Indígena morre e outras três pessoas ficam feridas após colisão entre motos e carro

Acidente aconteceu no setor Santa Fé II, na região sul de Palmas. Testemunhas contaram à Polícia Militar que motocicletas estavam em alta velocidade e bateram de frente com carro.

Um jovem morreu e outras três pessoas ficaram feridas após um acidente envolvendo duas motos e um carro na região sul do Palmas. Conforme o Corpo de Bombeiros, o acidente aconteceu por volta das 23h desta sexta-feira (31) na avenida Perimetral Norte, no setor Santa Fé II. O jovem que morreu é Gustavo Mancraua Alves Karajá, de 19 anos.

Ainda segundo a Polícia Militar, testemunhas contaram que as duas motocicletas trafegavam em alta velocidade e ao tentar fazer uma ultrapassagem acabaram colidindo entre si. Depois, caíram na pista e bateram de frente com um carro que seguia no sentido contrário.

Gustavo Karajá ficou embaixo do carro e morreu no local. As outras vítimas tiveram ferimentos graves e foram levadas ao Hospital Geral de Palmas pelos Bombeiros e Samu. O local foi periciado e o caso será repassado para a Polícia Civil.

G1 Tocantins.

Indígena morre após perder controle de moto em avenida e bater em poste

Acidente aconteceu durante a madrugada em Araguaína, norte do Tocantins. Segundo a PM, testemunhas contaram que o indígena estava em alta velocidade.

Um indígena morreu na madrugada desta segunda-feira (9) após bater a motocicleta que dirigia em um poste. O acidente aconteceu na avenida Cônego João Lima, no setor entroncamento, em Araguaína, norte do Tocantins. Orlando Marruamiwiri Achure Karaja, de 35 anos, morreu no local.

Conforme a Polícia Militar, o acidente aconteceu por volta de 1h50. Testemunhas contaram que a vítima estava trafegando em alta velocidade e uma motocicleta, mas perdeu o controle e bateu em um poste da iluminação pública.

O Samu ainda foi chamado, mas apenas constatou a morte. Ainda conforme a PM, a perícia esteve no loca e o corpo foi levado para o IML. A motocicleta teve apenas pequenos danos.

O corpo do indígena já foi liberado.

G1 Tocantins.

Morte de indígena é a primeira por febre amarela confirmada no TO em 2018

Indígena morreu em uma aldeia na zona rural de Tocantínia, região central do estado. Outros cinco casos da doença estão sendo investigados pela Secretaria de Estado da Saúde.

Foi confirmada nesta semana a primeira morte por febre amarela em humano, em 2018. A vítima é um indígena que morava em uma aldeia na zona rural de Tocantínia, na região central do estado. A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde nesta quarta-feira (27).

No primeiro semestre deste ano, foram 22 casos suspeitos da doença notificados em todo o estado. Até o momento, 16 foram descartados e cinco continuam sob investigação.

Em 2017, outra morte pela doença foi registrada em Xambioá, na região norte do estado. Antes disso, o estado não tinha uma morte pela doença há 17 anos.

O G1 ligou para a Prefeitura de Tocantínia e para o prefeito questionando se alguma medida específica será tomada a partir da confirmação, mas as ligações não foram atendidas. A Secretaria de Estado da Saúde também foi questionada e ainda deve se posicionar.

Estão sendo investigados casos de febre amarela em:

  • Palmas
  • Peixe
  • Gurupi
  • Ponte Alta do Bom Jesus
  • Sandolândia

Casos em macacos

Conforme o levantamento da Secretaria de Saúde, entre dezembro de 2017 e junho de 2018, foram notificadas 51 casos de mortes de macacos, eventos chamados de epizootias. Quatro permanecem em investigação e dois animais testaram positivo para a doença, em Porto Nacional e Palmas.

Apesar de notificados, muitos casos acabam não sendo investigados. A morte dos macacos é considerada um evento sentinela que pode indicar a circulação do vírus por uma região.

Em Palmas, o animal que tinha a doença foi encontrado em área verde próximo ao Parque Cesamar, em janeiro. O macaco não transmite o vírus para os seres humanos. A transmissão é feita por mosquitos.

 G1 Tocantins.