Homem estava preso desde outubro em Araguaína, norte do Tocantins.
Vereador terá de cumprir medidas e ficar longe da vítima e testemunhas.

A Justiça revogou a prisão preventiva do vereador de Palmeirante suspeito de estuprar uma adolescente de 14 anos na região norte do Tocantins. A decisão foi tomada nesta quinta-feira (8) pelo juiz Fabiano Ribeiro da 1ª Escrivania Criminal de Filadélfia.

Adiel Leal Feitosa, de 45 anos, teve o mandado de prisão decretado no dia 17 de outubro e estava preso na Casa de Prisão Provisória de Araguaína. De acordo com a Polícia Civil, o suposto estupro aconteceu em 14 de agosto, quando o vereador teria levado a adolescente para a própria casa e feito ameaças.

O G1 ligou para o advogado de Feitosa, José Ozires Carneiro, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta reportagem.

Conforme a decisão, o vereador deve manter 200 metros de distância da vítima e de qualquer testemunha, não fazer contato por outros meios, comparecer a Justiça todos os meses, além de não sair de casa nos fins de semana e durante a noite. Em caso de descumprimento, a liberdade provisória poderá ser revogada.

Entenda
Um vereador suspeito de estuprar uma adolescente de 14 anos foi preso no dia 18 de outubro em Palmeirante, na região norte do estado. A suspeita é de que o homem, de 45 anos, teria cometido o estupro no mês de agosto, mas as informações só foram divulgadas após a prisão.

Após o suposto estupro, a família da vítima acionou o Conselho Tutelar do município, que denunciou o caso ao Ministério Público Estadual (MPE). O homem foi preso enquanto trabalhava em seu escritório.

Feitosa é vereador do município de Palmeirante e foi reeleito nas últimas eleições para Partido Republicano Brasileiro (PRB).(fonte:g1/to)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here