Casal é preso e mais de 100 kg de drogas são apreendidos na BR-153

Dupla estava transportando as substâncias de Goiás para o Tocantins. Suspeitos foram autuados por tráfico interestadual de drogas.

Lucivaldo de Sousa Silva, de 28 anos e Kellen Cardoso Ferreira, de 39 anos foram presos e mais de 100 kg de drogas foram apreendidos. As ações foram realizadas na noite desta sexta-feira (3), na BR-153, em Gurupi, pela Polícia Civil.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, investigações da polícia mostraram que o casal estava transportando grandes quantidades de drogas de Goiás para o Tocantins. Os policiais montaram campana às margens da BR-153 e abordaram o carro em que os suspeitos estavam, encontrando cerca de 100kg de maconha e 1kg de crack.

Os dois foram presos e levados para a Central de Flagrantes da Polícia Civil, onde foram autuados por tráfico interestadual de drogas.

Em seguida, Silva foi levado para a Casa de Prisão Provisória de Gurupi e Kellen será leavda para uma Unidade Prisional Feminina do Estado.

Seis são presos em operação contra o tráfico de drogas no centro de Palmas

Suspeitos já eram investigados por vender drogas no norte da capital e tinham se mudado para a Arse 24 recentemente. Na casa, foram encontrados um quilo e meio de crack e meio quilo de maconha.

Seis pessoas foram presas pela Polícia Civil em uma operação contra o tráfico de drogas no centro de Palmas. A boca de fumo, de acordo com a investigação, funcionava em uma casa na Arse 24 (antiga 210 Sul). No local foram encontrados um quilo e meio de crack e meio quilo de maconha, além de balança e plástico filme que serviria para embalar as porções de drogas.

Os presos foram identificados como Eva Nájila Pereira de Sousa Xerente, Ludmilla de Sousa Borges, Francisco Sales, Adelto Nunes Ribeiro, Thiago Ferreira Nunes e José Raimundo Magalhães Reis. Eles ainda não possuem advogado de defesa.

A operação foi comandada pela Delegacia de Repressão a Narcóticos (Denarc). Segundo a investigação o grupo era conhecido por atuar na região norte de Palmas e se mudou para a Arse 24 recentemente com o objetivo de expandir o alcance. A região é muito frequentada por crianças e adolescentes, já que abriga pelo menos cinco instituições de ensino de grande porte.

Os detidos prestaram depoimento e depois foram levados a Casa de Prisão Provisória de Palmas e ao Presídio Feminino da Capital.

Drogas, dinheiro e celulares foram encontrados na casa (Foto: Divulgação/Denarc)Drogas, dinheiro e celulares foram encontrados na casa (Foto: Divulgação/Denarc)

Drogas, dinheiro e celulares foram encontrados na casa (Foto: Divulgação/Denarc)

G1 Tocantins.

Cão da polícia encontra drogas dentro de pão durante vistoria no presídio de Palmas

Governo afirmou que não vai se manifestar sobre a vistoria realizada na CPP. Buscas foram feitas depois da fuga de 18 detentos do presídio de Miranorte.

Uma vistoria feita na Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPP) na manhã desta terça-feira (31) encontrou porções de droga escondidas dentro de um pão francês, em uma das celas da unidade. Também foram encontrados celulares, armas artesanais e cachaça feita pelos presos. A operação foi feita depois que 18 criminosos fugiram de uma unidade prisional no interior do estado durante o fim de semana.

A droga foi encontrada por um cão do Grupo de Operações com Cães (GOC). A Secretaria de Cidadania e Justiça, responsável pela gestão dos presídios, foi questionada sobre a vistoria e a droga encontrada na alimentação dos presos, mas afirmou que “o resultado desta revista não será divulgado à imprensa, por questões estratégias.”

A CPP de Palmas tem, atualmente, 750 detentos no espaço pensado para 260. Em novembro do ano passado, um grupo de detentos usou dinamite para explodir o muro da unidade e fugir. Na época, mais de 20 homens conseguiram escapar e sete ainda não foram recapturados.

Armas artesanais, celulares e cachaça encontrados dentro do presídio (Foto: Divulgação)Armas artesanais, celulares e cachaça encontrados dentro do presídio (Foto: Divulgação)

Armas artesanais, celulares e cachaça encontrados dentro do presídio (Foto: Divulgação)

Em julho deste ano, outra vistoria localizou mais de sete quilos de explosivos no local.

G1 ligou para o diretor do sistema prisional para comentar a droga encontrada dentro da sacola de pãos, mas a ligação não foi atendida.

Participaram da vistoria desta terça-feira (31) equipes do GOC, Força Tática, Grupo de Intervenção Rápida, Ostensiva (Giro), Ronda Tático Motorizada (Rotam) e Companhia de Operações Especiais (Coe). Além de agentes do sistema prisional.

Todos os presos foram levados para a área de banho de sol e retornaram para as celas no final da manhã.

G1 Tocantins.

Homens são presos durante operação de combate ao tráfico de drogas

Ação foi realizada em Campos Lindos. Ao todo, nove pessoas serão indiciadas por tráfico, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro.

Sandro Ferreira da Silva, de 34 anos e José Adalto de Sousa, de 39 anos, foram presos em flagrante nesta sexta-feira (13), durante o cumprimento de seis mandados de busca e apreensão na Operação Reincidência, em Campos Lindos. O objetivo é combater o tráfico de drogas na cidade, que fica na divisa com o estado do Maranhão.

Segundo a Polícia Civil, com os suspeitos foram encontradas drogas e celulares. As investigações, que duraram dois meses, apontam que grande parte do tráfico em Campos Lindos era comandada por Maurício Reis Ferreira da Silva, de 30 anos e Bruno Araújo do Nascimento Ferreira, de 23 anos.

Atualmente os dois cumprem pena nos presídios de Balsas e de São Luís, no Maranhão. Ao todo, nove pessoas serão indiciadas por tráfico, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro.

Operação prende homens que transportavam drogas e fecha depósitos em duas cidades

Eles são suspeitos de vender drogas em Palmas e Porto Nacional. Com o grupo, Polícia Civil encontrou balanças de precisão e anotações sobre movimentações financeiras dos criminosos.

Uma operação da Polícia Civil realizada na madrugada desta quinta-feira (5) prendeu quatro homens e apreendeu uma menor suspeitos de tráfico de drogas. Três deles foram flagrados transportando cocaína em um carro, no trajeto de Palmas a Porto Nacional. A polícia disse que o grupo é suspeito de atuar nessas duas cidades.

No veículo, havia 1 kg de pasta base de cocaína. Depois da prisão, os policiais foram até dois depósitos mantidos pelo grupo em Palmas e Porto Nacional, momento em que foi preso mais um homem e uma menor. Ao todo, foram apreendidos 20 kg de maconha e 4 kg de cocaína.

Também foram encontrados dinheiro, balança de precisão e anotações sobre movimentações financeiras do grupo. A operação leva o nome de Tomahawk, que faz referência a um míssil.

Crimes motivados por tráfico de drogas em Arraias são alvo de denúncias do MPE

As denúncias foram realizadas pela Promotoria de Justiça.

Três acusados de homicídio qualificado e um de latrocínio foram denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) em Arraias. Todos os casos têm relação com o tráfico de drogas e tiveram grande repercussão na cidade no último ano.

Tiago Teles da Silva é acusado do homicídio de José Divino da Silva Menezes, morto no dia 24 de maio de 2017, com três tiros, em Arraias. Segundo o Promotor de Justiça João Neumann Marinho, a finalidade do crime foi obter vantagens na disputa e concorrência no comércio ilícito de drogas no Município. Tiago e a vítima estariam envolvidos com o tráfico de drogas, mas em organizações diferentes. O crime teria acontecido sob o pretexto de “eliminar o concorrente” e aumentar ganhos e lucratividade nas atividades criminosas.

O envolvimento com o tráfico de drogas também motivou o assassinato de Fábio Júnior Serafim Batista, conhecido como “Bilu”. Segundo apurado pela Promotoria de Justiça de Arraias, Davi Rodrigues Izabel matou a vítima com três tiros a mando de um traficante de drogas da região, que foi denunciado pelo MPE e está sendo procurado pela polícia.

A morte foi encomendada para quitar uma dívida da vítima com o traficante. Como recompensa, o acusado Davi Rodrigues teve perdoada a dívida que possuía com o tráfico.

O último denunciado, David Wilkerson Gomes dos Santos, é acusado de matar um idoso, a golpes de enxada e de faca, com o intuito de roubar o dinheiro da aposentaria. Conforme apurado, o denunciado planejou a execução do crime de roubo com o objetivo de usar o dinheiro para comprar drogas.

Três dos quatro acusados encontram-se atualmente presos preventivamente na Cadeia Pública da Comarca de Arraias pela prática dos crimes.

imprensampto/Daianne Fernandes
Imagem/divulgação

Polícia Civil em parceria com a Polícia Militar prenderam em Palmeirópolis homens suspeitos de tráfico de drogas

Os homens foram levados a delegacia onde estão presos.

Durante o dia de hoje 27 de março, os policiais civis de Palmeirópolis com apoio da PM local e DEIC/Gurupi, efetuaram vários mandatos de busca e apreensão nas quais resultaram na prisão de quatro (4) pessoas, sendo (3) por suspeita de tráfico de drogas e outro por uso de munição.

O jovem Gustavo Henrique Rodrigues Nascimento está sendo investigado por uso indevido de munição, já Pablo Railand de Oliveira Pereira, Wiliam Vieira Camargo e Jose Maria Oliveira e Silva, foram presos em flagrante por tráfico de drogas.

Com eles foram encontrados drogas, nove papelotes de cracks, tijolos de maconha, comprimidos. Os comprimidos suspeitos serão encaminhados à perícia.

Imediatamente foram conduzidos a delegacia onde foram detidos.

Com eles foram encontrados meio kilo de maconha.

Com informações da polícia civil.

 

 

Mulheres são presas suspeitas de tentarem entrar em cadeia com drogas em partes íntimas

O caso aconteceu em Xambioá. Elas foram levadas para a Unidade Prisional Feminina de Babaçulândia e devem responder por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Elizângela Ferreira de Sá e Gleiciane Pereira Cantuário foram presas suspeitas de tentar entrar na Cadeia Pública de Xambioá com drogas escondidas nas partes íntimas.

O caso aconteceu nesta sexta-feira (23). Elas devem responder por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, o delegado Breno Alves, responsável pelo caso, disse que as mulheres foram flagradas no momento em que tentavam entrar na cadeia.

Após serem abordadas e submetidas a uma busca pessoal, os policiais civis encontraram várias porções de maconha, que seriam entregues a detentos da unidade.

As duas mulheres foram levadas para a delegacia de Xambioá e depois para a Unidade Prisional Feminina de Babaçulândia.

G1 Tocantins

A 9ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Arraias realiza palestra sobre prevenção e combate ao uso e tráfico de drogas

A referida palestra teve como objetivo principal orientar e conscientizar alunos e alunas da tradicional escola Arraiana, sobre os malefícios que advém do uso de substâncias entorpecentes, que podem geram dependência química e trazer uma série de transtornos para os jovens, bem como suas famílias.

A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da 9ª Delegacia Regional de Arraias, ministrou, na manhã desta terça-feira, 20, uma palestra sobre prevenção e combate ao uso e tráfico de drogas, voltada para alunos e alunos da Escola Estadual Joana Batista Cordeiro.  

O evento teve início às 9h e foi realizado pela equipe composta pelos Delegados; José Antônio da Silva e Vanusa Regina de Carvalho Nunes, os Agentes de Polícia; Rogério Ferreira Braga, Elizeu de Sena Abreu Sobrinho, Graziela Barreto Silva e Reginalva Ramalho Pereira, além do Escrivão de Polícia Gabriel Gomes Carneiro.

A referida palestra teve como objetivo principal orientar e conscientizar alunos e alunas da tradicional escola Arraiana, sobre os malefícios que advém do uso de substâncias entorpecentes, que podem geram dependência química e trazer uma série de transtornos para os jovens, bem como suas famílias.

Na ocasião, os policiais civis da 9ª DRPC, utilizando uma linguagem didática, explicaram aos presentes, as características e composição das substâncias entorpecentes mais conhecidas e consumidas atualmente, bem como abordaram sobre as conseqüências daqueles que adentram no mundo das drogas.

Ao final do evento, a direção da unidade de ensino agradeceu a presença dos policiais civis, ressaltando que a palestra foi de muita importância para os adolescentes, que puderam se informar melhor sobre um assunto tão importante.

Para o delegado regional, José Antônio da Silva, a palestra serviu para que a Polícia Civil possa estreitar os laços com a comunidade, por meio de ações sociais e de cunho educativo.

“Ficamos muito satisfeitos com a receptividade com que fomos recebidos pelo corpo diretivo, bem como pelos alunos daquela instituição de ensino, que nos ouviram atentamente e receberam nossa mensagem com muito entusiasmo e alegria”, pontuou.  

“Dessa maneira, a Polícia Civil do Tocantins cumpre um importante papel social, aproximando-se mais ainda da população e contribuindo com a formação educacional de nossos jovens, ressaltando os aspectos de prevenção ao consumo e tráfico de drogas, reforçando, desta maneira, a Segurança Pública do Estado”, frisou. .

Estudantes da Escola Estadual Joana Batista Cordeiro assistem a palestra sobre prevenção ao uso e tráfico de drogas ministrada pela Polícia Civil.

Quadrilha que entregava drogas pelo correio é desarticulada em 9 estados e no DF

Operação cumpre 50 mandados judiciais. Criminosos traficavam por meio de perfil falso em redes sociais.

Um grupo criminoso interestadual que vendia drogas sintéticas pelo correio é alvo da Operação Caça às Bruxas na manhã desta quinta-feira (15).

A Polícia Civil cumpre 25 mandados de prisão e 25 de busca e apreensão em nove estados e no Distrito Federal. As investigações são coordenadas pela 6ª DP de Brasília, no Paranoá.

Até as 9h, haviam sido presas 20 pessoas, das quais 7 em 6 regiões administrativas do DF.

Os estados com alvos na operação são: Goiás, São Paulo, Mato Grosso, Paraná, Rondônia, Rio Grande do Norte, Tocantins, Bahia e Minas Gerais.

Segundo a Polícia Civil, o nome da operação faz referência à forma como os traficantes se denominavam: “Bruxos”. Delegados responsáveis pela operação no DF explicaram à TV Globo que os criminosos vendiam as drogas por meio de um perfil falso nas redes sociais.

Após o pedido de encomenda, os clientes faziam um depósito bancário e a droga – LSD ou ecstasy – chegava em casa pelo correio. Os entorpecentes eram fabricados pelos próprios traficantes.

O site entrou em contato com os Correios e aguarda resposta.

G1 Noticias