Adolescente de 15 anos morre com tiro na cabeça no Tocantins

Após o disparo, Bruno foi encaminhado ao Hospital Regional de Paraíso ainda com vida, mas morreu.

Bruno Almeida da Silva, de 15 anos, morreu na última segunda-feira, 4, em Marianópolis, após ser atingido com um disparo de arma de fogo na cabeça. O caso é investigado pela Polícia Civil, que apura se a vítima e um grupo de amigos, também adolescentes, estariam fazendo “roleta-russa”.

Conforme depoimento de um jovem de 17 anos, o grupo de amigos estava em uma casa e Bruno teria supostamente pedido para ver a arma, quando o revólver disparou. O jovem que levou à arma ao local fugiu, mas se apresentou à delegacia no mesmo dia.

Após o disparo, Bruno foi encaminhado ao Hospital Regional de Paraíso ainda com vida, mas morreu.

T1noticias

Polícia investiga morte de idosa encontrada queimada

A principal suspeita é que a produtora rural de 91 anos tenha encostado a roupa de frio nas chamas do fogão.

Polícia Civil investiga a morte da produtora rural Doroty Leão Barros, de 91 anos, que foi encontrada queimada na casa onde morava, na zona rural de Rio Verde, no sudoeste de Goiás. A principal suspeita é que tenha acontecido um acidente doméstico enquanto ela cozinhava.

Segundo familiares, a idosa morava na fazenda junto com um funcionário. Na noite de segunda-feira (17), por conta do frio, ela estava usando muitos agasalhos e acabou enconstando parte da roupa nas chamas do fogão sem perceber.

“Foi um acidente doméstico que aconteceu com ela. Tem lá vinte e tantos netos, filhos, genros, amigos, por perto e ela preferia ir para a cozinha, deixar o povo a vontade se deliciando com as coisas maravilhosas que ela fazia”, disse o filho Lázaro Leão Barros.

A delegada Taisa Antonelo, responsável pelo caso, diz que a investigação aponta realmente, a princípio, para um acidente.

“Essa senhora estava com muitas roupas de frio, chegou perto do fogão, provavelmente as chamas vieram até a roupa e como se trata de uma pessoa idosa, ela não teve a agilidade necessária para tirar as roupas para conseguir apagar. Assim que viu as chamas, a testemunha correu ao local para tentar oferecer socorro, mas a vítima já tinha vindo a óbito”, explicou.

G1/GO