Prefeitos da região sul do Tocantins participam da XX marcha em Brasília

O evento iniciou na segunda-feira, dia 15, e segue até amanhã quinta-feira. Os prefeitos, vereadores e secretários que estão na capital federal reivindicam maior divisão de tributos e menos atribuições às Prefeituras.

O prefeito de Palmeirópolis Fábio Vaz, acompanhado dos prefeitos, Onassys Moreira do município de Jaú do Tocantins, André Miguel de São Salvador do Tocantins, Fabrício Viana de Paranã, Olímpio, prefeito de São Valério da Natividade e Artur, prefeito de Santa Rita do Tocantins estão participando da XX Marcha em Brasília em defesa dos seus municípios.

O evento é uma promoção da Confederação Nacional dos Municípios e está acontecendo no Centro Internacional de Convenções do Brasil- Brasília-DF. A XX edição da Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, tem como objetivo principal, lutar em favor dos interesses dos serviços prestados ao cidadão brasileiro no local onde ele reside.

Segundo o presidente da CNM Paulo Roberto Ziulkoski a Marcha é um espaço de lutas para definir e alertar autoridades do Executivo, do Congresso Nacional e do Judiciário sobre temas que permitam a conquista de autonomia pelo Ente Município, além de mostrar ao cidadão os caminhos que os gestores municipais defendem como solução para enfrentar e vencer a crise que a todos atinge.

Os prefeitos também vão aproveitar a viagem à Brasília para apresentar reivindicações dos municípios aos parlamentares. “Aqui a gente tem uma agenda repleta de atividades e dentre elas estão as visitas aos deputados e senadores. Vamos entregar solicitações de emendas parlamentares, pois sabemos que os municípios, principalmente os pequenos, dependem muito de recursos dos governos do Estado e Federal, para realizar obras. Então, vamos aproveitar a oportunidade”, ressalta o prefeito de Palmeirópolis Fabio Vaz.

prefeitos 1

prefeitos 2

marcha

Informações Mari Correia/Ascom prefeitura

 

Segundo suspeito de participar do roubo de caminhão carregado de cerveja em Jaú (TO) foi preso

Polícia prende segundo suspeito de participar de roubo de caminhão carregado de cerveja em Jaú (TO).

Na tarde desta quinta-feira, 20, a Polícia Militar prendeu dois homens e recuperou, no município de Peixe, um caminhão Scania carregado de cerveja roubado no município de Jaú do Tocantins.

Segundo a Polícia Militar o caminhão foi roubado na TO- 373, no trecho que liga Alvorada a Jaú e foi recuperado atolado entre Lagoa do Romão e Vila São Miguel, no município de Peixe.

A polícia informou ainda que na operação conseguiu prender Rayner Feitoza Borges, 28 anos, acusado de participar do roubo. 

No final da tarde, a polícia prendeu mais um suspeito, Eurico da Silva Santos, 49 anos,  e localizou a pickup vermelha usada nos roubos. 

A polícia prendeu mais um suspeito, Eurico da Silva Santos, 49 anos,  e localizou a pickup vermelha usada nos roubos.
A polícia prendeu mais um suspeito, Eurico da Silva Santos, 49 anos, e localizou a pickup vermelha usada nos roubos.

Atitude To

Jaú do Tocantins está em luto pela morte de mãe e filho de 4 meses

Mãe e bebê morreram em acidente na BR-153, em Campinorte Goiás ontem.

A cidade de Jaú que fica no interior do Tocantins, chora e lamenta a morte de duas pessoas da mesma família. As vítimas foram Leicy Kelly Mendes, uma jovem mãe, de 26 anos, e seu bebê Pedro de 4 meses de vida. Eles morreram em um acidente entre uma VW Parati e um caminhão, na BR-153, em Campinorte, no norte de Goiás, nesta terça-feira (18).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que o tio da jovem, Osmar Mendes 45 anos, que dirigia o carro, e outra filha dela, de 3 anos, ficaram feridos.

Segundo informações, ele foi levado com ferimentos graves pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para Uruaçu, também no norte do estado e até agora não se sabe o estado clinico dele.

Já a criança Angelina M. de Paula, está internada na UTI pediátrica do hospital HUGOL em Goiânia, sofreu uma fratura na perna e está precisando urgente de doação de sangue (tipo não divulgado). Quem puder procure a unidade das 8 as 17 horas.

A PRF informou que chovia no momento do acidente.

O motorista do VW Parati Osmar Mendes ia de Nerópolis para Jaú do (TO), quando perdeu o controle do carro durante o mal tempo, o que levou o veículo a rodar e bater de frente com um caminhão causando as mortes.

Ainda segundo a corporação, não foi necessário interditar a pista, já que os veículos saíram da rodovia. O órgão ressaltou que os pneus traseiros do carro foram encontrados em condições ruins.

Leicy Kelly, nasceu e se criou em Jaú do Tocantins, depois casou-se e mudou para Nerópolis, onde estava feliz e queria comemorar com a família a decisão de deixar o trabalho para cuidar e dedicar dos seus dois bebês e do marido, por isso estava indo passar o feriado na cidade que tanto amava. Uma tragédia que abalou a cidade de Jau.

Era uma jovem que todos admiravam, filha de José Onofre Soares e Vandair Mendes, uma família tradicional na cidade.

Os corpos das vítimas foram velados juntinhos no ginásio de esportes de Jaú, onde um grande número de pessoas passaram pelo local durante todo o dia dessa quarta-feira (19) para acompanhar e se despedir.

O sepultamento aconteceu no final da tarde no Cemitério local, com choro e muita comoção, onde corpo de mãe e filho foram sepultados na mesma cova.

Ela linda, alegre, deixou o esposo Anderson Ramos de Paula, a filha de três (3) anos, os pais e um grande número de amigos e familiares que tinham grande admiração por ela, pela forma carismática de tratar a todos e também a população de Jaú do Tocantins e toda a região. Osmar é irmão do vereador Osvaldo, conhecido como Osvadinho, ela era sobrinha.

“Hoje Jaú parou para se despedir de uma amiga que partiu deixando um vazio em nossos corações, nos corações deste povo acolhedor. Descanse em paz minha amiga”. Escreveu o fotógrafo e cinegrafista Adailton Siqueira.

Jornal Mapa da Notícia aproveita a oportunidade para deixar registrado o pesar a todos os familiares e amigos, que Deus possa confortá-los nesse momento de dor.

Fotos: Adailton Siqueira

Uma multidão acompanhou o cortejo até o cemitério.

          acidente-brDa redação

Prefeitos da região sul do estado do Tocantins se unem em consorcio intermunicipal

Os prefeitos de Jaú do Tocantins, Peixe, Palmeirópolis , Paranã, São Valério, São Salvador e Talismã se reuniram para tratar do consórcio intermunicipal.

Com o objetivo de melhorar o atendimento como da saúde pública aos moradores da região e construir um projeto de desenvolvimento econômico por meio do aproveitamento de vocações como as potencialidades do ecoturismo e agricultura, os prefeitos das cinco cidades do Tocantins estão empenhados na criação do consórcio que visa facilitar aquisição de investimentos que agilizem melhorias e transformações para região.

Em meio a crise econômica e política que se instalou no Brasil resta aos gestores usar a criatividade e colocar em prática projetos voltado à atração de investimentos. Como exemplo existem os potenciais turísticos de Peixe com o Rio Tocantins e de Jaú com suas águas termais; assim como dar condições dignas aos moradores a serviços na infra-estrutura e na saúde. Neste último caso, uma das intenções é fazer o melhor aproveitamento possível da estrutura do hospital municipal de Peixe que está pronto para atender os municípios desta região, evitando transtorno e o sofrimento de deslocar pacientes para outros centros como Gurupi e Palmas.

Na reunião que ocorreu no dia 27 de janeiro, em Jaú do Tocantins, os prefeitos Onassys Moreira, de Jaú; Fábio Vaz, de Palmeirópolis; Fabrício Viana, de Paranã; Zé Augusto, de Peixe; André Borba, de São Salvador; Olimpio Arraes, de São Valério e Diogo de Talismã deram mais um passo nesta união quando elaboraram Protocolo de Intenções para a formação de um Consórcio Público Intermunicipal com o objetivo de unirem forças para a solução de várias demandas comuns.

Segundo os prefeitos, este é o primeiro passo para o compartilhamento de recursos, tecnologia, conhecimento e experiências para o desenvolvimento de seus municípios.(fonte:atitude tocantins)

Vítimas de Mariana podem receber indenização no final de 2017

A tragédia completou um ano no dia 5 de novembro de 2016.

O cálculo e o pagamento das indenizações finais aos atingidos da tragédia de Mariana (MG) poderão finalmente ocorrer em 2017. Essa é a aposta tanto do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) como da Fundação Renova, que foi criada pela mineradora Samarco para gerir os projetos de reparação dos danos causados pela tragédia.

A tragédia de Mariana completou um ano no dia 5 de novembro de 2016. O rompimento da barragem de Fundão, pertencente à Samarco, liberou mais de 60 milhões de metros cúbicos de rejeitos em 2015, que provocaram devastação da vegetação nativa, poluição da Bacia do Rio Doce e destruição dos distritos de Bento Rodrigues e de Paracatu, além de outras comunidades. Dezenove pessoas morreram. O episódio é considerado a maior tragédia ambiental do país.

Apenas alguns impactados já receberam verbas indenizatórias. Em acordo com o MPMG, a Samarco antecipou em 2016 valores para quem perdeu veículos e moradia. Foi definido um montante padrão. No caso da moradia, por exemplo, quem perdeu casa recebeu R$ 20 mil e quem perdeu moradia de fim de semana, R$ 10 mil. As famílias das 19 pessoas que morreram também obtiveram um adiantamento, calculado em R$100 mil. Esses valores, porém, são parciais.

“Agora estamos caminhando para o cálculo da indenização final que irá dizer exatamente o valor das perdas, contemplando todos os direitos violados dos atingidos. Do valor calculado, serão descontadas as antecipações que já foram pagas”, explica Guilherme Meneghin, promotor do MPMG na comarca de Mariana.

Um cadastro classificando a situação de todos impactados está sendo realizado em conjunto pelo MPMG, pela Samarco e pelas suas acionistas Vale e BHP Billiton. O levantamento abrangerá os milhares de atingidos em toda a área afetada, de Minas Gerais ao Espírito Santo. Constarão no cadastro, por exemplo, informações como o perfil socioeconômico de cada um e a relação de bens perdidos. Serão considerados dados da Defesa Civil, do MPMG e também apresentados pelos próprios atingidos. As informações serão analisadas caso a caso.

Aposta em acordos

Guilherme Meneghin acredita que até fevereiro o cadastramento será concluído. “A nossa expectativa é que em 2017 nós tenhamos ainda o cálculo e o pagamento das indenizações finais”, afirma. O MPMG tem a expectativa de que os atingidos e a mineradora cheguem a um acordo sobre as indenizações. Do contrário, o Judiciário é quem deverá arbitrar os valores e, nesse caso, a conclusão do processo em 2017 fica improvável.

A Fundação Renova também aposta na realização de acordos. Mas admite tratar-se de um desafio difícil. “Pode ser que nós encontremos indivíduos que não vão concordar com o processo e prefiram buscar uma solução através do trâmite de uma ação judicial”, diz o gerente executivo de Programas Socioeconômicos da Fundação Renova, José Luiz Furquim.

Ações conjuntas

Segundo Meneghin, que é o responsável no MPMG por resguardar apenas os interesses dos atingidos de Mariana, a união dos moradores dos distritos de Bento Rodrigues e Paracatu tem sido um marco. Com exceção de quem perdeu parentes, ninguém entrou com ação individual.

O MPMG ajuizou diversas ações civis públicas, nas quais todos foram beneficiados. Com essa estratégia se obteve, por exemplo, a antecipação das indenizações, o compromisso da Samarco de pagar aluguel de casas temporárias em Mariana, a distribuição das doações em dinheiro pela prefeitura, o atendimento psicossocial e o direito à assistência técnica de confiança dos atingidos.

Essa atuação coletiva é, na opinião de Meneghin, fundamental também na definição das indenizações. “É um processo complexo. São 1,5 mil atingidos só em Mariana, cada um com diferentes experiências de vida, com danos pessoais, materiais e morais muito diversificados. Tinha pessoas com patrimônio pequeno, outras com patrimônio grande. Mas será um processo participativo”, diz.

Durante o processo de decisão, o MPMG dialoga com a comissão de moradores dos distritos atingidos, que conta atualmente com uma assessoria técnica fornecida pela Cáritas, com profissionais de diversas áreas, como arquitetos, advogados, agrônomos e historiadores.

Auxílio financeiro

Enquanto as indenizações não chegam, uma notícia deixou os atingidos aliviados nesse fim de 2016. O auxílio mensal concedido pela Samarco a todos os que perderam renda em decorrência da tragédia foi renovado por dois anos. Os valores são pagos por meio de um cartão, e cada beneficiado recebe um salário mínimo, acrescido de 20% para cada dependente, além do valor de uma cesta básica.

Conforme acordado em dezembro de 2015, esse auxílio teria validade inicial de um ano. Ele foi reconhecido como um direito assistencial dos atingidos e não configura indenização. Ou seja, seus valores não serão abatidos no cálculo final das indenizações. No início de novembro deste ano, moradores já manifestavam preocupação com uma possível interrupção do benefício.

“Minha diária de pedreiro era R$130. Nesses distritos pequenos há pouca mão de obra qualificada. E eu tinha moto, então também atendia aos distritos vizinhos. Fazia muito serviço. Aqui no centro de Mariana é muito difícil conseguir trabalho, porque envolve confiança. Como uma pessoa vai te dar uma obra para fazer se ela não te conhece?”, disse o pedreiro Tcharle do Carmo Batista, de 23 anos, que morava em Paracatu, distrito localizado a 34 quilômetros do centro do município.

Em audiência judicial realizada no dia 28 de novembro, o MPMG e a Fundação Renova concordaram que a maioria dos atingidos não conseguiu reativar suas atividades econômicas. Em novo acordo, o cartão foi renovado até dezembro de 2018.

Moradias

Outra novidade que deverá ocorrer em 2017 é o início da reconstrução física dos distritos destruídos. Atualmente, os moradores desses locais moram em casas alugadas pela Samarco em bairros variados de Mariana, o que será mantido até o reassentamento. A mineradora, por meio da Fundação Renova, pretende entregar as novas comunidades em 2019. Os terrenos já foram definidos, e a aquisição do local onde será o novo Bento Rodrigues já ocorreu. O processo de compra da área em que Paracatu será reerguido está avançado e deverá ser concluído no início do próximo ano.

De acordo com o cronograma, estão previstas para 2017 as obras de supressão vegetal e terraplanagem e o início da abertura de ruas. Já as novas casas devem começar a ser construídas somente em 2018, conforme desejos dos moradores. A Fundação Renova realizou neste ano diversas reuniões para fazer um mapeamento de expectativas e apresentar um desenho urbanístico. “Em um processo como esse, a construção em si nem é tão complexa se comparada com toda a discussão e definição que tem que ocorrer antes”, diz José Luiz Furquim, Fundação Renova. As novas moradias serão consideradas para o cálculo das indenizações finais.

O futuro dos terrenos nos distritos destruídos ainda será discutida. Está pendente a definição se eles serão usados como contrapartida dos atingidos. “Há famílias que querem manter os terrenos e outras que já manifestaram que não têm interesse. Nossa ideia é discutir a solução em conjunto”, acrescenta Furquim.

As comunidades de Bento Rodrigues e Paracatu foram tombadas pelo Conselho Municipal do Patrimônio Histórico de Mariana. O objetivo é construir um memorial, na forma de um museu ou parque, ainda a ser definido. Com informações da Agência Brasil.

Noticias ao Minuto

Banhistas encontram corpo com marcas de violência em lago no TO

Homem, entre 35 e 40 anos, tinha cortes no rosto, segundo Bombeiros.
Corpo foi encontrado no Lago da Usina Hidrelétrica de Lajeado

Banhistas encontraram o corpo de um homem no lago da Usina Hidrelétrica de Lajeado neste domingo (15). Os Bombeiros foram acionados para retirá-lo da água. A vítima tinha marcas de violência no rosto e no peito.

O corpo foi encontrado por volta das 14h50, no km 18, no povoado Jaú, sentido Lajeado. A suspeita é de que o homem tenha entre 35 e 40 anos. No bolso do short dele, os Bombeiros encontraram apenas um cartão de crédito em nome de Clovis Barbosa Carvalho.

Os Bombeiros informaram ainda que o corpo tinha um hematoma escuro no peito, cortes pequenos no nariz, além disso, o olho estava roxo. Quando ele foi retirado da água, o nariz expeliu sangue.

A corporação suspeita de que ele tenha morrido cerca de 24 horas antes do momento em que foi encontrado. A assessoria de comunicação dos Bombeiros disse que não havia registros de desaparecimento. O caso foi encaminhado para a Polícia Civil.(fonte:g1/to)

PM prende oito pessoas e apreende explosivos em Jaú do Tocantins

Na manhã desta quinta-feira (14), policiais militares do 4° BPM realizaram uma operação que resultou na prisão de suspeitos por assalto a bancos e na apreensão de arma, munições, explosivos e dinheiro no Município de Jaú do Tocantins, no Sul do Estado.

Jaú-explosivookDe acordo com as primeiras informações da Polícia Militar, a ação ocorreu em um garimpo clandestino na zona rural de Jaú do Tocantins. Oito pessoas foram presas suspeitas de participarem de furtos e assaltos em instituições financeiras e comércios na região. Os detidos ainda não tiveram os nomes divulgados.

Ainda segundo a Polícia Militar, foram apreendidas duas camionetes, sendo uma modelo Triton e outra Hilux. Foram encontrados também 2 mil metros de cordel, materiais para confeccionar explosivos (amônia, estopim e espoleta), 1 revólver calibre 38, munições, 4 aparelhos celulares, alicate de pressão, 2 rádios de comunicação, R$ 4.500,00 em espécie, além de outros objetos.

As oito pessoas presas e todo o material apreendido foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil do Município de Peixe. Participaram da ação policiais do 4° BPM, do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) e da Companhia Independente de Operações Especiais (CIOE).

Jaú-presos-2

Fonte:atitude tocantins

Porta de caixa eletrônico atravessa parede de casa após explosão no TO

Agência foi alvo de criminosos em Jaú do Tocantins, região sul do estado.
Parte do equipamento parou dentro do quarto de uma casa vizinha.

jau
Tampa do caixa eletrônico parou dentro de quarto (Foto: Jairo Santos/ TV Anhanguera)

Um caixa eletrônico foi explodido na madrugada deste sábado (26) em Jaú do Tocantins, sul do estado. Com a força da explosão, uma peça do equipamento voou vários metros e atravessou a parede de uma casa, parando dentro de um quarto. A ação criminosa foi realizada por volta das 2h45.

jaúConforme a Polícia Militar, a ação foi rápida e todo o dinheiro do terminal foi levado. Chovia na hora do furto e quando a polícia chegou os criminosos já tinham fugido. O teto e os vidros do local ficaram danificados.

Moradores enviaram várias fotos do local e disseram que uma peça do aparelho atravessou a parede de uma casa e caiu dentro de um quarto. Ninguém ficou ferido.

O caixa eletrônico foi instalado nesta semana. Isso porque o que ficava no local foi alvo de uma explosão em novembro de 2015. Os moradores estão preocupados porque as agências das cidades mais próximas também foram explodidas por criminosos recentemente.

banco e loter
Agência do Banco do Bradesco foi alvo de criminosos (Foto: Jairo Santos/ TV Anhanguera)

http://g1.globo.com/to/tocantins/index.html

Caixa eletrônico explodido em Jaú do Tocantins nesta madrugada

Mapa da Notícia

Explosão em Jaú do Tocantins nesta madrugada 26, por volta das 3horas da manhã deixou os moradores mais uma vez assustado.   A cidade tem sofrido nestes últimos meses explosões constante e deixado os moradores em alerta e com medo temendo qualquer ruído.

Segundo informações os estilhaços das explosões foram parar longe, em residências a ponto de machucar alguém, mas ninguém saiu ferido. A policia continua as buscas e até agora ninguém foi preso. Os bandidos não conseguiram levar nada e não se sabe a quantidade de assaltantes que foram a Jaú desta vez.

A qualquer momento voltaremos como mais informações.

http://mapadanoticia.com.br/