No entanto, delegado afirma que ainda investiga participação dele no crime. Vítima tinha 37 anos e foi morta após reagir, em Aparecida de Goiânia

A esposa do comerciante Flávio Alves, de 37 anos, que foi morto durante um assalto, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, reconheceu um suspeito do crime, segundo o delegado Lúcio Flávio Bernardes, responsável pelo caso. Ele pontuou que, apesar disso, a Policia Civil ainda realiza trabalha para confirmar a participação do jovem, de 22 anos, no caso. Ele nega o crime. 

O crime aconteceu no sábado (4). Imagens de câmeras de segurança mostram quando dois homens chegam usando uma moto e rendem as vítimas no portão. Em seguida, mãe e filha pequena saem na porta pedindo ajuda. Testemunhas disseram à Polícia Civil que a dupla exigiu a chave do carro do comerciante. Ele então foi até o quarto dizendo que buscaria a chave. Entretanto, pegou uma arma que tinha guardada e reagiu ao assalto.

“Ela [esposa da vítima] reconheceu o suspeito como autor, mas a polícia está checando outras informações para saber se ele participou ou não do crime”, esclareceu o delegado. Também conforme Bernardes, o rapaz foi localizado no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde está internado por ter sido baleado na ação. O outro suspeito está foragido.

O suspeito negou à polícia participação no latrocínio e conta que foi ferido ao ser assaltado. “Ele contou que foi vítima de um roubo, mas tem informações desencontradas. Estamos confrontando informações dele e trabalhando com as imagens das câmeras”, esclareceu o delegado.

Reação
O pai da vítima, Ademar Cândido Alves, confirmou que o filho estava armado. “Meu filho reagiu. Ele tinha uma pistola, tudo documentadinho. Aí ele foi pegar a chave do carro e, ao invés disso, pegou a pistola”, disse.

Familiares disseram ainda que ele chegou a disparar duas vezes na direção dos criminosos, que revidaram e deram dois tiros na cabeça da vítima. A suspeita é de que um dos assaltantes tenha sido ferido.

Os criminosos fugiram na sequência, sem levar nada. O caso será investigado pelo 2º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia.(fonte:g1/go)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here