Sobrinho é suspeito de tentar matar o próprio tio com barras de ferro no Tocantins

Vítima conseguiu escapar de agressões e procurou a Polícia Civil para fazer denúncia. Sidney Morais dos Santos foi preso e levado para a Casa de Prisão Provisória da cidade.

Foi preso em Araguaína, Sidney Morais dos Santos suspeito de tentar matar o próprio tio. O caso aconteceu no bairro Santa Terezinha, nesta segunda-feira (19).

Ele teria agredido a vítima identificada apenas como Nilson, de 68 anos, usando barras de ferro.

A prisão foi feita pela Polícia Civil. A vítima contou que conseguiu escapar das agressões e foi até uma delegacia para fazer a denúncia.

O sobrinho foi preso momentos depois e levado para a Casa de Prisão Provisória de Araguaína. O idoso foi ferido no rosto e precisou levar vários pontos na sobrancelha esquerda.

G1 Tocantins

Homem teria usado barras de ferro para tentar matar tio (Foto: Divulgação)

Bombeiros arrombam apartamento para combater fogo causado por ferro de passar

Princípio de incêndio foi em um residencial no centro de Palmas. Além do equipamento, fogo destruiu tábua usada para passar e algumas roupas.

Um ferro de passar esquecido na tomada causou um incêndio em um apartamento na tarde desta quarta-feira (6) na quadra 304 Sul, em Palmas.

A fumaça provocada mobilizou equipes do Corpo de Bombeiros e eles precisaram arrombar o apartamento, no 7º andar de um residencial, para combater as chamas. Ninguém ficou ferido.

Segundo os bombeiros, a hipótese é de que o equipamento tenha sido esquecido ligado na tomada.

Além do ferro, o fogo queimou a tábua de passar, que era de madeira, e algumas peças de roupa. Por medida de segurança, os elevadores do prédio foram isolados.

O Corpo de Bombeiros alertou para os cuidados com acidentes domésticos. A recomendação é para que o aparelho seja desligado se surgir algum imprevisto enquanto o morador estiver passando roupas.

“Geralmente quando a pessoa está passando roupa e algo faz que com ela desvie a atenção, o ferro fica ligado em cima da tábua. Desta vez foi apenas um susto, mas se não tivéssemos sido acionados a tempo o prejuízo poderia ser maior”, explicou o capitão Douglas Brito.

G1/Tocantins