Polícia flagra motorista sem carteira e bêbado dirigindo carro roubado na BR-153

PRF parou o carro após outros condutores denunciarem que ele fazia zigue-zague pista. Policiais ainda encontraram uma arma ilegal dentro do veículo.

Polícia Rodoviária Federal flagrou um motorista de 46 anos, que não teve o nome divulgado, dirigindo um carro roubado na BR-153.

O homem, segundo a PRF, estava sem habilitação e bêbado. O caso foi em Guaraí, na região central do estado. Além dos três crimes, os policiais também encontraram uma arma ilegal no veículo.

O flagrante foi feito após outros motoristas ligarem para o número de emergência avisando que o homem dirigir em zigue-zague na pista e que estava colocando em risco outros condutores. O homem foi parado na altura do km 332 da rodovia.

Ele fez o teste do bafômetro e o resultado foi de 1,0 miligrama de álcool por litro de ar. A arma encontrada no carro é uma espingarda do tipo cartucheira.

O carro que ele dirigia foi roubado em Goiânia, em 2011.

O homem foi autuado por quatro crimes. Dirigir sem carteira, embriaguez ao volante, porte ilegal de arma de fogo e receptação de veículo roubado.

Ele foi levado para a Delegacia de Plantão de Guaraí para ser autuado.

G1 Tocantins

Grupo que abriu caixão por achar que mulher foi enterrada viva deve responder por violação funerária, diz polícia

Caso ocorreu no município de Riachão das Neves, no oeste do estado. Polícia acredita que boatos levaram à violação da urna funerária.

as pessoas que abriram o túmulo de uma mulher mais de 10 dias após o sepultamento, por acreditarem que ela tinha sido enterrada viva, devem responder por violação de urna funerária, crime que está previsto no artigo 210 do Código Penal, com pena de reclusão de um a três anos.

O caso ocorreu no município de Riachão das Neves, no oeste do estado.

A informação foi passada na manhã desta quinta-feira (15) pelo delegado Antistenes Benvindo, que atua como plantonista regional da delegacia de Barreiras, também no oeste do estado, e que fez o registro do caso.

Ele diz que as investigações preliminares apontam que a situação relatada pelos familiares não se sustenta em nenhum indício plausível.

O delegado da cidade de Riachão das Neves, Arnaldo Alves, que assumiu a apuração do caso após registro inicial da delegacia de Barreiras, também contou à reportagem que as informações que levaram familiares a violarem o túmulo não passaram de “boatos”.

Rosângela Almeida dos Santos, de 37 anos, estava internada no Hospital do Oeste, em Barreiras, com um quadro de infecção respiratória.

No dia 28 de janeiro, ela teve o falecimento atestado pela unidade médica após um quadro de choque séptico, quando a infecção se alastra pelo corpo afetando vários órgãos.

No dia seguinte, ela foi sepultada em Riachão das Neves. Onze dias depois do enterro, por acreditar que a mulher tinha sido enterrada viva, um grupo abriu o caixão que tinha sido depositado em uma urna funerária.

Túmulo foi violado pela família (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Investigações

Segundo o delegado Antistenes Benvindo, a mãe da vítima estaria sonhando há dias que a filha estava viva. Após a informação de uma moradora, de que teria ouvido gritos de dentro da sepultura, familiares decidiram violar o caixão.

Em entrevista à TV Oeste, afiliada da Rede Bahia, a mãe de Rosângela Almeida disse que o corpo dela foi encontrado revirado no túmulo, com ferimentos nas mãos e testa, como se tivesse tentado sair do caixão.

“Até aqueles preguinhos que estavam em cima estavam soltos. A mãozinha tava ferida, como quem estava arrumando, assim, arrumando o caixão para sair”, disse Germana de Almeida.

Benvindo, entretanto, disse que as informações não se confirmam. “Ela [a vítma] estava do mesmo jeito, intacta. O irmão dela mesmo disse”. O delegado também contou que as informações sobre ferimentos nas mãos e na testa não são verídicas.

Sobre o relato de que o corpo da vítima estava conservado, a polícia disse que informações médicas relatam que o uso de antibióticos durante o internamento e o tempo chuvoso favoreceram uma decomposição mais lenta.

O delegado também conta que a mulher foi sepultada mais de 20 horas após o óbito e que, durante todo o processo, que envolveu preparação do corpo para enterro e velório não houve um sinal de vida.

Uma perícia foi feita no túmulo, onde o corpo foi recolocado, e um laudo deve esclarecer a situação. O prazo para divulgação do documento não foi divulgado.

Segundo o delegado de Riachão das Neves, que assumiu as investigações, todos os envolvidos no caso devem ser ouvidos a partir desta quinta-feira.

Mulher foi sepultada no cemitério de Riachão das Neves (Foto: Reprodução/TV Oeste)

Informações médicas

Em nota, a assessoria do Hospital do Oeste informou que está à disposição dos familiares da vítima e autoridades para prestar todas as informações necessárias. Foi entrevistado um médico que integra a equipe de UTI da unidade médica, que preferiu não ser identificado.

Ele contou que a paciente tinha enfisema pulmonar e que foi hospitalizada com uma grave infecção respiratória.

Na UTI, nas últimas 24 horas antes da morte, o médico contou que a mulher já apresentava um quadro “grave e irreversível”.

O médico diz que, na UTI, a paciente estava sob um grau de supermonitoramento, que tornaria impossível um erro médico e consequente sepultamento da mulher com vida. O site não conseguiu contato com os familiares de Rosângela Almeida nesta quinta-feira.

G1/Bahia

PM mata dois homens durante perseguição em matagal na TO-255

Polícia afirma que dupla era suspeita de tráfico de drogas e reagiu a uma ordem de parar na rodovia. Mortos foram identificados como Thiago Batista dos Anjos e Rafael Oliveira Batista.

Nomeação de aprovados do concurso da Polícia Civil ampliará segurança nos Municípios, afirma ATM

Entidade defende a nomeação dos aprovados para os cargos de delegado, escrivão e perito criminal.

O presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, se reuniu nesta quarta-feira, 07, na sede da entidade, com membros da Comissão dos Aprovados no Concurso da Polícia Civil do Estado do Tocantins, certame ocorrido em 2014.

Na ocasião, Mariano defendeu a nomeação dos aprovados na seleção, em virtude da falta de segurança enfrentada pelas populações nos Municípios pequenos do Estado e, também, dos recentes casos de atentados praticados contra agentes políticos.

“Os Municípios precisam de polícia repreensiva e, também, de polícia preventiva. A polícia civil deve estar ativamente presente nas pequenas cidades, à disposição para eventuais ocorrências. Em algumas situações, os policiais militares precisam deslocar mais de 100 quilômetros para registrar uma ocorrência, sendo que em muitos casos as cidades ficam completamente desassistidas de guarnições policiais”, revelou o presidente da ATM, que destacou o interesse da grande maioria dos prefeitos em firmar uma eventual parceria com o Governo do Estado para auxiliá-lo na manutenção dos serviços de segurança.

Termo de Cooperação Técnico

“Se for preciso os Municípios firmam um Termo de Cooperação Técnico com o Estado no qual se comprometem a ajudar na manutenção de delegacias, na disponibilização de materiais de expediente e, se preciso for, até mesmo na cessão de servidores municipais. O Estado precisa garantir aos 139 municípios tocantinenses uma segurança pública em sua totalidade, com unidades à disposição do cidadão”, frisa Mariano, que garantiu aos representantes dos aprovados que expedirá ofícios ao governador Marcelo Miranda e ao secretário de Segurança Pública do Tocantins, Cesar Roberto Simoni de Freitas, pedindo a nomeação dos aprovados e se colocando a disposição para intermediar parceria entre Estado e Municípios.

Demanda

Segundo o representante dos aprovados ao cargo de delegado no Concurso da Polícia Civil, Joadelson Rodrigues Albuquerque, há um déficit de servidores para atuarem na Polícia Civil, devido às aposentadorias e exonerações.

“A Lei Estadual 581, de 1993, especifica o número de cargos de Delegado que deverá conter na estrutura da Policia Civil do Tocantins, um total de 244 cargos. Atualmente, há em exercício 172 delegados, para atender 220 unidades de segurança e 15 plantões de polícia”, conta o aprovado, que disse já ter passado por todas as etapas do certamente, como teste físico, academia de polícia, entre outros. “Falta apenas a nomeação”, diz Albuquerque.

O representante dos aprovados para o cargo de perito criminal, Heyder Monteiro Lopes, pede a nomeação de 37 participantes aprovados no concurso. “Hoje temos 137 peritos criminais em atuação. O déficit é de 80, e o número de aprovados não contempla toda a demanda”, explica. A Comissão pede ainda a nomeação de 40 delegados de polícia e 78 escrivães.

Ocorrências

Na semana passada a ATM lamentou na imprensa os fatos ocorridos contra o prefeito de Tocantins, Manoel Silvino. O gestor teve a casa invadida por criminosos que renderam a família e, posteriormente, disparam contra o prefeito e seu motorista, João Mascarenhas Barros.

Fato similar ocorreu com o prefeito de Chapada da Natividade, Joaquim Urcino, em 2016, quando o gestor foi rendido por criminosos em sua residência. “É papel do Estado ofertar segurança de qualidade. E esse serviço precisa estar de prontidão em todas as cidades do Tocantins”, finaliza o presidente da ATM.

Associação Tocantinense de Municípios – ATM

Polícia prende segundo suspeito de atirar contra prefeito de Tocantínia

Jovem foi capturado perto da cidade de Lajeado. Com dois suspeitos presos, polícia faz buscas para encontrar o terceiro assaltante.

A polícia prendeu o segundo suspeito de atirar contra o prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino Gomes Neto (SD) e no motorista João Mascarenhas.

Ele foi capturado às margens da TO-010, no km 56, próximo a Lajeado. O jovem, de 18 anos, ainda não identificado, foi ouvido pelo delegado e levado para a cadeia de Miracema. Um terceiro suspeito segue foragido.

Na noite deste domingo (4), o outro suspeito do crime foi capturado. O jovem de 18 anos foi identificado como Mateus Carvalho da Silva. 

Os militares que faziam as buscas o viram saindo de um matagal perto da ponte que liga Miracema do Tocantins a Lajeado, onde o carro usado durante a ação foi abandonado.

Entenda

Segundo testemunhas, o prefeito estava em casa com parentes e amigos se preparando para comemorar o aniversário, neste domingo (4). Pela manhã, ele pediu para que o motorista o levasse até a padaria.

Os criminosos se aproveitaram do momento para entrar na casa e renderam quem estava no local, inclusive os três filhos do político, todos menores de idade. Três homens participaram da ação, dois entraram e um ficou do lado de fora da casa.

Testemunhas contaram ainda que os homens agrediram a mulher do prefeito e outras pessoas. Quando Silvino e Mascarenhas retornaram, perceberam o assalto. Segundo a PM, o político reagiu e tentou tomar a arma de um dos assaltantes. Ele e o motorista foram baleados.

Silvino foi encaminhado para o Hospital Geral de Palmas e passou por cirurgia para a retirada da bala na barriga. O estado de saúde dele é estável. Já Mascarenhas que foi baleado no peito direito está internado no Hospital Regional de Miracema. A mulher, Josiane Santana, disse que ele não precisou passar por cirurgia porque a bala não ficou alojada.

A Polícia Militar disse que está fazendo buscas na região para encontrar os outros suspeitos.

Silvino foi presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) e está no terceiro mandato à frente da Prefeitura de Tocantínia, cidade localizada na região central do estado.

G1 Tocantins

Operação da Polícia Civil prende suspeitos de tráfico de drogas em cidades do TO

Cerca de 110 policiais participam de operação para combater criminalidade em quatro cidades. Até o momento 41 pessoas foram presas e 32 mandados de busca e apreensão cumpridos.

Uma operação de combate ao tráfico de drogas está sendo realizada na manhã desta sexta-feira (2) em Formoso do Araguaia, Dueré, Porto Nacional e Palmas.

Até o momento, 41 pessoas foram presas em cumprimento a mandados e também em flagrante. Conforme a Polícia Civil, 112 policiais participam da operação.

Segundo o delegado Rafael Falcão, responsável pela Delegacia de Investigações Criminais da região sul (Deic) e coordenador da operação, até o momento foram 26 pessoas presas em cumprimento de mandados de prisão temporária e 15 prisões em flagrante.

Também foram apreendidas sete armas de fogo, maconha, cocaína, balança de precisão, dinheiro, veículos e até peixe. A operação conta ainda com o apoio do helicóptero da segurança pública.

A operação segue até o fim da manhã desta sexta-feira e 32 mandados de busca e apreensão já foram cumpridos. Os presos estão sendo levados para Gurupi, também no sul do estado.

Helicóptero da segurança pública participa da operação (Foto: Jairo Santos/Divulgação)

Combate à criminalidade

Está é a segunda operação feita pela Polícia Civil em uma semana. A primeira, na última sexta-feira (26), foi em Tocantinópolis, no norte do estado.

Cerca de 70 agentes cumpriram 30 mandados de prisão, busca e apreensão. E também outros 20 de prisão temporária, durante todo o dia.

A ação também tinha como objetivo o combate ao tráfico de drogas e foi chamada de ‘Famílias Unidas’.

G1 Tocantins

Polícia encontra plantação de maconha em casa na região sul de Palmas

Foram encontrados 15 pés de maconha, além de outros vasos com sementes. Suspeito foi preso e autuado por tráfico de drogas.

Uma plantação de maconha foi encontrada na tarde desta quarta-feira (31) na região sul de Palmas. Emival Dalat Filho, de 36 anos, foi encontrado no local e preso por tráfico de drogas. A Polícia Civil chegou até o suspeito após denúncias anônimas.

Foram encontradas pela polícia 15 plantas cultivadas, outros 13 vasos semeados com semente de maconha, mas sem as plantas germinarem. Ainda foram localizadas sete garrafas contendo folhas de maconha.

A prisão aconteceu por volta das 8h da manhã, em uma casa no setor Morada do Sol, na região sul de Palmas, após denúncias anônimas.

O suspeito foi preso por tráfico de drogas e levado para a central de flagrantes, onde foi autuado. Depois, ele foi levado para a Casa de Prisão Provisória de Palmas.

G1 Tocantins

Caminhonete da Polícia Militar capota após sair da pista proximo a Natividade Tocantins

Policiais tiveram escoriações, mas não precisaram ir ao hospital. Caso foi entre Chapada da Natividade e Santa Rosa do Tocantins, na região central do estado.

Uma caminhonete da Polícia Militar capotou após sair da pista na manhã desta quarta-feira (31). O acidente foi na BR-010, entre Chapada da Natividade e Santa Rosa do Tocantins, na região central do estado.

Os policiais tiveram escoriações, mas não precisaram ser levados ao hospital. Eles foram socorridos pelos militares de Natividade.

Não há informações sobre as causas do acidente, mas nas imagens é possível ver que chovia no momento em que a caminhonete capotou. Ela foi parar em um atoleiro ao lado da rodovia.

A PM de Natividade informou que a equipe envolvida no acidente não perseguia criminosos quando tudo aconteceu. O site procurou o comando da Polícia Militar em Palmas e aguarda posicionamento sobre o caso. 

G1 Tocantins

Polícia Civil localiza três irmãs que desapareceram em Aparecida de Goiânia

Delegado informou que as adolescentes, de 12, 13 e 17 anos, estão bem. Corporação descartou a possibilidade de sequestro.

A Polícia Civil localizou as três irmãs que estavam desaparecidas há cinco dias, em Aparecida de Goiânia. O delegado regional André Fernandes informou que as meninas, de 12, 13 e 17 anos estão bem. Ele havia descartado a possibilidade de sequestro.

Mãe das meninas, a costureira Valdivina Fernandes de Araújo, de 34, anos, se emocionou ao saber que as filhas haviam sido encontradas. Ela e a família foram para a delegacia encontrá-las.

“Foi muito difícil, estou chorando de alegria. Não sei nem descrever a alegria de saber que elas estão vivas e vou poder levar para casa”, comemora.

Pai das duas meninas mais novas, Diego Silva dos Santos, de 33 anos, agradeceu ao apoio dos policiais e da comunidade que ajudou nas buscas. “Maior alegria da minha vida, elas são tudo pra gente, para a família toda, quero abraçar, beijar, falar que amo elas demais”, disse.

Mãe das adolescentes se emociona ao saber que filhas foram encontradas em Aparecida de Goiânia (Foto: Paula Resende/G1)

As adolescentes foram vistas pelos parentes pela última vez no sábado (20). Segundo o pai, quando ele acordou as três não estavam mais na casa. A mais velha chegou a enviar uma mensagem para a mãe, na manhã de segunda-feira (22), pelas redes sociais pedindo ajuda.

“Mãe, eu estou presa em um lugar sem celular. Preciso de ajuda. Vão me levar para o Mato Grosso hoje. Estão me deixando louca, as meninas tentaram me ligar, mas não deixaram eu atender”, diz a mensagem.

Antes de encontrar as adolescentes, o delegado descartou a hipótese que elas estivessem em perigo e que informações obtidas pela corporação, que se encontram em sigilo, atestavam que as adolescentes estavam bem.

Ligação misteriosa

Pai de duas das meninas e padrasto da terceira, o pedreiro Diego Silva contou que ao G1 que, logo após sumir, uma das adolescentes ligou dizendo que estava com as irmãs em Inhumas e que “não queriam mais voltar”.

“Vi a porta aberta e quando olhei nos quartos elas não estavam lá. A gente está sem chão, não sabemos o que fazer. Uma chegou a ligar dizendo que estavam em Inhumas e que não queriam mais voltar, mas ela estava chorando muito, não sabemos se tem alguém forçando ela a dizer essas coisas. Logo em seguida a ligação caiu e não conseguimos mais falar”, contou o pai.

O pedreiro contou que não sabe o que pode ter acontecido ou como as filhas sumiram.

G1 Goiás

Polícia tenta localizar três irmãs que desapareceram há 5 dias em Goiás

Delegado afirma que sequestro foi descartado e que corporação faz buscas para levar adolescentes, de 17, 13 e 12 anos, para casa; filha mais velha enviou mensagem “pedindo ajuda” à mãe.

A delegado regional de Aparecida de Goiânia, André Fernandes, afirmou nesta quinta-feira (25) que a Polícia Civil está tentando localizar as três irmãs, de 17, 13 e 12 anos, desaparecidas há 5 dias na cidade.

O investigador disse que a corporação tem informações sigilosas que descartam a possibilidade de sequestro. A família recebeu uma mensagem da filha mais velha “pedindo ajuda”.

“Nós estamos com várias diligências, a investigação já está bem adiantada. O que a gente apurou é que elas saíram de casa, ainda não sabemos se acompanhadas de terceiros.

Mas a possibilidade de sequestro está descartada. Queremos entregar estas menores à tutela da família o mais rápido possível”, disse o delegado.

Vitória Fernandes Lopes, de 17 anos, Maria Eduarda Fernandes dos Santos, 13, e Ana Caroline Fernandes dos Santos, 12, foram vistas pelos parentes pela última vez no sábado (20).

Segundo o pai, quando ele acordou as três não estavam mais na casa. Vitória chegou a enviar uma mensagem para a mãe, na manhã de segunda-feira (22), pelas redes sociais.

“Mãe, eu estou presa em um lugar sem celular. Preciso de ajuda. Vão me levar para o Mato Grosso hoje. Estão me deixando louca, as meninas tentaram me ligar, mas não deixaram eu atender”, diz Vitória na mensagem.

Questionado sobre a possibilidade da mensagem de Vitória sugerir que ela e as irmãs estivessem em perigo, o delegado André Fernandes disse que informações obtidas pela corporação, que se encontram em sigilo, atestam que as adolescentes “estão bem” e “serão localizadas pela polícia”.

O vigilante Fernando Barbosa, tio das adolescentes, afirma que a família está desesperada sem ter informações sobre o que pode ter motivado o sumiço das menores de idade. “A polícia realmente tem nos dito que está acompanhando, que o caso está sendo apurado, mas nós não temos pistas, nem porque elas saíram, nem onde estão”.

“Enquanto elas não voltarem para casa a gente não fica em paz”, disse o tio.

Filha mais velha mandou mensagem para a mãe, em Aparecida de Goiânia (Foto: Instagram/Reprodução)

Ligação misteriosa

Pai de duas das meninas e padrasto da terceira, o pedreiro Diego Silva dos Santos, de 33 anos, contou que a família está desesperada a procura das adolescentes. Ele afirma que logo após sumir, uma delas ligou dizendo que estava com as irmãs em Inhumas e que “não queriam mais voltar”.

“Vi a porta aberta e quando olhei nos quartos elas não estavam lá. A gente está sem chão, não sabemos o que fazer. A Maria Eduarda chegou a ligar dizendo que estavam em Inhumas e que não queriam mais voltar, mas ela estava chorando muito, não sabemos se tem alguém forçando ela a dizer essas coisas. Logo em seguida a ligação caiu e não conseguimos mais falar”, contou o pai.

O pedreiro contou que não sabe o que pode ter acontecido ou como as filhas sumiram. Ele conta que está muito preocupada com as adolescentes e em especial com Maria Eduarda, que toma remédios controlados.

“Há uns dois ou três anos atrás ela começou a ter convulsões. Levamos ao médico e ele prescreveu uma medicação para evitar que ela desenvolvesse esquizofrenia, então ela precisa tomar os remédios para não ter convulsão”, completou.

G1 Goiás