Polícia prende suspeito de homicídio e encontra ossada de jovem morto há cerca de um mês

Suspeito levou a polícia até o setor Lago Norte, em Palmas. A suspeita é que a vítima tenha sido morta por asfixia e o corpo queimado após o crime.

Polícia Civil encontrou, na manhã desta quinta-feira (12), uma ossada humana no setor Lago Norte, perto da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em Palmas. A vítima foi identificada como Thiago Silva Sousa e morava em Luzimangues, distrito de Porto Nacional. Ele faria 26 anos nesta quarta-feira.

Segundo o delegado Cassiano Ribeiro Oyama, um homem que foi preso nesta quinta-feira por suspeita de participar do homicídio levou os policiais até o local onde o corpo havia sido escondido. Sousa estava desaparecido desde o dia 14 de março.

A polícia acredita que a vítima tenha sido morta por asfixia. Depois, os suspeitos teriam ateado fogo. Uma mulher suspeita de participar no crime está foragida. O delegado disse que tinha um relacionamento com a vítima.

G1 Tocantins

Polícia Civil prende suspeito de praticar homicídio no interior do Estado

As investigações realizadas pela Polícia Civil apontaram que o assassinato teria sido cometido devido a uma disputa existente entre vítima e autor pelo controle de pontos de venda de drogas, em Arraias.

Policiais Civis da 9ª Delegacia de Arraias, comandados pela Delegada Vanusa Regina de Carvalho Nunes e pelo Delegado Regional José Antônio da Silva, efetuaram, na tarde desta quarta-feira, (21), a prisão de Tiago Teles da Silva, de 20 anos de idade.

Ele é o principal suspeito de ter matado a tiros, José Divino da Silva Menezes, crime ocorrido no dia 24 de maio de 2017 e foi capturado, mediante cumprimento a mandado de prisão preventiva, em Arraias.

Conforme a delegada Vanusa, as investigações realizadas pela Polícia Civil apontaram que o assassinato teria sido cometido devido a uma disputa existente entre vítima e autor pelo controle de pontos de venda de drogas, em Arraias.

Em seguida, os policiais civis identificaram Tiago como o autor do assassinato e, desta maneira, a Delegada Vanusa representou, junto ao Poder Judiciário, pela prisão do indivíduo, a qual foi deferida e comprida, nesta quarta.

Tiago foi capturado logo após deixar a Cadeia Pública da cidade e, no momento de sua prisão, o mesmo estava cumprindo pena, em regime semiaberto, pelo crime de tráfico de drogas.

Diante dos fatos, Tiago foi novamente recolhido àquela Unidade Prisional, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Ainda segundo a Delegada, chamou a atenção da Polícia Civil, o fato de que autor e vítima eram amigos e, um dia antes do crime, a vítima, José Divino, havia emprestado a Tiago Teles, um revólver calibre 38, que este, supostamente, usaria para realizar um entrega de drogas.

No entanto, no dia do crime, o suspeito foi até a casa da vítima e a chamou no portão. Quando José Divino saiu para atender, foi atingido por vários disparos e veio a óbito.

Secretaria da Segurança Pública/Rogério de Oliveira

Suspeito de encomendar assassinato é preso no Tocantins

Crime aconteceu em dezembro e teria sido motivado por dívida com tráfico. Suspeito de ser o mandante foi preso após polícia identificar homem que atirou na vítima.

A polícia civil prendeu na tarde desta terça-feira (21) Fábio de Lira Santana, de 24 anos. Ele é suspeito de ser o mandante do assassinato de Antônio Paiva de Sousa, de 26 anos, em dezembro de 2017.

O crime aconteceu no setor Raizal, em Araguaína, norte do Tocantins.

O outro suspeito de envolvimento no crime foi preso em fevereiro deste ano. Segundo a polícia, as investigações apontaram que o motivo do crime seria uma dívida envolvendo o tráfico de drogas.

O crime aconteceu em uma boca de fumo da cidade. Pouco antes da meia-noite, um criminoso chegou no local e deu quatro tiros na vítima. Sousa tinha várias passagens pela polícia e morreu na hora.

Santana foi levado para a Casa de Prisão Provisória de Araguaína.

G1 Tocantins

Sobrinho é suspeito de tentar matar o próprio tio com barras de ferro no Tocantins

Vítima conseguiu escapar de agressões e procurou a Polícia Civil para fazer denúncia. Sidney Morais dos Santos foi preso e levado para a Casa de Prisão Provisória da cidade.

Foi preso em Araguaína, Sidney Morais dos Santos suspeito de tentar matar o próprio tio. O caso aconteceu no bairro Santa Terezinha, nesta segunda-feira (19).

Ele teria agredido a vítima identificada apenas como Nilson, de 68 anos, usando barras de ferro.

A prisão foi feita pela Polícia Civil. A vítima contou que conseguiu escapar das agressões e foi até uma delegacia para fazer a denúncia.

O sobrinho foi preso momentos depois e levado para a Casa de Prisão Provisória de Araguaína. O idoso foi ferido no rosto e precisou levar vários pontos na sobrancelha esquerda.

G1 Tocantins

Homem teria usado barras de ferro para tentar matar tio (Foto: Divulgação)

Adolescente é suspeito de matar irmão com facada no coração durante briga

Caso foi registrado em Palmeiras do Tocantins, no norte do estado. Segundo a polícia, menor é suspeito de outro homicídio ocorrido na cidade em 2016.

Em jovem de 21 anos foi morto pelo próprio irmão em Palmeiras do Tocantins, norte do estado, na noite desta quinta-feira (16) com uma facada no coração.

Segundo a Polícia Militar, o suspeito tem 17 anos e seria usuário de drogas. Ele fugiu da cidade e está sendo procurado.

O crime aconteceu por volta das 20h em uma casa próximo da delegacia de polícia. Ainda conforme a PM, o menor teria ameaçado a mãe durante o dia e quando voltou ao local começou a brigar com o irmão mais velho.

A vítima foi morta com uma facada no coração.

O irmão foi socorrido e levado para um hospital em Estreito (MA), mas chegou sem vida.

A polícia foi até a casa do pai do menor, onde foi localizada uma arma de fabricação caseira que seria do adolescente.

Até o momento o suspeito não foi encontrado. Ainda de acordo com a PM, o menor é suspeito de um outro homicídio registrado em 2016 na cidade.

G1 Tocantins

Jovem é morta com machado e marido é suspeito do crime

Crime foi na casa da vítima, em Bernardo Sayão. Marido ainda deixou a filha na casa dos pais da mulher antes de desaparecer.

O corpo da jovem Cinthia Naiane foi encontrado neste domingo (11) na casa dela em Bernardo Sayão, norte do Tocantins.

A Polícia Civil informou que ela foi morta com golpes de machado. O crime pode ter acontecido na noite de sábado (10).

A família disse aos policiais que o marido dela, que ainda não teve o nome divulgado, foi a última pessoa a ver Cinthia com vida.

O casal morava junto no setor Vila São João. A Polícia Civil diz que o marido é considerado foragido, porque após o crime ele levou a filha de pouco mais de um ano até a casa dos pais da vítima e disse que a mulher tinha viajado.

O homem não foi mais visto depois disso.

O corpo só foi encontrado durante a manhã. O Instituto Médico Legal vai fazer exames para confirmar a causa da morte. O enterro será no começo da noite, em Bernardo Sayão.

G1 Tocantins

Arraias: adolescente suspeito de tráfico de drogas é detido com cigarros de maconha

A Polícia Militar apreendeu, na tarde desta quarta-feira, 21, um menor infrator de 17 anos, por suspeita de tráfico de entorpecentes em Arraias do Tocantins.

Com ele a PM localizou 30 cigarros e um tablete de substância análoga à maconha.

O fato ocorreu por volta das 18 horas, durante patrulhamento tático especial feito por policiais militares da 1ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) no setor  Buritizinho, quando a equipe avistou alguns indivíduos em atitude suspeita na arquibancada da  quadra de esporte.

Quando percebeu que a PM iria efetuar a abordagem, o menor se dispersou do grupo. Os militares fizeram a volta no quarteirão com a viatura e avistou o jovem dispensando um volume, sendo feita a abordagem  do mesmo e recolhendo no local  um pacote contendo sete “dolas” (cigarros) de substância análoga à maconha.

Diante do fato, o indivíduo foi conduzido a Delegacia de Polícia, onde foi acionado o Conselho Tutelar.

Na delegacia, o mesmo confessou que comercializava  a droga na referida quadra e que ainda tinha certa quantidade de entorpecente na sua residência.

Diante do exposto, a equipe de Força Tática, acompanhada pelos conselheiros tutelares e o infrator,  deslocou até a residência e encontrou debaixo do sofá da sala num recipiente (pote de café) outro pacote contendo 23 “dolas” e um “tablete” de substância análoga a maconha.

A Equipe retornou à Delegacia de Polícia e apresentou o infrator ao delegado de plantão para formalização do procedimento cabível.

Gazata do Cerrado

Fazendeiro suspeito de matar cavalos é preso com armas no Tocantins

Segundo a Polícia Civil, o homem também é suspeito de ameaçar vizinhos. Na fazenda em Couto Magalhães, os policiais encontraram armas e munições.

O fazendeiro Mateus Felipe Buss, de 29 anos, foi preso durante uma operação da Polícia Civil em Couto Magalhães, nesta quarta-feira (21).

Na casa dele foram encontradas armas e munições. Ele é suspeito de matar cavalos de outras propriedades e de ameaçar vizinhos.

As armas foram encontradas depois que os policiais civis deram cumprimento a um mandado de busca e apreensão na fazenda Paraná.

Foram apreendidos um fuzil, um rifle calibre 22, duas espingardas, frascos de pólvora, munições e roupas camufladas. O fazendeiro não tem autorização para possuir o material.

Ele foi levado para a Cadeia Pública de Colméia.

G1 Tocantins

Preso suspeito de matar a namorada em apartamento usou toalha e ventilador para tentar disfarçar cheiro, diz irmã

Corpo de Giselle Evangelista foi achado sobre a cama, em Goiânia. Mãe da vítima não aprovava relação, e filho diz que até se mudou de casa por não se sentir à vontade com suspeito.

A família da servidora Giselle Evangelista, de 38 anos, encontrada morta no apartamento do namorado, o comerciante José Carlos de Oliveira Júnior, de 37, está devastada com o crime.

O homem, que foi preso, é suspeito de esganar a mulher. Irmã da vítima, a psicóloga Michelle Evangelista Gonçalves, de 39 anos, disse que o sangue frio dele foi tanto que, após o assassinato, ele tentou disfarçar o odor do corpo antes de fugir.

“Ele teve a capacidade de colocar um pano em cima do rosto dela, uma toalhinha, e ligar o ventilador para que ela não exalasse cheiro rapidamente”, disse ao G1, indignada.

O corpo de Giselle foi localizado na tarde de sexta-feira (16), em um prédio na Vila Alpes, em Goiânia, onde mora José Carlos.

Familiares da vítima contaram à polícia que não conseguiram contato com o casal. Por isso, foram até o prédio em busca de informações e a acharam morta.

Horas antes da vítima ser encontrada, câmeras de segurança do condomínio flagraram o casal passando pelo saguão.

Mãe da vítima, a funcionária pública, Maria Lucia Evangelista, de 59 anos, disse que estava muito abalada, sem notícias da filha, e conseguiu entrar com uma corretora, que é moradora do prédio.

“Eu estava com as pernas bambas, meu peito doendo. A moradora já apontou onde era e vimos que a porta estava aberta. Entrando, olhei e falei: ‘Olha a bolsa da minha filha aqui’. Ela disse: ‘Oi, tem gente aqui? Estou vendo um pé ali’. Eu pensei, será que a minha filha está machucada aí dentro? Ou ele? Nisso ela falou assim: ‘Não. Vamos embora’”, relatou.

Maria Lúcia desceu e chamou a polícia. Depois que os policiais chegaram, a irmã, a prima e o filho de Giselle entraram na casa e viram o corpo.

Principal suspeito do crime, José Carlos foi preso, na noite de sábado (17), em uma mata, em Pirenópolis, onde estava escondido há dois dias.

O delegado responsável pela operação, Dannilo Ribeiro Protto, informou que só dará mais detalhes sobre a prisão e o andamento da investigação nesta segunda-feira (19), em uma coletiva.

O site não identificou e não localizou o advogado do preso para comentar o caso.

Prima, filho, mãe e irmã de Giselle Evangelista pedem justiça pela morte da servidora pública (Foto: Vanessa Martins/G1)

Relacionamento conturbado

A mãe contou ainda que desconfiava do caráter do namorado da filha desde o início do relacionamento. Segundo ela, o homem só se comportava de forma agradável na frente de Giselle, mas quando ela não estava presente, era grosso, frio e de difícil convivência.

“Cheguei a falar para ela: ‘ele não é da minha confiança, ele não te merece’. Eu vi quem era ele. Ele era muito estranho, não sei se foi intuição de mãe, mas ele nunca foi bem visto, mas nunca pensei que chegaria a esse extremo”, disse em entrevista à TV Anhanguera.

Filho da vítima, o estudante Hian Evangelista Gonçalves Ferreira, de 19 anos, contou que a mãe e o namorado estavam juntos há mais de um ano, mas sempre discutiam, o que acabou fazendo com que o jovem saísse de casa.

“Eu morava com a minha mãe, mas depois de certo tempo [dele ficando lá na casa por causa de um reforma no apartamento dele] eu não sentia liberdade e fui morar com a minha avó em outro lugar. De julho ao começo desse ano ele ficou morando sozinho com a minha mãe no apartamento. Eu não gostava dele, não aguentava as brigas deles”, afirmou.

Hian, que vai começar a faculdade nesta segunda-feira, disse ainda que quer entender o que aconteceu na noite em que a mãe foi morta. O filho destaca que, apesar das brigas, não imaginava que nada do tipo pudesse acontecer.

“Estou me sentindo vazio. Vai ser um dia após o outro. Quero olhar na cara dele, no olho dele, e perguntar o que aconteceu naquela noite. Não importa o que ele vai dizer, eu vou perguntar”, afirmou em entrevista à TV Anhanguera.

Gisele Evangelista foi encontrada morta no apartamento no namorado, em Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Prima da vítima, a advogada Larissa Evangelista Franco de Castro, de 36 anos, destacou que, com ela, o homem sempre pareceu tranquilo e se questiona se poderia ter feito alguma coisa para impedir o fato.

“Ele era uma pessoa que eu já hospedei na minha casa quando eu morava em outra cidade. Nunca, na minha cabeça, imaginei que pudesse acontecer isso. Por que eu não sai com ela na quinta, porque eu não chamei ela pra sair? Meu arrependimento é de não ter sido mais perspicaz, não ter visto nas entrelinhas”, lamentou.

G1 Goiás

Suspeito de estuprar adolescente que carregava bebê é preso em Palmas

Crime aconteceu no dia 9 deste mês na região sul de Palmas. Segundo a polícia, homem de 32 anos confessou o crime durante interrogatório.

O suspeito de estuprar uma adolescente de 17 anos foi preso pela Polícia Civil nesta quinta-feira (15). Josafá Batista dos Santos, de 32 anos, foi capturado depois de um mandado de prisão temporária. 

O caso aconteceu no dia 9 deste mês, num matagal perto da Faculdade Católica do Tocantins, na região sul de Palmas, na quadra 1.401 Sul. No momento do crime, a vítima estava com um bebê no colo, de 1 ano.

No matagal, a polícia encontrou uma camisa desgastada com o tempo e que teria sido usada pelo criminoso para amarrar a vítima.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o suspeito, que também teria furtado o aparelho celular da vítima, confessou o crime durante um interrogatório. Depois de passar por exame no IML, ele foi levado para a Casa de Prisão Provisória de Palmas.

G1 Tocantins