Pai e filho são presos por tráfico após polícia encontrar maconha enterrada em quintal

Irmãos suspeitos de matarem o próprio pai são detidos durante operação em Marianópolis

Um dos irmãos é menor de idade e foi apreendido. Além deles, outro homem que é suspeito de ter ajudado no crime também foi preso.

Vanuza Pereira Nascimento foi presa e um adolescente de 17 anos, apreendido, nesta segunda-feira (17) em Marianópolis. Eles são suspeitos de matarem o próprio pai Neuracy Rodrigues do Nascimento. O crime ocorreu em agosto passado no Projeto de Assentamento Manchete. Além deles, também é suspeito de participação Edevaldo Ferreira dos Santos. A ação faz parte da Operação Labéu.

A vítima foi encontrada caída na sala da própria casa após ser atingido por um tiro na cabeça. O adolescente é apontado como o executor.

De acordo com o delegado Eduardo César de Menezes, responsável pela operação, no dia do crime, a mulher da vítima, Zilda Pereira Lira, disse à Polícia Militar, que o marido havia cometido suicídio.

“A Polícia Civil de Marianópolis, ao iniciar as investigações, descobriu que a intenção de Zilda, quando disse aos Policiais Militares que se tratava de um suicídio, era acobertar a conduta do filho de apenas 17 anos de idade”, disse.

Ainda acordo com o delegado, minutos antes da morte, teria ocorrido uma discussão entre Nascimento, Zilda e a Vanuza.

Durante a briga, Vanuza foi à casa de vizinhos e pediu uma faca emprestada. Sem sucesso, a suspeito procurou o irmão para que a ajudasse no crime. “J.P.N, ao ser acionado pela irmã, dirigiu-se à residência do pai e, atirou contra a cabeça do próprio pai”, afirmou.

Segundo as investigações, além dos dois irmãos, Santos auxiliou Vanuza e o adolescente no crime. Ele será encaminhado para a Casa de Prisão Provisória de Paraíso.

Vanuza irá para a Unidade Prisional Feminino de Palmas e o adolescente continuará apreendido no Complexo de Delegacias de Paraíso até ser identificado um espaço socioeducativo de cumprimento de pena.

Mulher teria discutido com pai antes do crime — Foto: Dennis Tavares/SSP/Divulgação

Operação

O título da operação é sinônimo de indignidade, instituto previsto no Código Civil Brasileiro que, como forma de punição, exclui da linha sucessória os herdeiros que atentam contra vida de seus ascendentes.

A operação contou com o apoio das 1ª, 2ª e 3ª Delegacias de Polícia Civil de Paraíso, Delegacias Especializadas em Atendimento à Mulher e da Criança e Adolescente de Paraíso, Delegacias de Polícia de Divinópolis, Lagoa da Confusão, Cristalândia e Pium, Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE) e Centro Integrado de Operações Aéreas – CIOPAER.

Pai do vereador Osvaldinho de Jaú do Tocantins completa 90 anos

Patriarca de tradicional família, celebra 90 anos com “muito vigor”

O senhor Agripino Pereira dos Santos, completou 90 anos com uma belíssima festa preparada por seus familiares. A importante data foi festejada no sábado (8) com almoço para familiares e inúmeros amigos.

 

A noite foi a continuação da comemoração deste importante momento de júbilo, com direito a bolo, um delicioso jantar e muita música em sua residência na zona rural de Jaú. 

Ao lado de sua inseparável esposa dona Elvira Mendes de 76 anos, ouviu mensagens de fé e histórias contadas por membros da família e alguns amigos que mostraram um pouco da trajetória do grande cidadão.

 

Nasceu na Bahia e si mudou para o município de Porangatu Goiás ainda pequeno onde constituiu família. Em maio de 1993, mudou para Jaú do Tocantins, onde vive até hoje.

Ao lado do filho mais velho Osvaldo Mendes (Osvadinho)

Ao usar a palavra, seu filho mais velho Osvaldinho que é vereador em Jaú, emocionado! agradeceu a todos que estavam ali prestigiando o momento de festa junto com seu pai e sua mãe. Falou da generosidade de Deus para com seus familiares no quesito longevidade. “Em nossa família viver até os 90 ou mais é uma benção de Deus. Olha aqui meu pai com 90, graças à Deus lúcido e com saúde “, afirmou.

Seu Agripino e dona Elvira constituíram uma bela família tendo dez (10) filhos, sendo sete (7) mulheres e três (3) homens. Netos, bisnetos e tataranetos (não soube explicar exatamente quantos).

 

Ele radiante nos contou que ainda cavalga, tira leite das vacas e ajuda no plantio de milho. Um homem respeitado na região e que tem a casa sempre cheia de amigos e familiares.

Momento das homenagens com a filha Maria Mendes, advogada.
Com sua esposa Elvira e ao lado do prefeito de Jaú do Tocantins, Onassys Moreira
Amigos da família, advogado Flávio Gonçalves, sua esposa Dr. Flávia Prado e parentes Da redação

Pai admite à Polícia Civil ter arremessado filho na parede, mas afirma que não tinha intenção de matá-lo

Jovem também disse em depoimento à corporação que se arrepende do que fez. Crime ocorreu na casa da família, em Aparecida de Goiânia.

O pai do bebê Davi Lucas Alves da Silva, de apenas 54 dias de vida, disse em depoimento à Polícia Civil que não teve intenção de matar o filho ao jogá-lo contra a parede, no Setor Expansul, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Ele está preso pelo crime. A corporação ainda tenta entender a motivação do crime.

“Ele disse que estava bêbado e irritado com a esposa durante uma discussão, pegou a criança e a jogou na cama, mas que o filho acabou batendo a cabeça na parede”, disse o delegado Henrique Berocan, que assumiu o caso nesta segunda-feira (3).

Walyson Alves Lima, de 27 anos, foi preso em flagrante. Ele foi indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil e sem chance de defesa a vítima. Segundo a polícia, o jovem já tem passagens por furto e lesão corporal, mas não contra alguém da família.

“A mãe da criança também defendeu o companheiro. Ela disse que ele não teve intenção de matar a criança e nunca tinha agredido as crianças”, completou o delegado.

Até a tarde desta segunda-feira, quatro testemunhas haviam sido ouvidas. O delegado disse ainda que restam poucas informações a serem esclarecidas. Entre elas, a motivação da briga com a esposa e a razão pela qual jogou a criança contra a parede.

O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) informou ao site que o suspeito passou por audiência de custódia e que a prisão em flagrante foi convertida em prisão preventiva. Assim, ele deve continuar na prisão até a conclusão do processo.

Delegacia especializada em Aparecida de Goiânia (Foto: Vitor Santana/G1)Delegacia especializada em Aparecida de Goiânia (Foto: Vitor Santana/G1)

Delegacia especializada em Aparecida de Goiânia (Foto: Vitor Santana/G1)

Morte de bebê

O bebê morreu na noite do último sábado (1º), na residência onde o casal mora, no Setor Expansul. O Corpo de Bombeiros chegou a socorrê-lo e levá-lo para Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Brasicon, mas ele não resistiu aos ferimentos.

A conselheira tutelar Liliane Alves, que acompanhou o caso, disse que o suspeito confessou o crime e se espantou com a frieza. Ele está detido no 1º DP de Aparecida de Goiânia.

O bebê que morreu tem um irmão gêmeo que está internado no Hospital Materno Infantil (HMI), em Goiânia. De acordo com a TV Anhanguera, a unidade não informou o motivo da internação, mas a família disse que está relacionado com complicações do parto.

Casa onde pai teria arremessado criança contra parede em Aparecida de Goiânia (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)Casa onde pai teria arremessado criança contra parede em Aparecida de Goiânia (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

Casa onde pai teria arremessado criança contra parede em Aparecida de Goiânia (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

G1 Tocantins.

Em Goiás, pai é preso suspeito de matar bebê de 1 mês de vida ao arremessá-lo contra a parede

Segundo a Polícia Civil, jovem de 27 anos estava bêbado, discutia com a mulher e, após ver a criança chorar, ficou irritado e cometeu o crime. Bebê chegou a ser levado para a UPA, mas estava sem vida.

Um jovem 27 anos foi preso, no sábado, suspeito de matar o próprio filho, um bebê de 1 mês de vida, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. De acordo com a Polícia Civil, o pai estava ingerindo bebida alcoólica, ficou irritado com o choro da criança e a jogou contra a parede, fazendo com que ela caísse no chão desacordada.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para socorrer o bebê. Ele foi levado para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Brasicon, na cidade, mas não resistiu aos ferimentos e a morte foi constatada na unidade de saúde.

O site não conseguiu localizar a defesa do jovem para comentar a prisão.

O caso ocorreu por volta das 22h de sábado, na casa em que a família mora, próximo ao Centro de Aparecida de Goiânia. Conforme a Polícia Civil, o pai estava bêbado quando começou a discutir com a mulher, mãe da criança. O bebê começou a chorar e ele, em um ataque de fúria, cometeu o crime.

O jovem foi preso em flagrante pela Guarda Civil Metropolitana de Aparecida de Goiânia, na UPA, e foi encaminhado ao 1º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia, onde foi autuado por homicídio qualificado por motivo fútil.

O corpo do bebê foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Aparecida de Goiânia e, às 7h30 deste domingo, já havia sido liberado à família.

G1 Tocantins.

Pai suspeito de estuprar filha desmaiada em Tocantins, é preso após fugir para o Maranhão

Garota contou que acordou durante o estupro e conseguiu fugir. Caso aconteceu na zona rural de Campos Lindos, há uma semana.

O pai suspeito estuprar a própria filha de 16 anos em Campos Lindos, norte do Tocantins, foi preso nesta quarta-feira (29) pela Polícia Civil. A jovem contou que foi abusada após ser agredida e desmaiar.O crime aconteceu no último dia 18 de agosto.

O homem foi detido após um mandado de prisão ser emitido pela Justiça de Goiatins. Segundo a Polícia Civil, ele foi encontrado em Carolina (MA) e preso pela Polícia Militar daquele estado.

O suspeito está sendo transferido por policiais do Tocantins e será levado para Araguaína, norte do estado. Ainda conforme a polícia, a jovem passou por exame pericial, mas o material recolhido foi enviado para Palmas e o resultado ainda não ficou pronto.

O crime

Conforme a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a jovem foi agredida na noite de sábado (18) com um soco e ficou desacordada. Quando retomou a consciência, ela encontrou o suspeito praticando ato sexual. O caso aconteceu em uma chácara na zona rural de Campos lindos.

A adolescente conseguiu fugir do pai vestindo apenas uma blusa e se escondeu no mato até o dia amanhecer. Já na manhã de domingo (19), ela pediu ajuda para a moradora de uma chácara vizinha.

A garota foi levada para Araguaína, onde prestou depoimento e passou por exame de conjunção carnal. Ainda conforme a Polícia Civil, a menor contou que o pai era uma pessoa agressiva e constantemente agredia a mulher dele.

G1 Tocantins.

Pai é preso suspeito de estuprar a filha de oito anos no Tocantins

Vítima contou aos conselheiros tutelares que acordava com ele tocando as partes íntimas dela. Denúncia foi feita pelo avô paterno da menina, que é pai do suspeito.

Um homem de 38 anos foi preso em Nova Olinda, norte do Tocantins, suspeito de abusar sexualmente da filha de apenas oito anos de idade. Segundo a Polícia Civil, a menina sofreu quatro ataques do homem. Ela disse aos conselheiros tutelares da cidade que acordava com o pai dentro do quarto, tirando a roupa e tocando as partes íntimas dela.

Segundo a Polícia Civil, no último abuso a menina saiu correndo nua pela casa, gritando por ajuda. O avô paterno, pai do suspeito, socorreu a menina e procurou o Conselho Tutelar.

O homem teve a prisão preventiva decretada pela Justiça e foi encontrado perto de um posto de gasolina na cidade. Ele não resistiu a prisão, mas negou as acusações durante o depoimento. Segundo o delegado, o homem admitiu apenas que dormia no mesmo quarto da filha.

O homem está sendo transferido para a Casa de Prisão Provisória de Araguaína. O inquérito ainda está em andamento, mas a polícia informou que se ele for condenado a pena pode passar de 15 anos de prisão.

G1 Tocantins.

Pai é suspeito de torturar filho de 7 meses

Caso teria ocorrido na Comunidade rural de Vila Amazônia.

Um homem de 24 anos é suspeito de torturar o próprio filho, um bebê de 7 meses, na cidade de Parintins, interior do Amazonas. Os maus-tratos teriam ocorrido para intimidar a companheira de 17 anos, que afirma também ser vítima de agressões. A Polícia Civil pediu à Justiça o pedido de prisão preventiva contra o homem.

A polícia tomou conhecimento da situação na manhã de domingo (19), após a companheira do infrator conseguir fugir com o filho e buscar ajuda junto a representantes do Conselho Tutelar do município. Em seguida, a adolescente e o bebê foram conduzidos até a delegacia, onde foi formalizada a ocorrência. O caso ocorreu Comunidade rural de Vila Amazônia, onde a família da criança mora.

Segundo as investigações policiais, as torturas foram feitas para intimidar a mãe da criança, uma jovem de 17 anos.

A polícia informou que adolescente relatou, na unidade policial, que o infrator é usuário de drogas e vinha torturando o próprio filho desde que o bebê tinha dois meses.

“Levamos a criança até a unidade hospitalar, onde está se recuperando das lesões ocasionadas por mordidas. Os procedimentos no Instituto Médio Legal (IML) constataram a violência e iniciamos as diligências para encontrar o infrator”, explicou a delegacia Especializada de Polícia (DEP) de Parintins, sob o comando da delegada Alessandra Trigueiro, por meio da assessoria.

A adolescente afirmou, ainda, que o homem morde o próprio filho e já tentou sufocar o bebê.

Policiais Civis realizaram buscas na casa da mãe do infrator, mas não o encontraram. Segundo a assessoria da Polícia Civil, ele se apresentou espontaneamente na delegacia na segunda (20).

Ainda conforme a polícia, ele nega ter torturado o filho e argumentou que as lesões na criança foram provocadas por uma queda.

O homem foi liberado após prestar esclarecimentos e ser indiciado por tortura e violência doméstica, já que não havia situação de flagrante.

Ele possui passagem pela polícia por homicídio e violência doméstica. A autoridade policial relatou que o homicídio ocorreu no dia 25 de dezembro de 2017.

G1 Tocantins.

Adolescente de 16 anos é estuprada pelo pai após ser agredida e desmaiar

Caso foi registrado na zona rural de Campos Lindos, na região norte do Tocantins. Garota passou por exame de conjunção carnal e suspeito ainda não foi encontrado pela polícia.

Uma adolescente de 16 anos foi estuprada pelo próprio pai na zona rural de Campos Lindos, norte do Tocantins, durante o fim de semana. Conforme a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a jovem foi agredida com um soco e ficou desacordada. Quando retomou a consciência, ela encontrou o suspeito praticando ato sexual.

Conforme a polícia, o crime aconteceu na noite de sábado (18). A adolescente conseguiu fugir do pai vestindo apenas uma blusa e se escondeu no mato até o dia amanhecer. Já na manhã de domingo (20), ela pediu ajuda para a moradora de uma chácara vizinha.

A garota foi levada para Araguaína, onde prestou depoimento e passou por exame de conjunção carnal. Ainda conforme a Polícia Civil, a menor contou que o pai era uma pessoa agressiva e constantemente agredia a mulher dele.

A Polícia Militar fez buscas pelo suspeito, mas não conseguiu encontrá-lo até o momento.

G1 Tocantins.

Mãe de bebê internado com perna quebrada e boca queimada registra queixa contra o marido e é levada para abrigo

Pai da criança é o principal suspeito do crime; criança, de 4 meses, está internada em estado grave na UTI de hospital da capital.

A mãe do bebê de 4 meses, completados nesta quarta-feira (15), que está internado com a perna quebrada e a boca queimada registrou uma ocorrência na Polícia Civil contra o marido, pai da criança e suspeito do crime. A queixa é pelo crime de injúria, uma vez que ela alega ter sido xingada por ele. Diante da situação, a mulher, de 26 anos, foi levada para um abrigo de Goiânia.

O menino está internado no Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol). Segundo boletim divulgado nesta tarde, o quadro dele é considerado grave e ele respira com ajuda de aparelhos. Ele está em um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

De acordo com a delegada Ana Elisa Gomes, titula da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), onde o ocorrência foi registrada, a mulher afirmou ter sido chamada de “vagabunda e peste”.

“Registramos pelo crime de injúria, mas ela não pediu medida protetiva contra o companheiro. Como ela não tem parentes em Goiânia, nós a encaminhamos para um abrigo”, disse ao G1.

A jovem estava acompanhada da conselheira tutelar Rosimeire Fernandes Gomes, monitora o caso. O casal vivia junto há apenas quatro meses, no Condomínio da Esmeraldas. Ela já estava grávida e o homem registrou o filho.

“Ela já tinha dito que ele era agressivo e nervoso com ela, que tinha medo dele. Por medo, ela resolveu pedir ajuda e a melhor solução foi abrigá-la”, afirma.

Após ser socorrido, bebê foi levado para hospital, onde está internado em estado grave (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Após ser socorrido, bebê foi levado para hospital, onde está internado em estado grave (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Após ser socorrido, bebê foi levado para hospital, onde está internado em estado grave (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Lesões do bebê

As lesões provocadas no bebê são investigadas pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). Conforme a delegada Tereza Daniela Nunes, a mãe e a conselheira tutelar já foram ouvidas. Novas testemunhas serão inquiridas. Já pai do bebê será o último a prestar depoimento.

O bebê foi internado a segunda-feira (13), desnutrida, com uma das pernas quebrada e com queimaduras na boca e laringe. A mulher afirmou que o marido já tinha “arranhado” o rosto do filho.

O caso chegou ao conhecimento da polícia depois que os próprios pais levaram a criança para ser atendida na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Buriti Sereno, em Aparecida de Goiânia. Após avaliação, a equipe médica suspeitou que o bebê estava sofrendo maus-tratos, acionou a Guarda Civil Metropolitana, que levou o caso para o Conselho Tutelar e à Polícia Civil.

O bebê já havia ficado internado na UPA por 20 dias no mês de julho, com problemas respiratórios. Desta vez, além de constatar as queimaduras na boca e laringe, os médicos fizeram um exame de Raio X que mostra a fratura na perninha esquerda do bebê.

Após o início da investigação do caso, o bebê ficou sob responsabilidade do Conselho Tutelar até que a Justiça determine de quem é a guarda da criança.

G1 Tocantins.