Ele falsificou um alvará judicial para sacar dinheiro, diz polícia.
Outro homem também foi detido, suspeito de atuar com comparsa.

Do G1/TO

Um estudante de direto foi preso suspeito de falsificar um alvará judicial para sacar dinheiro, em Araguaína, no norte do Tocantins. A prisão ocorreu no dia 20 desse mês, mas a informação só foi divulgada nesta quarta-feira (27).

Vinícius Ricelli Martins Medeiros, de 23 anos, trabalhava há pelo menos dois anos como secretário no Fórum de Wanderlândia. Além dele, outro homem, que não teve a identidade revelada, também foi detido, suspeito de atuar como comparsa.

Segundo a Polícia Federal, no último dia 7, o jovem sacou R$ 168 mil de uma conta bancária em uma agência da Caixa Econômica. Ele teria falsificado o alvará, documento emitido pela Justiça, para movimentar a conta.

“Essas contas são judiciais, utilizadas para depósitos de bens bloqueados, que estão esperando o julgamento ou decisão final do juízo”, explicou o delegado da Polícia Federal, Omar Peplow.

A polícia ainda investiga o que foi feito com o dinheiro e se outras pessoas estão envolvidas.

O delegado descartou envolvimento da juíza com quem Medeiros trabalhava no Fórum de Wanderlândia.

“É visível que os documentos produzidos por ele não são como os verdadeiros. Os autênticos são expedidos de forma diferente”, afirma o delegado.

No dia 20 de abril, Vinícius e o comparsa retornaram à agência da Caixa Econômica, e com outro alvará, também considerado falso pela Polícia Federal, tentaram sacar R$ 170 mil de uma conta bancária.

Uma funcionária da agência que ligou para o Fórum de Wanderlândia. Ela foi informada que o rapaz não tinha autorização para realizar este tipo de procedimento.

A dupla foi presa em flagrante na agência. Os suspeitos estão presos na Casa de Prisão Provisória de Araguaína. A polícia federal já pediu a quebra do sigilo bancário e o bloqueio das contas dos envolvidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here