Polícia cumpre mandados no Tocantins contra integrante de facção criminosa

Operação está sendo realizada em 14 estados. Os alvos são suspeitos de integrar célula de facção criminosa que age dentro e fora de presídios.

Polícia Civil cumpriu na manhã desta quinta-feira (14), em Palmas, um mandado de busca e outro de prisão contra um suspeito de integrar uma célula da facção criminosa PCC, que age dentro e fora de presídios. A operação é nacional e está sendo realizada em 14 estados.

A operação Echelon é coordenada pela Polícia Civil de São Paulo, em parceria com o Ministério Público e a Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo. Policiais do Tocantins auxiliaram no cumprimento dos mandados.

Ao todo, são 75 mandados de prisão e 59 de busca e apreensão em 14 estados. O grupo investigado é responsável por acirrar disputa entre facções no país, elevando o número de assassinatos.

Os mandados em Palmas foram cumpridos com apoio de agentes da Delegacia de Investigação Criminal. No início da manhã, os policiais fizeram busca em uma casa no Aureny III. No local foram apreendidos diversos aparelhos celulares.

Depois, cumprido mandado de prisão preventiva contra Leandro Bonfim Albuquerque Souza, de 26 anos, que está preso na Casa de Prisão Provisória de Palmas. Ele é apontado como contato da organização criminosa no Tocantins.

Polícia apreende 23 kg de maconha dentro de mala em ônibus

Apreensão foi realizada em Palmeiras do Tocantins. A droga estava distribuída em tabletes dentro de duas malas de viagem.

Polícia Rodoviária Federal apreendeu 23,87 kg de maconha, no km 7 de Palmeiras do Tocantins. A apreensão foi realizada nesta terça-feira (12), durante uma fiscalização que abordou um ônibus. A droga estava distribuída em tabletes dentro de duas malas de viagem.

O ônibus fazia o trajeto de Goiânia (GO) para São Luis (MA). Após fiscalização de todos os compartimentos do veículo foram encontradas as malas que estavam na parte inferior de bagagem que apresentavam forte cheiro de maconha.

A polícia descobriu que as duas bagagens pertenciam a uma jovem de 18 anos. Ao ser questionada sobre a droga, ela informou que pegou com uma mulher desconhecida na rodoviária de Goiânia e deixaria a droga na rodoviária de São Luis com outra pessoa também desconhecida. Ela recebeu R$ 1.000 para realizar o translado da droga.

No sul do Tocantins suspeito de tráfico é preso após polícia encontrar 9 kg de maconha na casa dele

Tabletes da droga estavam em uma mala e suspeito confessou o crime. Duas mulheres também foram presas por tráfico e posse de munição de arma de fogo.

Três pessoas foram presas suspeitas de tráfico de drogas em Gurupi, nesta terça-feira (29). Os jovens foram identificados como Marco Antônio Moura dos Reis, 19 anos, Nayanne Cristina Ribeiro Fernandes, 28 anos, e Isabel Lorraine Ribeiro, 19 anos. Em um dos casos a polícia encontrou 9 kg de maconha dentro de uma mala.

A polícia informou que Marco Antônio estava em casa no setor Leste, quando foi preso. Com ele foram encontrados 9 kg de maconha. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Rafael Fortes Falcão, o jovem estava sendo investigado e tinha passagem pela polícia por roubo. Além da droga, ele estava com uma balança de precisão e celulares.

Os policiais civis encontraram com o suspeito uma mala de viagem com tabletes de maconha. Ele confessou o crime e disse que a droga foi trazida de Goiás e seria distribuída em Gurupi. Marco Antônio foi levado para a delegacia e depois encaminhada à Casa de Prisão Provisória de Gurupi onde deve responder pelo crime de tráfico de drogas.

As duas mulheres foram presas no setor Nova Fronteira durante a operação policial. Elas teriam recebido 1 kg de maconha para distribuir na cidade. Na casa onde elas moravam foram encontrados maconha, 21 porções de crack, uma porção de cocaína, 66 munições além de materiais usados para embalar as drogas.

Segundo a polícia, as mulheres são companheiras de dois presidiários suspeitos do mesmo crime. Elas devem responder por tráfico de drogas e posse ilegal de munição de arma de fogo.

Governo publica nomeação de 60 aprovados no concurso da Polícia Civil do Tocantins

São 22 delegados, 26 escrivães e 12 peritos que vão atuar no interior do estado. Novos servidores têm até 30 dias para tomar posse.

O Governo do Tocantins publicou a nomeação de 60 aprovados no concurso público da Polícia Civil do estado. São 22 delegados, 26 escrivães e 12 peritos que vão atuar no interior do estado. Os nomes podem ser encontrado no Diário Oficial desta segunda-feira (28).

Os novos servidores têm até 30 dias para tomar posse. O governo diz que as nomeações já estavam previstas na Lei Orçamentária Anual e não vão gerar impacto extra na folha de pagamento.

Sobre o equipamento para que os novos servidores possam trabalhar, como armas e munições, a Secretaria de Segurança Pública diz que em fase final de aquisição através de licitação. O concurso em questão foi feito em 2014. O resultado só foi homologado em março de 2017, após dois anos de espera.

Ação judicial

O certame causou polêmica e foi alvo de ações judiciais. Em março de 2016, o Ministério Público Estadual entrou com uma ação pedindo que a Justiça obrigasse o Estado a retomar o concurso.

Na época, o MPE informou que o quadro da Polícia Civil não possuía servidores suficientes para atender a demanda da população. A informação era de que o Tocantins contava com 932 agentes, 571 escrivães e 244 delegados, sendo que nem todos os cargos estavam preenchidos

Polícia prende suspeito de homicídio e encontra ossada de jovem morto há cerca de um mês

Suspeito levou a polícia até o setor Lago Norte, em Palmas. A suspeita é que a vítima tenha sido morta por asfixia e o corpo queimado após o crime.

Polícia Civil encontrou, na manhã desta quinta-feira (12), uma ossada humana no setor Lago Norte, perto da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em Palmas. A vítima foi identificada como Thiago Silva Sousa e morava em Luzimangues, distrito de Porto Nacional. Ele faria 26 anos nesta quarta-feira.

Segundo o delegado Cassiano Ribeiro Oyama, um homem que foi preso nesta quinta-feira por suspeita de participar do homicídio levou os policiais até o local onde o corpo havia sido escondido. Sousa estava desaparecido desde o dia 14 de março.

A polícia acredita que a vítima tenha sido morta por asfixia. Depois, os suspeitos teriam ateado fogo. Uma mulher suspeita de participar no crime está foragida. O delegado disse que tinha um relacionamento com a vítima.

G1 Tocantins

Senador Vicentinho Alves recebe Mérito Sindepol na comemoração dos 74 anos da Polícia Federal

O parlamentar Vicentinho Alves foi o único Senador condecorado com o Mérito Sindepol conferida às personalidades e instituições que contribuem para a realização da missão da PF.

O senador Vicentinho Alves (PR/TO) foi homenageado na comemoração dos 74 anos da Polícia Federal, celebrados nesta quarta-feira (28/03), em evento realizado pelo Sindicato dos Delegados da Polícia Federal (Sindepol), no Espaço da Corte.

“Divido essa homenagem com Deus e com o povo tocantinense, que me fizeram chegar até aqui na condição de Senador da República, onde tenho procurado servir ao Tocantins e ao Brasil”, agradeceu.

Ascom Vicentinho Alves

Polícia Civil em parceria com a Polícia Militar prenderam em Palmeirópolis homens suspeitos de tráfico de drogas

Os homens foram levados a delegacia onde estão presos.

Durante o dia de hoje 27 de março, os policiais civis de Palmeirópolis com apoio da PM local e DEIC/Gurupi, efetuaram vários mandatos de busca e apreensão nas quais resultaram na prisão de quatro (4) pessoas, sendo (3) por suspeita de tráfico de drogas e outro por uso de munição.

O jovem Gustavo Henrique Rodrigues Nascimento está sendo investigado por uso indevido de munição, já Pablo Railand de Oliveira Pereira, Wiliam Vieira Camargo e Jose Maria Oliveira e Silva, foram presos em flagrante por tráfico de drogas.

Com eles foram encontrados drogas, nove papelotes de cracks, tijolos de maconha, comprimidos. Os comprimidos suspeitos serão encaminhados à perícia.

Imediatamente foram conduzidos a delegacia onde foram detidos.

Com eles foram encontrados meio kilo de maconha.

Com informações da polícia civil.

 

 

Polícia Civil flagra servidores do Itertins emitindo títulos de terras irregulares

No dia em que o governo foi cassado, uma denuncia anônima levou a polícia a flagrar servidores do Itertins supostamente emitindo títulos de terra irregulares.

A Polícia Civil do Tocantins flagrou na noite desta quinta-feira, 22, diversos servidores do Itertins trabalhando fora do horário normal do expediente, por volta das 20h, supostamente emitindo títulos de terras irregulares. O flagrante ocorreu no mesmo dia em que o atual governo foi cassado pelo TSE.

Conforme informações da Polícia Civil, após uma denúncia anônima de suposta violação ao processo legal de escrituração de terras e de regularização fundiária, equipes da DRACMA e da Diretoria de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública deslocaram-se de imediato até a sede do órgão estadual.

No Instituto foram encontradas pilhas de processos de regularização fundiária espalhadas em cadeiras, mesas e em outras salas do órgão estadual.

Cópias das escrituras recém-confeccionadas e documentos que estavam sendo feitas foram apreendidas pela polícia.

Os agentes também fizeram um levantamento dos processos que ainda seriam analisados. Segundo a polícia, o intuito é verificar possíveis fraudes em relação ao trâmite necessário e se o fluxo processual dos últimos dias foi acima da média.

A notícia levou à abertura de procedimento de praxe policial, conhecido como Verificação de Procedência de Informação (VPI), que consiste na ordenação de diligências investigatórias para colher elementos de prova preliminares, para análise da viabilidade ou não da instauração de um inquérito policial.

O delegado titular da DRACMA, Guilherme Rocha disse que “a Polícia Civil reafirma sua posição como instituição de Estado e recomenda, nesse momento sensível do Executivo Estadual, prudência nos trâmites processuais pelos gestores públicos”.

Rocha acrescentou ainda que a polícia permanecerá vigilante para evitar que crimes sejam cometidos “no apagar das luzes”. “A Polícia Civil, por meio da DRACMA e Delegacias do interior do Estado, reforça seu compromisso com o combate à corrupção e com a manutenção da moralidade administrativa, e estará vigilante para que esse momento delicado do Poder Executivo Estadual não seja utilizado para o cometimento de crimes contra a administração pública”, finalizou.

Polícia Civil prende suspeito de praticar homicídio no interior do Estado

As investigações realizadas pela Polícia Civil apontaram que o assassinato teria sido cometido devido a uma disputa existente entre vítima e autor pelo controle de pontos de venda de drogas, em Arraias.

Policiais Civis da 9ª Delegacia de Arraias, comandados pela Delegada Vanusa Regina de Carvalho Nunes e pelo Delegado Regional José Antônio da Silva, efetuaram, na tarde desta quarta-feira, (21), a prisão de Tiago Teles da Silva, de 20 anos de idade.

Ele é o principal suspeito de ter matado a tiros, José Divino da Silva Menezes, crime ocorrido no dia 24 de maio de 2017 e foi capturado, mediante cumprimento a mandado de prisão preventiva, em Arraias.

Conforme a delegada Vanusa, as investigações realizadas pela Polícia Civil apontaram que o assassinato teria sido cometido devido a uma disputa existente entre vítima e autor pelo controle de pontos de venda de drogas, em Arraias.

Em seguida, os policiais civis identificaram Tiago como o autor do assassinato e, desta maneira, a Delegada Vanusa representou, junto ao Poder Judiciário, pela prisão do indivíduo, a qual foi deferida e comprida, nesta quarta.

Tiago foi capturado logo após deixar a Cadeia Pública da cidade e, no momento de sua prisão, o mesmo estava cumprindo pena, em regime semiaberto, pelo crime de tráfico de drogas.

Diante dos fatos, Tiago foi novamente recolhido àquela Unidade Prisional, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Ainda segundo a Delegada, chamou a atenção da Polícia Civil, o fato de que autor e vítima eram amigos e, um dia antes do crime, a vítima, José Divino, havia emprestado a Tiago Teles, um revólver calibre 38, que este, supostamente, usaria para realizar um entrega de drogas.

No entanto, no dia do crime, o suspeito foi até a casa da vítima e a chamou no portão. Quando José Divino saiu para atender, foi atingido por vários disparos e veio a óbito.

Secretaria da Segurança Pública/Rogério de Oliveira

Travesti é morta a tiros em ponto de ônibus em Goiás

Segundo a Polícia Civil, Paola Oliveira, de 35 anos, teria sido baleada após pegar o celular de um cliente que se recusou a pagar o programa.

Uma travesti de 35 anos foi morta a tiros em um ponto de ônibus, na noite desta terça-feira (20) em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal.

De acordo com a Polícia Civil, um homem se aproximou e, após uma discussão, atirou contra ela. A principal suspeita da corporação é a de que a vítima, identificada como Paola Oliveira, tenha sido morta por um cliente que se recusou a pagar o programa.

Segundo o delegado Maurício Passerini, do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH), o homem se aproximou da travesti e atirou contra ela após ela se recusar a entregar um aparelho celular.

“O autor chegou ao local, conversou por alguns segundos. Em um dado momento ficou exigindo: ‘me dá meu celular, me dá meu celular’, e acabou atirando contra a vítima”, disse.

O caso ocorreu na noite de terça-feira, em um ponto de ônibus que fica em frente a um supermercado, em Luziânia. A travesti, que se identificava como Paola, era registrada como Paulo Sérgio Moreira da Silva.

De acordo com o delegado, o suspeito foi identificado por meio do carro usado no crime. O nome dele não foi divulgado.

“Temos o nome de um suspeito, que foi identificado após conseguirmos obter a placa do veículo em que ele teria chegado ao local onde matou a travesti. A nossa principal suspeita é a de que o homem se recusou a pagar o programa, a vítima reteve o celular dele e, no momento em que ele voltava para exigir a devolução, resolveu matá-la”, explicou.

O investigador informou que está fazendo novas diligências nesta quarta-feira, para ouvir novas testemunhas e localizar o suspeito do crime.

G1 Goiás