Segundo a polícia, há indícios de que o homem, ao saber da investigação, pagou R$ 1 mil à irmã da vítima para que ela levasse a menina à delegacia para retirar a denúncia. Abusos aconteciam no carro do aposentado.

Um aposentado de 79 anos foi preso nesta terça-feira (17) suspeito de abusar sexualmente de uma vizinha, de 11 anos, em Goiatuba, no sul goiano, quando a levava para comprar comida em mercados. Segundo a Polícia Civil, ele pagou R$ 1 mil para a irmã mais velha da vítima para que a criança negasse o crime. Mesmo assim, a menina reafirmou a denúncia. O homem nega o crime.

“Ela relata que ele dizia que ia levar ela no mercado para comprar comida e, depois, realiza os abusos, mas algumas vezes, ele nem ia ao mercado. A menina conta com os olhos cheios de lágrimas”, contou o delegado responsável pelo caso, Patrick Carniel.

O site não localizou a defesa do idoso até a publicação desta reportagem.

Promessa de comida

A Polícia Civil explicou que os abusos aconteciam no carro do autor. A investigação apontou que os crimes ocorreram por seis meses, entre janeiro e junho deste ano. “Ela não consegue relatar quantas vezes, mas acho que acontecia mais de uma vez por semana, porque era recorrente”, explicou Carniel.

De acordo com o delegado, em junho, a criança resolveu contar sobre os abusos para uma professora. Em seguida, ela denunciou o caso ao Conselho Tutelar da cidade que, por sua vez, registrou na Polícia Civil.

‘Suborno da irmã’

Conforme o delegado, após saber que estava sendo investigado, o idoso ofereceu R$ 1 mil à irmã mais velha da vítima, de 19 anos, para que convencesse a menina a retirar a denúncia. Na ocasião, a jovem disse à polícia que os abusos eram uma “invenção da irmã”.

A polícia desconfiou da situação e chamou a menina para um novo depoimento, separada da irmã. “Ela confirmou que era verdade, que a irmã dela a levou para a delegacia porque o senhor tinha prometido dinheiro para a irmã e, inclusive, a irmã disse para a criança que ela tinha de mentir para ganhar uma bota”, relatou Carriel.

A vítima mora com a irmã e dois irmãos mais novos. De acordo com o investigador, um dos meninos afirmou que o suspeito frequentava a casa da família.

Prisão do idoso

O delegado pediu ao Poder Judiciário a prisão preventiva do idoso. No entanto, foi decretada apenas a prisão domiciliar do suspeito, com uso de tornozeleira eletrônica.

Em depoimento, o aposentado negou os abusos. Ele também disse que conhece a família da vítima, mas que nunca doou nada.

Carriel deve ouvir a irmã novamente, nesta semana, e, assim, concluir o inquérito. A jovem também pode ser indiciada, mas o delegado precisa interroga-la para definir qual o crime irá responder.

O idoso será indiciado por estupro de vulnerável, que prevê de 8 a 15 de prisão.

G1Tocantins

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here