Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais fechou contrato com empresas especializadas para realizarem avaliação econômica de projetos de extração mineral.

A previsão é que em 60 dias a avaliação econômica dos projetos esteja concluída e se determine então o modelo do negócio que será aplicado às licitações das quatro primeiras áreas que serão licitadas em 2018.

Buscando atrair investidores e contribuir para a retomada do setor mineral brasileiro, o Serviço Geologico do Brasil (CPRM) inseriu na primeira fase os projetos fosfato de Miriri (PE-PB), cobre, chumbo, zinco de Palmeirópolis (TO), cobre de Bom Jardim de Goiás (GO) e carvão de Candiota (RS).

Segundo o diretor-presidente da CPRM, Esteves Colnago, a escolha desses projetos de mineração que a CPRM vai oferecer ao mercado está relacionada às necessidades do país e às oportunidades de mercado.

Caso do fosfato, por exemplo, insumo essencial para a agricultura, com elevada dependência de importações, e do carvão mineral, usado para gerar energia em usinas termelétricas na Região Sul. Já o zinco e o cobre são minérios de maior interesse comercial.

A assinatura dos contratos para realização dos estudos de viabilidade econômica dos projetos de fosfato de Miriri e de cobre, chumbo e zinco de Palmeirópolis aconteceu na última segunda-feira (16/10), na Superintendência Regional de São Paulo e contou com a presença dos representes das empresas CERES Inteligência Financeira,  Sergio Luiz Resende, e da SAGA Consultoria, Saulo Liberato, responsáveis pela elaboração dos estudos nas duas áreas.

Pela CPRM participaram o diretor-presidente interino da CPRM, Esteves Pedro Colnago, o diretor de Geologia e Recursos Minerais, José Carlos Garcia Ferreira, o diretor de Hidrologia e Gestão Territorial, Antônio Carlos Bacelar Nunes, o superintendente de São Paulo, Lauro Gracindo Pizatto, a coordenadora da Divisão de Sensoriamento Remoto e Geofísica, Daiana de Paula Sales, e a Coordenadora do Departamento de Relações Institucionais, Andrea Fregolente Lazaretti.

Durante esta semana será assinado ainda o contrato para avaliação do depósito de cobre de Bom Jardim (GO), trabalho que será realizado pela empresa GE 21 Consultoria Mineral.

Nos próximos dias será firmado  também o contrato referente à avaliação econômica do projeto carvão de Candiota (RS).

Fonte: Serviço Geológico do Brasil – CPRM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here