ATM comemora aprovação de projeto que libera R$ 2 bilhões aos Municípios brasileiros

Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 01/2018 foi aprovado em sessão conjunta nesta terça-feira, 20; projeto vai a sanção presidencial.

O presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) e prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, comemorou , em nome dos gestores municipais, a aprovação, em sessão conjunta realizada na noite desta terça-feira, 20 de fevereiro, do Protejo de Lei do Congresso Nacional (PLN) 01/2018, que estabelece a liberação do Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM),no valor de R$ 2 bilhões.

Com a aprovação, a ATM estima que serão distribuídos aos Municípios tocantinenses cerca de R$ 30 milhões.

“Havia um receio em grande parte dos prefeitos e prefeitas tocantinenses de que esse Auxílio não seria executado, pois o AFM estava, inicialmente, previsto para cair nos cofres municipais no final do exercício de 2017, o que não ocorreu. À época, vimos os representantes do Governo Federal negarem a assinatura de Medida Provisória que autorizaria a liberação do recurso extra, sob a alegação que seria necessário editar um projeto de lei criando um Programa Especial de Auxílio aos Municípios, que deveria passar pelo Congresso Nacional, fato que gerou enorme frustração nos gestores municipais de todo país”, explica Mariano.

Reunião em Brasília

O presidente da ATM, juntamente com o secretário executivo da entidade, Jailton Bezerra, participaram da reunião do Conselho Político Ampliado, da Confederação Nacional de Municípios (CNM), nesta segunda e terça-feira, 19 e 20, em Brasília, onde discutiram com municipalistas de todos os Estados brasileiros a urgência pela aprovação do AFM.

Posteriormente, os participantes da reunião participaram de audiência com deputados e senadores que compõem a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Municípios Brasileiros quando manifestaram o pedido de apoio pela celeridade da aprovação da PLN.

Votação

Ainda nesta terça-feira, o PLN entrou na pauta de votações da Câmara e do Senado. Em uma discussão acalorada, deputados e senadores aprovaram o texto por unanimidade.

Foram apresentadas 68 emendas ao projeto. No entanto, o relator da proposição, senador Pedro Chaves (MS) rejeitou todas as emendas que prejudicavam o projeto e, consequentemente, os Municípios. A matéria foi inserida na Ordem do Dia pelo presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira (CE).

Enviado ao Congresso no dia 9, o texto foi imediatamente inserido na pauta de votações, cumprindo compromisso assumido por Eunício e pelo governo federal durante reuniões realizadas neste ano.

AFM

O crédito tem por objetivo viabilizar o determinado na Medida Provisória (MP) 815/2017, que autoriza a União a transferir aos Entes que recebem o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), no exercício de 2018, recursos destinados à superação de dificuldades financeiras emergenciais.

O texto do projeto aponta que fica aberto crédito especial em favor dos Ministérios da Educação, da Saúde e do Desenvolvimento Social.

O projeto de lei estabelece, ainda, que os recursos necessários à abertura do crédito decorrem de anulação de dotações orçamentárias.

Após aprovação do projeto pelo Congresso Nacional, o texto segue para sanção presidencial. 

Associação Tocantinense de Municípios – ATM

Projeto Nossa Energia em parceria com Assistência Social reúne crianças e adultos em Palmeirópolis

A meta é visitar (49) municípios até final do ano.

Aconteceu nesta quarta-feira (7), na feira do Produtor Rural, da Praça Limirio Viana Guimarães em Palmeirópolis, atividades do Projeto Nossa Energia, desenvolvido pela empresa Energisa em parceria com a secretaria de Assistência Social.

Durante a tarde e à noite, foram promovidas ações de conscientização sobre o uso adequado da energia elétrica, sem desperdício e riscos.

O evento foi aberto ao público e todos puderam participar de brincadeiras, apresentações de teatro com dicas e orientações, palestras educativas e um cinema acompanhado  de pipoca.

Unidade móvel também pode se transformar em palco para apresentações

A ação da Energisa conta com um caminhão totalmente equipado e adaptado para atividades de eficiência energética.

A unidade móvel também pode se transformar em palco para apresentações ou em laboratório completo, com diversas atividades e experiências sobre consumo consciente.

O presidente do Conselho dos Consumidores de Energia do estado Tocantins Rudnei Fonseca, destacou a nossa equipe que está participando junto com a Energisa, levando cultura e educação as crianças. “Realizamos ações educativas e interativas, uma forma de atrair o público infantil e fazer com que cada um entenda a importância do uso correto, seguro e racional da energia”, ressalta.

Presidente do Conselho dos Consumidores de Energia do estado Tocantins Rudnei Fonseca.

Rudnei aproveitou a oportunidade para agradecer a primeira dama Ana Paula e o prefeito Fabio Vaz, pelo espaço em Palmeirópolis.

O Projeto Nossa Energia faz parte do Programa de Eficiência Energética da Aneel e é desenvolvido pela Energisa.

Todas as crianças puderam participar de brincadeiras

Da redação

Conselho nacional de Direitos Humanos repudia projeto que pode prejudicar quebradeiras de coco

Projeto de lei ameaça a existência das quebradeiras de coco .

Reunido nos últimos dias 31 de janeiro e 1° de fevereiro, o Plenário do Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) também aprovou, por unanimidade, nota pública em defesa dos direitos das quebradeiras de côco e em repúdio ao Projeto de Lei Estadual 194/2017, que incentiva a queima total do babaçu no Tocantins.
 
De acordo com o colegiado, o Projeto de Lei não considerou, em sua proposição, o artigo 6º da Convenção 169 da Organização Internacional Do Trabalho – OIT, segundo o qual os governos deverão consultar os povos interessados mediante procedimentos apropriados e, particularmente, através de suas instituições representativas, cada vez que sejam previstas medidas legislativas ou administrativas suscetíveis de afetá-los.
 
“Compreendendo o lugar e a relevância histórica das quebradeiras de coco e a importância sociocultural do coco babaçu, o CNDH manifesta seu REPÚDIO ao Projeto de Lei Estadual 194/2017, da Assembleia Legislativa do estado de Tocantins, por violar a Constituição Federal e os acordos internacionais de proteção dos direitos humanos”, afirma o CNDH em nota.
Acesse aqui a nota na íntegra: http://bit.ly/2E2Zqu1

Deputado Federal Gaguim destinou emenda proveniente da Bancada do Tocantins, para projeto turístico

Atuação Parlamentar Deputado Carlos Henrique Gaguim.

O Deputado Federal, Carlos Henrique Gaguim, Podemos-TO, destinou emenda parlamentar de R$ 200 milhões, proveniente da Bancada do Tocantins, para projetos de infraestrutura turística para Palmas e Região Metropolitana.

Gaguim explicou: “Pretendemos com essa emenda atender aos projetos para infraestrutura turística de Palmas e dos municípios que compõe a Região Metropolitana, tendo em vista o grande potencial turístico desta região. Com essa emenda podemos construir e recuperar orlas; praças públicas, parques, ações culturais entre outras iniciativas que fomentem o turismo.”

Turismo no Tocantins

O Tocantins é banhado, em toda sua extensão, pelos rios Araguaia e Tocantins, o Estado abriga ambientes naturais de grande importância socioambiental, como a Ilha do Bananal, maior ilha fluvial do mundo; o Jalapão, conhecido como o “deserto das águas” por abrigar ambiente típico de savana, mas com grande riqueza hídrica; e o Cantão, que é o maior ecótono (área de transição ambiental) do planeta.

Palmas, a mais nova capital do País, possui uma arquitetura moderna e é considerada a cidade das oportunidades e da qualidade de vida.

O turismo é considerado um potencial a ser explorado pelo Estado, pois o Tocantins reúne atrativos para todos os segmentos turísticos: uma natureza com rios, cachoeiras, lagos, praias, serras, cânions, cavernas, grande diversidade de fauna e flora; rica cultura com influência ainda preservada de povos tradicionais; culinária que valoriza produtos locais e a tradição dos povos que aqui se desenvolveram; arquitetura antiga e moderna; artesanato  que destaca culturas ancestrais; e as festividades e tradições influenciados pela fé do seu povo.

Ascom deputado Gaguim

Deputado Gaguim protocolou o projeto de lei que regulamenta o uso de “drones”

Atuação Parlamentar Deputado Carlos Henrique Gaguim.

O Deputado Federal, Carlos Henrique Gaguim, Podemos-TO, protocolou o projeto nº 8751, de 2017, que regulamenta o uso dos veículos aéreos não tripulados – também conhecido como “DRONES”. 

Atualmente, diversos países vêm regulando o uso dos drones, buscando impedir a utilização desses aparelhos em locais onde às pessoas querem ter privacidade.

Ademais, somente em 2017, foram registados inúmeros acidentes com drones nos aeroportos nacionais, pois sua utilização indevida perto dos aeroportos pode causar sérios acidentes e, embora, possa ser encarado como um brinquedo, quando mal utilizado, pode ferir alguém ou provocar acidentes graves.

“Estamos buscando inibir o uso dos drones perto de escolas, igrejas, hospitais e moradias na tentativa de resguardar a intimidade das pessoas.” Explicou o ex-governador Gaguim, quando o uso dos drones tiver a finalidade de filmar, fotografar ou gravar a atividade reservada, familiar ou intimas das pessoas.

Já com relação à segurança o parlamentar disse: “Este PL proíbe o uso dos drones em áreas próximas a aeroportos, usinas, delegacias e outros lugares que possam colocar risco a segurança das pessoas. Não vamos admitir que por falta de legislação as pessoas tenham a sua integridade física reduzida”.

Ascom deputado Carlos Henrique Gaguim

Deputado Gaguim comemorou a aprovação do Projeto de Lei

Atuação Parlamentar Deputado Carlos Henrique Gaguim.

O Deputado Federal Carlos Henrique Gaguim (Podemos-TO), comemorou, nesta terça-feira, 19, a aprovação do Projeto de Lei nº 3.909 de 2015, na Comissão de Educação, que torna obrigatória a definição de espaços para hortas em instituições de ensino públicas da educação básica de todo o Brasil.

O texto aprovado estabelece que as hortas vão ser utilizadas para ensinar os alunos sobre produção agrícola, desenvolvimento sustentável e hábitos alimentares saudáveis. Além disso, os gêneros alimentícios produzidos reforçarão as merendas escolares.

Ao analisar a proposta – prevista no Projeto de Lei 3909/15, do deputado Carlos Henrique Gaguim (Podemos-TO) –, a relatora deputada Professora Marcivania (PCdoB-AP) afirmou que não há qualquer dúvida sobre os benefícios da medida.

“Estou convicto que devemos ensinar nossos jovens desde cedo a cultivar seus próprios alimentos, criando, assim, uma cultura de preservação do meio ambiente, de alimentação saudável, de interação e solidariedade é essencial nas escolas públicas brasileiras.” Afirmou o ex-governador do Tocantins, Carlos Henrique Gaguim.

Ascom deputado Gaguim/Câmara dos deputados

ATM pede que presidente Michel Temer sancione projeto de lei relativo ao encontro de contas entre a Previdência e os Municípios

Em Xambioá, presidente da ATM, Jairo Mariano, repassa ofício ao presidente da república, pedindo sanção ao projeto aprovado no Congresso Nacional.

O presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, entregou nesta quinta-feira, 14, em Xambioá, ofício da entidade ao presidente da República, Michel Temer, que pede sanção do chefe do executivo nacional ao Projeto de Lei de Conversão (PLV) 25/2017, que trata do parcelamento da dívida previdenciária. A luta do movimento municipalista nacional é obter a sanção do projeto, sem vetos do item relacionado ao encontro de contas entre Previdência e Municípios.

Temer veio ao Tocantins assinar uma ordem de serviço para a construção de ponte sobre o Rio Araguaia, na BR 153, que ligará os estados do Pará e Tocantins. “Aproveitamos a oportunidade para reafirmar o posicionamento dos Municípios do Tocantins pela sanção ao projeto de lei que trata do encontro das contas entre a Previdência e as prefeituras, permitindo pela primeira vez na história que União e Municípios conheçam seus débitos e créditos e, com isso, busquem negociar eventuais distorções na cobrança e recolhimento da previdência”, explica Mariano.

Além das autoridades de estados e parlamentares, dezenas de prefeitos das Regiões do Bico do Papagaio e Norte afirmaram seus posicionamentos pela sanção ao projeto que permite ainda o parcelamento da divida dos Municípios com a Previdência. No documento entregue a Temer, a ATM destaca que a medida compõe um dos itens do Pacto Federativo e que recebeu forte apoio do Congresso Nacional, durante votações nas duas casas. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) mobiliza a luta em todo o Brasil, e defende a sanção ao projeto.  

Intitulado Encontro de Contas, o projeto é uma reivindicação antiga do movimento municipalista, com mais de 15 anos de trajetória. A medida – que possibilita aos gestores locais o conhecimento de seus débitos e créditos com a União em relação à previdência – já foi aprovada em outras oportunidades, mas sofreu veto presidenciais. “Sabemos que um dos grandes gargalos das administrações municipais é a dívida previdenciária. A sanção levará os Municípios para um novo cenário, quando será possível manter o pagamento da previdência, sem dívida acumulativa. É uma oportunidade ímpar de que nós temos de quase anular esse débito”, explica Jairo Mariano.             

Associação Tocantinense de Municípios – ATM

O Dep. Gaguim, protocolou o projeto de lei para assegurar que os recursos arrecadados com as taxas pagas pelos cidadãos sejam aplicados corretamente

Atuação Parlamentar Deputado Carlos Henrique Gaguim.

O Deputado Federal, Carlos Henrique Gaguim, PODE-TO, nesta quarta-feira, 17, protocolou o projeto de lei Complementar nº 409 de 2017, que tem como objetivo assegurar que os recursos arrecadados pela Polícia Federal, com as taxas pagas pelos cidadãos, para a emissão do documento de passaporte sejam aplicados exclusivamente para esta finalidade.

 Gaguim explicou: “Já não é a primeira vez que o serviço de emissão de passaportes é suspenso, por falta da emissão do documento, prejudicando milhares de cidadãos que pagaram pelo serviço e que por falta do passaporte tem sua viajem impedida. ”

 Entenda o caso

 Atualmente, a Polícia Federal recolhe uma taxa na quantia de R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais) para emissão do passaporte. Esse valor é recolhido para os cofres da União, para posteriormente ser transferido para a polícia federal no intuito de pagar a Casa da Moeda, quem efetivamente produz o passaporte.

 O projeto de Lei do ex-governador Gaguim acabará com este problema, pois este dinheiro pago por cada cidadão através da taxa de emissão de passaporte irá diretamente para a emissão de passaporte e o cidadão não ficará mais prejudicado.

Estima-se que inúmeros brasileiros tiveram prejuízos decorrentes dessa suspensão, tais como: passagens aéreas, hotéis, seguros de viagens, translado, dentre outras despesas. Sem contar os prejuízos incalculáveis como os decorrentes de perdas de cursos, viagens a trabalho entre outros prejuízos.

“O Brasil precisa melhor a qualidade dos serviços prestados ao cidadão, já que temos os maiores impostos do mundo. Temos a informação que a Casa da Moeda cobra em média, cerca de R$ 25,00 (vinte e cinco reais) para emissão de cada passaporte. Vejam vocês que o cidadão paga mais de R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais), ou seja, bem mais caro que o custo do passaporte e o pior de tudo, sequer consegue viajar pois o serviço fica suspenso. Isso é inadmissível! ” Explicou o Deputado Gaguim.

CÂMARA DOS DEPUTADOS/Ascom dep. Carlos Henrique Gaguim

Em São Salvador do Tocantins, projeto social afasta crianças das ruas por meio da luta

O projeto atende crianças e adolescentes com auto índice a criminalidade.

O objetivo do projeto “Capoeira vai à Escola”, é promover o desenvolvimento humano através da cidadania.

Para começar, o aluno é passado por uma triagem, para saber a conduta social de cada um, depois é selecionado aquele jovem, ou adolescente que estão no comportamento de risco a criminalidade.

“Aquele que tem mais condições de ingressar no mundo do crime, são trazidos para a luta e feito algumas exigências mínima dele. A primeira delas é, estar estudando, ter disciplina, também ter uma religião”, explicou Santos.

O projeto nasceu em Arraias sudeste do estado com o mestre Fumaça. Hoje atende várias pessoas em sete cidades do sul e sudeste do Tocantins. Uma iniciativa do cabo Santos, juntamente com o mestre Fumaça, que vem crescendo a cada dia.

Em São Salvador, o projeto ganhou rumo e apoio do prefeito André Borba e dos vereadores, que abraçaram a ideia para livrar São Salvador de qualquer risco de drogas ilícitas. Uma vez por semana, os garotos têm a oportunidade de se dedicar ao esporte naquela cidade.

O professor Santos e o mestre Fumaça se conheceram em Brasília e desde então, começaram a ver os problemas sociais na época. 

“Nascemos em comunidade menos favorecidas como a baixada fluminense, pois sou oriundo da favela, e com isso, notamos que o governo e as autoridades, não nos assistiam à altura, tanto é que, aquelas previsões antigas que nós fazíamos na comunidade naquele tempo, estão se realizando hoje: os presídios super-lotados, o sistema público falido, enfim, um conjunto de fatores de derrota. Outra coisa: Administração que não vingou por causa da corrupção, por inveja, por causa da política partidária, que é a pior e vivente em nosso país. Então, resolvemos usar este esporte que aprendemos na comunidade, que nos livrou da criminalidade, das drogas e da violência, que foi a capoeira”, disse o treinador.

O projeto atende meninos de 7 a 30 anos e fornece aulas de box (MMA) e capoeira. Algumas meninas entraram mais logo desistiram, por ser um esporte violento para mulheres. É um projeto de inclusão, especialmente para pessoas carentes, sem condições financeiras. “Só atendo a classe baixa, não trabalho com filho de rico, ou com jovens bonzinhos, mas sim aqueles com zona de risco a criminalidade”, disse. 

Segundo o ex-prefeito de São Salvador Denival Gonçalves, o projeto é importante, pois consegue resgatar crianças e adolescentes que poderiam estar nas ruas. E afirma o total apoio do prefeito André neste trabalho.denval

“Nosso gestor vai estar de mãos dadas, e manda dizer que a parceria vai continuar aqui no município, fizemos no passado, foi boa e vamos continuar. Muitos aqui são alunos desde aquela época, que isso possa formar mais pessoas. Temos um professor dando aula, que passou por aqui, foi aluno, hoje segue carreira, disse Denival, que foi representando o prefeito que estava viajando à Brasília, com todos os vereadores em reunião com lideranças políticas.   

O cabo e professor de MMA e capoeira Santos, afirma esta parceria do prefeito de São Salvador André Borba. “Como é um trabalho antigo, hoje está colhendo os frutos, e o prefeito está praticando a política comunitária, mesmo eu não votando no município de São Salvador o prefeito André abraçou nossa causa, mesmo não puxando saco, até porque não preciso disso, o prefeito teve a consciência de nos ajudar, coisas que outros prefeitos da região não fizeram, mesmo sendo beneficiados com este projeto. Trabalho este que foi implantado na época do ex-prefeito de Palmeirópolis Enoque Souza e ele nos ajudou muito. Neste governo do Fabio Vaz, não tivemos seguimentos, mas reconheço o trabalho brilhante na área social que exerce o município, que é a Rede do Bem, que assiste ao jovem e crianças carentes”, elogiou.

O prefeito Fabio Vaz disse, que já existe este projeto em Palmeirópolis que cuida de crianças e adolescentes que é a Rede do Bem, admira e não é contra o trabalho do cabo Santos prestado à sociedade menos favorecidas, isso enriquece e protege o município.

O professor explica ainda a falta de interesse de gestores públicos. “Gostaríamos de fazer muito mais, poucas vezes conseguimos ajuda do poder público, mas graças a Deus, temos conseguido parceria com o ministério Público e a Justiça, principalmente de Peixe, Alvorada, Palmeirópolis, empresários, escolas, fazendeiros. Agora, a parte principal que é, a ajuda dos políticos eles somem, praticam as políticas partidárias, só aquelas na época das eleições, naqueles meses de campanha, ou seja, só quem votou eles ajudam, apenas quem é do “bando”, quem não fez parte eles excluem. Hoje acredito que entre Palmeirópolis, São Salvador, Paranã e Jau, temos mais de 80 políticos, poucos nos ajudam, são raros a ajuda deles”, desabafa Santos. 

Para ele, a luta vai além do fator esporte, que também pode ser visto como uma ferramenta de educação e transformação social. Promover o desenvolvimento humano através da cidadania, e a ferramenta utilizada é o esporte, a luta, como uma ação complementar para a educação.cabo

“Também buscando transformar o conceito de responsabilidade social, atingindo um maior número de pessoas e integrando classes sociais diferentes, através do esporte. Sabendo que nem todos serão atletas. Se conseguir formar grandes homens e mulheres, já estará contribuindo bastante para a sociedade”, disse.

Tanta dedicação fez com que Santos fosse mais do que um mestre de capoeira e MMA, ele é tido como um grande “pai” dos meninos e meninas, muitos dos quais ele, por meio do projeto social, ajudou a tirar de situações de risco social. “Eu aqui estou no lugar de um pai de rua, exemplo: aquela criança que não quer ir  à escola, que não quer se adaptar a sociedade, nós fazemos a inclusão social e escolar dela com as nossas disciplinas, eu consigo trazer elas para o esporte”, destacou.

É feito premiações, são levadas para temporadas de praias, alguns passeios de bug na areia, jet-ski, sobre o patrocínio na maioria das vezes do próprio bolso”, emociona ao falar.

Luiz Eduardo de Souza, começou a aprender capoeira com o policial, quando tinha 09 anos de idade, hoje com 12, disse que o aprendizado e a disciplina é gratificante, os pais dele notam isso, e também não esconde a admiração pelo professor. Para a maioria deles treinar e ocupar a cabeça é uma forma de não estar na rua fazendo coisas erradas.

Ao olhar para o passado, o militar e professor Santos, conta que fica muitas vezes emocionado e feliz ao ver o trabalho realizado com os participantes. “Aposentei como militar, entrei na polícia pela porta da frente e também saí pela porta da frente. Fui muito perseguido, mais tudo que tem o toque da mão de Deus não fracassa, conseguimos passar destas barreiras e trazer para as classes mais baixas, menos favorecidas, mais dependente do poder público o esporte através da luta”.

O projeto “Capoeira vai à Escola” não é experimental, mas sim funcional. O professor relata ainda que não envolve com pessoas com o nome sujo, qualquer classe social que envolver com a criminalidade está fora do projeto. “Queremos formar cidadãos atletas, fazemos uma peneira fina, uma varredura jogando a semente. Hoje sou um mulplicador desta causa do bem e ela está germinando. Todos que vier nos ajudar e não tiver problemas com a justiça estaremos de portas abertas”, desabafou.

De acordo com ele, o pai da dupla Henrique Juliano, Edson Reis se prontificou a ajudar no projeto, ser o padrinho neste trabalho. “Investigamos a conduta dele e realmente é mesmo fruto da música, de bons caminhos, não tem lavagem de dinheiro e nem de tráfico de drogas, por isso vamos aceitar”.

Procuramos Edson Reis para uma entrevista mais não conseguimos localizar.

Como é um esporte de contato e violento dentro da sua metodologia, MMA é no tatame para não machucar ninguém, a disciplina é acima de tudo.

Padre de São Salvador há 15 anos, Tiziano Scaccabarozzi disse que sem dúvida o projeto é importante. “O espaço que cria a possibilidade de trabalho é pouco, com isso dá mais chance de ir para as ruas, não sei avaliar quantos do poder público estão abraçando esta causa, mas deveria ser uma grande preocupação para todos, porque a grande parte dos presidiários é abaixo de 30 anos, isso é sinal que no âmbito educativo é bastante, este índice. A proposta de drogas é enorme, este trabalho no imediato não dá retorno, mais a longo prazo, a gente percebe a diferença. Trabalho não feito, deixa consequências grandes na sociedade”, explicou o padre. padre tiziDiretor de escola há muitos anos, o professor e agora vereador em Palmeirópolis, Daniel Rosa disse que, Santos foi parceiro dele no Colégio Carolina, e que ele trabalha com pessoas mais vulnerável, trabalha com paixão e sem ganhar nada com isto. “Se todos os prefeitos se organizarem com os projetos do município como Rede do Bem por exemplo, pode encaixar e fazer uma parceria neste trabalho do Santos. “Temos um projeto como professor para ajudar nesta área que é muito importante à sociedade, vamos estar desenvolvendo não como vereador, mas sim como professor”, explicou. danielO trabalho em Jaú do Tocantins por enquanto está suspenso, o professor alega falta de interesse do prefeito daquela cidade. Questionado pelo jornal, Onassys disse que ainda não foi procurado para um diálogo sobre o projeto, mais gostaria de sentar para entender os detalhes do assunto e depois dá uma resposta.

VEJA MAIS FOTOSdenicriançasmais crincrianmeninosdani

Da redação

Projeto com cães auxilia tratamento de crianças especiais em Araguaína

Iniciativa dos estudantes de medicina veterinária leva animais domésticos para o Centro de Atenção Psicossocial. Projeto é chamado de pet terapia e ajuda no desenvolvimento de crianças.

 

Os pacientes do Centro de Atenção Psicossocial Infantil receberam um tratamento diferente em Araguaína: a pet terapia. Neste modelo os animais domésticos auxiliam no desenvolvimento de crianças com algum tipo de transtorno mental. A iniciativa veio dos estudantes do curso de medicina veterinária da Universidade Federal do Tocantins (UFT).

O tratamento tem o objetivo de ajudar a aprimorar, de forma diferente e divertida, o desenvolvimento social dos pacientes como explica o estudante de veterinária Vinicius Marques. “As crianças evoluem mais com a brincadeira e com a presença dos animais”, afirmou.

De acordo com a professora Ana Paula Coelho, os cães que participam do tratamento precisam ser dóceis e tranquilos. “O animal precisa estar completamente saudável e não se estressar fora de casa.”

Dagma Luiza Carvalho, coordenadora do Caps infantil, afirma que esse tipo de iniciativa auxilia muito no tratamento dos pacientes. “Isso contribui para o desenvolvimento deles tanto intelectual, cognitivo e social. É muito importante isso para as crianças”.