Adolescentes são suspeitos de invadir casa de vereador e fazer família refém

Quatro pessoas invadiram a casa e amarraram o vereador e a família em Riachinho, no norte do Tocantins. Dois suspeitos foram encontrados em um matagal, os outros dois conseguiram fugir.

Dois adolescentes, de 14 e 15 anos, foram detidos pela Polícia Civil como suspeitos de fazer parte de um grupo que invadiu a casa de um vereador em Riachinho, no norte do Tocantins, e fez ele e a família de refém. O caso foi na madrugada desta segunda-feira (14), quando um grupo de quatro pessoas invadiu o imóvel e amarrou os moradores para assaltar.

Três homens são presos suspeitos de estuprar menina de 11 anos no Tocantins

Suspeitos foram capturados após o cumprimento de mandados de prisão temporária. Crime aconteceu em Miracema do Tocantins.

Três homens foram presos suspeitos de estuprar uma menina de 11 anos, em Miracema do Tocantins. Eles foram capturados nesta terça-feira (10) após o cumprimento de mandados de prisão temporária.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, os presos são: José Alves Pereira, de 38 anos, Domingos Pereira Bezerra, de 43 e Manoel da Conceição de França, de 61.

Segundo o delegado Clecyws Antônio, as investigações apontam que os três cometeram o crime de estupro de vulnerável. Os homens foram levados para a Cadeia Pública de Miracema.

G1 Tocantins

imagem ilustrativa gazetainterior

Três suspeitos de torturar e decapitar homem em Arraias são presos

Corpo de vítima foi encontrado parcialmente enterrado e em avançado estado de decomposição. Polícia suspeita que crime seja efeito da disputa pelo controle do tráfico na cidade.

A Polícia Civil prendeu três pessoas suspeitas de ter participação na morte de João Marcos Barbosa Pereira, conhecido como ‘Pinguim’, em Arraias, sul do Tocantins. O crime foi em julho e chocou a cidade pela brutalidade. Foram detidos como suspeitos, Rafael Souza Carvalho, de 23 anos, Thais Aquino da Silva, 24 anos e Francisco Filho Cavalcante, de 36 anos.

Segundo as investigações, os três torturaram, decaptaram e enterraram o corpo de Pereira em uma estrada vicinal da cidade. O rapaz ficou com parte do corpo expostas e por isso foi encontrado por moradores alguns dias depois, já em avançado estado de decomposição.

A Polícia Civil não esclareceu o papel de cada um dos envolvidos no crime. Rafael Souza e Thais Aquino foram pesos em Goiás e Francisco Filho estava em Taguatinga, no sudeste do estado. Todos estão sendo levados para Arraias, já que a Justiça determinou a prisão preventiva deles.

A principal linha de investigação é que a execução seja efeito de uma disputa pelo controle do tráfico de drogas na cidade. A vítima e os suspeitos, têm passagens pela posse de drogas na cidade.

G1 Tocantins

Polícia Civil em parceria com a Polícia Militar prenderam em Palmeirópolis homens suspeitos de tráfico de drogas

Os homens foram levados a delegacia onde estão presos.

Durante o dia de hoje 27 de março, os policiais civis de Palmeirópolis com apoio da PM local e DEIC/Gurupi, efetuaram vários mandatos de busca e apreensão nas quais resultaram na prisão de quatro (4) pessoas, sendo (3) por suspeita de tráfico de drogas e outro por uso de munição.

O jovem Gustavo Henrique Rodrigues Nascimento está sendo investigado por uso indevido de munição, já Pablo Railand de Oliveira Pereira, Wiliam Vieira Camargo e Jose Maria Oliveira e Silva, foram presos em flagrante por tráfico de drogas.

Com eles foram encontrados drogas, nove papelotes de cracks, tijolos de maconha, comprimidos. Os comprimidos suspeitos serão encaminhados à perícia.

Imediatamente foram conduzidos a delegacia onde foram detidos.

Com eles foram encontrados meio kilo de maconha.

Com informações da polícia civil.

 

 

Mãe e padrasto são suspeitos de torturar menina de três anos: ‘batiam cabeça dela na parede’, diz polícia

Mãe e padrasto estão presos preventivamente e foram indiciados por tortura, abandono intelectual e obstrução ao Conselho Tutelar. Caso foi registrado em Araguaína, norte do Tocantins.

Um casal foi indiciado por agressão e abandono intelectual contra a filha de apenas três anos em Araguaína, norte do Tocantins.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a mulher era mãe biológica e o homem padrasto da criança.

Os dois são suspeitos de constantemente agredir a menina e até bater a cabeça dela contra uma parede, entre outros tipos de tortura.

Conforme a Delegacia da Criança e Adolescente (DECA), a denúncia dos abusos foi feita pelo pai biológico da criança no início do mês.

O homem ficou sabendo das agressões por vizinhos e inicialmente procurou o Conselho Tutelar.

Os conselheiros chegaram a ir à casa da criança, mas a mãe disse que ela não estava. A mulher também tentou enganar a polícia, porém os agentes entraram na casa e encontraram a menina cheia de hematomas.

Ainda segundo o Conselho Tutelar, a criança está internada em um hospital da cidade, onde passa por exames.

Antes, ela foi levada ao IML e o médico legista constatou que a criança sofria agressões há muito tempo.

A menina tinha hematomas nas costas, pernas e principalmente na cabeça.

“É uma situação muito grave e ela está internada para fazer tomografia porque os hematomas eram principalmente na região da cabeça. A própria criança relata que o padrasto a derrubou no chão, bateu na parede. Ela tem marquinhas no joelho porque provavelmente ficava ajoelhada em cima de grãos”, disse a conselheira tutelar Renata Rego.

Ainda segundo a conselheira, a criança estava sem frequentar a creche há vários dias. Nas poucas vezes que foi ao local, funcionários também relataram ter visto hematomas na criança.

O casal está preso preventivamente e a investigação sobre o caso foi concluída nesta terça-feira (13).

Conforme a polícia, os dois foram indiciados por tortura, abandono intelectual e obstrução ao Conselho Tutelar.

Denúncias de abusos contra crianças e adolescentes podem ser feitas pelo telefone do Disque Direitos Humanos, o Disque 100. Assim como diretamente à Polícia Civil no 197.

G1 Tocantins/Foto ilustrativa

Polícia prende suspeitos de matar idoso com enxada após não encontrar dinheiro em Arraias

Crime aconteceu em setembro de 2017 na cidade de Arraias, sudeste do Tocantins. Suspeitos invadiram casa da vítima, que teria reagido e foi morta com golpes de faca e enxada.

Dois homens foram presos pela Polícia Civil em Arraias, sudeste do Tocantins, suspeitos de matar o idoso Terezo Francisco Carvalho, de 68 anos, com golpes de enxada e faca em setembro de 2017.

Segundo o delegado regional José Antônio, David Wilson Gomes dos Santos é o principal suspeito e teria confessado o crime.

Além dele, o suspeito Lucas Balduino Pontes Rocha também foi preso, mas a participação dele ainda está sendo investigada.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), os dois teriam chegado à casa da vítima para roubar dinheiro, mas após render o idoso os suspeitos não encontraram o que procuravam.

Por causa disso, Santos teria roubado dois isqueiros e aplicado um golpe conhecido como “gravata” no idoso. A vítima resistiu e conseguiu golpear o agressor com uma lanterna.

Ainda de acordo com a polícia, Santos teria dado vários golpes no idoso com uma enxada e uma faca. O homem não resistiu aos ferimentos e morreu.

Conforme a delegada Vanusa Regina de Carvalho Nunes, responsável pelas investigações, o crime causou muita revolta na população porque o idoso era uma pessoa muito querida cidade.

Após o cumprimento das prisões preventivas, os dois suspeitos foram levados para a cadeia de Arraias.

O site tenta contato com a defesa das vítimas.

G1 Tocantins

Polícia Civil prende suspeitos por tráfico e aprende drogas e armas de fogo em Palmas

Após se identificaram como policiais civis e tentar efetuar a abordagem, os suspeitos, que estavam no interior do imóvel, reagiram à prisão e começaram a efetuar disparos em direção aos policiais civis.

Policiais Civis da Delegacia Especializada no Combate a Narcóticos (DENARC), deflagraram, no final da tarde da última terça-feira, 6, em Palmas, mais uma operação de combate à criminalidade, a qual resultou na prisão de cincos indivíduos suspeitos por tráfico de drogas e na apreensão de armas de fogo e vários quilos de drogas.

De acordo com o delegado adjunto da Denarc, Emerson Francisco de Moura, após investigações, os policiais civis identificaram uma residência localizada, no Jardim Taquari, onde suspeitos de integrar uma facção criminosa estariam armazenando drogas e armas de fogo.

Mediante as informações levantadas, equipes da Denarc foram até o local e, após adentrar a residência se depararam com Rilys Pereira Neves, vulgo “Lan House”, Daniel Rodrigues de Jesus Aires Nascimento, vulgo “Maguila”, Nailson Walyson Vieria Nogueira, Lucas Conceição Sales Ribeiro, Gustavo Emanuel Morais dos Santos, Gabriel Campos de Aguiar, este usando tornozeleira eletrônica, bem como uma menor de idade.

Após se identificaram como policiais civis e tentar efetuar a abordagem, os suspeitos, que estavam no interior do imóvel, reagiram à prisão e começaram a efetuar disparos em direção aos policiais civis.

Para se defender da injusta agressão, os agentes utilizando-se de força moderada, revidaram os disparos e durante o confronto, Nailson Walyson foi ferido e, de imediato, socorrido para a UPA Norte, ainda com vida, mas segundo os médicos, não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Com os indivíduos, os Policiais Civis apreenderam dois veículos clonados, uma motocicleta, dois revólveres calibre 38, uma pistola 9 mm, vários quilos de maconha, bem como varias munições intactas de calibre 38 Desta maneira, Rilys, Daniel, Lucas, Gustavo e Gabriel Campos foram conduzidos à sede da Denarc, onde foram autuados em flagrante pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas.

Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, todos os suspeitos foram encaminhados à Casa de Prisão Provisória de Palmas, (CPPP), onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

Rogério de Oliveira/Governo do Tocantins

Cinco homens são detidos no Tocantins suspeitos de pescarem durante a piracema

Também foram apreendidos 5 kg de peixes, além de quatro redes de pesca. Ações foram realizadas na TO-080, em Paraíso do Tocantins.

Cinco homens foram detidos na TO-080, em Paraíso do Tocantins, suspeitos de estarem pescando durante a piracema, período de reprodução dos peixes, quando a pesca é proibida por lei.

Segundo a Polícia Militar, foram apreendidos 5 kg de peixes, além de quatro redes de pesca nesta quarta-feira (7). As ações foram realizadas durante uma blitz, que faz parte da Operação Pré-Carnaval.

Conforme a PM, um bloqueio foi realizado na saída para Divinópolis. Os suspeitos estavam em três motocicletas. Uma dupla conduzia duas tarrafas de pesca e os outros três envolvidos estavam com as 5 kg de peixes e duas redes de pesca.

Ainda de acordo com a PM, os suspeitos disseram que o pescado tinha origem no Rio Coco. As cinco pessoas foram levadas para a delegacia junto com os materiais apreendidos.

G1 Tocantins

Operação da Polícia Civil prende suspeitos de tráfico de drogas em cidades do TO

Cerca de 110 policiais participam de operação para combater criminalidade em quatro cidades. Até o momento 41 pessoas foram presas e 32 mandados de busca e apreensão cumpridos.

Uma operação de combate ao tráfico de drogas está sendo realizada na manhã desta sexta-feira (2) em Formoso do Araguaia, Dueré, Porto Nacional e Palmas.

Até o momento, 41 pessoas foram presas em cumprimento a mandados e também em flagrante. Conforme a Polícia Civil, 112 policiais participam da operação.

Segundo o delegado Rafael Falcão, responsável pela Delegacia de Investigações Criminais da região sul (Deic) e coordenador da operação, até o momento foram 26 pessoas presas em cumprimento de mandados de prisão temporária e 15 prisões em flagrante.

Também foram apreendidas sete armas de fogo, maconha, cocaína, balança de precisão, dinheiro, veículos e até peixe. A operação conta ainda com o apoio do helicóptero da segurança pública.

A operação segue até o fim da manhã desta sexta-feira e 32 mandados de busca e apreensão já foram cumpridos. Os presos estão sendo levados para Gurupi, também no sul do estado.

Helicóptero da segurança pública participa da operação (Foto: Jairo Santos/Divulgação)

Combate à criminalidade

Está é a segunda operação feita pela Polícia Civil em uma semana. A primeira, na última sexta-feira (26), foi em Tocantinópolis, no norte do estado.

Cerca de 70 agentes cumpriram 30 mandados de prisão, busca e apreensão. E também outros 20 de prisão temporária, durante todo o dia.

A ação também tinha como objetivo o combate ao tráfico de drogas e foi chamada de ‘Famílias Unidas’.

G1 Tocantins

Advogado pede 5 dias para apresentar defesa de suspeitos de matar Danilo Sandes

Pedido foi feito durante a audiência de instrução, que iria definir se os acusados irão a julgamento. Crime foi em julho de 2017 e teria sido motivado por herança milionária.

O advogado de Wanderson Silva de Souza e João Oliveira dos Santos Júnior pediu mais cinco dias para apresentar a defesa dos dois por escrito a Justiça.

Eles são suspeitos de executar o advogado Danilo Sandes, em Araguaína. O pedido foi feito durante a audiência de instrução, que iria definir se os acusados irão ou não a julgamento. O juiz atendeu ao pedido e a sessão foi suspensa.

O advogado só manifestou a intenção de apresentar a defesa por escrito após os colegas que defendem Robson Barbosa da Costa e Rone Marcelo Alves Paiva, também suspeitos do crime, apresentarem a argumentação de forma oral ao juiz.

Em casos como este, é o advogado que escolhe de que forma quer defender os clientes.

O prazo de cinco dias já está contando, uma vez que todos já tinham sido intimados a apresentar as alegações. Depois disso é que o juiz deve definir se o processo será julgado e de que forma isso deve acontecer.

O caso

Danilo Sandes foi encontrado morto no final de julho de 2017 às margens da TO-222, em estado de decomposição. O crime teria sido motivado por uma herança de R$ 7 milhões que o farmacêutico Robson Barbosa da Costa, de 32 anos, disputava com os irmãos. 

A polícia afirma que o advogado se negou a participar de uma fraude e foi morto por isso.

Além do farmacêutico, apontado como o mandante do crime, os policiais militares Rone Marcelo Alves Paiva e João Oliveira dos Santos Júnior e o ex-PM Wanderson Silva de Souza também foram presos suspeitos de serem os executores do crime.

Eles foram detidos em Marabá (PA) pela Polícia Civil. Todos estão presos preventivamente.

Danilo Sandes foi encontrado morto em Araguaína (Foto: Divulgação)G1/Tocantins