Pai e filho são presos suspeitos de furtar gado em fazendas no Tocantins

Segundo a polícia, suspeitos eram considerados foragidos desde 2017. Dupla foi presa em Luzimangues, distrito de Porto Nacional, e levada para complexo de delegacias em Palmas.

Pai e filho foram presos pela Delegacia de Investigações Criminais (Deic) e Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE) suspeitos de furtar gado em fazendas do Tocantins. Eles foram detidos na manhã desta segunda-feira (9) e levados para o complexo de delegacias da Polícia Civil, em Palmas.

João Antônio da Silva, de 59 anos e João Antônio da Silva Júnior, de 36 anos, foram detidos por furto qualificado de gado e associação criminosa. Segundo a polícia, havia mandado de prisão contra eles desde 2017 e os dois eram considerados foragidos.

Eles teriam participado de um roubo a uma fazenda de Paraíso do Tocantins. Na época, foram furtados 19 gados da propriedade. O crime ocorreu em novembro de 2016 e os dois foram denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) no ano passado.

De acordo com o delegado Wanderson Chaves, da DEIC, o pai fazia um ‘estudo’ de quais fazendas eram mais vulneráveis e o filho realizava os furtos. Com os suspeitos a polícia encontrou um caminhão, um carro de passeio e duas armas.

“Estávamos há algum tempo na busca dos acusados e nesta manhã conseguimos capturá-los em uma fazenda próxima de Porto Nacional”, afirmou. Ainda de acordo com o delegado os dois não resistiram à prisão.

Os dois foram detidos na região do distrito de Luzimangues, distrito de Porto Nacional. A polícia ainda não sabe se o caminhão encontrado era usado por eles para o transporte do gado. Após serem ouvidos, os dois serão levados para a Casa de Prisão Provisória de Palmas.

O site ainda tenta contato com a defesa das vítimas.

Em Minaçú, pai é preso suspeito de matar filha de 3 anos com golpe de foice

Menina morava com a mãe e visitava o pai eventualmente. Familiares disseram à polícia que buscaram a criança pensando que animariam lavrador, que estava há três dias em suposto quadro de depressão.

Um lavrador de 27 anos foi preso na tarde desta terça-feira (29) suspeito de matar a própria filha, de 3 anos, com um golpe de foice na cabeça, em Minaçu, no norte de Goiás. A criança vivia com a mãe e visitava o pai eventualmente.

De acordo com a Polícia Civil, familiares disseram que Fabiano de Souza Medeiros estava há três dias dentro do quarto, em um suposto quadro de depressão, e que por isso buscaram a menina, pensando que iriam conseguir animá-lo.

O delegado André Luís Barbosa Campos Medeiros informou que o homem ficou calado durante depoimento. As motivações para o crime não foram identificadas. O suspeito não havia apresentado advogado até o final da tarde desta terça e foi encaminhado para a cadeia da cidade.

O lavrador Fabiano de Souza Medeiros, preso suspeito de matar a filha de 3 anos com golpe de foice, em Minaçu (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Ainda segundo a polícia, dois irmãos de Fabiano prestaram depoimento. Eles disseram que viram o momento em que o jovem pegou a foice, usada no trabalho, mas não imaginaram que ele agrediria alguém. Os irmãos também afirmaram que não têm conhecimento sobre se o rapaz usa drogas.

A polícia disse que Ana Julya brincava sentada no chão quando foi atingida. O suspeito também teria golpeado a própria mãe, com o cabo, no ombro. O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar foram acionados, mas as vítimas já haviam sido transportadas quando as equipes chegaram.

Fachada do Hospital Municipal de Minaçu, para onde menina de 3 anos foi levada após levar golpe de foice na cabeça (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

A criança não resistiu aos ferimentos e já chegou morta ao hospital. Já a avó recebeu atendimento e, de acordo com informações preliminares, está em estado de choque.

O corpo de Ana Julya vai ser levado para Porangatu, para o exame cadavérico. A mãe da criança e ex-mulher do suspeito precisou de atendimento médico após saber do ocorrido, informou a polícia.

Antes de estupro, adolescente liga para o pai e pede socorro

“Socorro, o tio está tentando me estuprar”, disse a menina no áudio.

Uma adolescente de 15 anos viveu momentos de pânico na noite desta quinta-feira (22). O tio dela, de 25 anos, tentou estuprá-la e a menina conseguiu, no momento do ato, ligar para o pai e pedir socorro.

O crime foi cometido em Taubaté, no interior de São Paulo.

Segundo informações do G1, a garota avisou, em áudio: “Socorro, o tio está tentando me estuprar”. A vítima lutou contra o tio, irmão do pai, e, enquanto o homem ia para casa socorrê-la, ela tentou se livrar do agressor. “Ele arrastou ela para a minha cama e tentou abusar dela”, contou o pai.

Apesar de ter fugido, o suspeito foi encontrado pela Polícia Militar na Vila de São José. “Ele disse que está arrependido, que é usuário de drogas, bebidas. Não houve conjunção carnal, mas houve estupro de acordo com a lei”, disse o policial militar Sidney Barbosa.

O homem foi levado para a delegacia da mulher e preso em flagrante por estupro. Ele pode pegar de oito a 12 anos de prisão.

Noticias ao Minuto

No Tocantins: Jovem é suspeito de matar o pai com martelo e enterrar o corpo no quintal de casa

Caso aconteceu em Araguatins. Segundo delegado, crime pode ter sido motivado por uma briga sobre o pagamento de pensão alimentícia.

Policiais Civis da 10ª Delegacia Regional de Araguatins, (10ª DRPC), coordenados pelo delegado Eduardo Nunes efetuaram, na noite da última segunda-feira (5), a prisão de Maxsuel dos Santos Bezerra, de 19 anos de idade.

Ele é o principal suspeito de matar o próprio pai no Tocantins e foi preso em flagrante, em Araguatins.

Conforme o delegado Eduardo, na tarde do dia (5), familiares de Pedro Pereira de Sousa procuraram a delegacia de Araguatins e registraram um Boletim de Ocorrência comunicando que o homem estava desaparecido, desde a última quinta-feira, 01.

De posse das informações até então colhidas, o Delegado Plantonista, Eduardo Nunes, coordenou uma equipe de policiais civis com o objetivo de efetuar diligências no intuito de encontrar o desaparecido ou então, identificar possível prática de crime.

Após a investigação, os policiais civis apuraram que o suposto responsável pelo sumiço de Pedro foi o seu filho, pois este se encontrava em posse da motocicleta e também do aparelho celular da vítima, desde a última quinta-feira, não apresentando justificativa plausível quanto à aquisição destes bens e o sumiço de seu pai.

Consta dos autos do inquérito policial que Maxsuel dos Santos Bezerra de Sousa (19 anos), em razão de desavenças com seu genitor (Pedro Pereira de Sousa) quanto ao pagamento de pensão alimentícia, resolveu dar cabo da vida deste, premeditando o crime.

Segundo as provas obtidas, Maxsuel esperou a vítima sair pela porta dos fundos do imóvel e desferiu um golpe de martelo na cabeça deste e, em seguida, o atingiu com golpes de faca em uma região próxima ao coração.

Diante da morte do pai, Maxsuel escondeu o corpo no imóvel e esperou anoitecer, sendo que mais tarde, arrastou o corpo para o quintal e o enterrou, bem como as armas utilizadas para cometer o homicídio.

Mediante os fatos, o Delegado lavrou a prisão em flagrante de Maxsuel Bezerra pela prática do crime de ocultação de cadáver e representou por outras medidas, junto ao Poder Judiciário.

Em razão do ocorrido, o suspeito foi recolhido à Cadeia Pública de Araguatins, local em que permanecerá à disposição da Justiça.

Corpo de Pedro Pereira foi encontrado no quintal da casa do filho (Foto: Divulgação)

gazetadocerrado

 

Adolescente de 16 anos é suspeito de atirar contra o próprio pai após discussão

Tentativa de homicídio foi na zona rural de Marianópolis do Tocantins. A mãe do menor disse à PM que o garoto tinha sido ameaçado pelo pai; adolescente fugiu com a arma.

Um lavrador de 39 anos foi atingido dentro de casa por um tiro nessa quarta-feira (31). Segundo a Polícia Militar (PM), o filho da vítima, um adolescente de 16 anos, foi quem atirou no homem após uma discussão.

O crime foi no assentamento Manchete, na zona rural de Marianópolis do Tocantins, na região central do estado.

Segundo a PM, a mãe disse que pai e filho começaram uma discussão por volta das 17h, quando o homem chegou do trabalho.

No mesmo instante o garoto foi até o quarto, pegou uma arma de fogo e atirou nele. O homem foi atingido no peito e no braço.

A mãe do adolescente disse à polícia que o garoto vinha sofrendo ameaças constantes. Moradores do assentamento informaram que a família é problemática.

Depois do crime, a vítima foi levada para o Hospital Regional de Paraíso do Tocantins e o adolescente fugiu levando a arma. O caso está sendo tratado como tentativa de homicídio.

A Secretaria de Saúde informou que o estado de saúde da vítima é estável.

G1 Tocantins/Imagem ilustrativa

Polícia suspeita que pai agrediu filha e causou incêndio que matou ambos dentro de casa em Goiás

Segundo os bombeiros, criança tinha lesão na cabeça. Parentes contaram que ele estava desempregado e se separou da madrasta da menina recentemente.

Polícia Civil suspeita que Carlos Alves Pereira de Calvares, de 48 anos, agrediu a filha Ana Júlia Calvares, de 9 anos, e, em seguida, causou o incêndio que resultou na morte dele e da menina, na casa em que moravam, em Goiânia.

Os parentes relataram aos policiais que o homem havia se separado da madrasta da criança há um mês e estava desempregado.

“O pai apresentava quadro depressivo, tinha acabado de se separar da mulher. A suspeita é de que ele deu uma pancada na cabeça da filha, ateou fogo na casa e, depois, se suicidou”, disse o delegado Douglas Pedrosa, titular da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios.

O fogo começou por volta das 11h30 de quarta-feira (27), no Parque Oeste Industrial. Vizinhos chamaram o Corpo de Bombeiros, que controlaram as chamas.

De acordo com a corporação, a menina teve 70% teve do corpo queimado e apresentava um traumatismo cranioencefálico. Ela chegou a ser socorrida, mas morreu a caminho do hospital. Já o pai morreu no local.

“O pai foi encontrado na porta do banheiro, e a criança dentro do banheiro, ambos inconscientes. Os dois foram reanimados, porém não se estabilizaram e vieram a óbito”, explicou.

Carlos Alves Pereira de Calvares é suspeito de causar o incêndio (Foto: TV Anhanguera/ Goiânia)

Os bombeiros também acreditam que o incêndio foi intencional. ” Nós não podemos afirmar com certeza, mas há indícios de que o incêndio foi criminoso, mas isso só pode ser identificado pela Polícia Técnico-Científica. Havia vários focos de incêndio, no quarto, na sala e na cozinha”, afirmou o tenente Danivaldo José Ferreira, do Corpo de Bombeiros, que atendeu à ocorrência.

Irmã de Carlos, Odaiza Pereira conta que vizinhos ouviram a sobrinha pedir ajuda. “A vizinha falou que a menina pediu socorro e, de repente, a menina calou. Os peritos viram o machucado na cabeça dela, a gente suspeita que ele bateu na cabeça, e ela demaiou”, relatou.

Os parentes tentam entender o que levou Calvares a cometer o crime. “Ele era uma pessoa que aconselhava tanto a gente quando a gente estava triste, ele conversava, dizia que Deus era dono de tudo e, de repente, acontece essa fatalidade”, lamenta a irmã.

Velório e enterro

Os corpos do pai e da filha são velados em locais diferentes. O velório da menina acontece em uma igreja da Vila Luciana. O enterro está previsto para acontecer a partir das 13h desta quinta-feira (28), no cemitério de Guapó, na Região Metropolitana de Goiânia.

Ana Júlia Calvares morre aos 9 anos (Foto: TV Anhanguera/ Reprodução)

Já o pai será velado a partir das 13h no Cemitério Parque. O enterro está previsto para ocorrer duas horas depois. 

G1 Goiás.

Pai e mãe são presos suspeitos de maus-tratos e estuprar filhas

O pai das garotas teria perdido a guarda delas, segundo a Polícia Militar.

Após ameaças de um casal ao Conselho Tutelar, um homem e uma mulher foram presos, nessa terça-feira (2), em Rondonópolis, a 218 quilômetros de Cuiabá, suspeitos de maus-tratos e estuprar as duas filhas, de 2 e 3 anos. O pai das garotas teria perdido a guarda delas, segundo a Polícia Militar.

De acordo com informações do G1, depois de as crianças serem atendidas em um posto médico, profissionais afirmaram que a de 3 anos sofreu estupro. Já na outra menina, sinais de abuso sexual. As duas vão passar por exames no Instituto Médico Legal (IML).

O pai e a mãe das crianças foram levados para a 1ª Delegacia da Polícia Civil de Rondonópolis, que vai abrir uma investigação sobre o caso. Elas estão sob os cuidados de um abrigo para crianças na cidade.

Noticias ao Minuto

 

Pai compra celular para filho, mas recebe pedaço de cerâmica no lugar

Vítima de golpe relata que percebeu que havia sido enganada ao chegar em casa e abrir caixa do produto. Aparelho seria presente de aniversário.

O almoxarife Francisco Souza Lira foi vítima de um golpe após comprar um celular e receber um pedaço de cerâmica no lugar, em Goiânia. O aparelho seria um presente de aniversário para o filho, que completou 15 anos. O homem não conseguiu encontrar o ambulante que ofereceu o produto.

Francisco contou que juntou dinheiro para comprar o aparelho e encontrou um vendedor ambulante que ofereceu o que parecia um bom negócio. “O rapaz estava com um celular exatamente do jeito que o meu filho queria e com um preço que dava para eu comprar. Eu falei que se ele quisesse, eu dava meu celular e uma parte em dinheiro”, contou.

Porém, na hora de receber o produto, foi vítima do golpe. “Na hora de me passar o celular, ele falou que tinha um rapaz me olhando. Eu olhei tinha um homem olhando. Levei um susto, achando que ele ia roubar todas as minhas economias”, contou. Ao sair correndo deixou a caixa do aparelho e pegou apenas uma pequena bolsa.

Ao abrir, em casa, viu que tinha apenas um pedaço de cerâmica dentro de uma capinha de celular. Francisco tentou voltar ao local onde conheceu o ambulante, mas o homem já não estava mais lá.

Após o golpe, ele procurou a Polícia Civil e registrou a ocorrência. Porém, nem tem mais esperança de recuperar o aparelho e o dinheiro. Porém, não vai desanimar em realizar o sonho do filho. “Vou ter que trabalhar de novo para dar o presente para o meu filho. Com a força de Deus, eu vou conseguir”, contou emocionado.

G1/GO

Pai vai com filha de 9 anos a encontro com pedófilo e suspeito é preso

O homem, de 47 anos, mandava mensagem assediando a criança.

Um homem de 47 anos foi preso em flagrante na tarde dessa terça-feira (23) após assediar uma criança de 9 anos por mensagens enviadas para o celular da vítima. O pai da garota, que descobriu o crime, compareceu, junto com a polícia, ao encontro marcado que o suspeito havia marcado com a menina, em Várzea Grande, na Grande Cuiabá.

“O pai procurou a delegacia sem saber o que fazer, afirmando que a filha iria se encontrar com um homem mais velho, que a levaria para um motel. O estupro foi impedido no último momento”, afirmou o delegado Cláudio Alvarez, em entrevista ao G1. Ele ainda acrescentou que o homem confessou o crime e sabia que se tratava de uma criança.

O encontro foi marcado em um local próximo à casa da vítima. Ele a aguardava em um carro quando a polícia chegou e o surpreendeu.

Troca de mensagens

Tudo começou quando o suspeito inciou uma conversa com a vítima pelo bate-papo do Facebook. Após trocar mensagens, pediu o número de telefone dela e a adicionou ao WhatsApp. “Queria uma ‘censual’, com menos roupa”, escrevia, constantemente, o homem para a garota. De acordo com a reportagem, nas conversas, ele chegou a pedir que a menina tomasse um anticoncepcional da mãe e que fosse sem calcinha ao encontro. 

Noticias ao Minuto

Pai apagava cigarros no rosto de filha mantida refém por dois anos

Jovem de 21 anos foi libertada na última quinta-feira (11) após operação da Polícia Militar.

Uma jovem de 21 anos de Mogi das Cruzes (SP) foi libertada na última quinta-feira (11) após passar dois anos em cárcere privado, em poder do próprio pai.

De acordo com informações do G1, a vítima estava trancada em uma casa trancada e sem iluminação, sem ter contato com outras pessoas. Ela disse que passava fome e tem diversas marcas de agressão pelo corpo, incluindo queimaduras de cigarro feitas pelo pai e a orelha esquerda deformada por facada.

A jovem contou que morava com o pai desde 2006, quando a mãe dela morreu, e que não vai à escola desde os 12 anos. O pai, um segurança de 46 anos, foi preso por sequestro e cárcere privado.

O homem afirmou que mantinha a filha refém para que ela não tivesse relações sexuais com estranhos.

A vítima não tem família e permaneceu na delegacia por não ter para onde ir. A jovem parecia confusa e manteve olhar distante durante o interrogatório. Ela deve ser encaminhada a um abrigo.

Uma das testemunhas, uma mulher de 25 anos, conta que o homem sempre foi muito agressivo e ameaçava as pessoas caso a polícia chegasse ao local. O dono do imóvel usado como cativeiro, de 52 anos, confirmou que a menina era mantida em condições desumanas na casa.

O caso foi registrado como sequestro e cárcere privado. O segurança foi preso e encaminhado para a cadeia de Mogi das Cruzes. A Defensoria Pública deve fazer a defesa do suspeito.

A Secretaria Municipal de Assistência Social informou que tomará todas as medidas de proteção à vítima por meio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social.

Noticias ao Minuto