “O consumidor quando deixa a fatura atrasar, ele paga juros e multas, que inclusive estão acima da inflação, que são altíssimas”.

O vereador apontou, também, que as empresas responsáveis pelo fornecimento de água e energia obtem lucros altos, não justificando a cobrança de mais ônus ao consumidor. “Os lucros dessas empresas são bilionários. Não justifica a taxa. Água e energia são bens sociais” finalizou Diogo.

Projeto de Lei

Em caso de descumprimento, está prevista a cobrança de multas nos valores de R$ 5 mil reais e de R$ 10 mil reais no caso de reincidência da cobrança dos serviços de religação. A Secretaria Municipal de Finanças e a Agencia Reguladora serão as  responsáveis pela fiscalização e para receberem as denúncias por parte da população. 

“A gente já paga uma taxa tão alta de energia aqui em Palmas”, apontou Francisca Darc, moradora da capital. “Além de ter cobranças altíssimas, depois de pagar por juros e multas ainda ter que pagar mais esta conta na hora da religação é muito absurdo mesmo”.

Projeto de Gaguim que trata da criação, fusão ou desmembramento de municípios, está pronto para Plenário

O projeto determina comprovação de algumas condições para que o município seja criado.

O deputado Carlos Henrique Gaguim (TO) é relator do projeto de lei complementar que trata da criação, fusão ou desmembramento de municípios. A proposta foi aprovada e está pronta para votação em Plenário.

O projeto determina comprovação de algumas condições para que o município seja criado. Uma delas é que tanto os novos municípios quanto os já existentes que perderam população possuam, após a criação, população igual ou superior a seis mil habitantes, nas regiões Norte e Centro-Oeste; 12 mil habitantes, no Nordeste; e vinte mil habitantes, nas regiões Sul e Sudeste.

A realização de estudos de viabilidade municipal também é pré-requisito. Esses estudos deverão avaliar as viabilidades econômico-financeira, político-administrativa e socioambiental e urbana. Depois, haverá a realização de um plebiscito, com as populações envolvidas.

Ascom deputado Gaguim

Vereador de Palmeirópolis Fábio Gonçalves, otimista acredita no projeto de Carlesse para o Tocantins

Carlesse assumiu interinamente o Governo nesta terça após o governador Marcelo Miranda e sua vice, Claudia Lelis, serem afastados dos cargos nesta última quinta-feira, 22.

Vereador pelo segundo mandato em Palmeirópolis Fábio Gonçalves esteve participando nesta terça-feira (27), da solenidade de posse do Governador Interino do Tocantins, e presidente da Assembléia Legislativa, Mauro Carlesse.

Fábio Gonçalves chegou em Palmas na segunda-feira e ficou acompanhando junto com a equipe de governo até o momento da posse.

O vereador, que é uma das principais lideranças em Palmeirópolis, vê com otimismo esse período provisório que Carlesse vai estar à frente do Estado até que aconteça as eleições suplementares.

De acordo com Fábio Gonçalves renasce a esperança de ver a serra “cortada” e o problema do apertado da hora resolvido.

“Nunca imaginei que ia acontecer esta cassação! Mas confesso que fiquei animado, renasceu a esperança que já havia morrido dentro de mim e de muitos da sociedade de Palmeirópolis. Sei que os moradores da minha região, ainda esperam uma pessoa que olhe para aquele trecho com seriedade e compromisso e resolva. Eu acredito e estou confiante que agora, o Carlesse vai levar adiante este projeto da curva da morte”, explicou Fábio Gonçalves.

No início deste ano, foi aprovado na Assembléia Legislativa (um milhão e duzentos mil) projeto do Carlesse, com a finalidade de ser invertido no trecho da “curva da morte”, até agora nada tinha feito. Como governador fica mais  fácil dar andamento à ordem de serviço.

O vereador ainda acrescentou que vai tentar trazer o governador em Palmeirópolis mês que vem. 

Da redação