Bombeiros registraram quase 50 acidentes durante o carnaval no Tocantins

Palmas concentrou a maior parte das ocorrências do tipo, com 14 casos. Em todo o período da festa, as equipes atenderam mais de 250 chamados no estado.

Corpo de Bombeiros atendeu a 48 acidentes de trânsito durante o período do carnaval no Tocantins. O balanço foi divulgado nesta quarta-feira (14).

Palmas liderou o ranking, com 14 casos. A lista segue com Araguaína, que teve nove ocorrências; Gurupi, com sete registros e Porto Nacional, com seis acidentes registrados.

O número de mortos e feridos não foi divulgado pela corporação, já que eles fazem o transporte das vítimas para hospitais e não registram o que acontece com elas depois do atendimento médico.

A maioria destes acidentes é de natureza leve, em área urbana e não tem mortos.

Em todo o período, os militares atenderam a mais de 250 chamados de emergência, 49 deles em locais onde havia festas de carnaval.

Algumas das situações mais comuns são emergências clínicas, abuso de drogas, agressões, desmaios e tentativas de suicídio.

A Polícia Rodoviária Federal deve divulgar na quinta-feira (15) um balanço dos acidentes nas estradas. Hoje eles informaram que mais de mil condutores foram flagrados acima da velocidade permitida nas rodovias durante os dias da folia.

A imprudência ainda é considerada a maior causa de acidentes no Tocantins.

G1 Tocantins

Véspera de Carnaval começa com duas mortes em acidentes nas rodovias do Tocantins

Um acidente foi registrado na BR-242, em Peixe e outro na BR-153, em Wanderlândia. Os dois casos são de batidas entre carros e motocicletas.

Duas pessoas morreram e três ficaram feiras em acidentes na noite desta quinta-feira (8) em rodovias federais do Tocantins.

As batidas envolviam carros e motos e aconteceram em Peixe e Wanderlândia.

Peixe

Um jovem de 23 anos, que não teve o nome divulgado, morreu em um acidente de trânsito no km 325, da BR-242, em Peixe. O caso aconteceu por volta das 19h45.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, ele estava em uma motocicleta que bateu de frente com uma caminhonete.

De acordo com a PRF, a motocicleta teria invadido a contramão, provocando a batida. O motorista da caminhonete, um jovem de 22 anos, que também não teve a identidade divulgada, não se feriu.

Wanderlândia

Em Wanderlândia, uma pessoa morreu e três ficaram feridas após uma motocicleta bater de frente com um carro.

O acidente aconteceu no km 123, da BR-153, na noite desta quinta-feira (8), por volta das 19h35.

Os nomes das vítimas não foram divulgados.

Uma pessoa morreu e três ficaram feridas após carro e moto baterem de frente (Foto: PRF/Divulgação)

Feriado termina com duas mortes e sete acidentes nas rodovias federais do TO

A PRF registrou aumento no número de mortes e redução de acidentes e feridos se comparado com 2016. A operação Ano Novo foi realizada de 29 de dezembro de 2017 a 1° de janeiro.

O feriado de fim de ano terminou com duas mortes e cinco feridos em sete acidentes. De acordo com o balanço da Operação Ano Novo, realizada pela Polícia Rodoviária Federal, houve aumento no número de mortes e queda nos registros de acidentes.

Na operação do ao passado, de 2016 para 2017 uma morte foi registrada nas rodovias do estado, contra duas neste ano. Já quanto ao número de acidentes e feridos houve redução. No período de 2017 para 2018 ocorreram 7 acidentes, enquanto de 2016 para 2017 foram 14. Esse ano cinco pessoas ficaram feridas em rodovias federais e 15 na operação passada.

A operação Ano Novo foi realizada do dia 29 de dezembro de 2017 ao dia 1° de janeiro deste ano.

A PRF também intensificou a fiscalização no combate à embriaguez, 178 pessoas fizeram o teste do bafômetro. Uma pessoa foi detida dirigindo sob efeito de álcool e teve a Carteira Nacional de Habilitação recolhida. A multa por embriaguez ao volante tem o valor estabelecido de R$ 2.934,70.

G1 Tocantins

Quatro homens ficam feridos em acidentes no interior do estado

Casos aconteceram em um trevo de Porto Nacional, na região central, e na zona rural de Dianópolis, no sudeste. Bombeiros dizem que um dos motoristas apresentava sinais de embriaguez.

Quatro pessoas ficaram feridas em acidentes no interior do Tocantins nesta segunda-feira (23). O primeiro caso aconteceu por volta das 1h30 em um trevo de Porto Nacional. O Corpo de Bombeiros informou que a caminhonete saiu da pista e capotou na saída da cidade para a capital, na TO-050. Dois homens, de 42 e 45 anos, estavam no veículo. O homem de 45 anos ficou com o braço preso entre o teto do carro e o chão.

Após o resgate da vítima que estava presa às ferragens, os dois feridos foram levados para o Hospital Regional de Porto Nacional. Parte da carga que estava na carroceria ficou espalhada pelo mato seco no local.

Caminhonete capotou em trevo na TO-050, em Porto Nacional (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

Algumas horas mais tarde, por volta das 6h30, o segundo acidente foi registrado na zona rural de Dianópolis. O caso foi na TO-040, próximo ao povoado Novo Jardim, a 25 quilômetros da cidade. Os Bombeiros informaram que dois veículos bateram de frente e que os ocupantes de um deles apresentavam sinais de embriaguez.

Dois homens ficaram presos às ferragens no segundo carro e os militares precisaram cerrar o metal retorcido para fazer os resgates. As vítimas têm 52 e 21 anos e foram levados para o Hospital Regional de Dianópolis. Os Bombeiros também utilizaram serragem para evitar que o combustível que vazou de um dos veículos colocasse a mata em risco.

 G1/TO

PRF flagra mais de 100 motoristas bêbados durante o carnaval em Goiás

Quinze pessoas morreram nas rodovias federais que cortam o estado.
Polícia aplicou mais de 12 mil multas durante os seis dias da operação.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou 116 motoristas dirigindo alcoolizados durante o carnaval deste ano em rodovias federais que cortam o estado Goiás. Segundo balanço apresentado nesta quinta-feira (2), foram registradas 15 mortes em acidentes nas estradas, além de mais de 12 mil multas, a maior parte delas por excesso de velocidade.

De acordo com o assessor de comunicação da PRF, o inspetor Newton Moraes, foram realizados cerca de 40 testes do bafômetro por hora durante o carnaval, que flagraram 32 motoristas alcoolizados a mais do que no ano passado. Além disto, ele destacou a frequente falta de uso de equipamentos de segurança, como o cinto e a cadeirinha para crianças.

“Primeiro a questão do álcool, que é algo que nos chama muita atenção, dada a irresponsabilidade dos motoristas. Todos já estão cansados de saber dos riscos de se dirigir depois de beber. Risco para a própria vida e para o outro. E nos assusta ainda o número de pessoas sem cinto de segurança. Foram mais de 300 motoristas flagrados sem o equipamento, isto é muito preocupante”, considerou.

A Operação Carnaval começou na última sexta-feira (24) e terminou na meia noite de quarta-feira (1º) em todas as rodovias federais que cortam o estado. Segundo o inspetor, um dos casos que mais chamou atenção da corporação foi o de um idoso bêbado dirigindo uma ambulância na BR-153, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

Conforme a corporação, não havia nenhum paciente no veículo e o condutor admitiu ter parado em um posto de combustíveis e tomado uma cerveja.  Ao fazer o teste do bafômetro, o aparelho indicou teor alcoólico de 0,24 miligramas de álcool por litro de ar expelido (mg/l), portanto, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do condutor e o veículo foram apreendidos.

“O que a gente espera é que estes motoristas que foram autuados, tiveram a CNH recolhida e podem sofrer processos administrativos, sejam exemplo no próximo carnaval. Nós não queremos registrar aumento de pessoas sendo flagradas dirigindo alcoolizadas”, destacou.

Criança é levada irregularmente em picape na BR-060, em Rio Verde, Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)
PRF multou 44 condutores levando crianças fora da cadeirinha (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)

Acidentes
O número de acidentes com vítimas diminuiu no carnaval deste ano em relação ao do ano passado. Segundo a PRF, foram registrados 9 acidentes, contra 17 de 2016. O número de feridos caiu de 82, no ano passado, para 78 este ano.  Segundo a PRF, 15 pessoas morreram nas rodovias federais durante os seis dias de operação.

“A principal causa dos acidentes que agente registrou foi o excesso de velocidade e as ultrapassagens proibidas”, destacou o inspetor.

O acidente mais grave foi na sexta-feira (24) no km 169 da BR-020, em Alvorada do Norte, no Entorno do Distrito Federal. Nove pessoas morreram após dois veículos baterem de frente quando trafegavam pela rodovia.

Na quarta-feira (1º) a PRE também divulgou o balanço da Operação Carnaval, que apontou um número de mortes três vezes maior do que no carnaval do ano passado. Segundo a polícia, 9 pessoas morreram em rodovias estaduais. Foram registrados 32 acidentes e 59 pessoas feridas.

Fiat Siena tentou ultrapassagem, não conseguiu e atingiu outros dois veículos, diz PRF (Foto: Divulgação/PRF)
Fiat Siena tentou ultrapassagem, não conseguiu e atingiu outros dois veículos, diz PRF (Foto: Divulgação/PRF)

Fonte:G1/Go

Acidentes durante o feriado deixam 23 feridos e um morto nas rodovias

Segundo PRF, 13 acidentes foram registrados nas estradas federais.
Operação começou na sexta-feira (11) e terminou na terça-feira (15).

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou nesta quarta-feira (16) o balanço da Operação Proclamação da República. Foram registrados 13 acidentes com 23 feridos e uma morte. A operação começou na sexta-feira (11) e terminou nesta terça-feira (15).

De acordo com a PRF, 23 motoristas foram flagrados dirigindo embriagados. Também foram registradas infrações como criança sendo transportada sem o uso de cadeirinha, excesso de velocidade e ultrapassagem em faixa dupla.

Durante a fiscalização, os motoristas foram convidados a participar do Cinema Rodoviário em Guaraí. Palestras e vídeos com as principais causas de acidentes foram mostrados aos condutores. Cerca de 1,2 mil pessoas participaram da ação.(fonte:g1/to)

“Segurança das crianças é responsabilidade de todos”, diz presidento do Detran-GO

Dados mostram que no Brasil mais de 1,6 mil crianças morrem por ano em acidentes de trânsito. Uso correto da cadeirinha pode reduzir em 70% índice de fatalidades

 A Organização Mundial de Saúde estima que diariamente 500 crianças, em todo mundo, são vítimas do trânsito. No Brasil, essa é a principal causa de morte acidental de pessoas com até 14 anos de idade. Em 2014, 1.654 meninos e meninas nessa faixa etária morreram vitimadas por acidentes de trânsito, sendo que 34% eram passageiros de veículos, 29% pedestres, 11% estavam em motocicletas, 6% eram ciclistas. Outros 20% dos casos são referentes a motivos diversos.

Na avaliação do presidente do Detran-GO, Manoel Xavier Ferreira Filho, além do respeito às leis de trânsito, especialmente aos limites de velocidade, pais e responsáveis devem obrigatoriamente cuidar da segurança dos pequenos. Isso pode ser feito com a adoção de medidas simples, como o uso de dispositivos de segurança adequados a cada idade e evitar que menores de dez anos transitem pelas ruas sem a supervisão de um adulto.

Estudos americanos apontam, por exemplo, que o uso correto das cadeirinhas reduzem em 71% o índice de óbito de crianças em acidentes. No Brasil, em vigor desde 2010, a lei da cadeirinha é considerada um avanço na proteção à criança no trânsito. Porém, até hoje, ainda há quem insista em descumprir a resolução do Conselho Nacional de Trânsito e colocar a vida dos pequenos em risco.

Manoel Xavier argumenta que a cadeirinha deve ser utilizada mesmo que seja para transportar a criança em pequenas distâncias. Até completar um ano, os pequeninos devem ser levados em bebês-confortos, fixados no banco traseiro, e costa para o motorista. De um a quatro anos, a criança deve ser carregada em cadeirinha, fixada no banco traseiro, virada de frente para o condutor. Dos quatro aos sete anos e meio, é necessário o uso do assento de elevação. De sete aos dez anos, a criança deve continuar usando o banco traseiro, sempre com o cinto de segurança.

Dados do Detran-GO mostram que, de janeiro a agosto deste ano, 2.255 condutores foram flagrados transportando crianças sem a devida proteção. Em Goiânia, foram aplicadas 205 multas pelo mesmo motivo nesse período. A desobediência é considerada infração gravíssima e resulta em multa de R$ 191,54, perda de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação e retenção do veículo até que a irregularidade seja sanada.

Pedestres

Os números revelam que não é só dentro dos carros que a segurança dos pequenos merece atenção. Para prevenir atropelamentos, os condutores devem estar atentos à sinalização e ao limite de velocidade, especialmente, em áreas urbanas. Já os pais e responsáveis não devem permitir que menores de 10 anos andem sozinhos nas ruas.

Segundo o presidente do Detran-GO, as crianças são um dos grupos mais vulneráveis. “Elas não sabem avaliar corretamente a distância e a velocidade de um veículo em movimento, além de ter a estrutura corpórea ainda frágil”. Por isso, são os adultos que devem supervisionar as crianças e cuidar para que elas estejam protegidas no trânsito.

Motocicletas

Manoel Xavier aponta ainda o transporte inadequado de crianças em motocicletas como um fator preocupante. A legislação permite que crianças maiores de sete anos sejam caronas sob duas rodas. Porém, lembra que é essencial que elas tenham condições de cuidar da própria segurança e que estejam protegidas com roupas e capacetes adequados à sua estrutura.

Para oferecer o mínimo de segurança, o capacete para a criança não pode ter o mesmo tamanho do de um adulto. Na contramão da legislação, estudiosos defendem que só maiores de 11 anos sejam transportados em motocicletas como caronas.(fonte:mais goiás notícias)

Maioria dos acidentes em Goiânia acontece na segunda-feira, diz estudo

Seguradora mostra que 16% das colisões são no primeiro dia útil da semana.
Especialistas apontam que principais motivos são desatenção e estresse.

Um estudo feito por uma empresa de seguros aponta que a maioria dos acidentes de trânsito em Goiânia acontece nas segundas-feiras. Dos mais de 2,7 mil casos analisados em um período de 12 meses, 16% deles acontecem no primeiro dia útil da semana. Especialistas apontam que os principais motivos são a desatenção e alto nível de estresse.

O levantamento do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfree levou em consideração as batidas que aconteceram entre junho de 2015 e maio de 2016. Cerca de 77% das colisões acontecem em dias úteis. Já nos finais de semana, a incidência é menor: 13% no sábado e 10% domingo.

A maioria dos acidentes acontece ainda no período da tarde – 41% – enquanto a manhã concentra 32% das ocorrências. A partir das 18h, o número reduz para 23% e, durante a madrugada, apenas 4%.

Condutores com idades entre 27 e 36 anos são os que mais se envolvem em acidentes, representando 29% das batidas. Os condutores entre 37 a 46 anos respondem por 20% dos casos e os condutores com até 26 anos representam 19%.

O levantamento aponta também que, quanto mais velho o condutor, menor a ocorrência de acidente. A partir dos 47 anos, eles envolveram-se em 15% dos acidentes, seguidos dos motoristas de faixa etária maior, até 67 anos, com 12% do total de acidentes e, acima de 68 anos, com 5%.

O gerente executivo de Sinistro Automóvel do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre destaque que muitos motoristas relatam que estavam desatentos ao se envolver em acidentes. “A ideia do estudo é divulgar os dados para deixar todos atentos para essa questão, para que sejam desenvolvidas políticas públicas e também reduzir o número de acidentes”, pontou.

Ele destaca ainda que, apesar de cada cidade ter suas próprias características, esse resultado de acidentes se concentrando nas segundas-feiras se repete em outros municípios. “Esse é um dia de grande impacto emocional para o motorista, que está voltando à rotina, fica ansioso, o que aumenta a desatenção e imprudência no trânsito”, completou.

O químico Gabriel Lassi sofreu um acidente de carro na segunda-feira, em Goiânia, Goiás (Foto: Arquivo Pessoal/Umaitá Pires)
Carro do Gabriel ficou danificado na frente após a batida (Foto: Arquivo Pessoal/Umaitá Pires)

Desatenção e preguiça
O químico Gabriel Lassi Bastos, de 27 anos, foi um dos motoristas que se envolveram em um acidente de trânsito na segunda-feira. “Acordei para trabalhar e estava frio, era 5h e o vidro do carro estava embaçado. Fiquei com preguiça de desembaçar, era só esticar o braço para a porta do passageiro e abrir a janela, mas não fiz. Enquanto eu dirigia, via os faróis dos carros, mas teve um que estava com farol desligado, eu não vi porque a janela estava embaçada e bati na lateral do outro carro”, disse.

Gabriel assume que estava errado. O carro dele ficou amassado na frente e a porta saiu do eixo. Já o outro veículo rodou na pista e teve danos em vários pontos. Apesar da batida, ninguém se feriu.

“Segunda é o pior dia da semana, então eu estava com preguiça de ir trabalhar, desatento”, disse.

Psicologia do trânsito
Apesar de não ter estudos que comprovem esses dados, a psicóloga Carmen Rizzotto da Trindade explica que existem teorias que reforçam o fato de que segunda-feira é um dia em que as pessoas ficam mais desatentas e também estressadas.

“É um dia que ninguém gosta. Trabalho é sinônimo de estresse e, com isso, vem a distração ao volante. Sexta, sábado e domingo são dias em que os índices são menores justamente porque terminou a semana, as pessoas estão mais relaxadas, além do movimento nas ruas diminuir”, disse.

A psicóloga, que também coordena a especialização em Psicologia do Trânsito em uma faculdade, destaca que a maior incidência de acidentes na parte da tarde pode estar ligada ao calor e ao horário após almoço, o que aumenta ainda mais o estresse e desatenção, levando à imprudência ao volante.

Por fim, Carmen ressalta que a mulher se envolve em um número menor de colisões por ser mais cuidadosa, enquanto o homem tem uma característica mais “ousada e aventureira”. “Antropologicamente falando, o macho da espécie ainda carrega características de que tem que ser forte, lutar pela sobrevivência e, por essa situação, tem um senso de aventura maior. Já a mulher está ligada à continuidade e preservação da espécie, então é mais cuidadosa, delicada”, completou.(fonte:g1/go)

Quatro motociclistas morrem em acidentes no Tocantins

Dois acidentes envolveram motos e caminhões em rodovias estaduais.
Batidas foram registradas neste fim de semana

Acidente entre motocicleta e caminhão causa duas mortes em Almas (Foto: Divulgação)
Acidente entre motocicleta e caminhão causa
duas mortes em Almas (Foto: Divulgação)

Quatro motociclistas morreram em acidentes de trânsito registrados em várias regiões do Tocantins, neste fim de semana. Dois dos acidentes aconteceram nas rodovias estaduais, em batidas envolvendo caminhões.

Alvorada
No final da tarde deste domingo (5), um motociclista bateu na traseira de um carro, na avenida Progresso, centro de Alvorada. Ele tinha 40 anos e morreu no local. A suspeita é de que a vítima tenha batido a cabeça. O condutor do carro não teve ferimentos.

Almas
Em Almas, um casal morreu após bater de frente com um caminhão, na manhã deste domingo. O nome das vítimas não foi divulgado. Segundo a Polícia Militar, a colisão aconteceu a 500 metros do trevo, na saída para Porto Alegre, na TO-040. A polícia não deu mais detalhes sobre o acidente.

Carmolândia
Um homem de 36 anos morreu na noite deste sábado (4), a 2 km de Carmolândia, norte do estado. A vítima trafegava de motocicleta na TO-164, sentido Jacilândia, quando bateu de frente em um caminhão que seguia em direção contrária.

Ele morreu no local. As causas da colisão não foram divulgadas. Segundo a polícia, a vítima trabalhava como tratorista na região.(fonte:g1/to)