Moradores se arriscam ao atravessar ponte que foi incendiada entre Peixe e São Salvador

Estrutura dá acesso a dezenas de fazendas e pousadas das cidades de Peixe e São Salvador. Parte da ponte desabou e não é possível passar de carro pelo local.

Moradores precisam se arricar para atravessar a ponte sobre rio Almas, que fica na TO-491, entre Peixe e São Salvador. O rio divide os dois municípios. A estrutura de 30m de comprimento, que dá acesso a dezenas de fazendas e pousadas da região, foi incêndiada na madrugada da útima quinta-feira (3) e parte desabou.

Tem gente que se arrisca a passar de motocilcieta pelo local. “Dá muito medo passar numa pinguela dessas. Muito perigoso, mas tem que arriscar, precisa”, diz transportador rural, Adélio Karis.

“Dá muito medo. A gente tem medo de cair e machucar. Acontece um acidente e acontecer o pior”, diz a lavrador Leonino Rodrigues.

Até as mães se arriscam passando com as crianças. Segundo os moradores, a ponte foi incendiada duas vezes em uma semana.

Está impossível passar pelo local de carro. “A gente precisa bastante da ponte para passar as coisas. Estamos com água, gasolina, gelo para passar porque precisamos abaster a pousada. Vamos passar de que jeito aqui com essa ponte desse tipo?”, questiona o comerciante Divimar Kojak.

Moradores e comerciantes precisam carregar a mercadoria até o outro lado. O trabalho de formiguinha é feito todos os dias, por eles e por quem precisa escoar a produção.

“A outra opção é pegar a estrada no sentido contrário, passar pela cidade de São Salvador, Palmeirópolis, dando uma volta de quase 240 km de desvio para a gente chegar aqui”, diz o empresário Mariozan Gomes do Nascimento.

Outro problema é a rodovia onde fica a ponte. A TO-491 não é asfaltada e está cheia de buracos. “A gente é que faz a manutenção porque é muito difícil vir uma máquina para nos ajudar na estrada”, afirma o empresário Silas Ribeiro.

Os moradores estão preocupados porque não sabem por quanto tempo a situação vai durar. “A gente apagou o fogo duas vezes e voltaram a colocar fogo. A solução seria fazer um negócio definitivo e ver se a gente arruma as placas de concreto”, opina Kojak.

A reforma da ponte está prevista para começar essa semana. 

G1 Tocantins

Ponte ameaça cair e alunos precisam descer de veículo e atravessar a pé no sul do Tocantins

Para evitar acidente, estudantes descem do veículo e atravessam a pé. “É arriscado para a gente passar todo os dias carregando vidas”, diz o motorista.

Uma ponte de madeira é um dos principais acessos para 10 propriedades na zona rural de Gurupi. Mas a estrutura começou a cair e os moradores da região temem que ela caia. O lugar é rota para o transporte escolar e para evitar acidente, os alunos precisam descer do veículo e atravessar a pé.

“Está muito perigoso. É arriscado para a gente passar todo os dias carregando vidas”, diz o motorista Jeciclei Moreira.

Os pais temem que a situação piore. “Eu fico com medo pelo meu filho vir porque é perigoso. Ninguém toma providência. Tem que arrumar porque o trajeto é esse”, reclama Tatiane Xavier.

O pecuarista Dirceu Romera precisa passar pelo local todos os dias e não está mais confiante na estrutura de madeira. “A maioria está podre e a parte de concreto está rachada em baixo. Ela não caiu porque tem um pau atravessado que fica sustentando, senão já tinha caído. Para caminhão pesado é um risco”, diz.

Segundo os moradores da região, a situação da ponte começou a piorar depois que uma viga caiu quando um caminhão tentou passar. O veículo ficou preso e só foi retirado com a ajuda de um trator. O problema pode ficar ainda pior porque outras vigas ameaçam cair, pois estão deterioradas por cupins. Além disso, também há madeiras podres.

A dona de casa Salete do Nascimento não arrisca e desce da motocicleta para atravessar. “Eu sempre desço porque eu tenho medo de cair no buraco”, conta.

Em baixo da ponte tem problema também. Uma das cabeceiras de concreto está rachada e isso tem preocupado o trabalhador rural Jailson Santana. “Tem que fazer alguma coisa, é uma estrada bem movimentada. É um risco porque chega a passar mais de 30, 35 mil toneladas”, afirma.

Em nota, a Prefeitura de Gurupi informou que a recuperação da ponte começará nesta terça-feira (28) e até quinta-feira (30) estará pronta.  

G1/Tocantins