Governo troca comando da PM no Tocantins durante crise entre polícias Civil e Militar

Ex-comandante Glauber de Oliveira Santos foi para a Secretaria de Cidadania e Justiça. Coronel Edvan de Jesus Silva assume PM com déficit de 5,4 mil policiais.

O coronel Edvan de Jesus Silva assumiu na tarde desta segunda-feira (6) o comando da Polícia Militar do Tocantins. Durante entrevista, o novo comandante disse que as relações entre PM e Polícia Civil devem ser fortalecidas. O discurso faz referência ao delegado baleado por militares durante uma abordagem em Guaraí, região central do estado. Durante entrevista, ele disse que o caso está sendo investigado e será superado.

“Somos parceiros e amigos da Polícia Civil. Não vejo nenhum tipo de problema e o que vamos fazer é estreitar cada vez os nossos laços porque as nossas missões são comuns e juntos seremos mais fortes. Creio que não há necessidade de colocar lenha da fogueira. É algo que está sendo investigado e o importante é que o relacionamento entre as instituições deve ser fortalecido”, disse o novo comandante.

A troca de comando ocorreu no quartel do Comando Geral da Polícia Militar, em Palmas. O coronel Glauber de Oliveira Santos deixou o cargo, após 2 anos e 10 meses, para ser efetivado na Secretaria de Cidadania e Justiça.

A mudança foi anunciada após falas polêmicas do ex-comandante sobre o delegado que foi confundido com um criminoso e baleado. Em entrevista, Santos disse que “a abordagem foi realizada dentro dos padrões do procedimento operacional padrão de um veículo identificado como suspeito.”

Nesta segunda-feira (6), ele agradeceu o tempo que passou no comando. “Eu completo 30 anos na corporação e o que a gente sempre procurou fazer foi trabalhar da melhor forma possível”, afirmou.

O governo não confirmou oficialmente o motivo da mudança no comando. “O que nós queremos são resultados, a sociedade nos cobra resultados e nós temos procurado dar esses resultados. Eu acredito que pela experiência do coronel Edvan, o coronel Glauber, que assume a Cidadania e Justiça, e os demais companheiros, vocês vão ver todos trabalhando bem para a sociedade”, disse o governador Marcelo Miranda (PMDB), durante transferência de comando.Coronel Edvan de Jesus Silva assumiu comando da PM (Foto: João Guilherme Lobaz/G1)

Aumento da criminalidade

O novo comandante assume a Polícia Militar em período de críticas e relatos de aumento na criminalidade em todo o estado. Além disso, um levantamento feito pelo Ministério Público Estadual aponta que o número de policiais está bem abaixo do ideal.

A PM do Tocantins tem atualmente há 3.660 militares para uma população de mais de 1,5 milhão de habitantes. O número representa apenas 40% do que seria necessário. O déficit é de 5,4 mil PMs.

Delegado baleado

O delegado da Polícia Civil Marivan da Silva Souza foi baleado durante uma ação de policiais militares em Guaraí, na região central do estado, no dia 28 de outubro. Os policiais estavam descaracterizados procurando suspeitos do assalto a um carro forte no dia anterior.

Souza levou três tiros, um na mão, um na orelha e outro de raspão na cabeça. Ele perdeu parte da orelha. Os policiais militares que participaram da abordagem estão presos no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, em Palmas e entregaram as armas e a viatura usadas na ação.

G1/Tocantins

Coronel Edvan de Jesus Silva vai assumir o comando-geral da PM no Tocantins

Coronel Glauber assume Seciju e defende continuidade dos “bons trabalhos” já realizados.

O governador Marcelo Miranda (PMDB) vai efetivar o coronel Glauber de Oliveira Santos na Secretaria da Cidadania e Justiça (Seciju, que está no cargo como interino desde essa terça-feira, 31. Com isso, o comando-geral da Polícia Militar do Tocantins será assumido pelo atual chefe do Estado Maior, coronel Edvan de Jesus Silva. O coronel Marcelo Falcão Soares será o titular do Estado Maior, do qual é hoje subchefe.

Importantes fontes do Palácio Araguaia negaram que as mudanças tenham relação com o episódio de sábado, 28, em Guaraí, quando o delegado Marivan da Silva Souza foi baleado numa operação do Batalhão de Choque.

Segundo essas fontes, o objetivo do governador é oxigenar a PM. As mudanças devem ser anunciadas nas segunda-feira, 6.

Clebertoledo

Estudante de direito morre em acidente em Palmas envolvendo moto e viatura da PM

No acidente o estudante de Direito, Jeferson Rodrigues, faleceu em decorrência dos ferimentos.

Um grave acidente ocorrido à meia noite desta quarta-feira, 25, na região Sul de Palmas, envolvendo uma viatura da Polícia Militar e uma motocicleta, deixou uma vítima fatal. No acidente o estudante de Direito.

O acidente ocorreu na Marginal Oeste, em frente ao supermercado Quartetto, no setor Santa Bárbara. Conforme informações iniciais apuradas pelo T1 Notícias, dois rapazes que estavam na motocicleta haviam sido assaltados e estavam a caminho da delegacia para registrar a ocorrência.

Segundo a PM, o motorista da viatura revelou que os policiais trafegavam pela marginal Oeste, no sentido Norte/Sul, para atendimento de uma ocorrência de acidente de trânsito com vítima na Avenida Goiás, no setor Santa Bárbara. “Nas proximidades do supermercado Quartetto, a motocicleta Honda CG 150, vermelha, saiu da Rua 19-A, no sentido oeste/leste, adentrando na marginal oeste, sem observar o tráfego local, colidindo na viatura”.

Ainda segundo a PM, o condutor da viatura perdeu o controle da direção, levando o veículo a capotar várias vezes. Os policiais militares foram encaminhados ao Hospital Geral de Palmas com lesões, onde foram atendidos e tem quadro de saúde estável. O passageiro da motocicleta também foi atendido no HGP com lesões. O corpo do estudante foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Palmas.

Jeferson Rodrigues tinha 21 anos e cursava o 4º período de Direito no Centro Universitário Luterano de Palmas (Ceulp/Ulbra).

Viatura da PM teria capotado várias vezes.
T1noticias

Mulher morre após ser atropelada por viatura da polícia militar

Policial que dirigia a viatura disse que teve a visão ofuscada por outro veículo que utilizava farol alto. Acidente ocorreu em Buriti do Tocantins; mulher foi socorrida com vida, mas morreu no hospital.

A dona de casa Aldaires José Benigno da Silva, de 32 anos, morreu depois de ter sido atropelada por uma viatura da Polícia Militar (PM). Ela fazia caminhada com mais duas pessoas quando foi atingida. O acidente foi na noite desta terça-feira (3), em Buriti do Tocantins, no extremo norte do estado.

Segundo a PM, a viatura fazia ronda no local quando uma van com farol alto, que vinha da direção contrária, ofuscou a visão do policial que dirigia. A viatura bateu de frente com a vítima.

Os policiais militares disseram que Aldaires foi socorrida com vida. Ela foi levada para o Hospital Regional de Augustinópolis, mas não resistiu aos ferimentos. Teve hemorragia interna e morreu na unidade três horas após o acidente.

A Polícia Civil informou que o policial que dirigia a viatura se apresentou na delegacia depois do acidente. Ele disse que a vítima caminhava além da linha de acostamento com roupa escura. A perícia esteve no local e o caso será investigado.

Uma amiga da vítima disse que Aldaires tinha costume de fazer caminhada todos os dias e que ela deixou cinco filhos pequenos. O corpo da vítima foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Tocantinópolis e liberado para a família. O velório acontece em Buriti na tarde desta quarta-feira (4) e o enterro está marcado para quinta-feira (5).

G1/TO

Filho de PM tenta correr de assalto e é baleado no pescoço no Tocantins

Jovem percebeu o assalto, saiu correndo e foi atingido de raspão. Suspeito do crime foi preso momentos depois, no setor Vila Norte.

O jovem Welton de Castro Silva de 18 anos, filho de um policial militar, foi atingido no pescoço durante um assalto, registrado em Araguaína, na noite desta quinta-feira (14). Segundo a polícia, o jovem tentou correr ao perceber o roubo e o assaltante atirou. Ele foi socorrido consciente e levado para o Hospital Regional de Araguaína.

Segundo a polícia, Welton estava em companhia de um amigo, também de 18 anos. Os dois passavam pela rua 6, no bairro São João. Ao serem abordados pelo assaltante, ele entregou o celular, mas o filho do policial reagiu, momento em que foi atingido por um tiro.

A polícia foi chamada e as vítimas repassaram as características do suspeito. Ele foi encontrado momentos depois trafegando em uma motocicleta, no setor Vila Norte. Os policiais disseram que ele tentou correr para dentro de uma casa, mas foi capturado. Com ele, foram encontrados um aparelho celular e um revólver calibre 32 com duas munições intactas e uma deflagrada. Ele foi autuado em flagrante por tentativa de latrocínio.

A PM informou ainda que Welton reconheceu o suspeito através de uma foto. O outro jovem fez o reconhecimento pessoalmente.

G1/TO

Defesa pede à Justiça que empresário dono de postos fique preso no quartel da PM

Eduardo Augusto Rodrigues Pereira está foragido há quase quatro meses. Ele é suspeito de mandar matar um concorrente e de formação de cartel na capital.

A defesa do empresário Eduardo Augusto Rodrigues Pereira, conhecido como Duda Pereira, pediu à Justiça que ele tenha direito a uma cela especial no Quartel de Comando Geral da Polícia Militar, em Palmas. O pedido se baseia em uma ameaça de morte que o empresário alega ter recebido. Ele é investigado por formação de cartel em Palmas e teve a prisão decretada por ser o suposto mandante da morte de um concorrente em Porto Nacional.

O empresário, que tem uma rede de postos de combustíveis na capital, está foragido há quase quatro meses, desde que teve a prisão decretada. O nome dele chegou a ser mandado para a lista da Interpol depois que o Ministério Público Estadual informou à Justiça que há indícios de que ele esteja nos Estados Unidos.

No documento, a defesa lembra que um dos suspeitos de ser o executor do crime foi assassinado dentro da Casa de Prisão Provisória de Palmas e o crime ainda não foi solucionado. O advogado de Duda Pereira afirma que os presídios do Tocantins não oferecem a segurança necessária para que o cliente se entregue.

O Ministério Público Estadual se manifestou contra o pedido. O advogado de Duda Pereira não atendeu as ligações do G1 para comentar o caso. A questão não tem prazo para ser analisada.

O crime

Wenceslau Leobas, morreu aos 77 anos, no dia 14 de fevereiro após ficar 17 dias internado. Ele foi baleado em Porto Nacional no dia 28 de janeiro, no momento em que saía de casa para trabalhar. No mesmo dia da tentativa de homicídio, dois suspeitos foram presos. A polícia disse que um deles chegou a confessar a participação no crime.

Os dois acusados de executar o crime Alan Sales Borges e José Marcos de Lima iriam a júri popular, mas José Marcos foi encontrado morto dentro da Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP) na manhã do dia 3 de março deste ano.

No mês de junho do ano passado, o juiz aceitou a denúncia contra Duda. Ele é acusado de ser o mandante do crime. Segundo o promotor Abel, o processo contra o Duda corre separadamente. A audiência de julgamento dele já estava marcada para o mês de maio. Na época, Duda disse que estava sendo acusado injustamente.

Cartel

Eduardo Pereira também é investigado a respeito de um suposto cartel nos postos de combustíveis em Palmas. Duda é apontado como comandante do cartel. Em uma conversa telefônica gravada pela Polícia Civil, com autorização da Justiça, ele fala com Neizimar Cabral (a quem chama de Leidimar), chefe de fiscalização do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) no Tocantins, e chega a ameaçar um dos fiscais. Durante a conversa, Cabral promete que irá mudar o fiscal.

G1/TO

Homem em caminhonete roubada é morto após trocar tiros com a PM

Segundo corporação, motorista, ainda não identificado, não obedeceu ordem de parar e efetuou disparos contra os policiais, que revidaram. Caso aconteceu no Anel Viário, em Goiânia.

Um homem, ainda não identificado, morreu após ser baleado neste domingo (2), em Goiânia. Segundo a Polícia Militar, ele estava em uma caminhonete roubada e não obedeceu a ordem de parar, reagindo a abordagem com tiros. Os policiais revidaram e ele foi atingido.

O tiroteio ocorreu nas redondezas do Setor Parque Santa Rita, próximo ao Anel Viário. Durante a aproximação, o carro da PM bateu na traseira da caminhonete.

Ainda de acordo com a corporação, o veículo, modelo Ford Ranger, foi subtraído nesta manhã, no Bairro Goiá. Ao saber da ocorrência, a polícia intensificou o patrulhamento e localizou a caminhonete, momento em que houve o confronto. O resgate chegou a ser acionado, mas o homem não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

A PM informou que um Honda Civic, também roubado e utilizado no roubo da caminhonete, foi localizado abandonado no Setor Eli Forte.

G1/GO

Gestante entra na Justiça por edital do concurso da PM que considera gravidez como doença

Segundo a denúncia, candidata passou na prova objetiva, no teste de aptidão física, mas foi desclassificada pela Junta Médica por causa da gestação. Após denúncia, PM-GO mudou portaria.

Uma gestante alega que foi desclassificada do concurso da Polícia Militar de Goiás por estar grávida, segundo a Comissão Especial de Valorização da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Goiás (OAB-GO). O edital do processo seletivo considera a gravidez como “doenças do aparelho genito-urinário e mama”, o que inabilita o candidato.

“Por enquanto só uma foi desclassificada de fato. Ela entrou com recurso, foi negado. Ela contratou uma advogada e entrou com mandado de segurança no Poder Judiciário, mas ainda não foi apreciado”, disse a advogada Thais Moraes de Sousa, membro da comissão.

A previsão é de que o resultado do certame seja divulgado apenas no próximo dia 28. Porém, de acordo com Thais, a grávida soube da desclassificação pelo médico que a avaliou na Junta Médica.

Outras duas gestantes também acreditam que foram desclassificadas. “Elas souberam informalmente que haviam sido desclassificadas devido à gravidez, mas elas aguardam o resultado oficial do concurso para tomar medidas jurídicas cabíveis”, explicou Thais.

A advogada ressalta que tratar gravidez como doença incapacitante vai contra princípios fundamentais da Constituição Federal, como a igualdade entre homens e mulheres. Além disso, elas passaram pela prova objetiva e pelo Teste de Aptidão Física (TAP).

“Uma candidata grávida está numa situação transitória e ela não pode implicar a exclusão do concurso porque fere a legislação”, reforça.

De acordo com Thais, a OAB enviará um ofício para o governo para assegurar a dignidade da pessoa humana. A advogada ressalta que o concurso apresenta suposta discriminação por motivo de gênero.

“Primeiro, a quantidade de vagas oferecidas, são 80 cargos para oficial, sendo 72 para homes e 8 para mulher. Houve denúncia de muito excessos de aplicação do Teste de Aptidão Física, e, agora, a modulação da gravidez como doença capacitante”, enumera.

Procurado pela TV Anhanguera, o escritório que defende a gestante explicou que a advogada responsável pelo caso está em viagem.

Portaria alterada

A gravidez é considera doença no Anexo VII do edital 005/16. Em nota, a Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan) informou que a medida segue redação de Portaria da Polícia Militar, que rege as normas para inspeção de saúde.

De acordo com a secretaria, o Comando de Saúde da Polícia Militar alega que a “restrição ao ingresso de gestantes no curso preparatório para as carreiras militares visa preservar a saúde tanto da mulher quanto do feto, visto se tratar de atividade com alta exigência física e psicológica, que poderia colocar ambos em risco”. Porém, entende que “em hipótese nenhuma a gravidez pode ser classificada como doença”.

Assim, na manhã desta quinta-feira, o Comando Geral alterou a Portaria 8684, retirando o estado de gravidez como doença, segundo informou a assessoria de comunicação da PM.

A Segplan disse que retificará o edital de acordo com a nova redação da portaria.

O G1 entrou em contato, por e-mail, com a Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino e Assistência (Funrio), responsável pela aplicação das provas. Porém, a entidade não se posicionou até a publicação desta reportagem.

G1/GO

PM apreende menores suspeitos de usar máscara em roubos

Apreensão foi realizada em Dianópolis. Com a dupla, a polícia também apreendeu uma arma de fogo.

Polícia Militar apreendeu dois menores suspeitos de roubos em Dianópolis, na noite desta quarta-feira (20), por volta das 23h. Segundo a PM, eles usavam uma máscara para praticar os crimes. Com ele, também foi apreendida uma arma de fogo de fabricação artesanal, tipo garrucha, com munição.

Segundo a PM, os menores foram apreendidos quando se preparavam para realizar um novo ato infracional. Os jovens os materiais apreendidos foram levados para a Delegacia de Polícia de Dianópolis.

G1/TO

PM fica ferido após perder controle da direção e carro sair da pista

Acidente aconteceu na TO-404, a 15 km de Augustinópolis. Vítima Estava consciente, mas apresentava fratura, ferimento no crânio e escoriações no rosto.

 Um policial militar de 25 anos ficou ferido após o carro que ele dirigia sair da pista na TO-404, a 15 km de Augustinópolis. O acidente aconteceu na noite deste domingo (28), por volta das 19h49. Ele contou ao Corpo de Bombeiros, que perdeu o controle da direção.

Segundo os Bombeiros, a vítima que o nome ainda não foi divulgado foi encontrada fora do carro e havia saído por conta própria. Estava consciente, mas apresentava fratura, ferimento no crânio e escoriações no rosto. O PM foi levado para Hospital Regional de Augustinópolis.

G1/TO