Temer tem pior índice de candidato à reeleição e seu apoio afastaria 86% de eleitores

Em todos os cenários em que Michel Temer aparece como candidato, sua intenção de voto varia entre 1% e 2%.

O candidato que receber o apoio público do presidente Michel Temer (MDB) — caso ele mesmo não concorra à reeleição — pode não contar com os votos da grande maioria do eleitorado brasileiro. É o que mostra a última pesquisa Datafolha sobre as intenções de voto para a Presidência da República nas eleições deste ano, divulgada neste domingo, 15, pelo jornal Folha de São Paulo.

A pesquisa foi realizada de quarta-feira, 11, a sexta-feira, 13, com 4.194 entrevistas em 227 municípios, com margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo com a pesquisa, questionados se votariam em um candidato apoiado pelo atual presidente, 86% dos entrevistados disseram que não. Outros 9% responderam que talvez votassem na indicação de Temer, e apenas 3% votariam com certeza em seu apoiado. Outros 2% não souberam responder.

O resultado de Temer é o pior entre três apoios analisados na pesquisa: o Datafolha também perguntou se os eleitores votariam em um candidato apoiado pelos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

No caso do petista – que inclusive foi testado em três cenários de intenções de votos e liderou todos -, 30% com certeza votariam em seu candidato e 16% talvez votassem. No universo de eleitores pesquisados, 52% não votariam na indicação de Lula. No caso do tucano, 66% não votariam em seu candidato, 21% talvez votassem e 10% com certeza votariam.

Presidente alcança 2% das intenções de voto

Em todos os cenários em que Michel Temer aparece como candidato, sua intenção de voto varia entre 1% e 2%. Desde que a reeleição foi estabelecida no Brasil, durante o primeiro mandato de FHC (de 1995 a 2002), nenhum presidente pré-candidato a um novo mandato apareceu nas pesquisas de março ou abril do ano do pleito em situação tão precária quanto as experimentadas agora por Temer.

Segundo o Datafolha, Dilma Rousseff (PT) chegou em abril de 2014, ano que disputaria a reeleição, com 37% das intenções de voto. Antes dela, Lula chegou a abril no ano da reeleição, 2006, com 40%, também segundo o Datafolha na época. Com Fernando Henrique Cardoso foi parecido, e ele entrou em abril de 1998 com 34% das intenções de voto. Os três conseguiram se reeleger.

MDB ainda não decidiu se lança Temer (e) ou Meirelles à Presidência

Aliados avaliavam, reservadamente e em declarações na imprensa, que Temer sentia-se confiante com a recuperação de indicadores da economia, que apontam retomada do crescimento. Ele acreditava também que a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, entregue à responsabilidade do Exército, refletiria positivamente nas pesquisas e ajudaria Temer a alavancar suas intenções de voto.

Este foi o primeiro levantamento do Datafolha sobre a corrida presidencial depois da intervenção, que completou um mês no dia 18 sem resultados de impacto.

Apesar do interesse publicamente manifestado em tentar a reeleição, Temer ainda não foi oficializado pelo MDB como pré-candidato e enfrenta a concorrência de seu ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que se filiou ao partido para tentar disputar o Planalto. Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo neste domingo, Meirelles reiterou que não quer ser vice em uma eventual chapa encabeçada por Temer.

MP do Tocantins obtém melhor índice no ranking do Planejamento Estratégico Nacional do Ministério Público

No MPTO, o Planejamento Estratégico foi criado em 2010.

O Ministério Público do Estado do Tocantins (MP/TO) alcançou qualificação máxima no ranking nacional que avaliou o cumprimento do Planejamento Estratégico Nacional do Ministério Público.

O Radar Estratégico é um instrumento de pesquisa desenvolvido pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que monitora os avanços institucionais da área de planejamento e gestão estratégica das unidades e ramos do Ministério Público em todo o Brasil.

O MP/TO está em um seleto grupo de estados que atendeu entre 95% e 100% dos quesitos analisados pelo CNMP, recebendo o nível “Excelente”. Para a realização da pesquisa, foram definidos cinco itens de avaliação (excelente, ótimo, bom, regular e insuficiente) que seguem um percentual variável de até 100% para as análises de dados relacionados às metas, ações e resultados alcançados pelas unidades e ramos do Ministério Público.

“Este reconhecimento nacional do trabalho desenvolvido pela equipe do Ministério Público do Tocantins reforça que estamos no caminho certo. Contamos com uma comissão permanente de gestão da estratégia que tem como finalidade desenvolver, orientar, acompanhar e avaliar as atividades de planejamento estratégico, promoção institucional, articulação de políticas públicas e sociais, inteligência e segurança. O resultado, na prática, é um Ministério Público mais ágil, menos burocrático e mais efetivo no atendimento às necessidades da sociedade”, comentou o Procurador-Geral de Justiça do Estado do Tocantins, Clenan Renaut de Melo Pereira.

No MPTO, o Planejamento Estratégico foi criado em 2010 e é gerido pela Comissão Permanente de Gestão Estratégica do MP/TO, composta pela chefia de gabinete da PGJ, pela assessoria especial do PGJ, chefia de gabinete da Corregedoria-Geral, pela coordenação do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional, coordenação do Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional, pela diretoria-geral do MPTO, e ainda pelos chefes da Assessoria de Comunicação, da Controladoria Interna, do Departamento de Planejamento e Gestão, do Departamento de Gestão de Pessoas e Folha de Pagamento, do Departamento de Finanças e Contabilidade, do Departamento Administrativo e do Departamento de Modernização e Tecnologia da Informação. 

Assessoria de Comunicação do MPE-TO

Audiência Pública: Palmeirópolis classificada como um dos municípios tocantinense com alto índice de trabalho infantil

Palmeirópolis recebeu audiência pública ontem para falar sobre erradicação do trabalho infantil.

Visando mudar esta realidade e articular o debate entre entidades e a sociedade civil, a Secretaria do Trabalho e Assistência Social (Setas) em parceria com o Fórum Tocantinense de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Promoção da Aprendizagem (Fetipa) realizaram Audiência Pública com a temática nesta terça-feira, 22, em Palmeirópolis.

Com 84 casos identificados pelo Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Palmeirópolis, a 440km de Palmas, ficou classificada como um dos municípios tocantinense com alto índice de trabalho infantil.

Crianças e jovens também estiveram presente no evento, por meio da apresentação cultural da Rede do Bem e na presença da pequena Halana Gabriela, que com apenas oito anos, superou a timidez e frisou os direitos garantidos no Estatuto da Criança e do Adolescente. “Queremos com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária. Diga não ao trabalho infantil”, citou.

 Segundo o prefeito da cidade, Fabio Vaz, a realização da Audiência Pública funciona como um novo despertar para a preocupação com o trabalho infantil. “Participar deste debate nos deixa inquietos e faz com que queiramos desenvolver um trabalho cada vez melhor. Não podemos apenas cobrar, mas precisamos oportunizar espaços para que os jovens tenham acesso à cultura, esporte e lazer. Estamos fazendo isto e pretendemos evoluir cada vez mais”, disse comentando que Palmeirópolis conta com o Projeto Rede do Bem, que atende atualmente a 600 crianças e jovens.

Já o presidente do Fetipa, Jalson Couto, destacou que as ações já têm resultado em uma diminuição sensível nos índices de trabalho infantil no Estado e que o compromisso dos municípios facilita neste enfrentamento. “Precisamos afastar os jovens dos espaços de violência, criminalidade e drogas através de programas sociais. Vemos a felicidade dos jovens que estão inserido nesses projetos e o orgulho que geram nos pais. Isso nos incentiva a seguir nessa missão que é  proporcionar o desenvolvimento saudável dessas crianças e adolescentes, para que possam ser de fato o futuro do nosso Brasil”, analisou.

Também presente na audiência pública de Palmeirópolis, a gestora da Setas, Patrícia do Amaral destacou a importância de reduzir os índices de trabalho infantil no Estado. “Temos que seguir firme neste propósito de trabalhar a missão que nos foi dada que é tirar o Tocantins desse cenário apontado no último censo, em 2010. Estamos trabalhando nessas ações e tenho certeza que apresentaremos resultados positivos no próximo Censo. Isso porque a rede de Assistência Social, junto com a Saúde e a Educação, está cumprindo seu papel de identificar e apoiar as pessoas da comunidade que precisam dos nossos serviços. É esse trabalho que vai mudar o cenário tocantinense e fazer com que cada pessoa saiba seu papel nessa mudança”, afirmou.

Audiências

Desde 2013, já foram realizadas audiências.públicas para erradicação do trabalho infantil em 54 municípios do Estado. Sendo atendidos os municípios e as regiões de entorno com maiores índices de trabalho infantil. Até o final de 2017 serão mais 12 cidades atendidas.  Nesta quarta-feira, 23, será a vez de Conceição do Tocantins.

Como parte das audiências públicas, os prefeitos são convidados a assinarem um Termo de Compromisso para garantir o cumprimento das cláusulas do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para a erradicação do trabalho infantil em suas localidades pelos próximos quatro anos.

O evento aconteceu no Palácio Legislativo José de Ribamar da Rocha Coelho em Palmeirópolis e contou com a presença de lideranças como, a Coronel Patricia Amaral, Secretária do Trabalho e Assistência Social (Setas), o presidente do Fórum Tocantinense de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Promoção da Aprendizagem (FETIPA) Jalson Couto. Representando o Ministério Público a Promotoria de Palmeirópolis, Dra. Bartira Silva Quintero. O Prefeito de Palmeirópolis Fabio Vaz e sua esposa Ana Paula Vaz, o presidente da Câmara William Marques, vereadores, secretários municipais e da Assistência Social, Educação e Saúde e a representante do Conselho Tutelar Gleice Ribeiro. Crianças e jovens também estiveram presente no evento, por meio da apresentação cultural da Rede do Bem.

palesrta palipeque favio 

setas.to.gov.b/Foto: Carlessandro Souza