A primeira reunião intersetorial debateu planejamento familiar, com foco em gravidez na adolescência.

Com objetivo de desenvolver ações voltadas ao planejamento familiar com foco em gravidez na adolescência e doenças sexualmente transmissíveis, a secretaria de saúde de Palmeirópolis realizou na manhã desta quinta-feira (1º), a primeira reunião intersetorial do município.

O evento teve início as 8horas da manhã no auditório da Câmara Municipal.

A saúde da criança e do adolescente foi um dos focos principais da ação, que incluiu o enfrentamento e prevenção da gravidez indesejada e drogradição.

A intenção é que em 2018, haja diminuição dos índices problemáticos referentes a essas questões.

Fazendo parte da equipe do NASF, Daviane Vieira Lôpo apresentou o projeto “Atenção à Saúde do Adolescente”. Pojeto de prevenção da gravidez na adolescência e DST em Palmeirópolis/“ADOLESCENTE CONCIENTE”. Ela ministrou uma palestra sobre o assunto.

O prefeito de Palmeirópolis Fábio Vaz, ao usar a tribuna falou que uma criança mal cuidada leva com ela problemas futuros. A sociedade e as famílias precisam cuidar deste assunto. “Devemos pensar numa solução, sabemos que tem muita situação que existe os abusos sexuais, não vamos “tampar o sol com a peneira”, a importância de nos unirmos e buscarmos uma saída eficaz para nosso município, a criança não tem opção. Se colocarmos uma criança na casa de um vizinho, ou em outro local, ela vai ficar, faz o que determinamos, é vulneral, devemos trabalhar em conjunto com sociedade e principalmente com as famílias”, relatou.

Prefeito de Palmeiropolis Fábio Vaz

A primeira dama Ana Paula Vaz, parabenizou a equipe da secretaria de saúde pela iniciativa do evento e disse que, “quando se trabalha em parceria evita muito este tipo de situação, unidos falando a mesma linga trazemos um bom resultado. Temos que traçar um plano de ação articulado, no qual devemos fazer o trabalho tanto em caráter preventivo quanto de enfrentamento nas problemáticas que alcançam as crianças e os adolescentes, tirar o projeto do papel e “arregaçar as mangas”, destacou emocionada.

Secretária de Assistência Social de Palmeirópolis, Ana Paula Vaz

O secretário de saúde Bartolomeu Moura comentou do filho que nasceu e permanece internado em um hospital do Tocantins e ele (Bartolomeu) observando, ficou comovido de tantas crianças gravidas, outras com bebê no colo dentro do hospital. “Eu fiquei assustado com tantas crianças entre 11, 12, e 13 anos com um filho no colo, uma criança com um bebê na mão, ou seja, uma criança segurando outra criança. A sociedade está vendo isso com naturalidade. Não devemos fechar os olhos, isso acontece no nosso meio, lugar de criança é na escola. Não podemos deixar a criança pular as etapas da vida, elas estão dando um salto assumindo o papel na vida. Está errado, precisam subir os degraus gradativamente, é uma fase do ser humano, e as crianças precisam viver isso”, explicou.

De camiseta branca Bartolomeu Moura, secretário de educação

Bartolomeu ainda acrescentou que a maioria dos pais não conseguem falar de sexo com os filhos, ainda existe este tabu. Nos dias de hoje está difícil, porque é o professor que está fazendo este papel. “Os pais não percebem nada sobre o comportamento dos filhos, entrega na escola para ser cuidado, muitos até dizem que não dão conta de cuidar do próprio filho. É de responsabilidade da família educar, cuidar dos filhos, os pais devem conversar sobre a sexualidade com os filhos, quando a escola faz isso são criticados”, finaliza.

O secretário de saúde Nélio relatou que a sociedade está vivendo numa época que “tudo pode”, os valores estão invertidos. “Vemos casos absurdos em Palmeirópolis, não podemos fechar os olhos, temos que pensar no futuro dos nossos filhos, encontrar formas de ajudar a resolver este problema, a secretaria de saúde está aberta no que puder orientar e também trabalhar no assunto”, disse Nélio.

Secretário de saúde do município Nélio Oliveira.

Mara Layane Alves Benvindo, coordenadora da Atenção Básica de Saúde fez uma apresentação explicando que a saúde veio através desta reunião, trazer uma problemática para que cada secretaria e órgão, e juntos tentar encontrar uma saída. A secretaria de saúde marcou a reunião preocupados com as crianças e adolescentes.

Mara Layane Alves Benvindo, coordenadora da Atenção Básica de Saúde.

“Considera até 21 anos gravidez prematura, a meta do município de Palmeirópolis é de 10 a 19 anos. A gravidez nesta idade pode trazer riscos à saúde da mãe e da criança, acontece toda uma mudança na vida, envolve principalmente a família. O projeto é da secretaria de saúde, com total interesse da prefeitura. A equipe da saúde vem fazendo um planejamento familiar nas escolas, dando palestras, falando das doenças sexualmente transmissíveis, o município é pequeno para o tanto de casos de HIV que existe. A nossa preocupação maior é com as doenças, estamos advertindo que use preservativos. Estamos tentando “cercar” o problema o quanto antes”, enfatizou Mara Layane.  

Para o militar Helon Inácio da Silva, o foco principal, a base de tudo é a família, “a falha é a ausência da família. Os filhos são criados sozinhos, ou com uma baba, irmão (a) mais velho, uma vizinha, ou seja, não adianta nada, sem a família. Devemos começar as reuniões na base, se o pai, ou a mãe não estiver presente não resolve nada, precisamos ser exemplos. Eu posso até ser um profissional mais o menos, agora ser um pai de qualquer jeito não podemos. Temos que assumir a responsabilidade no lar. O filho precisa copiar os pais. As pessoas jogam culpa sempre em alguém sobre o comportamento dos filhos, mas não assumem seu papel dentro de casa”. Desabafou.

Estiveram presentes no evento o prefeito Fábio Vaz, a secretaria de assistência social Ana Paula Vaz, o secretário de saúde Nélio Oliveira Silva, o secretário de educação Bartolomeu Moura Junior, vereadores, (dentre eles): O vice presente da Câmara Nilson Rodrigues, Fábio Gonçalves, Divino da Patrol, Hildene Tóquio, polícia militar, Conselho Tutelar, pastor Marcelo, Amanda, representando o Ministério Público, toda equipe da saúde e servidores da prefeitura.

A equipe da saúde distribuiu vários convites aos orgãos e departamentos de Palmeirópolis, sociedade civil e eclesiástica, escolas, igrejas, mas infelizmente ninguém compareceu ao evento.

Da redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here