Polícia investiga estupro após bebê morrer em hospital com intestino perfurado

Segundo informações preliminares da Secretaria de Segurança Pública (SSP), a menina teve o intestino perfurado e há suspeita de que tenha sido estuprada.

A Polícia Civil está investigando nesta terça-feira (3) a morte de um bebê de 1 ano e 11 meses no hospital de Colinas do Tocantins, na região norte do estado. Segundo informações preliminares da Secretaria de Segurança Pública (SSP), a menina teve o intestino perfurado e há suspeita de que tenha sido estuprada, devido apresentar hematomas nas partes íntimas.

De acordo com a polícia, a vítima morava em Couto Magalhães. A criança foi levada ao hospital de Colinas na noite desta segunda-feira (2) e morreu durante a madrugada de terça-feira (3).

A SSP não informou quem levou o bebê para o hospital para não atrapalhar o trabalho dos investigadores. A investigação está sendo feita pela delegacia de Colinas do Tocantins e buscas estão sendo feitas em Couto Magalhães.

G1 Tocantins.

Governador do TO depõe em operação da PF que investiga pontes superfaturadas

Operação ‘Pontes de Papel’ apura desvio de dinheiro em construção de obras públicas. Ex-governador Siqueira Campos também foi intimado para prestar depoimento.

Adolescente de 15 anos morre com tiro na cabeça no Tocantins

Após o disparo, Bruno foi encaminhado ao Hospital Regional de Paraíso ainda com vida, mas morreu.

Bruno Almeida da Silva, de 15 anos, morreu na última segunda-feira, 4, em Marianópolis, após ser atingido com um disparo de arma de fogo na cabeça. O caso é investigado pela Polícia Civil, que apura se a vítima e um grupo de amigos, também adolescentes, estariam fazendo “roleta-russa”.

Conforme depoimento de um jovem de 17 anos, o grupo de amigos estava em uma casa e Bruno teria supostamente pedido para ver a arma, quando o revólver disparou. O jovem que levou à arma ao local fugiu, mas se apresentou à delegacia no mesmo dia.

Após o disparo, Bruno foi encaminhado ao Hospital Regional de Paraíso ainda com vida, mas morreu.

T1noticias

Polícia investiga morte de idosa encontrada queimada

A principal suspeita é que a produtora rural de 91 anos tenha encostado a roupa de frio nas chamas do fogão.

Polícia Civil investiga a morte da produtora rural Doroty Leão Barros, de 91 anos, que foi encontrada queimada na casa onde morava, na zona rural de Rio Verde, no sudoeste de Goiás. A principal suspeita é que tenha acontecido um acidente doméstico enquanto ela cozinhava.

Segundo familiares, a idosa morava na fazenda junto com um funcionário. Na noite de segunda-feira (17), por conta do frio, ela estava usando muitos agasalhos e acabou enconstando parte da roupa nas chamas do fogão sem perceber.

“Foi um acidente doméstico que aconteceu com ela. Tem lá vinte e tantos netos, filhos, genros, amigos, por perto e ela preferia ir para a cozinha, deixar o povo a vontade se deliciando com as coisas maravilhosas que ela fazia”, disse o filho Lázaro Leão Barros.

A delegada Taisa Antonelo, responsável pelo caso, diz que a investigação aponta realmente, a princípio, para um acidente.

“Essa senhora estava com muitas roupas de frio, chegou perto do fogão, provavelmente as chamas vieram até a roupa e como se trata de uma pessoa idosa, ela não teve a agilidade necessária para tirar as roupas para conseguir apagar. Assim que viu as chamas, a testemunha correu ao local para tentar oferecer socorro, mas a vítima já tinha vindo a óbito”, explicou.

G1/GO