Uma pessoa morreu e quatro ficaram feridas no atentado. Dois parentes das vítimas foram presos após abrir fogo contra a polícia, eles estariam planejando uma vingança quando a PM chegou na casa.

A polícia ainda não prendeu nenhum suspeito de ser o autor do ataque a tiros contra uma família de ciganos em Palmas. O atentado foi na noite desta terça-feira (26) e terminou com a morte de João Vitor Cerqueira, de 22 anos, e outras quatro pessoas feridas. A principal hipótese para o crime é uma richa entre duas famílias.

Testemunhas contaram que os criminosos passaram de carro na frente de uma casa na Arse 71 (704 Sul) e abriram fogo contra a família. Os feridos estavam conversando em frente à residência e acabram atingidos pelos disparos.

A Polícia Militar foi até o local atender o caso e descobriu que parentes das vítimas estavam reunidos em outra casa, na Arse 91 (904 Sul), planejando uma vingança. Quando os militares chegaram ao local, foram recebidos a tiros. Houve uma negociação e a PM acabou prendendo duas pessoas por porte ilegal de arma. Eles foram liberados mais tarde.

Sobre o crime, a Polícia Civil informou que continua trabalhando no caso e que a investigação está em sigilo. “A principio, eles mesmos dizem, que é um richa antiga de família e que faz um tempo que isto vem se arrastando. Mas ainda não tem nenhum nome”, disse o delegado João Batista.

Os dois tiroteios deixaram os moradores da região assustados. Nas redes sociais, eles relataram ouvir tiros parecidos com os de um fuzil.

Na casa, a polícia encontrou um revólver calibre 38. Além de R$ 4 mil em espécie e cheques com valores superiores a R$ 29 mil. Também foram localizadas correntes, pulseiras, relógios brincos e pingentes de ouro, celulares e bijuterias. Todos os produtos com origem duvidosa, segundo a PM.

G1 Tocantins.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here