Jovem entra em escola e mata adolescente em Goiás

Segundo a Polícia Civil, autor tem 19 anos e vítima, 16; investigadora disse que ele cometeu crime por sentir ‘ódio’ da menor.

A estudante Raphaela Novince, de 16 anos, foi morta a tiros, na manhã desta segunda-feira (6), dentro de uma escola em Alexânia, no Entorno do Distrito Federal. Segundo a delegada Rafaela Wiezel, o suspeito é Misael Pereira Olair, de 19 anos, que foi preso logo após o crime. A investigadora disse que ele afirmou que “sentia ódio” da vítima e que, por isso, resolveu comprar uma arma, e matá-la.

Conforme disse a delegada, Misael é um ex-aluno do Colégio Estadual 13 de Maio, em Alexânia, local onde o fato ocorreu. A investigadora acredita que o crime tenha sido passional.

“Ele alega que é conhecido ‘de longa data’ da vítima, e que sentia muito ódio da menina. A partir do depoimento dele entendemos que ele tentou namorar com ela, mas foi rejeitado. Por conta disto resolveu comprar uma arma, adentrar na escola onde ela estava e ceifar a vida dela”, disse.

O caso ocorreu no início desta manhã no Colégio Estadual 13 de Maio, em Alexânia. De acordo com a delegada, Misael entrou na escola, invadiu a primeira sala de aula do corredor, mas não encontrou Raphaela. Em seguida ele entrou na segunda sala, foi direto ao local onde a adolescente estava e disparou vários tiros contra ela, que morreu no local.

G1 entrou em contato às 9h40, por telefone e email, com a assessoria de comunicação da Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) e aguarda um posicionamento do órgão sobre o caso.

“Ele nos disse que foram 11 disparos, todos eles no rosto da menina. Tudo isso reforça o indício de crime passional, ele tinha estudado na escola no ano passado e tinha guardado este sentimento de “ódio”. Nós já ouvimos o depoimento dele, agora vamos seguir os procedimentos”, afirmou a delegada.

A investigadora disse que o suspeito tentou fugir logo após o crime, mas foi preso minutos depois pela Polícia Militar. Segundo a Polícia Civil, o jovem vai ser autuado em flagrante por homicídio qualificado e deve ser encaminhado ao presídio, onde ficará à disposição do Poder Judiciário.

G1/Goiás

Adolescente coloca fogo em lençol dentro de centro de internação em Palmas

Caso aconteceu no Centro de Internação Provisório de Palmas (Ceio). A Secretaria de Cidadania e Justiça informou que o tumulto foi controlado rapidamente.

Um adolescente que está no Centro de Internação Provisório de Palmas (Ceio), colocou fogo em uma corda feita com lençol, conhecida com Teresa. O caso aconteceu na noite desta quinta-feira (12).

De acordo com a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça não chegou a haver uma rebelião porque o tumulto foi controlado rapidamente. A Secretaria informou que a segurança no lugar foi reforçada.

G1/TO

Adolescente que acusa pastor e esposa de estupro relata ‘pedido de sacrifício’

Segundo garota de 16 anos, suspeito citou suposta ‘maldição’ que recaía sobre sua família. Casal, que está preso e que teria cometido o crime contra outras mulheres, nega acusações.

A adolescente de 16 anos que acusa um pastor de estupro, sob a conivência da esposa dele, disse que o casal alegava que os atos seriam um “sacrifício” que ela teria de fazer para quebrar uma “maldição” sobre sua família. O caso aconteceu em Edeia, região sul de Goiás. A vítima contou ainda que era obrigada a se deitar com o suspeito e que sua mãe e seu irmão poderiam ser penalizados caso a garota revelasse os abusos a alguém. Os suspeitos estão presos, mas negam as acusações.

A menina revelou que o crime começou a ser praticado quando ela tinha 13 anos e perdurou por cerca de dois anos. A Polícia Civil estima que os abusos ocorreram ao menos 20 vezes. A menina ia para a igreja, e o pastor a levava para a casa dele, que fica nas proximidades.

“[Ele] falou que Deus estava pedindo um sacrifício da minha parte e que era para quebrar uma maldição hereditária de prostituição na minha família. Ele disse com todas as palavras que o sacrifício seria a minha virgindade. Que eu teria que me deitar com ele. Eu sentia pavor”, disse à TV Anhanguera.

“Se eu contasse para alguém, a minha mãe ia para a cadeira de rodas, que tinha sido revelado em um sonho, e o meu irmão ia chegar a falecer”, completa.Adolescente que acusa pastor e esposa de estupro relata ‘pedido de sacrifício’ e ameaças: ‘Sentia pavor’ em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

O casal foi preso na última sexta-feira (22) após denúncia da vítima. Na ocasião, o delegado Quéops Barreto, responsável pelo caso, já havia citado a suposta maldição como justificativa para o crime.

“O pastor disse que ela deveria fazer o ‘Sacrifício de Abraão’ porque ela tinha a maldição de sexo e só quebrava com sexo. Ele falava que, se não fizesse, a mãe e os irmãos iam morrer, usava a fé e o medo”, explicou.

Mudança de comportamento

A mãe da garota conta que descobriu os estupros após notar uma mudança no comportamento da filha. “Sempre ficava agressiva dentro de casa. Gritava. Ela era uma menina amorosa. Dava beijo para ir para escola, [falava] ‘mãe eu te amo’. Aí ela foi parando de me dar beijo”, conta.

A mulher revela ainda que o pastor chegou a fazer a mesma proposta para ela, mas não obteve êxito. Depois dessa situação, ela e a garota deixaram a igreja.

“Aí ele pegou e falou para mim que eram sete vezes, aí eu vim embora. Entrei em desespero, que eu não acreditava naquilo que estava acontecendo. Quero justiça, para que ele seja punido na lei do home e na lei de Deus vai vir sobre ele, eu creio”.

Outras vítimas

A polícia já localizou mais três vítimas do casal. O delegado responsável pelo caso, informou que elas ainda devem ser ouvidas na delegacia.

“Outras pessoas se pronunciaram dizendo ou que aconteceu com elas, ou que tentaram. Acreditamos que existam ainda mais, mas não foram localizadas ainda. Essas meninas ainda não prestaram depoimento formal, então ainda não sabemos se a situação foi a mesma apresentada pela primeira vítima ou se houveram outras alegações”, afirmou o delegado.

O casal está detido na unidade prisional de Edeia. Eles devem responder por estupro de vulnerável, já que ela era uma criança quando o crime ocorreu.

G1/GO

Adolescente é apreendido por cultivar maconha em vaso na casa da avó no sul do Tocantins

Ele confessou o crime e mostrou aos policiais onde escondia a planta. Ocorrência foi no setor Sevilha, em Gurupi, na região sul do Tocantins.

Um adolescente de 16 anos foi apreendido suspeito de tráfico de drogas em Gurupi, no sul do estado. Segundo a Polícia Militar (PM), ele tinha porções de droga e na casa em que mora com a avó foi encontrado um pé de maconha em um vaso. Ele confessou o crime e disse que vendia as substâncias.

A apreensão ocorreu após um uma revista, quando os policiais acharam a atitude do adolescente suspeita. Com o menor, os policiais encontraram sete porções de maconha e dinheiro. Ele confessou o crime e levou os militares até a casa em que mora para mostrar mais três porções e a planta. A ocorrência foi registrada na noite desta quarta-feira (13) no setor Sevilha.

As porções e a planta foram levadas para a delegacia junto com o menor. A Polícia Civil deve investigar o caso.

G1/TO

Tio diz que morte de adolescente esfaqueada em prédio chocou família

Corpo de Tamires Paula de Almeida, de 14, morta em Goiânia, foi enterrado em Pires do Rio, onde foi criada. Garoto de 13 anos foi apreendido suspeito do ato infracional.

A morte da adolescente Tamires Paula de Almeida, de 14 anos, chocou parentes e moradores de Pires do Rio, cidade onde foi criada, no sul de Goiás. Um garoto, de 13 anos, foi apreendido suspeito de esfaqueá-la na escadaria do prédio onde ambos moravam, em Goiânia. Tio e padrinho da vítima, o policial militar aposentado João Bosco Caixeta disse que ainda não consegue acreditar no que aconteceu.

“Eu pensei que era mentira, achei que não fosse verdade. Até agora, aliás, acho que isso é só um pesadelo, que nada aconteceu”, afirmou ao G1.

Tamires foi velada na Casa de Velórios de Pires do Rio desde às 4h desta quinta-feira (24). Segundo o padrinho, cerca de 200 pessoas estiveram no local para se despedir. O enterro ocorreu às 11h, no Cemitério Explanada. Muito abalada, a mãe dela passou mal, precisou ser amparada e foi retirada do local antes do fim da cerimônia.

Caixeta afirma que praticamente criou a garota desde pequena. Ele conta que a mãe dela foi morar no exterior cerca de 4 meses após dar à luz, mas vinha regularmente visitar a filha. Somente no ano passado, ela se mudou para Goiânia para morar com a genitora e estudar.

O militar destaca ainda que a Tamires era muito querida. “Ela era muito humilde, amiga de todo mundo. Todo mundo está muito abalado”, destaca. 

Morte premeditada

A Polícia Civil afirma que a morte de Tamires foi premeditada. Segundo o titular da Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai), delegado Luiz Gonzaga Júnior, responsável pelo caso, o garoto planejava ainda assassinar outras duas colegas.

“A investigação apontou que ele já planejava esse crime desde o seu aniversário [em junho] quando recebeu um dinheiro da família como presente, comprou uma faca e desde então a para a escola. Ele tinha como alvos três adolescentes do sexo feminino, que são pessoas mais vulneráveis e facilitaria a execução do crime por parte dele”, explicou.

Tamires foi morta na quarta-feira (23), no 5º andar do prédio onde vivia com a mãe, no Jardim América. Após esfaquear a adolescente, o garoto seguiu até a escola estadual onde ambos estudavam e contou para o coordenador o que havia feito. Logo depois a polícia foi acionada.

O delgado afirmou que o menor agiu de forma bastante cruel. “Ele a esperou na porta do elevador do prédio e quando ela saiu, a arrastou. Ele tentou matá-la jogando a cabeça dela contra a parede várias vezes, mas verificou que ela não morreu. Então ele pegou a faca e deu várias facadas nela de forma bastante violenta, tanto é que a faça entortou”, detalhou.

O responsável pela investigação disse que o menor apresentava um comportamento frio e não demonstrava arrependimento. Ele também não explicou o motivo de ter atacado a vítima, diferentemente do que vislumbrava em relação aos outros dois alvos.

“Uma das meninas, simplesmente porque gostava dele, ele disse que iria matar. A outra ele disse que queria ver o luto de todo mundo da classe, talvez seria uma menina mais popular, mas não temos essa informação definida”, salienta. 

O advogado do menor, Agnaldo Domingos Ramos, disse que vai aguardar o decorrer da investigação para definir como irá agir em relação ao caso, mas estuda solicitar uma avaliação psicológica do garoto.

“Vai depender, mas logicamente nós temos interesse que a coisa seja analisada a nível de psicologia porque estamos diante de um caso emblemático, bastante complicado. Vou acompanhar e com certeza requisitar uma questão psicológica. Mas trata-se de uma família estruturada, com uma vida cotidiana como outra qualquer”, avalia.

Garoto era tranquilo, diz família

Informações colhidas junto a familiares do menino, segundo o delegado, descreveram que ele era extrovertido, tranquilo e não tinha qualquer tipo de problema em casa ou na escola. Caçula da família, ele mora com os pais – um mecânico e uma corretora de imóveis – e mais três irmãos.

Além disso, segundo o pai disse ao delgado, o garoto tinha um comportamento exemplar, sem, portanto, apresentar nenhum indico de que ele pudesse cometer o crime.

O menor está apreendido na Depai pelo flagrante por ato infracional análogo ao crime de feminicídio. Ele foi apresentado ao Ministério Público na tarde desta quinta-feira (24), que pediu a internação provisória do adolescente.

G1/GO

Adolescente que pilotava moto morre na BR-153 após fazer manobra conhecida como ‘Superman’

Segundo a PRF, menor de 17 anos bateu em mureta ao fazer ultrapassagem pelo acostamento, em Anápolis. Testemunhas já tinham visto rapaz antes pilotando de forma indevida.

Um adolescente de 17 anos morreu em um acidente de moto no perímetro urbano da BR-153, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o rapaz bateu durante uma ultrapassagem proibida enquanto fazia uma manobra conhecida como “Superman”, na qual o piloto se deita de bruços na moto com as pernas para trás.

O acidente aconteceu na noite de terça-feira (23). De acordo com o inspetor da PRF Jander Costa, algumas pessoas já tinham ligado para a corporação antes da colisão avisando que o menor estava conduzindo o veículo de forma inadequada.

“As testemunhas afirmaram que ele foi ultrapassar um carro pelo acostamento, perdeu o controle e bateu no guard rail. A moto parou e a vítima foi arremessada às margens da rodovia”, disse.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas a vítima morreu no local.

G1/GO

Adolescente suspeito de matar e esconder corpo de colega em cisterna é apreendido no TO

Assassinato aconteceu em Aparecida de Goiânia, no Natal do ano passado, mas corpo só foi encontrado dois meses depois. Menor já responde por tráfico de drogas no Tocantins.

Um menor de 16 anos suspeito de matar e esconder o corpo de Anatanael dos Santos Oliveira, 14 anos, em Aparecida de Goiânia, foi apreendido em Santa Fé do Araguaia. O mandado de busca e apreensão foi cumprido nesta segunda-feira (31), no Centro de Internação Provisória da cidade localizada ao norte do Tocantins, onde o adolescente está internado por tráfico de drogas.

Anatanael desapareceu no Natal do ano passado. Após denúncias, o corpo dele foi encontrado no mês de fevereiro deste ano, em estado de decomposição. O cadáver estava enterrado em uma cisterna, que ficam dentro de um lote ao lado da casa do suspeito do homicídio, no condomínio Amim Camargo, em Aparecida de Goiânia.

Segundo o delegado Luiz Gonzaga, titular da Delegacia de Apuração de Atos Infracionais de Goiânia, o assassinato foi praticado por motivo fútil. “Eles estavam bebendo juntos, eram colegas. Houve um desentendimento e o autor disparou contra a cabeça da vítima”,

Após cinco meses de investigação, os policiais civis de Goiânia descobriram que o menor estava no Tocantins e que tinha sido apreendido por tráfico de drogas. Um mandado de busca e apreensão foi expedido e cumprido no Centro de Internação Provisória em Santa Fé do Araguaia.

O delegado Luiz Gonzaga informou que o menor deve ficar no Tocantins por no máximo 45 dias. Neste intervalo, os juízes da comarca de Colinas e de Goiânia devem decidir se o adolescente será levado para Goiás e em quando isso ocorrerá. Ele ainda será julgado pelo assassinato e pode ficar até três anos internado.

Entenda

O corpo de Anatanael dos Santos foi encontrado no dia 14 de fevereiro deste ano pelo Grupo de Intervenção Rápida Ostensiva da Polícia Militar (Giro), em Aparecida de Goiânia.

O cabo Thiado da Silva, do Giro, afirmou que uma denúncia anônima levou a equipe até um sobrado perto da casa do adolescente. Os policiais conseguiram uma retroescavadeira, que retirou a terra da cisterna e conseguiu encontrar um corpo enterrado no local, há cerca de cinco metros de profundidade.

“As equipes do Giro receberam uma denúncia anônima relatando uma ocultação de cadáver. Chegando ao local, verificamos que teve uma festa de final de ano, nas proximidades do Natal, onde adolescentes estavam com arma de fogo. Durante essa festa, um adolescente, que era morador da casa, teve uma desavença com outro menor, vitimando ele, que veio a óbito. Posteriormente, eles ocultaram o cadáver dentro de uma cisterna, que era no próprio lote”, disse em entrevista à TV Anhanguera.

Ainda conforme o cabo, o corpo foi escondido por menores que encheram a cisterna com terra. “Para poder ocultar o cadáver eles contrataram um caminhão de terra e, por lata, de pouco em pouco, chegaram a completar com terra a cisterna”, afirmou.

Natanael dos Santos desapareceu na noite de Natal, em Aparecida de Goiânia, Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Natanael dos Santos desapareceu na noite de Natal, em Aparecida de Goiânia, Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

G1/TO

Fumaça de canavial em chamas causou acidente que matou criança e adolescente em Goiás

Três passageiros ficaram gravemente feridos e estão internados na UTI do Hugol, respirando com a ajuda de aparelhos.

O acidente que causou a morte de uma criança de 3 anos e uma adolescentes, de 15, após o carro em que elas estavam cair em um canavial em chamas foi causado pela fumaça na pista, segundo o Corpo de Bombeiros. Outros três passageiros ficaram gravemente feridos e estão internados na UTI de um hospital em Goiânia.

O grupo seguia pela GO-210 no domingo (23), quando passou por um canavial que estava pegando fogo, em Santa Helena de Goiás. “O condutor do veículo foi surpreendido por uma cortina de fumaça e fez com que ele perdesse a noção de direção do veículo e saisse da rodovia. Infelizmente, ele caiu onde haviam chamas e houve essa fatalidade” disse o major Marcos Vinícius, comandante do Corpo de Bombeiros de Santa Helena.

Os bombeiros informaram que o motorista, Francisco José Costa, não se feriu. Lorenia Alves Vieira Costa, Wannyel Tayllor Prado Pires e Jhowesley Vieira do Carmo, que também estavam no carro, tiveram queimaduras em diversas partes do corpo. Eles estão internados no Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).

Lorenia e Jhowesley estão em estado gravíssimo e respirando com ajuda de aparelhos. Já Wannyel está em estado grave e também respira com a ajuda de aparelhos.

Os corpos de David e Ester foram liberados do Instituto Médico Legal e estão sendo velados em Santa Helena de Goiás.

A Polícia Civil vai investigar o caso. O delegado Thiago Latorre, no entanto, informou que ainda não tinha recebido as informações do acidente até a manhã desta segunda-feira (24).

Queimadas

Em 2017 já foram registradas mais de 30 mil queimadas em todo país. Desse total, 10.044 foram registradas na região Centro-Oeste. “Durante esse período, o aumento de queimadas às margens da rodovia causa risco de acidentes muito grave e muito sérios aqui na região”, disse o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Moisés Alves. 

Em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, uma queimada em área de pastagem destruiu árvores e chegou muito próximo de uma casa. “Meu filho tem que fazer nebulização quase todo dia porque não consegue dormir por causa dessas fumaças, poeira. O tempo já está seco e ainda coloca fogo assim, é meio sem lógica”, disse o mototaxista Francisco de Assis Cardoso.

“Um incêndio que coloca em perigo vida, patrimônio alheio, a pena prevista é de seis anos de reclusão e multa. Já incêndio em mata, floresta, a pena máxima é de quatro anos. Portanto, este crime de incêndio dá cadeia”, afirmou o delegado do Meio Ambiente, Luziano de Carvalho. queimada

Criança e adolescente morreram após carro cair em canavial em chamas em Santa Helena de Goiás (Foto: Arquivo Pessoal/Ita Evangelista).

G1/GO

Mãe procura por adolescente que desapareceu após discussão

Segundo a mãe, briga aconteceu por ela ser contra relacionamento da filha. Caso já foi registrado na Polícia Civil.

A promotora de vendas Dakiany Cristina Santana, de 35 anos, está em busca de notícias da filha, Silvia Santana, de 17 anos, que desapareceu, em Goiânia. Segundo a mãe, ela e a adolescente chegaram a discutir dias antes devido ao relacionamento da menina.

Silvia desapareceu no dia 27 de junho. Dakiany conta que saiu para trabalhar e que a filha aproveitou que a tia estava dormindo e fugiu. Desde então, não tem muitas pistas de onde a garota está.

“Nós tivemos uma briga na sexta [23] porque eu peguei conversas dela com uma menina que ela está namorando desde março e eu fui contra o relacionamento, por ser uma pessoa de má índole, que mexe com drogas, tem amigos que são traficantes”, disse a mãe.

Dakiany contou que as duas ficaram brigadas por dois dias, mas depois voltaram a se falar e que a filha não demonstrou nada diferente.

A principal suspeita da mãe é que a filha esteja escondida com a namorada, que mora em Guapó. “Registrei o caso na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente e estou esperando a polícia ir atrás dessa menina para saber se ela está lá, se tem alguma pista”, completou a promotora de vendas.

G1 entrou em contato com a DPCA, mas não conseguiu falar com a delegada responsável pelo caso.

Silvia Santana sumiu no dia 27 de junho, em Goiânia (Foto: Arquivo Pessoal/Dakiany Santana)
Silvia Santana sumiu no dia 27 de junho, em Goiânia (Foto: Arquivo Pessoal/Dakiany Santana)

G1/GO

Após fugir com bebê de 10 meses, adolescente devolve criança à família

A família ficou 24 horas longe do bebê.

Uma adolescente de 15 anos desapareceu com a bebê de 10 meses Beatriz Rodrigues do Nascimento na tarde de quarta-feira (21), no bairro 6 de Agosto, em Rio Branco, no Acre.

Após 24 horas, a jovem entregou a criança para a mãe, a professora Michele Rodrigues, de 25 anos.

Segundo o G1, a adolescente que fugiu com o bebê é vizinha da família e desapareceu após dizer que ia passear com a criança.

A pequena Bia, como é chamada pela família, foi encontrada em um posto de gasolina na Vila Acre, Segundo Distrito de Rio Branco. A mãe da criança contou que a adolescente deixou o bebê com uma mulher que entregou aos pais.

“A menina eu nem cheguei a ver. Ela deixou a criança com outra pessoa para me entregar e sumiu. A pessoa que ficou com a criança não soube dizer nada, ela estava em um posto de gasolina e só me entregou o bebê. Tentei segurar ela até a polícia chegar, mas não consegui”, relata a mãe.

A família agora pretende submeter a menina a corpo de delito e vai seguir com a denúncia contra a jovem.

Noticias ao Minuto