Prédio foi projetado para ser hotel e acabou comprado pelo governo durante a criação do estado. Promotora criticou a situação e destacou que há risco de mortes em caso de incêndio.

A Maternidade Dona Regina, a maior unidade do tipo na rede pública de saúde do Tocantins, funciona sem alvará do Corpo de Bombeiros. A informação foi divulgada pela Promotora de Justiça Maria Rosely Pery, do Ministério Público Estadual, nesta quarta-feira (20) durante uma entrevista à TV Anhanguera.

“O prédio é impróprio. Foi construído um hotel, aquele hotel foi adquirido no início do estado e se tentou adequar para uma maternidade. Acontece que não obedece as normas sanitárias. Razão pela qual não tem alvará de Bombeiro. Se houve um incêndio ali, certamente nós teremos óbitos, porque não tem como as pessoas saírem de uma situação dessa com a devida segurança”, criticou.

O Governo do Tocantins confirmou o problema e disse que está em processo de adequação as recomendações do Corpo de Bombeiros. Não foi informado um prazo para que tudo esteja pronto.

Este não é o único problema enfrentado pela unidade. Há poucos leitos de UTI Neonatal e é frequente que crianças que necessitam do serviço precisem ser transferidas para outros estados.

Mais cedo, o secretário estadual de saúde, Renato Jayme, comentou a crise enfrentada pelo setor no Jornal Anhanguera 1ª Edição.

g1 Tocantins.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here