Em um dia, duas pessoas morrem em acidentes envolvendo adolescentes ao volante

Um deles, registrado perto do setor Santa Fé, provocou a morte de José Almir Linhares, de 51 anos. No outro, a cozinheira Maria Irisneide da Silva, de 32, não resistiu.

Os dois acidentes com mortes registrados em Palmas neste domingo (16) envolveram adolescentes ao volante. Um deles aconteceu perto do Setor Santa Fé, região sul da capital e provocou a morte de José Almir Linhares Galvão, de 51 anos.Dois veículos capotaram.

Um dos carros era conduzido por um adolescente. No outro acidente, a cozinheira Irisneide da Silva Souza, de 32 anos, também não resistiu. Ela teve a moto atingida por um carro. Um menor de 17 anos dirigia o veículo.

O primeiro acidente aconteceu por volta de 8h. Galvão estava indo para a chácara da sogra tomar café da manhã. No veículo também estavam a filha e o genro. A jovem ficou ferida e precisou ser levada para a UPA.

Empresário morreu após acidente com carro conduzido por adolescente — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

“Quando a gente estava na estrada veio um carro em alta velocidade, minha namorada ainda avisou o meu sogro: ‘Pai acho que vai bater’. Na hora que eu olhei para trás, vi o carro perdendo o controle, triscou na traseira da caminhonete que a gente estava. Foi aí que a caminhonete saiu da estrada e capotou por várias vezes”, disse o genro da vítima, Rodrigo do Vale.

Galvão não usava cinto de segurança e foi arremessado do veículo. iria fazer 52 anos no mês que vem. Ele tinha loteamentos no sul da capital e era muito conhecido na região.

O menor, que conduzia o carro de passeio, estava na companhia de outro adolescente, que também se feriu. Os dois foram levados para a UPA. Eles não estavam alcoolizados. Depois de receber atendimento médico, eles foram levados para a Central de Flagrantes. O dono do carro em que eles estavam também foi chamado e deve ser multado por entregar o veículo para o menor.

Segundo acidente

O outro acidente foi registrado na avenida LO-04, entre as quadras Acno11 (103 Norte) e Arno 21 (203 Norte), em Palmas. A cozinheira Maria Irisneide da Silva Souza, de 32 anos, estava em uma motocicleta e havia acabado de sair da Unidade de Pronto Atendimento. Ela foi atingida por um carro ao tentar cruzar uma avenida.

A Polícia Civil informou que o motorista do carro é um adolescente, de 17 anos, que estava acompanhado por dois amigos, também menores de idade. Os três não se feriram. Mais tarde, foram levados pela família para depor na delegacia e liberados depois de serem ouvidos.

Durante o depoimento, o pai do adolescente disse que o filho usou o carro sem autorização e que isso já tinha acontecido outras vezes. Ainda segundo o pai, o jovem não viu a motociclista entrar na avenida. O delegado de plantão informou que a Polícia Militar permitiu que o jovem saísse do local do acidente e não registrou a ocorrência. O trabalho foi feito pelos agentes de trânsito, que alegaram para a Polícia Civil que não fizeram o teste do bafômetro porque estava sem o equipamento.

A mulher era cozinheira em um supermercado de Palmas e deixou três filhos de sete, cinco e dois anos. Apenas o laudo da perícia poderá confirmar quem causou o acidente.

Cozinheira morre após motocicleta ser atingida por carro em cruzamento

“Agora é cuidar dos meus filhos, levantar a cabeça e cuidar dos meus filhos da melhor forma possível”, disse o marido da vítima, José Renan Xavier. 

G1 Tocantins.

Tempo seco aumenta o risco de acidentes com animais nas rodovias do Tocantins

Nessa época, os animais precisam percorrer quilômetros para achar comida e água. Ao todo, oito acidentes foram registrados este ano nas rodovias federais.

O tempo seco e as queimadas, que se intensificas em agosto e setembro, aumentam o risco de acidentes envolvendo animais nas rodovias. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, é nesse período que os animais precisem andar mais para achar comida e água. Só este ano, foram registrados oito acidentes, sendo dois envolvendo mortes de pessoas.

As queimadas colocam a vida de muitos dos bichos em risco. É que a fuga em busca de abrigo, geralmente os leva para as rodovias.

A situação é preocupante porque só entre setembro e dezembro do ano passado, 17 acidentes envolvendo atropelamentos de animais foram registrados no Tocantins.

O policial rodoviário federal, Daniel de Oliveira, explica que nem sempre essas ocorrências envolvem animais silvestres. Gado e cavalos também são um perigo e pode haver punição para os responsáveis.

“Uma vez que a PRF flagra um animal solto, seja um gado ou um cavalo solto na pista, identifica-se o seu proprietário, essa pessoa será autuada e lavrado o termo circunstanciado de ocorrência, vindo ela a responder criminalmente por essa situação, se o Ministério Público entender. Pode inclusive sir imputado àquela pessoa, caso ocorra um óbito ou lesão corporal, a responsabilidade desse crime.”

Para os motoristas, a orientação é sempre a mesma: muito cuidado ao trafegar.

“Vale a pena chamar a atenção da população para que não ande com excesso de velocidade e sempre conduza com atenção pois, além dos riscos próprios da condução do veículo na rodovia, também temos o agravante dos animais na pista.” Recomendou Oliveira

Dados

O site fez reportagem mostrando que 84 acidentes foram registrados nas rodovias estaduais, entre janeiro e julho desse ano. A PM informou que desse total, 55 foram atropelamento de animais sem vítimas. Em 26, pessoas ficaram feridas e em três houve mortes.

No dia 20 de julho, o pedreiro Remilson da Silva Soares, de 37 anos, não resistiu após o carro em que ele estava bater em um boi na TO-222, perto de Santa Fé do Araguaia, norte do Tocantins. Quatro pessoas ficaram feridas.

Em junho desse ano, o motociclista Kássio Sklly Viana Nascimento, de 37 anos, morreu após bater em um cavalo. O acidente aconteceu na TO-050, em Palmas. Equipes do Samu e Bombeiros fizeram atendimento, mas ele morreu no local após sofrer uma parada cardíaca.

G1 Tocantins.

Funcionários de hospital público são suspeitos de cobrar para atender vítimas de acidentes

Segundo o Ministério Público Estadual, esquema envolvia um médico ortopedista, uma enfermeira e um técnico de enfermagem. Caso teria acontecido no Hospital Regional de Augustinópolis.

Três profissionais do Hospital Regional de Augustinópolis são suspeitos de cobrar propina para atender pacientes vítimas de acidentes de trânsito na unidade. Segundo o promotor Paulo Sérgio Ferreira de Almeida, do Ministério Público Estadual, os três chegaram a pedir pouco mais de R$ 3,6 mil de um dos doentes.

Segundo o MPE, alguns pacientes tinham baixa renda e precisaram fazer empréstimos bancários para pagar pelo atendimento que deveria ser gratuito. O esquema, de acordo com as investigações, envolvia um médico ortopedista, uma enfermeira e um técnico de enfermagem. Eles ainda não tiveram os nomes divulgados.

A denúncia foi apresentada pela esposa de uma das vítimas e por outros profissionais do hospital, que teriam ficado indignados com a situação. Os três teriam vários anos de serviço no local. Dois são funcionários concursados e um foi contratado.

Em um dos casos apurados, o paciente pagou R$ 2,3 mil por uma cirurgia no braço. Ele teve fratura no braço e uma queimadura no pé após um acidente de trânsito. Apenas o médico e o técnico de enfermagem teriam atendido ao homem.

Já no segundo caso denunciado, que envolve os três profissionais, a propina teria sido de R$ 3,6 mil para fazer a cirurgia na perna de uma vítima de acidente de carro.

O MPE apresentou denúncia à Justiça e pediu que os três percam os cargos e tenham a prisão preventiva decretada. Na mesma ação, a promotoria pede que o Estado seja condenado a indenizar os pacientes.

A Secretaria Estadual da Saúde disse que ainda não foi notificada sobre o caso e que tomará a ‘atitude administrativa adequada’ assim que isto acontecer.

G1 Tocantins.

Estado tem redução no número de acidentes e mortes nas rodovias federais

Dados foram divulgados pela Polícia Rodoviária Federal em balanço da temporada de férias. Por outro lado, houve aumento no número de pessoas feridas.

Em trotes ao Samu, pessoas inventam acidentes e fingem choro; áudios

Até julho desse ano, já foram identificadas 1,4 mil chamadas com falsos pedidos de socorro. Lei sancionada pelo governador vai multar em até dois salários mínimos quem passar trote.

Até o mês de julho desse ano, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) recebeu mais de 1,4 mil trotes. Áudios divulgados pelo Samu mostram que a brincadeira de mau gosto prejudica o trabalho dos profissionais. Algumas pessoas inventam acidentes, fingem choro e falam que são do Rio de Janeiro.Uma lei sancionada pelo governador Mauro Carlesse vai multar quem fizer trote.

Em um dos telefonemas gravados, uma pessoa relata um acidente.

“Aqui está precisando de uma ambulância, na casa da Maria Oliveira de Sousa. Teve um grave acidente vem agora, vem logo. É em Centenário.”

A pessoa finge que está chorando. Ao fundo, é possível escutar voz de menores. A atendente percebe que é um trote e desliga.

Em outro áudio, mais uma chamada falsa. A pessoa diz que está no Rio de Janeiro.

“Boa noite, é porque aconteceu um grave acidente. Meu nome é Natasha. É do Rio de Janeiro. [Tenho] 28 anos. Ligeiro rapaz, estou apressada.”

A atendente percebe que é trote e fica em silêncio, por fim a pessoa critica por não ser ouvida.

“Deus me livre, esse povo não atende ninguém, credo.”

A brincadeira agora vai sair cara. O Estado vai multar em até dois salários mínimos quem fazer trote para o Samu, Bombeiros e Polícia Militar. A lei entra em vigor num prazo de 90 dias e se aplica aos assinantes ou responsáveis pela linha telefônica que acionar os serviços de emergência de forma indevida, com má-fé, que não tenha como objetivo o atendimento solicitado ou a situação real do que for informado.

Segundo estabelece a lei, quando o proprietário da linha telefônica ou o responsável pela ligação for identificado, será enviado relatório ao órgão estadual competente, que fará o auto de infração e encaminhará a multa ao endereço da pessoa.

O responsável terá um prazo de 30 dias para apresentar defesa por escrito ao órgão competente, que poderá cancelar a multa a depender da situação.

“A partir do momento em que a gente percebe a ligação, aquele número fica gravado, vai para um banco de dados e a partir dali a gente pode extratificar”, explica o diretor técnico do Samu, Luciano Lopes.

Os Bombeiros dizem que muitas das ligações são feitas por crianças. Portanto, os pais vão pecisar redobrar os cuidados.

G1 Tocantins.

Bombeiros registraram quase 50 acidentes durante o carnaval no Tocantins

Palmas concentrou a maior parte das ocorrências do tipo, com 14 casos. Em todo o período da festa, as equipes atenderam mais de 250 chamados no estado.

Corpo de Bombeiros atendeu a 48 acidentes de trânsito durante o período do carnaval no Tocantins. O balanço foi divulgado nesta quarta-feira (14).

Palmas liderou o ranking, com 14 casos. A lista segue com Araguaína, que teve nove ocorrências; Gurupi, com sete registros e Porto Nacional, com seis acidentes registrados.

O número de mortos e feridos não foi divulgado pela corporação, já que eles fazem o transporte das vítimas para hospitais e não registram o que acontece com elas depois do atendimento médico.

A maioria destes acidentes é de natureza leve, em área urbana e não tem mortos.

Em todo o período, os militares atenderam a mais de 250 chamados de emergência, 49 deles em locais onde havia festas de carnaval.

Algumas das situações mais comuns são emergências clínicas, abuso de drogas, agressões, desmaios e tentativas de suicídio.

A Polícia Rodoviária Federal deve divulgar na quinta-feira (15) um balanço dos acidentes nas estradas. Hoje eles informaram que mais de mil condutores foram flagrados acima da velocidade permitida nas rodovias durante os dias da folia.

A imprudência ainda é considerada a maior causa de acidentes no Tocantins.

G1 Tocantins

Véspera de Carnaval começa com duas mortes em acidentes nas rodovias do Tocantins

Um acidente foi registrado na BR-242, em Peixe e outro na BR-153, em Wanderlândia. Os dois casos são de batidas entre carros e motocicletas.

Duas pessoas morreram e três ficaram feiras em acidentes na noite desta quinta-feira (8) em rodovias federais do Tocantins.

As batidas envolviam carros e motos e aconteceram em Peixe e Wanderlândia.

Peixe

Um jovem de 23 anos, que não teve o nome divulgado, morreu em um acidente de trânsito no km 325, da BR-242, em Peixe. O caso aconteceu por volta das 19h45.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, ele estava em uma motocicleta que bateu de frente com uma caminhonete.

De acordo com a PRF, a motocicleta teria invadido a contramão, provocando a batida. O motorista da caminhonete, um jovem de 22 anos, que também não teve a identidade divulgada, não se feriu.

Wanderlândia

Em Wanderlândia, uma pessoa morreu e três ficaram feridas após uma motocicleta bater de frente com um carro.

O acidente aconteceu no km 123, da BR-153, na noite desta quinta-feira (8), por volta das 19h35.

Os nomes das vítimas não foram divulgados.

Uma pessoa morreu e três ficaram feridas após carro e moto baterem de frente (Foto: PRF/Divulgação)

Feriado termina com duas mortes e sete acidentes nas rodovias federais do TO

A PRF registrou aumento no número de mortes e redução de acidentes e feridos se comparado com 2016. A operação Ano Novo foi realizada de 29 de dezembro de 2017 a 1° de janeiro.

O feriado de fim de ano terminou com duas mortes e cinco feridos em sete acidentes. De acordo com o balanço da Operação Ano Novo, realizada pela Polícia Rodoviária Federal, houve aumento no número de mortes e queda nos registros de acidentes.

Na operação do ao passado, de 2016 para 2017 uma morte foi registrada nas rodovias do estado, contra duas neste ano. Já quanto ao número de acidentes e feridos houve redução. No período de 2017 para 2018 ocorreram 7 acidentes, enquanto de 2016 para 2017 foram 14. Esse ano cinco pessoas ficaram feridas em rodovias federais e 15 na operação passada.

A operação Ano Novo foi realizada do dia 29 de dezembro de 2017 ao dia 1° de janeiro deste ano.

A PRF também intensificou a fiscalização no combate à embriaguez, 178 pessoas fizeram o teste do bafômetro. Uma pessoa foi detida dirigindo sob efeito de álcool e teve a Carteira Nacional de Habilitação recolhida. A multa por embriaguez ao volante tem o valor estabelecido de R$ 2.934,70.

G1 Tocantins

Quatro homens ficam feridos em acidentes no interior do estado

Casos aconteceram em um trevo de Porto Nacional, na região central, e na zona rural de Dianópolis, no sudeste. Bombeiros dizem que um dos motoristas apresentava sinais de embriaguez.

Quatro pessoas ficaram feridas em acidentes no interior do Tocantins nesta segunda-feira (23). O primeiro caso aconteceu por volta das 1h30 em um trevo de Porto Nacional. O Corpo de Bombeiros informou que a caminhonete saiu da pista e capotou na saída da cidade para a capital, na TO-050. Dois homens, de 42 e 45 anos, estavam no veículo. O homem de 45 anos ficou com o braço preso entre o teto do carro e o chão.

Após o resgate da vítima que estava presa às ferragens, os dois feridos foram levados para o Hospital Regional de Porto Nacional. Parte da carga que estava na carroceria ficou espalhada pelo mato seco no local.

Caminhonete capotou em trevo na TO-050, em Porto Nacional (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

Algumas horas mais tarde, por volta das 6h30, o segundo acidente foi registrado na zona rural de Dianópolis. O caso foi na TO-040, próximo ao povoado Novo Jardim, a 25 quilômetros da cidade. Os Bombeiros informaram que dois veículos bateram de frente e que os ocupantes de um deles apresentavam sinais de embriaguez.

Dois homens ficaram presos às ferragens no segundo carro e os militares precisaram cerrar o metal retorcido para fazer os resgates. As vítimas têm 52 e 21 anos e foram levados para o Hospital Regional de Dianópolis. Os Bombeiros também utilizaram serragem para evitar que o combustível que vazou de um dos veículos colocasse a mata em risco.

 G1/TO

PRF flagra mais de 100 motoristas bêbados durante o carnaval em Goiás

Quinze pessoas morreram nas rodovias federais que cortam o estado.
Polícia aplicou mais de 12 mil multas durante os seis dias da operação.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou 116 motoristas dirigindo alcoolizados durante o carnaval deste ano em rodovias federais que cortam o estado Goiás. Segundo balanço apresentado nesta quinta-feira (2), foram registradas 15 mortes em acidentes nas estradas, além de mais de 12 mil multas, a maior parte delas por excesso de velocidade.

De acordo com o assessor de comunicação da PRF, o inspetor Newton Moraes, foram realizados cerca de 40 testes do bafômetro por hora durante o carnaval, que flagraram 32 motoristas alcoolizados a mais do que no ano passado. Além disto, ele destacou a frequente falta de uso de equipamentos de segurança, como o cinto e a cadeirinha para crianças.

“Primeiro a questão do álcool, que é algo que nos chama muita atenção, dada a irresponsabilidade dos motoristas. Todos já estão cansados de saber dos riscos de se dirigir depois de beber. Risco para a própria vida e para o outro. E nos assusta ainda o número de pessoas sem cinto de segurança. Foram mais de 300 motoristas flagrados sem o equipamento, isto é muito preocupante”, considerou.

A Operação Carnaval começou na última sexta-feira (24) e terminou na meia noite de quarta-feira (1º) em todas as rodovias federais que cortam o estado. Segundo o inspetor, um dos casos que mais chamou atenção da corporação foi o de um idoso bêbado dirigindo uma ambulância na BR-153, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

Conforme a corporação, não havia nenhum paciente no veículo e o condutor admitiu ter parado em um posto de combustíveis e tomado uma cerveja.  Ao fazer o teste do bafômetro, o aparelho indicou teor alcoólico de 0,24 miligramas de álcool por litro de ar expelido (mg/l), portanto, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do condutor e o veículo foram apreendidos.

“O que a gente espera é que estes motoristas que foram autuados, tiveram a CNH recolhida e podem sofrer processos administrativos, sejam exemplo no próximo carnaval. Nós não queremos registrar aumento de pessoas sendo flagradas dirigindo alcoolizadas”, destacou.

Criança é levada irregularmente em picape na BR-060, em Rio Verde, Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)
PRF multou 44 condutores levando crianças fora da cadeirinha (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)

Acidentes
O número de acidentes com vítimas diminuiu no carnaval deste ano em relação ao do ano passado. Segundo a PRF, foram registrados 9 acidentes, contra 17 de 2016. O número de feridos caiu de 82, no ano passado, para 78 este ano.  Segundo a PRF, 15 pessoas morreram nas rodovias federais durante os seis dias de operação.

“A principal causa dos acidentes que agente registrou foi o excesso de velocidade e as ultrapassagens proibidas”, destacou o inspetor.

O acidente mais grave foi na sexta-feira (24) no km 169 da BR-020, em Alvorada do Norte, no Entorno do Distrito Federal. Nove pessoas morreram após dois veículos baterem de frente quando trafegavam pela rodovia.

Na quarta-feira (1º) a PRE também divulgou o balanço da Operação Carnaval, que apontou um número de mortes três vezes maior do que no carnaval do ano passado. Segundo a polícia, 9 pessoas morreram em rodovias estaduais. Foram registrados 32 acidentes e 59 pessoas feridas.

Fiat Siena tentou ultrapassagem, não conseguiu e atingiu outros dois veículos, diz PRF (Foto: Divulgação/PRF)
Fiat Siena tentou ultrapassagem, não conseguiu e atingiu outros dois veículos, diz PRF (Foto: Divulgação/PRF)

Fonte:G1/Go