Grupo que abriu caixão por achar que mulher foi enterrada viva deve responder por violação funerária, diz polícia

Caso ocorreu no município de Riachão das Neves, no oeste do estado. Polícia acredita que boatos levaram à violação da urna funerária.

as pessoas que abriram o túmulo de uma mulher mais de 10 dias após o sepultamento, por acreditarem que ela tinha sido enterrada viva, devem responder por violação de urna funerária, crime que está previsto no artigo 210 do Código Penal, com pena de reclusão de um a três anos.

O caso ocorreu no município de Riachão das Neves, no oeste do estado.

A informação foi passada na manhã desta quinta-feira (15) pelo delegado Antistenes Benvindo, que atua como plantonista regional da delegacia de Barreiras, também no oeste do estado, e que fez o registro do caso.

Ele diz que as investigações preliminares apontam que a situação relatada pelos familiares não se sustenta em nenhum indício plausível.

O delegado da cidade de Riachão das Neves, Arnaldo Alves, que assumiu a apuração do caso após registro inicial da delegacia de Barreiras, também contou à reportagem que as informações que levaram familiares a violarem o túmulo não passaram de “boatos”.

Rosângela Almeida dos Santos, de 37 anos, estava internada no Hospital do Oeste, em Barreiras, com um quadro de infecção respiratória.

No dia 28 de janeiro, ela teve o falecimento atestado pela unidade médica após um quadro de choque séptico, quando a infecção se alastra pelo corpo afetando vários órgãos.

No dia seguinte, ela foi sepultada em Riachão das Neves. Onze dias depois do enterro, por acreditar que a mulher tinha sido enterrada viva, um grupo abriu o caixão que tinha sido depositado em uma urna funerária.

Túmulo foi violado pela família (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Investigações

Segundo o delegado Antistenes Benvindo, a mãe da vítima estaria sonhando há dias que a filha estava viva. Após a informação de uma moradora, de que teria ouvido gritos de dentro da sepultura, familiares decidiram violar o caixão.

Em entrevista à TV Oeste, afiliada da Rede Bahia, a mãe de Rosângela Almeida disse que o corpo dela foi encontrado revirado no túmulo, com ferimentos nas mãos e testa, como se tivesse tentado sair do caixão.

“Até aqueles preguinhos que estavam em cima estavam soltos. A mãozinha tava ferida, como quem estava arrumando, assim, arrumando o caixão para sair”, disse Germana de Almeida.

Benvindo, entretanto, disse que as informações não se confirmam. “Ela [a vítma] estava do mesmo jeito, intacta. O irmão dela mesmo disse”. O delegado também contou que as informações sobre ferimentos nas mãos e na testa não são verídicas.

Sobre o relato de que o corpo da vítima estava conservado, a polícia disse que informações médicas relatam que o uso de antibióticos durante o internamento e o tempo chuvoso favoreceram uma decomposição mais lenta.

O delegado também conta que a mulher foi sepultada mais de 20 horas após o óbito e que, durante todo o processo, que envolveu preparação do corpo para enterro e velório não houve um sinal de vida.

Uma perícia foi feita no túmulo, onde o corpo foi recolocado, e um laudo deve esclarecer a situação. O prazo para divulgação do documento não foi divulgado.

Segundo o delegado de Riachão das Neves, que assumiu as investigações, todos os envolvidos no caso devem ser ouvidos a partir desta quinta-feira.

Mulher foi sepultada no cemitério de Riachão das Neves (Foto: Reprodução/TV Oeste)

Informações médicas

Em nota, a assessoria do Hospital do Oeste informou que está à disposição dos familiares da vítima e autoridades para prestar todas as informações necessárias. Foi entrevistado um médico que integra a equipe de UTI da unidade médica, que preferiu não ser identificado.

Ele contou que a paciente tinha enfisema pulmonar e que foi hospitalizada com uma grave infecção respiratória.

Na UTI, nas últimas 24 horas antes da morte, o médico contou que a mulher já apresentava um quadro “grave e irreversível”.

O médico diz que, na UTI, a paciente estava sob um grau de supermonitoramento, que tornaria impossível um erro médico e consequente sepultamento da mulher com vida. O site não conseguiu contato com os familiares de Rosângela Almeida nesta quinta-feira.

G1/Bahia

Mulher é enterrada viva na Bahia após erro médico, diz família

Depois de vizinhos ouvirem gritos vindos do túmulo, parentes resolveram abrir o caixão e encontraram o corpo revirado.

A morte de uma mulher por choque séptico ganhou mais um capítulo nessa quarta-feira (14).

Enterrada no último dia 29, familiares dizem que Rosângela Almeida dos Santos, 37 anos, foi enterrada viva, após um erro médico, na cidade de Riachão das Neves, na Bahia. Dez dias depois do sepultamento, parentes decidiram abrir o caixão.

A mãe de Rosângela, Germana de Almeida, contou que o corpo da filha estava revirado, com ferimentos nas mãos e na testa.”Até aqueles preguinhos que estavam em cima estavam soltos. A mãozinha ‘tava’ ferida, como quem estava arrumando assim… Arrumando o caixão para sair”, disse Germana de Almeida, mãe de Rosângela, em entrevista.

Moradores que residem próximo ao cemitério dizem ter ouvido gritos vindo do túmulo. Parentes também afirmaram que o corpo da mulher ainda estava quente. “Quando eu cheguei bem ali em frente, eu ouvi batendo ali dentro. Aí eu pensava que era brincadeira dos meninos, que só vivem aqui dentro [do cemitério] brincando… Aí gemeu duas vezes.  Com as duas gemidas ela parou”, falou a dona de casa Natalina Silva.

Ainda de acordo com a reportagem, a certidão de óbito aponta um quadro de choque séptico como causa do falecimento. A situação está sob investigação da Polícia Civil de Riachão das Neves.

Em nota, a assessoria do Hospital do Oeste informou que está à disposição dos familiares da vítima e autoridades para prestar todas as informações necessárias.

Noticias ao Minuto

Mulher coloca veneno no jantar e mata marido

Ela cometeu o crime porque o marido tinha um relacionamento com outra mulher.

Uma mulher de 52 anos se entregou à polícia, na manhã desta quinta-feira (1º). Ela confessou que matou o marido de 61 anos envenenado, em Campina Grande.

A Polícia Militar informou que o crime foi cometido por causa de ciúmes.

Ednalva Laurindo Ferreira disse que colocou veneno de matar ratos na janta do marido e em seguida foi dormir.
O pedreiro Irenaldo Bezerra comeu o jantar com veneno na noite de quarta-feira (31), no Conjunto Ronaldo Cunha Lima.

Segundo informações a delegada de homicídios Ellen Maria afirmou que a mulher cometeu o crime porque o marido tinha um relacionamento com outra mulher. O casal estava junto há seis anos.

Na manhã desta quinta-feira, o idoso foi encontrado morto na cama onde dormia.

A mulher foi para a casa de parentes, onde confessou o crime e os familiares acionaram a polícia para prende-la.

Noticias ao Minuto

Homem mata mulher e atira na própria cabeça em Palmas

Crime aconteceu por volta das 19h na quadra 804 Sul, região central da cidade. Mulher morreu no local e homem foi levado para o Hospital Geral de Palmas.

A técnica de enfermagem Juvenia Cunha de Sousa, 36 anos, foi morta a tiros na noite desta quarta-feira (31), em Palmas.

O crime aconteceu em um conjunto de kitnets na quadra 804 Sul. Segundo o Corpo de Bombeiros, a mulher foi encontrada sem vida ao lado de José Humberto Nogueira, que apresentava um ferimento na cabeça.

Segundo a Polícia Civil, a suspeita é de que o homem teria matado a mulher e depois atirado contra a própria cabeça. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e levado para o Hospital Geral de Palmas (HGP) com vida.

A Polícia Militar não quis passar informações sobre o caso no local do crime.

A Secretaria de Saúde ainda não informou o estado de saúde de Nogueira.

G1 Tocantins

Mulher é assassinada a tiros por homens de motocicleta em rua de Gurupi

Policiais que estavam em uma viatura perto do local ouviram pelo menos três disparos. Os criminosos conseguiram fugir e não foram identificados.

Luciana Menezes Barbosa, de 33 anos, foi assassinada a tiros na noite desta segunda-feira (22) em Gurupi, no sul do Tocantins. Segundo a Polícia Militar (PM), a mulher estava vila São José quando dois homens chegaram em uma motocicleta e atiraram contra ela.

Policiais que estavam em uma viatura perto do local ouviram pelo menos três disparos, mas ninguém foi preso e os criminosos ainda não foram identificados. De acordo com a PM, a mulher tinha passagens pela polícia por tráfico de drogas.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi até o local, mas a mulher já estava sem vida. O corpo de Luciana Menezes foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Gurupi.

 G1 Tocantins

Mulher é arremessada a 400 m e morre após carro bater na traseira de moto no Tocantins

Segundo a PM, o motorista do carro tentou fugir, mas foi preso. Ele deve responder por embriaguez ao volante, homicídio doloso e lesão corporal dolosa.

Maria de Fátima Silva, de 62 anos morreu em um acidente de trâsito na TO-335, zona rural de Bandeirantes, na região norte do Tocantins.

De acordo com a Polícia Militar (PM), um carro bateu na traseira de uma motocicleta e a vítima, que estava na garupa, foi arremessada a uma distância de aproximadamente 400 metros do local do impacto. O homem que conduzia a moto ficou gravemente ferido.

Os policiais informaram que o acidente foi nesse domingo (21). Após a batida, o motorista do carro, Laion César Lima Castro, de 29 anos, tentou fugir para dentro de um matagal, mas foi preso.

Os policiais informaram que Maria de Fátima morreu ainda no local. O homem que conduzia a moto teve ferimentos graves e foi levado pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Municipal de Colinas do Tocantins.

A PM informou que o motorista confessou que tinha bebido e que andava em alta velocidade.

Segundo a Polícia Civil, o suspeito de provocar o acidente está preso no presídio de Colinas do Tocantins e pode responder pelos crimes de embriaguez ao volante, homicídio doloso e lesão corporal dolosa gravíssima.

A polícia disse ainda que não houve a necessidade de realizar o teste do bafômetro, já que o homem apresentava os sinais de embriaguez e confessou o crime.

Os dois veículos foram apreendidos e o corpo da mulher foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Colinas.

G1 Tocantins

Homem é preso suspeito de matar a mulher após flagrar traição com o próprio irmão

Segundo a polícia, mulher estaria com o irmão do companheiro em uma chácara. Suspeito do crime foi preso enquanto fugia de Paraíso do Tocantins em uma bicicleta.

Um lavrador de 35 anos, foi preso na manhã deste domingo (21) suspeito de matar a própria mulher na zona rural de Paraíso do Tocantins, região central do estado.

Segundo a Polícia Civil, ele flagrou a companheira com o próprio irmão dele. Elsa Pereira da Silva, de 39 anos, foi morta com uma facada na nuca.

O crime aconteceu em uma chácara, por volta das 2h da madrugada. Ainda segundo a polícia, o suspeito saiu para pescar neste sábado (20) e ao chegar em casa não encontrou a mulher. Ele resolveu ir na casa do irmão, onde teria encontrado ela na cama com o homem.

Após supostamente flagrar a traição, Cruz deu uma facada na nuca da mulher e entrou em luta corporal com o irmão, que conseguiu escapar. O suspeito foi preso na manhã deste domingo enquanto deixava a cidade em uma bicicleta.

Ele foi autuado pelo crime e levado para a Casa de Prisão Provisória de Paraíso do Tocantins. Ainda conforme a polícia, até o momento o suspeito não tem um advogado para falar sobre o caso. 

G1 Tocantins/Imagem ilustrativa

Mulher que morreu ao ser atingida por raio embaixo de árvore é enterrada no interior do Tocantins

Maria Edileusa Campos Ferreira, de 52 anos, estava passando o fim de ano com a família. Acidente também deixou filha dela e duas sobrinhas feridas.

A dona de casa que morreu após ser atingida por um raio enquanto estava embaixo de uma árvore foi enterrada no final da tarde desta quarta-feira (3). O enterro foi em Bandeirante do Tocantins, onde Maria Edileusa Campos Ferreira, de 52 anos, morava.

Ela estava em uma chácara na zona rural de Pau D’arco passando as festas de fim de ano com a família quando o acidente aconteceu.

Além de Maria Edileusa o raio também feriu a filha dela e duas sobrinhas, que já tiveram alta. A filha, Elaine Campos Ferreira, de 16 anos, disse que ficou com a perna paralisada após ser atingida pelo raio e não conseguiu se levantar para ajudar a mãe.

Ela contou ainda que havia mais pessoas embaixo da árvore momentos antes do acidente, incluindo quatro crianças.

A família disse que percebeu que o tempo começou a ficar nublado antes de o raio cair e que já estava saído debaixo da árvore. A dona de casa ficou recolhendo alguns pertences e acabou não resistindo.

O enterro foi no cemitério municipal de Bandeirante do Tocantins, por volta das 18h.

Esse foi o segundo acidente envolvendo raios no Tocantins em 2017. No dia 1º de janeiro, sete vacas morreram com uma descarga elétrica em Talismã, no sul do estado. Diante dos casos a Defesa Civil orientou a população a tomar alguns cuidados durante a chuva, como evitar ficar em áreas abertas, debaixo de árvores ou de fios de rede elétrica.

 G1 Tocantins

Mulher é morta pelo ex-companheiro no dia do próprio aniversário

Segundo a PM, Juscelino Barbosa se matou após cometer o crime. Testemunhas relataram que o casal tinha se separado, mas que ele tentava uma reconciliação.

Silvia Cleide Batista Cardoso, de 47 anos, foi morta a facadas pelo ex-companheiro nesta segunda-feira (25) no setor Vitalino Brandão, em Axixá do Tocantins, norte do estado. Segundo a Polícia Militar, o suspeito é Juscelino Barbosa, de 43 anos, que também se matou após o crime.

Testemunhas relataram à polícia que o casal tinha se separado, mas que Barbosa tentava uma reconciliação. No dia do crime, vizinhos escutaram gritos na casa da mulher.

A PM informou que o irmão do pedreiro chegou a presenciar o crime. A mulher foi atingida com vários golpes de faca e morreu no local. 

G1 Tocantins

Mulher é estuprada após aceitar carona para ir a igreja no sul do Tocantins

Homem estava em motocicleta e disse para a vítima que também ia para a igreja. No momento estava chovendo; mulher foi levada para matagal.

Uma mulher, de 59 anos, foi estuprada em Gurupi, sul do Tocantins, na noite desta segunda-feira (25). Ela estava indo para a igreja e foi abordada por um homem em uma motocicleta. No momento estava chovendo. Ele ofereceu carona e a vítima aceitou.

A polícia informou que o caso aconteceu por volta das 20h, entre os setores Vila Nova e Aeroporto. O motociclista disse para a mulher que também ia para a igreja, mas a levou para um matagal, onde praticou o crime e depois fugiu.

O suspeito não foi preso. A polícia faz o alerta para que os moradores da cidade não aceitem carona de desconhecidos.

G1 Tocantins