Produtor rural é preso com anabolizantes para aumentar massa de animais

Anabolizantes de uso proibido foram apreendidos pela Polícia Rodoviária Federal, em Paraíso do Tocantins. Produto é usado em animais destinados ao consumo humano.

Um produtor rural foi preso em flagrante após ser encontrado com 36 frascos de anabolizante animal, que tem venda proibida no Brasil. A prisão foi feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Paraíso do Tocantins, na região central do estado, durante abordagem de rotina.

Conforme a PRF, o homem de 36 anos estava em uma caminhonete e informou que saiu de Tucuruí (PA). Ele disse que seguia para Minas Gerais, onde morava, e tinha ido ao Pará buscar terras para criação de gado.

Porém, durante a fiscalização os agentes encontraram os frascos de anabolizante animal. Cada um com 500 ml. O produto, ainda segundo a polícia, tem origem Argentina e tem uso proibido no Brasil desde 2011.

O anabolizante contém uma substância chamada Nandrolona e serve para aumentar rapidamente a massa corporal de animais destinados ao consumo humano. O uso do produto, que não tem registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, é proibido na Europa e na China, grandes importadores da carne brasileira.

O homem não teve o nome divulgado e disse ainda que comprou os anabolizantes em uma loja no Pará. O pecuarista foi preso em flagrante e levado para a delegacia de Paraíso do Tocantins.

G1 Tocantins

Lula continua liderando nas pesquisas mesmo preso e Marina encosta em Bolsonaro

Sem Lula, 34% dos nordestinos declaram voto nulo ou branco nas eleições.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva segue na liderança da corrida eleitoral, mostrou a mais recente pesquisa do Datafolha, divulgada neste domingo, 15, uma semana depois de o líder petista ter sido preso no âmbito da operação Lava Jato.

Embora ainda lidere, o apoio a Lula diminuiu ante à pesquisa de janeiro. No melhor cenário agora, ele tem 31 por cento das intenções de voto, enquanto no final de janeiro seu melhor desempenho era de 37 por cento. O Datafolha ressalta, porém, que, como houve mudanças de pré-candidatos, não é possível fazer uma comparação direta entre as duas pesquisas.

Com Lula candidato, o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ) segue isolado em segundo lugar. Sem o petista candidato, a ex-senadora Marina Silva (Rede) cresce e encosta no deputado, configurando empate técnico —Bolsonaro aparece com 17 por cento e Marina chega até 16 por cento.

A margem de erro da pesquisa, realizada entre 11 e 13 de abril com 4.194 pessoas em 227 municípios, é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Mas quem “lidera” quando Lula não aparece como candidato é o segmento dos votos brancos/nulo/nenhum, que chega a 24 por cento.

Com Lula candidato, Bolsonaro tem até 16 por cento e Marina, 10 por cento. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) também cresce sem o petista no páreo, passando de 5 para 9 por cento.

Entre outros pré-candidatos, o Datafolha mostrou o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) com 6 por cento das intenções de voto, quando Lula aparece como candidato, e até 8 por cento sem Lula.

O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB) tem 1 por cento nas duas situações, enquanto o presidente Michel Temer aparece com 1 por cento e até 2 por cento, respectivamente, com e sem Lula.

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa (PSB) tem 8 por cento, quando Lula é candidato, e chega a 10 por cento sem ele.

Apesar de Lula estar preso —cumprindo pena por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá (SP)—, o PT segue afirmando que seu principal líder é o candidato do partido nas eleições presidenciais de outubro.

Nos cenários sem Lula, o Datafolha considerou o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad ou o ex-ministro da Casa Civil e ex-governador da Bahia Jaques Wagner como potenciais candidatos do PT. Haddad aparece com 2 por cento e Wagner, com 1 por cento.

O Datafolha mostrou que 54 por cento das pessoas consideram a prisão de Lula como justa. Para 62 por cento dos pesquisados, o petista não disputará o pleito de outubro.

Por fim, o instituto de pesquisas disse que dois de cada três apoiadores de Lula votariam em alguém indicado por ele para as eleições caso o petista não possa mesmo disputar as eleições.

Lula pode ser candidato e eleito mesmo preso? Entenda

Saiba quais são as alternativas do ex-presidente para as próximas eleições.

Mais de 24 horas após o prazo dado pelo juiz Sérgio Moro para o ex-presidente Luiz Inácio Lula se apresentar, ele saiu caminhando, da sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em direção a carros da Polícia Federal. A partir de agora, o petista ocupará um das celas da superintendência da PF em Curitiba.

Até o momento, Lula é pré-candidato do PT à presidência da República e lidera as pesquisas de intenção de voto em todos os cenários, segundo dados do Datafolha.

Mas, após condenação no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), a 12 anos um mês em regime fechado, o petista foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa e está impedido de concorrer a cargos políticos. 

Mas o que muitos têm se perguntado é se há brechas na lei que permitem a sua candidatura? Ou ainda se ele poderá disputar o pleito mesmo preso.

A reportagem do UOL conversou com o advogado e professor de Direito Constitucional da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), Carlos Gonçalves Junior, que explica que “a legislação brasileira permite que qualquer cidadão realize um pedido de registro de candidatura”.

O especialista afirma ainda que o julgamento do STF não tem influência direta sobre a possibilidade ou não de Lula ser candidato. Essa questão deve ser analisada pela Justiça Eleitoral.

Enquanto não há pronunciamento definitivo da Justiça Eleitoral sobre a condição de elegibilidade de um candidato, Lula poderá continuar dizendo que será candidato e até registrar sua candidatura. O ex-presidente ainda poderá iniciar a campanha eleitoral a partir de 16 de agosto, se tiver apresentado o registro dela, conforme determina a lei.

Se o registro de candidatura de Lula for indeferido na primeira instância da Justiça Eleitoral, o petista poderá prosseguir com a campanha normalmente, pois ainda cabe recurso ao STJ (Superior Tribunal de Justiça).

“Até o trânsito em julgado [esgotamento de todos os recursos] para o pedido de candidatura, ele poderá ser candidato, mesmo que esteja preso”, esclarece o professor.

No entanto, se Lula tiver a candidatura indeferida pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o STJ ainda pode dar ao petista uma liminar ou uma decisão que o torne elegível novamente, assim, Lula poderá tomar posse como presidente da República caso seja eleito.

De forma contrária, se o petista disputar as eleições e ganhar, mas continuar inelegível mesmo após apresentar recurso ao STJ, serão convocadas novas eleições.

Noticia ao Minuto

Motorista morre e ficar preso a ferragens após bater de frente com caminhão

Acidente aconteceu na BR-153 próximo de Santa Rita do Tocantins, na região sul do estado. Vítima morreu no local e carro ficou destruído.

Na manhã deste domingo (25) começou com morte nas rodovias federais. Na BR-153, próximo de Santa Rita do Tocantins, a 130 quilômetros de Palmas, um carro de passeio bateu de frente com um caminhão.

Diogo Leite Borges, de 34 anos, morreu no local e ficou preso às ferragens.

Os Bombeiros informaram que foram acionados e encontraram a vítima sem sinais vitais.

Borges estava preso nas ferragens e foi necessário o uso de ferramentas mecânicas para resgatar o corpo, que foi levado para o IML.

O motorista do caminhão passa bem e seria levado para prestar depoimento.

G1 Tocantins

Suspeito de encomendar assassinato é preso no Tocantins

Crime aconteceu em dezembro e teria sido motivado por dívida com tráfico. Suspeito de ser o mandante foi preso após polícia identificar homem que atirou na vítima.

A polícia civil prendeu na tarde desta terça-feira (21) Fábio de Lira Santana, de 24 anos. Ele é suspeito de ser o mandante do assassinato de Antônio Paiva de Sousa, de 26 anos, em dezembro de 2017.

O crime aconteceu no setor Raizal, em Araguaína, norte do Tocantins.

O outro suspeito de envolvimento no crime foi preso em fevereiro deste ano. Segundo a polícia, as investigações apontaram que o motivo do crime seria uma dívida envolvendo o tráfico de drogas.

O crime aconteceu em uma boca de fumo da cidade. Pouco antes da meia-noite, um criminoso chegou no local e deu quatro tiros na vítima. Sousa tinha várias passagens pela polícia e morreu na hora.

Santana foi levado para a Casa de Prisão Provisória de Araguaína.

G1 Tocantins

‘Estou pronto para ser preso’, diz Lula em livro que será lançado sexta

Na obra, que tem mais de 200 páginas, ex-presidente fala sobre os bastidores políticos dos últimos anos e sobre o futuro.

O livro A Verdade Vencerá – O povo sabe por que me condenam, da editora Boitempo, será lançado na próxima sexta-feira (16) e traz entrevistas feitas com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelos jornalistas Juca Kfouri e Maria Inês Nassif, pelo professor de relações internacionais Gilberto Maringoni, e pela editora Ivana Jinkings.

Na obra, que tem mais de 200 páginas, o petista fala sobre os bastidores políticos dos últimos anos, as eleições de 2018 e sobre o futuro. Um dos assuntos abordados é a possibilidade de ele ser preso, após condenação na Lava Jato, em segunda instância, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Segundo a sentença, Lula deve cumprir pena de 12 anos e um mês em regime fechado. “Há duas instâncias superiores que a gente pode recorrer (STF e STJ) e vamos recorrer. Eles vão tomar a decisão, eu estou pronto para ser preso. É uma decisão deles”, diz o ex-presidente, na entrevista.

Questionado se estaria cogitando a possibilidade de ir parar atrás das grades, o ex-presidente confirma. “Estou. O que não estou é preparado para a resistência armada. Como sou um democrata, nem apreender a atirar eu aprendi. Então, isso está fora. O PT não nasceu para ser um partido revolucionário, nasceu para ser um partido democrático e levar a democracia até as últimas consequências”, pontua.

Ele completa afirmando que não irá fugir do país. “Eu não vou sair do Brasil, não vou me esconder em embaixada, eu não vou fugir. A palavra ‘fugir’ não existe no meu dicionário. Vou estar na minha casa, chegando em casa entre 20h e 21h, indo dormir às 22h, acordando às 5h para fazer ginástica”.

Um dos jornalistas pergunta como o petista “prepara o espírito para isso”. “Eu não preparo o espírito. Eu sou um homem de espírito leve. Tudo isso faz parte da história. Estamos em um momento histórico importante para mim. Eu sei por que estou sendo julgado. E eles não têm a mesma consciência tranquila que eu tenho”, responde Lula.

Noticias ao Minuto

Fazendeiro suspeito de matar cavalos é preso com armas no Tocantins

Segundo a Polícia Civil, o homem também é suspeito de ameaçar vizinhos. Na fazenda em Couto Magalhães, os policiais encontraram armas e munições.

O fazendeiro Mateus Felipe Buss, de 29 anos, foi preso durante uma operação da Polícia Civil em Couto Magalhães, nesta quarta-feira (21).

Na casa dele foram encontradas armas e munições. Ele é suspeito de matar cavalos de outras propriedades e de ameaçar vizinhos.

As armas foram encontradas depois que os policiais civis deram cumprimento a um mandado de busca e apreensão na fazenda Paraná.

Foram apreendidos um fuzil, um rifle calibre 22, duas espingardas, frascos de pólvora, munições e roupas camufladas. O fazendeiro não tem autorização para possuir o material.

Ele foi levado para a Cadeia Pública de Colméia.

G1 Tocantins

Preso suspeito de matar a namorada em apartamento usou toalha e ventilador para tentar disfarçar cheiro, diz irmã

Corpo de Giselle Evangelista foi achado sobre a cama, em Goiânia. Mãe da vítima não aprovava relação, e filho diz que até se mudou de casa por não se sentir à vontade com suspeito.

A família da servidora Giselle Evangelista, de 38 anos, encontrada morta no apartamento do namorado, o comerciante José Carlos de Oliveira Júnior, de 37, está devastada com o crime.

O homem, que foi preso, é suspeito de esganar a mulher. Irmã da vítima, a psicóloga Michelle Evangelista Gonçalves, de 39 anos, disse que o sangue frio dele foi tanto que, após o assassinato, ele tentou disfarçar o odor do corpo antes de fugir.

“Ele teve a capacidade de colocar um pano em cima do rosto dela, uma toalhinha, e ligar o ventilador para que ela não exalasse cheiro rapidamente”, disse ao G1, indignada.

O corpo de Giselle foi localizado na tarde de sexta-feira (16), em um prédio na Vila Alpes, em Goiânia, onde mora José Carlos.

Familiares da vítima contaram à polícia que não conseguiram contato com o casal. Por isso, foram até o prédio em busca de informações e a acharam morta.

Horas antes da vítima ser encontrada, câmeras de segurança do condomínio flagraram o casal passando pelo saguão.

Mãe da vítima, a funcionária pública, Maria Lucia Evangelista, de 59 anos, disse que estava muito abalada, sem notícias da filha, e conseguiu entrar com uma corretora, que é moradora do prédio.

“Eu estava com as pernas bambas, meu peito doendo. A moradora já apontou onde era e vimos que a porta estava aberta. Entrando, olhei e falei: ‘Olha a bolsa da minha filha aqui’. Ela disse: ‘Oi, tem gente aqui? Estou vendo um pé ali’. Eu pensei, será que a minha filha está machucada aí dentro? Ou ele? Nisso ela falou assim: ‘Não. Vamos embora’”, relatou.

Maria Lúcia desceu e chamou a polícia. Depois que os policiais chegaram, a irmã, a prima e o filho de Giselle entraram na casa e viram o corpo.

Principal suspeito do crime, José Carlos foi preso, na noite de sábado (17), em uma mata, em Pirenópolis, onde estava escondido há dois dias.

O delegado responsável pela operação, Dannilo Ribeiro Protto, informou que só dará mais detalhes sobre a prisão e o andamento da investigação nesta segunda-feira (19), em uma coletiva.

O site não identificou e não localizou o advogado do preso para comentar o caso.

Prima, filho, mãe e irmã de Giselle Evangelista pedem justiça pela morte da servidora pública (Foto: Vanessa Martins/G1)

Relacionamento conturbado

A mãe contou ainda que desconfiava do caráter do namorado da filha desde o início do relacionamento. Segundo ela, o homem só se comportava de forma agradável na frente de Giselle, mas quando ela não estava presente, era grosso, frio e de difícil convivência.

“Cheguei a falar para ela: ‘ele não é da minha confiança, ele não te merece’. Eu vi quem era ele. Ele era muito estranho, não sei se foi intuição de mãe, mas ele nunca foi bem visto, mas nunca pensei que chegaria a esse extremo”, disse em entrevista à TV Anhanguera.

Filho da vítima, o estudante Hian Evangelista Gonçalves Ferreira, de 19 anos, contou que a mãe e o namorado estavam juntos há mais de um ano, mas sempre discutiam, o que acabou fazendo com que o jovem saísse de casa.

“Eu morava com a minha mãe, mas depois de certo tempo [dele ficando lá na casa por causa de um reforma no apartamento dele] eu não sentia liberdade e fui morar com a minha avó em outro lugar. De julho ao começo desse ano ele ficou morando sozinho com a minha mãe no apartamento. Eu não gostava dele, não aguentava as brigas deles”, afirmou.

Hian, que vai começar a faculdade nesta segunda-feira, disse ainda que quer entender o que aconteceu na noite em que a mãe foi morta. O filho destaca que, apesar das brigas, não imaginava que nada do tipo pudesse acontecer.

“Estou me sentindo vazio. Vai ser um dia após o outro. Quero olhar na cara dele, no olho dele, e perguntar o que aconteceu naquela noite. Não importa o que ele vai dizer, eu vou perguntar”, afirmou em entrevista à TV Anhanguera.

Gisele Evangelista foi encontrada morta no apartamento no namorado, em Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Prima da vítima, a advogada Larissa Evangelista Franco de Castro, de 36 anos, destacou que, com ela, o homem sempre pareceu tranquilo e se questiona se poderia ter feito alguma coisa para impedir o fato.

“Ele era uma pessoa que eu já hospedei na minha casa quando eu morava em outra cidade. Nunca, na minha cabeça, imaginei que pudesse acontecer isso. Por que eu não sai com ela na quinta, porque eu não chamei ela pra sair? Meu arrependimento é de não ter sido mais perspicaz, não ter visto nas entrelinhas”, lamentou.

G1 Goiás

Suspeito de estuprar adolescente que carregava bebê é preso em Palmas

Crime aconteceu no dia 9 deste mês na região sul de Palmas. Segundo a polícia, homem de 32 anos confessou o crime durante interrogatório.

O suspeito de estuprar uma adolescente de 17 anos foi preso pela Polícia Civil nesta quinta-feira (15). Josafá Batista dos Santos, de 32 anos, foi capturado depois de um mandado de prisão temporária. 

O caso aconteceu no dia 9 deste mês, num matagal perto da Faculdade Católica do Tocantins, na região sul de Palmas, na quadra 1.401 Sul. No momento do crime, a vítima estava com um bebê no colo, de 1 ano.

No matagal, a polícia encontrou uma camisa desgastada com o tempo e que teria sido usada pelo criminoso para amarrar a vítima.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o suspeito, que também teria furtado o aparelho celular da vítima, confessou o crime durante um interrogatório. Depois de passar por exame no IML, ele foi levado para a Casa de Prisão Provisória de Palmas.

G1 Tocantins

Vereador é preso suspeito de mandar matar radialista em Goiás

Questões políticas e ciúme motivaram crime, diz polícia; vereador José Eduardo Alves da Silva (PR) nega. Jornalista conduzia programa de rádio polêmico na cidade.

O vereador José Eduardo Alves da Silva (PR), de 39 anos, foi preso nesta sexta-feira (9) suspeito de mandar matar o radialista Jefferson Pureza Lopes, 39 anos, em Edealina, no sul de Goiás.

Segundo a Polícia Civil, ele planejou o crime por questões políticas e por a vítima ter se relacionado com a ex-mulher dele. O político nega, informou a corporação.

“O motivo foi um misto de questões políticas com passional. Ele vinha carregando a vontade de eliminar a vítima e o estopim foi quando descobriu que a ex-mulher tinha se relacionado com o radialista”, explicou o delegado responsável pelo caso, Quéops Barreto.

Outros dois homens e um adolescente também foram detidos suspeitos de envolvimento no crime. Nenhum dos presos foi apresentado à imprensa.

De acordo com a investigação, o caseiro Marcelo Rodrigues Santos, de 39 anos, era amigo do vereador e intermediou o contato entre os executores e o mandante. Ele foi preso na fazenda em que trabalha, em Edealina.

Já os supostos executores foram localizados em Aragoiânia, também na região sul do estado. Um deles é o dono de um lava a jato da cidade, Leandro Cintra da Silva, de 23 anos, e o outro é um adolescente de 17 anos.

Ao delegado, o vereador alegou que já havia planejado matar o radialista em duas ocasiões, sendo a primeira em janeiro de 2017, quando foi descoberto e desistiu de ordenar o crime.

A segunda vez que o político pensou em matá-lo foi em dezembro do ano passado, após descobrir que a mulher, de quem tinha se separado em novembro, havia se relacionado com o rival. Apesar das tentativas, ele negou ter concluído o plano.

Policiais civis prendem suspeito de matar radialista em Edealina, em Goiás, a mando de vereador (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Lopes foi encontrado morto em 17 de janeiro, na casa em que morava. Ele foi atingido por três tiros no rosto. Ele era conhecido por conduzir programa de rádio polêmico na cidade.

Após a morte do jornalista, a Polícia Civil montou uma força-tarefa para investigar o crime, o que resultou na Operação Nuntius, realizada nesta manhã. A ação contou com 20 servidores das delegacias de Edealina, Acreúna, Rio Verde e do setor de inteligência.

Ameaças

Um amigo dele, o agropecuarista Márcio Carlos de Souza, 36 anos, disse que ele era ameaçado de morte por ligações anônimas.

“Ele recebia ligações anônimas de pessoas dizendo que se ele gostasse da família e dos filhos para ele parar com denúncias, se não ele morreria. Falavam para não deixar o carro aberto, que iam colocar droga lá dentro para incriminar ele”, disse.

G1 Goiás