Suspeitos de envolvimento na morte de Patrícia Aline são transferidos para Palmas

Iury Italu Mendanha e Silas Barreira Borges foram detidos em Campos Lindos e estavam presos em Araguaína. Jovem foi morta a tiros; dias antes, ela pediu socorro para uma amiga no WhatsApp.

Yury Italu Mendanha e Silas Barreira Borges deixaram a Casa de Prisão Provisória de Araguaína, norte do Tocantins, nesta quarta-feira (15), e serão transferidos para Palmas. Eles foram presos na terça-feira (14) suspeitos de envolvimento na morte da jovem Patrícia Aline dos Santos. Serão 306 km até a capital e eles devem chegar no fim da noite.

Patrícia Aline foi encontrada morta em um matagal na última quinta-feira (9), perto de um shopping, na quadra 107 Norte, em Palmas. Dias antes do crime, ela pediu ajuda para uma amiga pelo WhatsApp, afirmando que o namorado queria matá-la. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Palmas.

Os dois foram presos em Campos Lindos, no interior do Tocantins, nesta terça-feira (14). Em um vídeo feito pela polícia, Mendanha aparece confessando ter matado a ex-namorada. Ele diz que cometeu o crime após uma traição e ainda detalhou como agiu.

Suspeito confessou crime durante conversa com policial

Suspeito confessou crime durante conversa com policial

Patrícia morava em Palmas há cerca de um ano e trabalhava como consultora de beleza. O corpo da jovem foi enterrado em Serrana (SP) no último sábado (11).

O caso

A jovem foi encontrada morta em um matagal na última quinta-feira (9), perto de um shopping, na quadra 107 Norte, em Palmas. Dias antes do crime, ela pediu ajuda para uma amiga pelo WhatsApp, afirmando que o namorado queria matá-la.

“Na nossa linha de investigação, o principal suspeito do crime é o atual namorado da Patrícia, o Iury. Várias testemunhas apontam que era um relacionamento conturbado. E que eles tinham terminado e voltado, então ele descobriu que ela tinha ficado com alguém, não gostou e passou a ameaçá-la, inclusive com um revólver. Há vários pedidos dela de socorro, reclamando da agressividade do Iury”, disse o delegado Israel Andrade, responsável pelas investigações.

Dias antes do crime, a jovem também havia pedido ajuda à amiga e afirmou que estava com medo que o namorado a matasse.

Patrícia Aline dos Santos foi encontrada morta em matagal na zona norte de Palmas (TO) (Foto: Arquivo Pessoal)Patrícia Aline dos Santos foi encontrada morta em matagal na zona norte de Palmas (TO) (Foto: Arquivo Pessoal)

Patrícia Aline dos Santos foi encontrada morta em matagal na zona norte de Palmas (TO) (Foto: Arquivo Pessoal)

Câmera de segurança

Iury e Silas aparecem em um vídeo horas antes de a jovem ser encontrada morta. Nas imagens, gravadas pela câmera de segurança de uma padaria, é possível ver que Iury chega à casa de Patrícia acompanhado pelo amigo.

No vídeo, Iury chega dirigindo e desembarca sozinho do carro. Ele chama Patrícia na porta e os dois conversam por alguns minutos até que o homem, que seria Silas, também desce do veículo. Os três ficam no local por mais alguns minutos e voltam para o carro juntos, desta vez com Iury no banco do passageiro e Patrícia no banco de trás.

A jovem parecia tranquila e chegou a abraçar o suspeito durante a conversa. Amigos de Patrícia disseram à polícia que ela usou a mesma roupa durante todo o dia, o que pode indicar que ela não esperava a visita e não estava preparada para sair de casa. O vestido é o mesmo com o qual ela foi encontrada morta.

G1 Tocantins.

Motorista atinge poste e deixa escola sem internet na região norte de Palmas

Mais de 250 postes foram derrubados no estado, apenas nos primeiros sete meses do ano. No último final de semana, em Palmas, seis foram derrubados em um único acidente.

Mais um poste foi atingido por um carro em Palmas. Desta vez, o acidente foi na quadra ACSU-NO 40 (antiga 301 Norte), em frente a Escola de Tempo Integram Padre Josimo, na manhã desta terça-feira (14). O impacto rompeu o cabo de internet e deixou a unidade sem conexão.

O motorista contou à reportagem da TV Anhanguera que houve uma falha mecânica. Ele perdeu o controle do veículo, subiu no meio-fio, arrancou uma pequena árvore e bateu no poste. Apesar disso, não teve ferimentos.

No último domingo (12), um outro motorista derrubou seis postes de uma vez em um acidente na Arse 22 (antiga 306 Sul).

De acordo com a Energisa, concessionária de energia do Tocantins, até julho desse ano, 250 postes foram danificados em acidentes de trânsito no Tocantins.

A Energisa informou que o custo médio de substituição de postes é de R$ 3 mil e deve ser pago pelo condutor responsável pela batida. Quando um transformador é afetado no acidente envolvendo poste, esse custo pode ultrapassar os R$ 10 mil.

Amigas de jovem assassinada pediram que ela procurasse a polícia após agressões do namorado, diz delegado

Delegado disse que Patrícia Aline dos Santos, de 29 anos, enviou mensagem a amigas dizendo que estava com ‘mau pressentimento’. Ela foi encontrada morta em matagal de Palmas.

O delegado Israel Andrade disse que a jovem Patrícia Aline dos Santos, de 29 anos, relatou por meio de mensagens que estava com mau pressentimento, um dia antes de ser assassinada. As amigas orientaram que ela procurasse a polícia, mas ela se negou. A jovem foi encontrada morta em um matagal, nesta quinta-feira (9), perto de um shopping de Palmas. Ao todo, cinco testemunhas já foram ouvidas, dentre elas amigas da vítima e o pai de Iury Italu Mendanha, principal suspeito do crime e namorado da jovem.

“Inclusive, um dia antes de morrer, em uma das mensagens, ela diz: ‘Amiga, eu estou com um mau pressentimento, eu acho que o Iury vai me matar’. A amiga falou para ela procurar a polícia, ela não quis, falou que não queria que chegasse a esse ponto, que iria deixar”, relatou o delegado.

Andrade disse que já pediu à Justiça a prisão de Iury. Durante o depoimento, as amigas também mostraram mensagens que comprovam que a jovem era ameaçada e agredida pelo namorado.

“Eles namoraram por dois meses. Ele parece que era muito possessivo e violento, mas há uma semana, ela terminou com ele. Então, passou a ser ameaçada e agredida com maior frequência. Inclusive na semana passada, ele esteve na casa dela, pulou o muro e portando um revólver, bateu nela. As amigas dizem que ela aparecia às vezes com hematomas”, relatou.

O pai de Iury foi ouvido pela polícia e disse que o filho mandou mensagem se despedindo nesta quinta-feira, dia em que o corpo da jovem foi encontrado.

“O pai não sabe de muita coisa, sabe que ele teve envolvimento com essa moça, namorou. Falou que desconhecia as armas que ele tinha em casa e nos mostrou mensagens que ele enviou se despedindo ontem pela manhã, no dia que o corpo foi encontrado. Disse que não ia mais trabalhar com o pai na loja, que precisava sair da cidade e que depois voltava”.

Patrícia pediu ajuda a amiga antes de ser morta (Foto: Reprodução/Whatsapp)Patrícia pediu ajuda a amiga antes de ser morta (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Patrícia pediu ajuda a amiga antes de ser morta (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Crueldade

O primo da jovem, Ivanesio de Oliveira Santos, disse que a família não se conforma. Segundo ele, os parentes não chegaram a conhecer o namorado da vítima, já que o relacionamento era recente. “Foi muito cruel. A gente não se conforma porque ela era muito nova, por causa da forma como aconteceu e porque ela estava morando longe da gente”, disse.

O corpo saiu de Palmas na noite desta quinta-feira (9) e deve chegar à Serrana (SP), nesta sexta-feira, no velório municipal. O enterro deve ocorrer no município de Santa Rosa de Viterbo, também interior paulista.

Patrícia morava em Palmas há cerca de um ano e trabalhava como consultora de beleza. O primo disse que a família está assustada.

Assassinato

A jovem foi encontrada morta em um matagal nesta quinta-feira (9), perto de um shopping, na quadra 107 Norte, em Palmas. Dias antes do crime, ela pediu ajuda para uma amiga pelo WhatsApp, afirmando que o namorado queria matá-la. Segundo o delegado responsável pelo caso, Israel Andrade, o corpo de Patrícia tinha marcas de tiros.

G1 Tocantins.

Corpo de mulher é encontrado em matagal perto de shopping em Palmas

O caso foi registrado na quadra 107 Norte, na avenida LO-04. Funcionários que trabalham próximo à região localizaram o corpo e chamaram a polícia.

 O corpo de Patrícia Aline Santos, de 29 anos, foi encontrado num matagal, perto de um shopping na região norte de Palmas, na manhã desta quinta-feira (9). O caso foi registrado na avenida LO-04, na quadra 107 Norte. Ela foi baleada e apresentava vários ferimentos no rosto.

Um homem foi ao local e identificou a vítima como uma moradora da quadra 307 Norte. O corpo foi achado por funcionários que trabalham na construção da avenida NS-15. A Polícia Militar e o Instituto Médico Legal (IML) foram ao local e as informações da testemunha estão sendo investigadas.

Testemunhas acreditam que o corpo tenha sido deixado na região, pois os funcionários que chegam cedo para trabalhar não o viram pela manhã. A mulher pode ter sido arrastada até ser largada no matagal. Não foram encontrados documentos da vítima.

Corpo de mulher é encontrado perto de shopping em Palmas (Foto: Antoniel Silva/TV Anhanguera)Corpo de mulher é encontrado perto de shopping em Palmas (Foto: Antoniel Silva/TV Anhanguera)

Corpo de mulher é encontrado perto de shopping em Palmas (Foto: Antoniel Silva/TV Anhanguera)

G1 Tocantins.

Preso há dois dias, presidente da Câmara de Palmas presta depoimento em delegacia

José do Lago Folha Filho chegou à sede da Polícia Civil e acenou para as câmeras. Ele é suspeito de ser um dos mentores de um esquema que desviou R$ 7 milhões da Prefeitura de Palmas.

O presidente da Câmara Municipal de Palmas, José do Lago Folha Filho (PSD), prestou depoimento na manhã desta quinta-feira (8). Ele foi levado pela Polícia Civil para a sede da Delegacia Especializada na Repressão a Crimes de Maior Potencial contra a Administração Pública (Dracma), onde foi ouvido.

O vereador chegou na delegacia com o uniforme padrão da Casa de Prisão Provisória de Palmas e acenou para as câmeras.

Ele é suspeito de ser um dos mentores de um esquema criminoso que desviou R$ 7 milhões da Fundação Municipal de Esporte e Lazer (Fundesportes) e da Secretaria de Governo e Relações Institucionais da capital. Folha está preso desde segunda-feira (6), quando se apresentou à polícia.

A verba seria destinada a projetos sociais, mas o dinheiro teria sido usado em campanhas eleitorais de 2014. Folha e outros dois vereadores foram alvos da 2ª fase da operação Jogo Limpo.

Ao todo, 26 mandados de prisão temporária foram cumpridos desde a última sexta-feira (3), sendo que 24 pessoas foram liberadas, entre elas o vereador Rogério Freitas. O último mandado foi cumprido na manhã desta quarta-feira (8), contra o vereador Major Negreiros, no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

O esquema

O esquema envolve quatro núcleos compostos por servidores, políticos, empresas fantasmas e entidades. Segundo a decisão judicial, 10 entidades investigadas admitiram o uso de notas frias fornecidas por sete empresas fantasmas.

As notas seriam para justificar despesas e serviços não realizados. Depois, o dinheiro seria desviado para servidores e agentes políticos ou para terceiros indicados por eles.

A polícia informou na última sexta-feira (3) que encontrou R$ 40 mil na conta do vereador Rogério Freitas oriundos de uma empresa fantasma utilizada no esquema e R$ 10 mil na conta pessoa do vereador Folha.

Outro lado

O presidente da Câmara de Palmas disse que teve ciência das denúncias através da imprensa. Falou que desconhece e que não autorizou que fossem feitos depósitos na conta dele e garante que é inocente. A defesa dele informou que fez o pedido de liberdade.

A Prefeitura de Palmas informou que está à disposição da Justiça e da investigação para contribuir com qualquer esclarecimento. O vereador Rogério Freitas disse em entrevista à TV Anhanguera que até o momento não foi acusado de nada e é inocente.

O vereador Major Negreiros ainda não se posicionou sobre as acusações.

1ª fase da operação

A primeira fase da operação foi realizada em fevereiro deste ano contra uma organização criminosa suspeita de lavagem de dinheiro. O crime era praticado por meio de entidades sem fins lucrativos e empresas fantasmas, conforme as investigações. Ao todo, 10 federações e organizações não governamentais (ONG) podem estar envolvidas, além de quatro empresas.

Na época, os policiais cumpriram 24 mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão em Palmas e em mais quatro cidades do Tocantins: Paraíso do Tocantins, Nova Rosalândia, Paranã e Miracema.

Vereador investigado por desvio na Prefeitura de Palmas é preso no aeroporto do RJ

Delegado informou que Major Negreiros foi detido pela Polícia Federal no Rio de Janeiro. Ele estava no Chile com a família e é suspeito de fazer parte de um suposto esquema criminoso.

O vereador Major Negreiros, investigado por fazer parte de um suposto esquema criminoso que desviou R$ 7 milhões da Prefeitura de Palmas, foi detido pela Polícia Federal no aeroporto do Rio de Janeiro. A informação é do delegado da Polícia Civil, Guilherme Rocha, responsável pelas investigações.

O parlamentar tinha um mandado de prisão em aberto. Ele estava viajando para o Chile com a família, quando foi deflagrada a 2ª fase da operação Jogo Limpo. Três parlamentares teriam participado do esquema.

Major Negreiros está sob custódia da PF do Rio de Janeiro e será encaminhado para Palmas. O site aguarda contato com a defesa do vereador.

Ao todo, 26 mandados de prisão temporária foram cumpridos na última sexta-feira (3), sendo que 24 pessoas foram liberadas, entre elas o vereador Rogério Freitas. Apenas o presidente da Câmara de Vereadores, José do Lago Folha, segue preso na Casa de Prisão Provisória de Palmas.

As investigações apontam que eles fazem parte de um suposto grupo criminoso que desviou R$ 7 milhões da Fundação Municipal de Esporte e Lazer (Fundesportes) e da Secretaria de Governo e Relações Institucionais da capital. A verba seria destinada a projetos sociais, mas o dinheiro teria sido usado em campanhas eleitorais de 2014.

O esquema

O esquema envolve quatro núcleos compostos por servidores, políticos, empresas fantasmas e entidades. Segundo a decisão judicial, 10 entidades investigadas admitiram o uso de notas frias fornecidas por sete empresas fantasmas.

As notas seriam para justificar despesas e serviços não realizados. Depois, o dinheiro seria desviado para servidores e agentes políticos ou para terceiros indicados por eles.

A polícia informou na última sexta-feira (3) que encontrou R$ 40 mil na conta do vereador Rogério Freitas oriundos de uma empresa fantasma utilizada no esquema e R$ 10 mil na conta pessoa do vereador Folha.

Outro lado

O presidente da Câmara de Palmas disse que teve ciência das denúncias através da imprensa. Falou que desconhece e que não autorizou que fossem feitos depósitos na conta dele e garante que é inocente. A defesa dele informou que fez o pedido de liberdade.

A Prefeitura de Palmas informou que está à disposição da Justiça e da investigação para contribuir com qualquer esclarecimento. O vereador Rogério Freitas disse em entrevista à TV Anhanguera que até o momento não foi acusado de nada e é inocente. O G1 ainda não conseguiu contato com a defesa dos demais citados na reportagem.

1ª fase da operação

A primeira fase da operação foi realizada em fevereiro deste ano contra uma organização criminosa suspeita de lavagem de dinheiro. O crime era praticado por meio de entidades sem fins lucrativos e empresas fantasmas, conforme as investigações. Ao todo, 10 federações e organizações não governamentais (ONG) podem estar envolvidas, além de quatro empresas.

Na época, os policiais cumpriram 24 mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão em Palmas e em mais quatro cidades do Tocantins: Paraíso do Tocantins, Nova Rosalândia, Paranã e Miracema.

Presidente da Câmara investigado pela polícia se apresenta em delegacia de Palmas

José do Lago Folha (PSD) é investigado na 2ª fase da operação Jogo Limpo, da Polícia Civil. Ele está na Delegacia Especializada na Repressão a Crimes de Maior Potencial contra a Administração Pública.

Acompanhado do advogado, o presidente da Câmara Municipal de Palmas, José do Lago Folha Filho (PSD), se apresentou na Delegacia Especializada na Repressão a Crimes de Maior Potencial contra a Administração Pública (Dracma), na capital, nesta segunda-feira (6). Ele é investigado na 2ª fase da operação Jogo Limpo, da Polícia Civil.

O presidente da Câmara de Palmas disse que teve ciência das denúncias através da imprensa. Falou que desconhece e que não autorizou que fossem feitos depósitos na conta dele e garante que é inocente. A defesa dele informou que fez o pedido de liberdade.

A nova fase da operação foi realizada na última sexta-feira (3). Segundo as investigações, um grupo criminoso desviou R$ 7 milhões da Fundação Municipal de Esporte e Lazer (Fundesportes) e da Secretaria de Governo e Relações Institucionais da capital. A verba seria destinada a projetos sociais, mas o dinheiro teria sido usado em campanhas eleitorais de 2014. Três vereadores tiveram a prisão decretada.

Investigados foram liberados

Mais quatro investigados da 2ª fase operação Jogo Limpo ganharam liberdade após prestar depoimento, entre eles o vereador Rogerio Freitas (MDB). De acordo com a Polícia Civil, os investigados foram liberados na noite deste domingo (5), após pedido de revogação da prisão temporária ser feito pela própria Dracma. No sábado (4) outras oito pessoas tinham sido liberadas.

Ao todo, foram 26 mandados de prisão expedidos, sendo que 24 foram cumpridos. Além do presidente da Câmara Municipal, entre os alvos, está o vereador Major Negreiros (PSB). Confira a defesa deles no final desta reportagem.

Foram liberados os seguintes investigados:

  • Rogerio Freitas
  • Waldson Pereira Salazar
  • Pedro Neto Gomes Queiroz
  • Neimar Tavares Magalhãe
  • Salvador Domingos dos Anjos
  • Renato Cesar Auler do Amaral Santos
  • Wilson Alves da Silva
  • Jocivaldo Dias Cardoso
  • Pedro Coelho Santos
  • José Antonio Coelho Dos Santos
  • Adenilton de Sousa Barbosa
  • Claudio Adalberto do Amaral Santos

Outras 11 pesoas seguem presas temporariamente.

O esquema

O esquema envolve quatro núcleos compostos por servidores, políticos, empresas fantasmas e entidades. Segundo a decisão judicial, 10 entidades investigadas admitiram o uso de notas frias fornecidas por sete empresas fantasmas.

As notas seriam para justificar despesas e serviços não realizados. Depois, o dinheiro seria desviado para servidores e agentes políticos ou para terceiros indicados por eles.

A polícia informou nesta sexta-feira (3) que encontrou R$ 40 mil na conta do vereador Rogério Freitas oriundos de uma empresa fantasma utilizada no esquema.

Outro lado

O chefe de gabinete do major Negreiros informou que o vereador está retornando para o país e deve chegar em Palmas até a próxima quarta-feira (8) para prestar os esclarecimentos necessários.

A Prefeitura de Palmas informou que está à disposição da Justiça e da investigação para contribuir com qualquer esclarecimento. O vereador Rogério Freitas disse em entrevista à TV Anhanguera que até o momento não foi acusado de nada e é inocente. O G1 ainda não conseguiu contato com a defesa dos demais citados na reportagem.

1ª fase da operação

A primeira fase da operação foi realizada em fevereiro deste ano contra uma organização criminosa suspeita de lavagem de dinheiro. O crime era praticado por meio de entidades sem fins lucrativos e empresas fantasmas, conforme as investigações. Ao todo, 10 federações e organizações não governamentais (ONG) podem estar envolvidas, além de quatro empresas.

Na época, os policiais cumpriram 24 mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão em Palmas e em mais quatro cidades do Tocantins: Paraíso do Tocantins, Nova Rosalândia, Paranã e Miracema.

G1 Tocantins.

Mais quatro investigados por desvio de R$ 7 milhões na Prefeitura de Palmas ganham liberdade

Ao todo, 12 investigados foram liberados durante o final de semana. Além disso, três pessoas continuam foragidas, entre elas, dois vereadores da capital.

 

Semana da Leishmaniose em Palmas tem palestras e testes para detectar doença em cães

Série de atividades inicia nesta segunda-feira e segue até a próxima sexta-feira (10). Profissionais vão a escolas para orientar os alunos sobre o calazar.

Começa nesta segunda-feira (6) uma série de atividades voltadas à prevenção e o controle da leishmanionse, popularmente conhecida como calazar.

A Semana Nacional de Controle e Combate à doença segue até a próxima sexta-feira (10). Em Palmas, serão feitas palestras em escolas e testes rápidos em cães.

Nesta segunda-feira, os técnicos da Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses estarão na Escola Municipal Paulo Freire, na Arno 32 realizando atividades com os alunos do 5º ano. Os estudantes aprenderão mais sobre a leishmaniose por meio de vídeo, palestra, jogos e brincadeiras sobre o tema.

Na terça-feira (7), às 9h, analistas da Secretaria Estadual da Saúde vão trabalhar o tema com os estudantes do Colégio Esportivo Militar do Corpo de Bombeiros Professora Margarida Lemos, no setor Lago Sul.

Já na quarta-feira (8) às 9h, as atividades serão realizadas no estacionamento do Ginásio Ayrton Senna, em Taquaralto. No local serão feitos testes rápidos em cães e explicações sobre a doença ao público.

Na quinta (9), essas mesmas atividades serão realizadas no Parque dos Povos Indígenas.

A programação termina na sexta (10), no auditório do Anexo I da Sesau, com o lançamento do curso “8 Toques para a Leishmaniose” que será oferecido pelo Governo do Estado aos médicos da rede municipal.

Doença e sintomas

Leishmaniose visceral ou calazar é uma doença transmitida pelo mosquito-palha ou birigui. Nas cidades a transmissão se dá comumente por causa do grande número de cachorros.

Os sintomas no animal são queda de pelos, unhas grandes, feridas no focinho e nas orelhas, emagrecimento, fraqueza e lacrimejamento.

No homem são febre prolongada, fraqueza, emagrecimento, barriga inchada devido ao aumento do baço e do fígado, falta de apetite, palidez e diarreia.

Se perceber estes sintomas em algum cão a orientação é procurar o CCZ através do telefone (63) 3218- 5561. Se o paciente for humano procure uma unidade de saúde.

Programação

Segunda-feira – Das 9 às 11h

  • Atividades com os estudantes do 5º ano da Escola Municipal Paulo Freire (Arno 32)

Terça-feira – Das 9 às 11h

  • Atividades com alunos do Colégio Esportivo Militar do Corpo de Bombeiros Professora Margarida Lemos (Lago Sul)
  • Atividade com os educadores da Escola Municipal Paulo Freire (Arno 32)

Quarta-feira – Das 17 às 22h

  • Ações voltadas ao público como teste rápido – Ginásio Ayrton Senna

Quinta-feira – Das 17 às 22h

  • Ações voltadas ao público como teste rápido – Parque dos Povos Indígenas

Sexta – às 8h

  • Lançamento do curso “8 Toques para a Leishmaniose” que será oferecido pelo Governo do Estado aos médicos da rede municipal – Anexo 1 da Secretaria Estadual de Saúde (auditório)
  • Vivência técnica de uma universidade na UVCZ, com apresentação dos setores e palestras

Seis são presos em operação contra o tráfico de drogas no centro de Palmas

Suspeitos já eram investigados por vender drogas no norte da capital e tinham se mudado para a Arse 24 recentemente. Na casa, foram encontrados um quilo e meio de crack e meio quilo de maconha.

Seis pessoas foram presas pela Polícia Civil em uma operação contra o tráfico de drogas no centro de Palmas. A boca de fumo, de acordo com a investigação, funcionava em uma casa na Arse 24 (antiga 210 Sul). No local foram encontrados um quilo e meio de crack e meio quilo de maconha, além de balança e plástico filme que serviria para embalar as porções de drogas.

Os presos foram identificados como Eva Nájila Pereira de Sousa Xerente, Ludmilla de Sousa Borges, Francisco Sales, Adelto Nunes Ribeiro, Thiago Ferreira Nunes e José Raimundo Magalhães Reis. Eles ainda não possuem advogado de defesa.

A operação foi comandada pela Delegacia de Repressão a Narcóticos (Denarc). Segundo a investigação o grupo era conhecido por atuar na região norte de Palmas e se mudou para a Arse 24 recentemente com o objetivo de expandir o alcance. A região é muito frequentada por crianças e adolescentes, já que abriga pelo menos cinco instituições de ensino de grande porte.

Os detidos prestaram depoimento e depois foram levados a Casa de Prisão Provisória de Palmas e ao Presídio Feminino da Capital.

Drogas, dinheiro e celulares foram encontrados na casa (Foto: Divulgação/Denarc)Drogas, dinheiro e celulares foram encontrados na casa (Foto: Divulgação/Denarc)

Drogas, dinheiro e celulares foram encontrados na casa (Foto: Divulgação/Denarc)

G1 Tocantins.