Elisângela Mendes Sobrinho, de 43 anos, e o chefe de plantão do presídio, Roberto Aires, ficaram mais de 24 horas em poder dos fugitivos.

A professora Elisângela Mendes Sobrinho, de 43 anos, e o chefe de plantão do presídio Barra da Grota, Roberto Aires, foram liberados após ficar mais de 24 horas como reféns. Eles foram levados por fugitivos do presídio Barra da Grota na tarde desta terça-feira (2).

Os dois estão recebendo atendimento médico em um hospital, mas a Polícia Civil informou que eles não tinham ferimentos e estavam lúcidos. Eles foram deixados no povoado conhecido como Água Amarela, a cerca de 7 km da cidade.

Professora e agente penitenciário foram feitos reféns — Foto: Arte G1

Professora e agente penitenciário foram feitos reféns — Foto: Arte G1

Os 18 presos que estavam com os dois não foram capturados. Equipes das forças de segurança estão na mata próxima ao local fazendo buscas. A família da professora publicou nas redes sociais que falou com ela por telefone e que ela está bem.

As primeiras informações são de que os dois tinham sido deixados amarrados na mata ontem, mas que um dos fugitivos voltou ao local e dessamarrou os dois no começo da noite desta quarta.

A fuga

O drama dos reféns começou às 14h40 desta terça-feira (2). Os presos renderam a professora durante uma aula dentro do presídio e iniciaram uma rebelião. Eles saíram pela porta da frente da unidade por volta das 16h, usando seis pessoas como escudo humano.

Durante a fuga, quatro reféns ficaram feridos e foram deixados para trás. Eles estão fora de risco. Pelo menos dez fugitivos morreram durante o confronto.

G1 Tocantins.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here