Metodologia Claves combate abuso sexual e pode ser aplicada nas redes Municipais de Educação e Saúde, CRAS e CREAS

Originada no Uruguai, método busca ensinar crianças a identificar atos de abuso sexual e a buscar ajuda segura; ATM e PM incentivam Municípios a adotarem metodologia.

Com o objetivo de ensinar crianças e adolescentes a se protegerem da violência sexual ocorrida em ambiente domiciliar e/ou fora dele, a Metodologia Claves é uma proposta multidisciplinar que promove a prevenção de casos de abuso sexual por meio de abordagens lúdicas, com diferentes intervenções nos grupos familiares.

Durante reunião com representantes do método de ensino ocorrida nesta quinta-feira, 08, em Palmas, a Associação Tocantinense de Municípios (ATM) e Polícia Militar manifestaram apoio à aplicação da metodologia nas redes Municipais de Educação e Saúde, bem como nos Centros de Referências de Assistência Social (CRAS) e nos Centros de Referências Especializados de Assistência Social (CREAS).

Segundo a representante da Metodologia Claves na Região Norte do Brasil, Elis Sodré, o programa busca orientar a criança para a construção de uma barreira de proteção diante de eventuais casos de abuso sexual ocorridos em âmbito familiar. “Tecnicamente, capacitamos profissionais das áreas da assistência social, educação e saúde para ensinarem crianças e adolescentes a se protegerem, por meio de oficinas, elaboração de recursos didáticos e promoção de campanhas. Buscamos desenvolver fatores de fortalecimento pessoal, familiar e comunitário”, explica.

Originado no Uruguai, o método acumula 20 anos de atividades em toda a América Latina. No Tocantins, é praticado pela Assistência Social do município de Guaraí.

Serviço público

O presidente da ATM e prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, incentiva os governos municipais a implementarem a metodologia nos Municípios. “Infelizmente, temos centenas de casos de abuso sexual que ocorrem no Tocantins anualmente. Nem sempre os profissionais detêm todo o conhecimento para a identificação e solução do problema. A Metodologia Claves se consolidou na América Latina e vem construindo resultados positivos onde é aplicada. O método representa mais um serviço público benéfico que as gestões municipais podem oferecer as comunidades locais”, defende Mariano.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SESAU), em 2017 foram notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN-NET, o total de 644 casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes.

Polícia Militar

Por desenvolver o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), a Polícia Militar apoia a implementação da metodologia nos Municípios. “Iniciativas efetivas que buscam combater de modo educativo os eventuais casos de abuso sexual contra menores recebe total apoio da Polícia Militar do Estado do Tocantins. Queremos que nossos policiais integrem os grupos que receberão as capacitações nos Municípios para que sejam multiplicadores dessa metodologia em toda a corporação”, pede o Coronel da PM, Edvan de Jesus Silva.

Capacitação

Segundo Sodré, a capacitação é destinada a grupo de 30 profissionais que atuam nas áreas de Assistência Social, Conselho Tutelar, Educação e Saúde, tendo vagas destinadas também aos policiais militares. O treinamento é realizado durante três dias e em cinco módulos, contendo conteúdo conceitual, estudos de caso, discussões, trabalhos em equipe, dinâmicas de grupo e avaliações. O local do curso ficará a cargo da contratante, no caso as prefeituras, que deverão ceder espaço contendo cadeias, mesas, datashow e sistema de som.

Os gestores municipais interessados em implementar a Metodologia Claves no Município deve entrar em contato com a representante Elis Sodré, pelo emailclavestocantins@gmail.com . 

Associação Tocantinense de Municípios – ATM

O Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Palmeirópolis estará mudando de endereço

Visando melhorar o atendimento dos beneficiários do Centro de Referência de Assistência Social, a prefeitura vai mudar a sede do CRAS de endereço.

É no CRAS onde se trabalha a prevenção de situações de vulnerabilidade e risco social, através do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários.

As atividades envolvem atendimento integral a família PAIF – Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família e oferta de serviços orientações, trabalho psicossocial, oficinas diversas, trabalho em grupo, encaminhamentos, entre outros.

A mudança do CRAS para o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, conhecido como (Centro do Idoso) é para cortar gastos, até a sede própria ficar pronta. O novo local, por se tratar de um prédio público municipal, facilitará as famílias beneficiárias, pois quando é instalado em uma casa alugada, após um determinado momento o prédio volta ao seu proprietário, obrigando a Gestão mudar o endereço do CRAS, ocasionando perda do vínculo já estabelecido com a comunidade.

Então, a partir da semana que vem, o CRAS vai estar atendendo no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, a mudança é temporária porque o processo para começar a construção da sede própria, logo vai começar para melhor atender as famílias. Vai ser construido também, o barracão de dança no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, para dar um conforto melhor a turminha da maior idade. “Até início do ano, deve resolver tudo isso, quando passar este momento de dificuldade, queremos ofertar um serviço de qualidade para cada um, com espaço mais amplo, arejado, lembrando que a dança e a hidroginástica vão continuar, disse ela.  O CRAS era o único prédio que estava alugado.De acordo com a secretária de Assistência Social Ana Paula Vaz, os recursos estão atrasados e pagando aluguel caro, sem dinheiro para custeio.

Pela situação da crise nacional, a verba é pequena e estar prevista para cortar o repasse do governo federal. “Estão querendo cortar mais de 90% do repasse, estamos nos precavendo para não ficar com dívidas. Não está entrando recurso e a gente continua ofertando os serviços da mesma forma, por isso, resolvemos pisar no freio e mudar o formato de trabalho, vamos sentar, planejar com a equipe e ver qual a melhor estratégia que devemos tomar. Por enquanto, optamos por mudar a sede do CRAS para o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, (Centro do Idoso), trabalhar todos juntos e misturados”, brincou Ana Paula.

Primeira Dama e secretária de Assistência Social de Palmeiropolis Ana paula Vaz.

Emocionada, ela acrescentou que, “foi reduzida a equipe por causa do financeiro, estamos mudando sim, mais de forma estratégica, com horário alternado para atender as crianças e os idosos, para não ter um impacto trabalhando juntos. Estamos fazendo algumas mudanças e adequando o prédio do Centro do Idoso para semana que vem efetuar a mudança do CRAS”, acrescentou.A secretária relatou também que o trabalho de Férias Animadas no CRAS vão continuar.

Os serviços do CRAS destinam-se em especial à população que vive em situação de vulnerabilidade e risco social, decorrente de vínculos fragilizados, pobreza, privação por ausência de renda, precário ou nulo acesso aos serviços públicos, dentre outros.

Da redação