Prefeito baleado no dia do aniversário recebe alta após 8 dias internado

Manoel Silvino Gomes Neto teve a casa invadida por criminosos em Tocantínia. Ele estava internado em um hospital particular de Palmas.

prefeito de Tocantínia Manoel Silvino Gomes Neto (SD), que foi baleado no dia do aniversário, recebeu alta na manhã desta segunda-feira (12), após ficar 8 dias internado. Ele estava em um hospital particular de Palmas. O caso aconteceu no dia 4 desse mês.

O prefeito havia sido levado para o Hospital Regional de Miracema e em seguida para o Hospital Geral de Palmas, onde passou por cirurgia, para retirar uma bala da barriga. Só depois foi transferido para uma unidade particular da capital.

Além do prefeito, o motorista João Mascarenhas Barros, também foi baleado. A bala acertou o peito dele do lado direito, mas não ficou alojada. Ele estava internado no Hospital Regional de Miracema e não precisou passar por cirurgia, recebendo alta no dia 5.

Segundo testemunhas, o prefeito estava em casa com parentes e amigos se preparando para comemorar o aniversário. Ele pediu para que o motorista o levasse até a padaria. Os criminosos se aproveitaram do momento para entrar na casa e renderam quem estava no local, inclusive os três filhos do político, todos menores de idade. Três homens participaram da ação, dois entraram e um ficou do lado de fora da casa.

Testemunhas contaram ainda que os homens agrediram a mulher do prefeito e outras pessoas. Quando Silvino e Mascarenhas retornaram, perceberam o assalto. Segundo a PM, o político reagiu e tentou tomar a arma de um dos assaltantes.

A Polícia Militar prendeu dois suspeitos do crime. Os dois têm 18 anos de idade, mas apenas um teve o nome divulgado até o momento. Trata-se de Mateus Carvalho da Silva. As buscas continuam na região para localizar o terceiro envolvido no assalto.

Fonte: G1 Tocantins

Atentado contra prefeito: estado de saúde de Silvino é estável

O prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino Gomes Neto (SD), e o motorista dele, João Mascarenhas Barros, foram baleados na manhã deste domingo (4). 

O Hospital geral de Palmas divulgou o estado de saúde do prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino, baleado em sua casa.

Segundo o boletim: “Ferimento por arma de fogo”, orifício de entrada em mesogastrico, infraumbilical. Bala alojou em nadega a esquerda. Vai entrar pra cirurgia. Paciente tá bem, estavel, orientado… bem tranquilo”, informou.

O motorista de de Silvino também foi baleado no atentado que aconteceu na casa do gestor.

Entenda o caso

O prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino Gomes Neto (SD), e o motorista dele, João Mascarenhas Barros, foram baleados na manhã deste domingo (4). O caso aconteceu na casa do político.

Ele foi encaminhado para o Hospital Regional de Miracema e depois para o Hospital Geral de Palmas. O motorista está internado em Miracema.

Segundo testemunhas, o prefeito estava em casa com parentes e amigos se preparando para comemorar o aniversário dele. Nesta manhã, ele pediu para que o motorista o levasse até a padaria.

Os criminosos se aproveitaram do momento para entrar na casa e renderam quem estava no local, inclusive os três filhos dele, todos menores de idade.

Testemunhas contaram ainda que os homens agrediram a esposa do prefeito e outras pessoas. Quando o prefeito e o motorista retornaram, perceberam o assalto.

Os criminosos atiraram contra os dois e depois fugiram.

O carro em que eles estavam foi abandonado numa rodovia que dá acesso a Miracema. A Polícia Militar confirmou o caso e disse que está fazendo buscas para encontrar os suspeitos.

Manoel Silvino foi presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) e está no terceiro mandato à frente da Prefeitura de Tocantínia, cidade localizada na região central do estado.

gazetadocerrado

José Eliton recebe alta da UTI

Advogado da prefeitura de Itumbiara, Célio Rezende, também deve deixar a Unidade de Tratamento de Terapia Intensiva ainda hoje. Ambos seguem internados no Hugol

 Boletim médico divulgado na manhã dessa sexta-feira (30) informou que o vice-governador José Eliton receberá alta ainda hoje da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ele continuará internado na Clínica Cirúrgica do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).
Fonte:mais goiás notícias

Advogado se emociona ao falar de atentado em Goiânia

Primeira entrevista de Walmir Cunha aconteceu na tarde dessa quarta-feira, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Goiás (OAB-GO)

O advogado Walmir Cunha, de 37 anos, falou com a imprensa pela primeira vez desde o atentado sofrido no escritório dele, na Rua 15, no Setor Marista. Uma bomba enviada em uma caixa de vinhos explodiu, mutilando a mão esquerda do advogado, que é especialista em Direito Agrário e em Direito Empresarial. Muito emocionado, ele disse que o atentado não foi contra o homem Walmir Cunha, mas contra toda a advocacia brasileira. “É um atentado contra a instituição”, disse.

A pedido da família, o advogado não acompanha as investigações. Sabe que a Polícia Civil não descarta nenhuma hipótese, mas prefere saber apenas o resultado da investigação, com a prisão do autor ou autores do crime. Apesar da certeza de que o atentado tenha relação com a atividade profissional, Walmir Cunha desconhece quem possa ter enviado a bomba para ele no escritório. “Apesar de ser um advogado incisivo, nunca ultrapassei os limites da ética. Não fiz inimigos”. (fonte:o popular)

‘Vamos sair, não vamos morrer’: brasileira narra desespero em trem atingido por bomba

Moradora de Bruxelas há quase 20 anos, a jornalista brasileira Samla da Rosa, 53, estava no trem do metrô que foi atingido em um dos atentados na manhã desta terça-feira.

mulher bruxelas
Brasileira estava no vagão à frente dos que foram atingidos por explosão em Bruxelas

Ela estava no vagão à frente dos que foram destruídos pela explosão. “Tínhamos medo de outra explosão e estávamos certos de que íamos morrer”, conta.

“A solidariedade nessa hora é imensa. Agarrei uma moça que estava queimada no rosto e chorava muito. Ela não conseguia sair do lugar. Eu amparei-a e falei: vamos sair, não vamos morrer”, diz ela.

Os ataques a bomba em Bruxelas deixaram pelo menos 30 mortos – 20 deles no metrô, de acordo com o prefeito da cidade.

O nível de alerta para terrorismo foi elevado ao máximo. A ação ocorreu dias após a prisão, em Bruxelas, de Salah Abdeslam, principal suspeito pelos ataques de Paris em novembro.

atentado
Imagem mostra pessoas saindo do metrô (Crédito: Samla Rosa)

Em entrevista à BBC Brasil, Samla contou que o vagão no qual se encontrava estava lotado, e os passageiros rapidamente se deram conta de que se tratava de um atentado.

“Foi um desespero. Imediatamente os paramédicos chegaram. Eu tive apenas intoxicação”, relata. “Eles (paramédicos) estavam correndo para os mais feridos. Tinha muita gente queimada. Ninguém fez lista de vítimas. Só os mais feridos ficaram lá”, afirmou, já em sua casa.

“Amigos, hoje vivi um momento daqueles que tentamos entender… mas é muito difícil. Eu estava no trem do metrô que sofreu o atentado. Ia de casa ao centro de Bruxelas.

O trem já havia dado partida da estação Maalbec. Tudo se passou muito rápido. A explosão foi surda e só nos demos conta que estávamos no meio de um atentado quando os vidros das janelas caíram sobre nossas cabeças e vimos fogo do lado de fora do trem, além de trilhos destruídos. Alguns gritaram de pânico: ‘é um atentado terrorista’. Eu e as pessoas sentadas à minha frente nos deitamos no chão e nos abraçamos. Tínhamos medo de outra explosão e estávamos certos de que íamos morrer.

Alguém reagiu e gritou que tínhamos que sair dali porque íamos morrer sufocados pela fumaça. Pouco a pouco começamos a pular a janela do trem, protegendo o nariz para não respirar aquele ar sufocante. As portas estavam bloqueadas. Quando saí dei-me conta que haviam muitos feridos, os outros vagões de trás do nosso estavam destruídos… a esta altura, a fumaça já havia tomado tudo.

atentado 1
Segundo Samla, havia muita fumaça

O condutor do trem falava ao rádio e mostrava ferimentos ao rosto. Dizia que havia evacuado seu trem e ia começar a guiar as pessoas para fora da estação. Ele começou a abanar sua pequena lanterna para mostrar o caminho. Não conseguíamos ver nada, porque a fumaça era muito forte. Alguns degraus da escada rolante faltavam por causa da explosão e a gente tentava encontrar a saída.

A solidariedade nessa hora é imensa. Um abraça o outro. Eu agarrei uma moça que estava queimada no rosto e chorava muito. Ela não conseguia sair do lugar. Eu amparei-a e falei: vamos sair, não vamos morrer. Deixei-a nas mãos dos paramédicos ao lado de fora e espero que ela um dia consiga ter uma vida normal.

Finalmente estávamos todos lá, na calçada. A polícia começou a chegar e logo fomos cercados por ambulâncias. Muitos feridos, gente queimada e um braço solto na calçada que jamais esquecerei.                                                                                                                                                                                                                                      Colaborou Marcia Bizzotto, de Bruxelas para a BBC Brasil

Balanço parcial aponta morte de ao menos 21 pessoas em explosões na Bélgica

Ainda não há confirmação de motivação terrorista, mas as autoridades do país declararam estado de alerta máximo

size_810_16_9_aeroporto-belgica-explosao
Francois Lenoir/Reuters

Ao menos 21 pessoas morreram, segundo um balanço provisório, em várias explosões na manhã desta terça-feira (22/3) em Bruxelas, informou Pierre Meys, porta-voz dos bombeiros. São 11 mortos no Aeroporto Internacional de Zaventem, segundo o balanço. Há também uma dezena de mortos estação de metro Maelbeek em Bruxelas, onde aconteceu uma explosão. Pessoas relataram ter ouvido gritos em árabe antes dos incidentes, mas as autoridades ainda não confirmam motivação terrorista. O país declarou alerta máximo de terrorismo.

Foram duas explosões no principal terminal aeroportuário da Bélgica e uma no metrô. Equipes de resgate atuam nos dois locais, onde há informações de feridos. As autoridades esvaziaram as estações de metrô e suspenderam o deslocamento de trens em Bruxelas. O aeroporto foi fechado para pousos e decolagens e o tráfego aéreo foi interrompido e desviados para outras regiões. As rodovias de acesso ao terminal também foram bloqueadas por policiais.

Segundo informações preliminares, dois dispositivos foram explodidos perto da área do check-in da American Airlines. “Ocorreram duas explosões na sala de embarque e uma equipe de primeiros socorros já está no local”, afirmou Anke Fransen, porta-voz do aeroporto.

Alerta máximo
O ministro do Interior da Bélgica, Jan Jambon, declarou o alerta máximo de terrorismo devido às explosões. O fato ocorre quatro dias depois da prisão de Salah Abdeslam, um dos principais suspeitos de ter comandado os atentados em Paris, no fim do ano passado. A suspeita é de que os atos de hoje tenham ocorrido por retaliação.

Algumas autoridades europeias já declaram que os ataques são de natureza terrorista. A presidente da Lituânia, Dalia Grybauskaité, disse através da conta oficial da presidência no Twitter que aconteceram “atos terríveis de terrorismo em Bruxelas”. “A minha solidariedade com todos os atingidos”, disse a política nesta manhã.

O ministro de relações exteriores da Letônia, Edgars Rinkevics, também usou a rede social Twitter para dizer que tinha o horrível sentimento de “não se, mas quando” haveria ataques contra Bruxelas. “A Letônia está junto com Bruxelas e a Bélgica em solidariedade contra o terrorismo”, disse.

Com informações da France Presse e da Agência Estado