Idoso morre após ser atropelado às margens de rodovia no sul do Tocantins

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, vítima estava desaparecida e sofria de Alzheimer. Motorista do caminhão fugiu do local e ainda não foi encontrado.

Adão Ribeiro Feitosa, de 69 anos, foi encontrado morto às margens da BR-153, na noite deste domingo (20), na região sul do estado. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a vítima estava desaparecida há alguns dias e sofria de Alzheimer. O acidente aconteceu próximo de Cariri do Tocantins, na região sul do estado.

Ainda conforme a PRF, o idoso teria sido atropelado por um caminhão enquanto andava nas margens da rodovia. Porém, até o momento o motorista do veículo não foi identificado.

O corpo do idoso foi levado para o IML de Gurupi e depois entregue para a família. O velório está sendo no setor João Lisboa da Cruz, onde o homem morava.

Médico é cedido para outro estado e 24 cidades do TO ficam sem atendimento

Ministério Público Estadual entrou na Justiça para obrigar o governo a anular a portaria que permitiu a cessão do profissional. Promotoria diz que população está desassistida.

Acessão do único médico otorrinolaringologista do Hospital Regional de Augustinópolis para o Estado do Maranhão foi parar na Justiça. O Ministério Público Estadual entrou com uma ação para obrigar o governo do Tocantins a anular a portaria num prazo de 30 dias. A promotoria alega que os moradores da região estão desassistidos.

A Secretaria Estadual da Saúde informou que a gestão ainda não foi cientificada sobre a ação do MPE, e assim que isso acontecer tomará as providências cabíveis. Sobre a cessão do servidor, disse que o governo está tomando ciência dos fatos para adotar as procedimentos necessários.

O MPE diz que o hospital é responsável pela cobertura do SUS em toda a região do norte do Tocantins, conhecida como Bico do Papagaio, onde moram 200 mil pessoas em 24 municípios. O afastamento do médico Pedro Serafim de Sousa Neto da unidade deixou a unidade sem cobertura na área de otorrinolaringologia.

A cessão do médico foi feita sem consulta prévia à direção do hospital, segundo o MPE. Entre os anos de 2016 e 2017, o profissional já havia sido afastado para atuar no outro estado.

“Os pacientes da rede pública não dispõem desse atendimento há quase dois anos no Hospital Regional de Augustinópolis, uma vez que o profissional foi cedido, mesmo sabendo-se que era o único médico otorrinolaringologista desta Unidade de Saúde”, afirmou o promotor de Justiça Paulo Sérgio Ferreira de Almeida.

Na ação, o MPE requer o retorno imediato do médico ao quadro do Hospital Regional de Augustinópolis para prestação adequada, contínua, ininterrupta, eficiente e segura dos serviços de saúde na Unidade. Em caso de descumprimento, a promotoria pediu a aplicação de multa diária no valor de R$ 5 mil.

G1 Tocantins.

Estado diz que estuda alternativa para promover PMs e Bombeiros neste ano eleitoral

Na Polícia Militar, cerca de 1.300 militares, entre praças e oficiais, estão aptos a serem promovidos.

Lei 3.231 de 2017 estabelece que as promoções de policias e bombeiros deve ocorrer todo dia 25 de agosto de cada ano, e o Palácio Araguaia garante que estar atenta à questão.

Paralelo à preocupação com a evolução dos militares, o Executivo – por meio da Secretaria de Comunicação – aproveitou para reforçar que a segurança pública está entre as prioridades e tem recebido investimentos em infraestrutura de prédios, viaturas e armamentos.

Promoções
Apesar das restrições, como reconhecimento e respeito aos militares, o governo do Tocantins afirma que se empenhará para cumprir com as promoções a que fizerem jus os militares apontados no Quadro de Acesso (QA) das corporações.

Em 2018, mais de 170 militares do Corpo de Bombeiros integram o Quadro de Acesso e, assim, aptos a receberem a promoção. Serão 26 oficiais dos quadros operacional e operacional administrativo; e mais de 140 praças, entre as graduações de sargentos e subtenentes.

Na Polícia Militar, cerca de 1.300 militares, entre praças e oficiais, estão aptos a serem promovidos. De acordo com o Governo do Estado, o quantitativo final pode variar para mais ou para menos, pois os números sofrem variações diárias por diversos fatores, entre eles o cumprimento de decisões judiciais, o que altera constantemente as vagas.

Ano passado não houve promoção realizada por meio de ato administrativo do Executivo. A última foi em 2016, quando 1.374 militares da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Tocantins foram promovidos. 

Secom Tocantins

Associações militares querem do governo do Estado novo cronograma para pagamento de dívida de R$ 15 milhões

Débito é referente ao atraso de cronograma de pagamento de direito adquirido pela categoria por decisão judicial.

Representantes de três associações militares – Asspmeto, Asmir, Aometo – estiveram reunidas na tarde desta quarta-feira, 8, com o advogado Tenório Cavalcante para traçar uma estratégia para garantir o pagamento de uma dívida de R$ 15 milhões que o Estado tem com policiais.

O valor é resultado de direito adquirido pela categoria judicialmente ainda em 2004 e com cronograma de pagamento firmado em 2009, mas que não foi cumprido.

Tenório Cavalcante afirma que o processo judicial teve início ainda nós anos 90. Segundo o advogado, a legislação garantia que qualquer aumento de salário dado ao comandante-geral deveria ser proporcionalmente concedido também aos demais militares, o que não aconteceu em abril de 1993, gerando o pleito judicial.

O direito aos valores foi garantido somente em março de 2004, confirmando uma dívida de R$ 700 milhões. Entretanto, acordo homologado pela Justiça reduziu este débito para R$ 183 milhões, a ser pago em 96 parcelas.

Este acordo firmado em 2009 pelo então governador Marcelo Miranda (MDB) foi cumprido parcialmente. Segundo Tenório Cavalcante, apenas o deputado federal Carlos Gaguim (DEM) e Siqueira Campos (DEM) chegaram a pagar as parcelas quando governadores.

O advogado afirma que o emedebista e Sandoval Cardoso (SD) foram os  mais inadimplentes. Atualmente, o governo do Estado deve cerca de R$ 15 milhões, conta o advogado.

Tenório Cavalcante reforça que este descumprimento por parte do Estado fez com que cerca de 3 mil policiais militares que adiantaram este crédito com instituições bancárias ficassem negativados no Banco Central. O advogado afirma que há 15 parcelas em atraso, relativas a 2014, 2016 e 2017. O cronograma inicial de pagamento era para ser cumprido até outubro do ano passado, o que não aconteceu. Nenhum valor referente a causa foi pago em 2018.

Diante deste cenário que as associações militares informam que vão buscar retomar a negociação com o governo do Estado, solicitando a elaboração de novo cronograma de pagamento. “Talvez o governador [Mauro] Carlesse não sabe da importância.  Acreditamos que não vá reiterar o comportamento que teve Sandoval Cardoso e Marcelo Miranda. Espero que venha a entender que tem 3 mil policiais negativados”, comentou o advogado.

CT acionou a Secretaria de Comunicação Social do Estado (Secom), que deve se manifestar sobre o tema nesta quinta-feira, 9.

Cleber Toledo

Bebê fica em estado grave após carro cair de viaduto na BR-040

Motorista disse aos policiais que perdeu o controle da direção após um condutor fechar o carro da família. Segundo os pais, menina estava amamentando quando o acidente aconteceu.

Um casal e a filha, de três meses de vida, ficaram feridos após o carro em que estavam cair de um viaduto na BR-040, em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista disse à corporação que a bebê estava amamentando no momento do acidente e ficou gravemente ferida.

O acidente aconteceu por volta das 10h30 de domingo (5). A família viajava em um VW Gol. De acordo com a PRF, o condutor disse que caiu do viaduto após discutir e ser fechado por outro motorista, que não foi identificado.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) transportou os feridos à Unidade de Pronto Atendimento de Valparaíso de Goiás. Segundo a equipe da unidade de saúde informou à TV Anhanguera, o casal teve ferimentos leves e recebeu alta médica. Já a menina teve de ser transferida ao Hospital de Base, do Distrito Federal.

Como o nome dos feridos não foi divulgado, o G1 não conseguiu localizar os pais nem consultar, nesta segunda-feira (6), o estado de saúde da criança.

G1 Tocantins.

Estado tem redução no número de acidentes e mortes nas rodovias federais

Dados foram divulgados pela Polícia Rodoviária Federal em balanço da temporada de férias. Por outro lado, houve aumento no número de pessoas feridas.

Dois homens são mortos a tiros na região norte do estado

Um dos casos foi em Aragominas e o outro em Xambioá. Até o momento nenhum suspeito dos crimes foi preso.

Dois homens foram mortos a tiros na região norte do estado. O primeiro caso foi José Alves da Silva, de 78 anos, encontrado morto em uma chácara de Aragominas. A outra vítima é Marcos Jhones Ferreira do Carmo, de 31 anos, morto em um bar de Xambioá. Nenhum suspeito foi preso até o momento.

O idoso foi encontrado morto em uma chácara na região de Aragominas, por volta das 7h, desta terça-feira (24). No local, os policiais encontraram o corpo da vítima com uma marca de tiro na cabeça.

Silva estava no quintal da própria casa e foi encontrado por um morador que passava pelo local. A testemunha não soube dar detalhes sobre o horário e motivo do crime, ou sobre quem teria atirado.

Com a vítima foi encontrada uma carteira com R$ 377. A perícia foi chamada e o caso repassado para a Polícia Civil.

Xambioá

A morte de Marcos Jhones Ferreira do Carmo foi registrada no final da noite de terça-feira. A PM informou que foi chamada após um homicídio em um bar no setor Alto Bonito, em Xambioá, norte do Tocantins. Ao chegar no local os policiais encontraram a vítima sem vida.

Testemunhas contaram que ele havia chegado no local ameaçando as pessoas e um homem saiu para buscar uma arma de fogo. O suspeito voltou momentos depois e atirou no pescoço da vítima. Depois disso, fugiu em uma bicicleta.

O suspeito foi identificado e a PM fez buscas, mas não conseguiu localizar o homem. A perícia esteve no local e o caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

Mãe estuprada pelo filho havia mudado de Estado para protegê-lo, diz delegada

Mulher de 48 anos foi vítima de violência sexual na frente da filha de 11 anos em Águas Belas, Pernambuco. ‘A violência aconteceu de diversas formas possíveis e imagináveis’, afirma Polícia.

O jovem de 18 anos suspeito de estuprar a própria mãe na frente da irmã de 11 anos em Águas Belas, no Agreste de Pernambuco, foi levado para a Delegacia de Polícia Civil de Garanhuns na segunda-feira (23), prestou depoimento e confessou o crime.

De acordo com a delegada Thatianne Macêdo, a mãe, de 48 anos, relatou que o filho chegou em casa embriagado e já foi ameaçando-a com uma faca. Após isso, ele a constrangeu e a obrigou a manter relações sexuais com ele.

“A violência sexual aconteceu de diversas formas possíveis e imagináveis, todos os atos sexuais presenciados por uma criança de 11 anos de idade”, disse a delegada.

Segundo a Polícia Civil, a vítima teria fugido com os filhos de uma cidade no Estado de Alagoas há três anos. Na delegacia, a mulher falou que se mudou para Pernambuco com o intuito de proteger o filho, que quando adolescente se envolveu com a criminalidade.

“A mãe, para proteger a própria vida do filho, deixou parentes, amigos, familiares, a terra natal, vindo buscar refúgio aqui em Águas Belas, em Pernambuco. E ela mesma foi vítima do próprio filho”, relatou a delegada.

Entenda o caso

Um jovem de 18 anos estuprou a própria mãe, de 48, na frente da irmã de 11 anos no bairro São Sebastião, em Águas Belas, no Agreste de Pernambuco.

De acordo com a Polícia Militar, a mulher procurou a polícia e informou que o filho aparentava estar sob influência de drogas quando o crime aconteceu. Conforme a mãe, ela teria pedido para o jovem fazer silêncio, como ele não aceitou a reclamação, ameaçou a mulher com uma faca, imobilizou a vítima e praticou o estupro.

Depois do ocorrido, a mãe fugiu de casa junto com a filha e se escondeu em um matagal. A mulher estava em estado de choque e passou por atendimento médico.

Meningite: Estado recebe menos de 20% das doses necessárias para abastecer cidades

Secretaria de Saúde informou que pediu 25 mil doses da medicação, mas recebeu apenas 4,2 mil. Vacinas serão distribuídas proporcionalmente aos municípios do Tocantins.

O estado recebeu 4,2 mil doses da vacina contra a meningite nesta sexta-feira (20). A remessa foi bem menor do que o pedido feito pela Secretaria de Saúde do Tocantins. A medicação deve começar a ser distribuída proporcionalmente aos municípios durante o dia.

Foram solicitadas pelo estado 25 mil doses da vacina. A quantidade serviria para regularizar o estoque, mas o Ministério da Saúde repassou apenas 16,8% da remessa. A expectativa é que o restante deva chegar em agosto.

Em 2018, o Tocantins tem sete casos da doença confirmados. Quatro foram registrados neste mês de julho, sendo três em Colinas do Tocantins. As vítimas estão internadas no Hospital de Doenças Tropicais de Araguaína. Uma delas tem 12 anos, está em estado grave. O quarto caso foi em Itacajá.

O repasse das doses no estado está sendo insuficiente há pelo menos três meses. Sem a medicação na rede pública, muitos pais são obrigados a pagar pela dose, que custa cerca de R$ 500.

O Ministério da Saúde afirmou que os repasses estão sendo reduzidos devido atrasos na entrega pelo laboratório produtor da vacina, Fundação Ezequiel Dias (FUNED).

“A previsão é que a situação seja normalizada no próximo mês de agosto, em todo o país. Para municípios que estão com estoque reduzido, a orientação do Ministério da Saúde é realizar o agendamento da vacinação de acordo com a disponibilidade das doses”, afirmou o ministério em nota.

Tocantins deve receber doses da vacina contra meningite até o fim da semana

Doses devem ser repassadas nesta sexta-feira (20) pelo Ministério da Saúde. Medicação será distribuída para todos os 139 municípios do estado, segundo a Secretaria de Saúde.

Um lote da vacina contra a meningite deve ser repassado pelo Ministério da Saúde ao Tocantins até a próxima sexta-feira (20). De acordo com a Secretaria da Saúde, não há uma previsão da quantidade de vacinas, mas a remessa deve ser distribuída para os 139 municípios.

Em 2018, o Tocantins tem sete casos da doença confirmados. Quatro foram registrados em Colinas do Tocantins. As vítimas estão internadas no Hospital de Doenças Tropicais de Araguaína. Uma delas tem 12 anos, está em estado grave.

O repasse das doses no estado está sendo insuficiente há pelo menos três meses. Sem a medicação na rede pública, muitos pais são obrigados a pagar pela dose, que custa cerca de R$ 500.

O comerciante José Joelton, por exemplo, afirmou que procurou diversos postos de saúde de Palmas, mas não encontrou a vacina. “Disseram que não tem nem previsão. Como a gente vai fazer? Não tenho condições de pagar R$ 500 na vacina.”

O Ministério da Saúde recomenda que o bebê tome a primeira dose da vacina com três meses de vida. A segunda com cinco e o reforço com 12 meses.