Suzane von Richthofen deixa presídio em SP para Dia das Mães

Detenta deve retornar à Penitenciária de Tremembé na próxima quarta-feira (17).

A detenta Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão pelo assassinato dos pais, foi beneficiada pela saída temporária de Dia das Mães. Ela deixou o a Penitenciária Feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé, na manhã desta sexta-feira (12) e volta na próxima quarta (17). As informações são do G1.

A detenta foi buscada pelo namorado ao deixar o presídio e terá de ficar em endereço informado à Justiça previamente.

Suzane obteve a progressão do regime fechado para o semiaberto em outubro de 2015. A primeira saída dela aconteceu em março do ano passado, durante a Páscoa. Ela também teve direito a sair da prisão durante o Dia das Mães de 2016.

Noticias ao Minuto

Estudante é estuprado por colega em escola

Crime ocorreu no Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Sul (Premen-Sul) de Teresina.

A polícia de Teresina prendeu um estudante acusado de ter estuprado um colega dentro do Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Sul (Premen-Sul), na zona sul da cidade. Segundo o G1, a vítima foi encontrada debilitada e pedindo ajuda por outros dois estudantes, que identificaram o suspeito com as mãos ensanguentadas dentro de um dos banheiros da instituição.

Um aluno contou ao G1 que esta é a segunda vez na qual o suspeito envolve-se com crimes sexuais. “Na semana passada esse mesmo agressor foi flagrado dentro do banheiro feminino tentado filmar e olhar as meninas. Agora foi essa violência toda”, disse o garoto, que preferiu não se identificar.

A vítima foi levada para o hospital e prestará depoimento em breve. O suspeito foi encaminhado à Central de Flagrantes de Teresina. Não há informações sobre a identidade ou a idade dos envolvidos. 

Noticias ao Minuto

Homem é esfaqueado por causa de dívida no Tocantins

O crime aconteceu na região conhecida como Feirinha, em Araguaína. Vítima, disse para a polícia que a motivação do crime estaria relacionada ao consumo de drogas.

Um homem foi esfaqueado em Araguaína, no norte do Tocantins, por causa de uma dívida. O crime aconteceu na noite desta sexta-feira (29), por volta das 23h, na região conhecida como Feirinha. Segundo a Polícia Militar, a vítima era usuária de drogas.

Conforme a PM, o suspeito atingiu várias vezes a vítima, que confirmou aos policias que a motivação do crime estaria relacionada ao consumo de drogas. O homem foi socorrido pelo Samu e levado para o hospital da cidade.

G1/To

Ex-comandante geral e de Paraíso, coronel Benício diz que ação da PC e MPE foi com “arrogância e desrespeito”

Oficial lembrou que não é a primeira vez que a PM foi atingia e avisou que, “se não houver freio nessas ações desmedidas, outros fatos desagradáveis poderão advir”.

O ex-comandante geral da Polícia Militar do Estado e ex-comandante do 8º Batalhão de Paraíso do Tocantins, coronel Luiz Cláudio Gonçalves Benício, hoje na reserva, emitiu nota em que desabafa sobre a Operação “Fructus Putres”, do latim, Frutos Podres, deflagrada nessa terça-feira, 18. “A arrogância e o desrespeito com que os integrantes dos órgãos agiram na execução de suas missões contra os policiais militares foram desmedidos”, afirma coronel Benício em sua nota. Pela operação, Polícia Civil e Ministério Público Estadual cumpriram mandados de busca e apreensão na residência de dois militares e no batalhão. Os PMs, que não tiveram os nomes divulgados, foram presos preventivamente.

Para coronel Benício, o 8º Batalhão “foi absurdamente invadido sem oferecer ao Comando Geral ou mesmo ao Comando da Unidade qualquer oportunidade de participar e executar a ação”. Apesar de não concordar com a forma, o militar defendeu o cumprimento de Ordem Judicial de busca e apreensão. “Esta que não se deve descumprir, atitude que, com certeza, juntamente com os setores fiscalizadores da instituição, acompanhariam [membros da cúpula da PM] os integrantes da Forças Policiais, bem como o membro do Ministério Público”, disse.

Coronel Benício lembrou que, nos últimos anos, tem ocorrido operações indevidas e desastrosas consequências, nas quais “companheiros de nossa grandiosa Polícia Militar do Tocantins, através dessas ações, perderam suas vidas, como o caso recente na cidade de Pindorama, ocasião que absurdamente ceifaram a vida do Sargento Fraga”. “Constata assim, total falta de respeito, vaidade exacerbada e no afã do exibicionismo para postar-se diante dos holofotes da imprensa sensacionalista”, defendeu o militar.

Para ele, “se não houver freio nessas ações desmedidas, outros fatos desagradáveis poderão advir, caso não haja consciência da cúpula da instituições ora envolvidas”. “Pois trabalham com os nervos à flor da pele, um estresse acumulado, e profissionais e pais de famílias estarão expostos à desmoralização diante da sociedade e de seus familiares”, avisou.

Conduta ilibada
Coronel Benício defendeu os dois PMs presos. “Dois policiais militares de postura e comportamentos ilibados foram abusivamente presos”, ressaltou. “Tive a honra de junto trabalhar e participar de várias diligências e ocorrências juntamente com o capitão ora desonrado e jamais presenciei atos de sua parte que o desabonasse, como profissional, esposo e pai.”

Em outro trecho, o ex-comandante fala que a detenção teria ocorrido como “fruto de um ciúme vil em razão de os dois militares já terem efetuado várias prisões de traficantes naquela cidade e região”.

Confira a íntegra da nota:

“CORONEL LUIZ CLÁUDIO GONÇALVES BENÍCIO, Ex-Comandante Geral da PMTO e Ex- Comandante do 8º BPM de Paraíso do Tocantins, condena veementemente a ação da Polícia Civil e Ministério Público na sede do 8º Batalhão de Paraíso do Tocantins.

Na condição de Ex-Comandante Geral e ex-comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar de Paraíso, onde nesta última unidade exerci função de comandante por vários anos, venho ao público civil e militar repudiar veementemente a ação abusiva nos procedimentos efetuados no cumprimento dos Mandados de Prisão e de Busca e Apreensão efetuados pela Operação “Frutos Podres”, concretizada pela Polícia Civil e Ministério Público Estadual naquela cidade, pela qual dois Policiais Militares de postura e comportamentos ilibados foram abusivamente presos com Prisões Temporárias na última terça-feira (18). Tive a honra de junto trabalhar e participar de várias diligências e ocorrências juntamente com o capitão ora desonrado e jamais presenciei atos de sua parte que o desabonasse, como profissional, esposo e pai.

A arrogância e o desrespeito com que os integrantes dos órgãos agiram na execução de suas missões contra os policiais militares foram desmedidos.

O Batalhão da Polícia Militar daquela cidade é o segundo lar de nossos homens, onde ali, além de exercerem suas atividades, transitam com seus familiares, e foi absurdamente invadido sem oferecer ao Comando Geral ou mesmo ao Comando da Unidade quaisquer oportunidade de participar e executar a ação claro, em cumprimento de Ordem Judicial, esta que não se deve descumprir, atitude que com certeza juntamente com os setores fiscalizadores da instituição, acompanhariam os integrantes da Forças Policiais, bem como o membro do Ministério Público que se apequenaram nas suas posturas desleais, arrogantes e descomprometidas com o inteiro e bom relacionamento que deve existir entre os órgãos responsáveis pela segurança pública do Estado e por que não dizer do Brasil.

Prova é que no decorrer da “operação”, abordaram uma policial feminina que estava junto com uma criança e ainda procederam buscas minuciosas em seu veículo particular.

Nos atos, as autoridades ali presentes renunciaram a toda e qualquer pregação da ideologia sobre a integração entre esses órgãos, pois foram altamente irracionais, contribuindo a cada dia para a tão desnecessária divisão entre os membros da Segurança Pública, fruto de um ciúme vil em razão de os dois militares já terem efetuado várias prisões de traficantes naquela cidade e região.

Nos últimos anos, tem ocorrido operações indevidas e desastrosas consequências onde companheiros de nossa grandiosa Polícia Militar do Tocantins, através dessas ações perderam suas vidas, como o caso recente na cidade de Pindorama – TO, ocasião que absurdamente ceifaram a vida do Sargento Fraga.

Justamente idêntica, a Polícia Militar mais uma vez deixou de ser informada, mesmo que solicitando sigilo. Constata assim, total falta de respeito, vaidade exacerbada e no afã do exibicionismo para postar-se diante dos holofotes da imprensa sensacionalista.

Não sendo, portanto, a primeira e, se não houver freio nessas ações desmedidas, outros fatos desagradáveis poderão advir caso não haja consciência da cúpula da instituições ora envolvidas, pois trabalham com os nervos à flor da pele, um estresse acumulado, e profissionais e pais de famílias estarão expostos à desmoralização diante da sociedade e de seus familiares.

Assim, finalizo concitando a todos que continuem a apoiar a Instituição Militar mais honesta e integra do Brasil, pois dela tenham certeza que seus integrantes sempre estarão a cumprir suas missões constitucionais com esmero e dedicação.

Aos militares do 8º BPM e em geral, assim como juntos trabalhamos para provarmos a inocência dos colegas do 4º Batalhão de Gurupi por prisões tipicamente idênticas, prossigam com cabeças erguidas, tendo a certeza de que a população tocantinense sempre nos respeitará, quiçá se dará com os difamadores.

LUIZ CLÁUDIO GONÇALVES BENÍCIO
CORONEL DA RESERVA REMUNERADA
EX- COMANDANTE GERAL DA PMTO e EX-COMANDANTE DO 8º BPM de Paraíso do Tocantins”

Cleber Toledo

Baleia Azul: mensagem diz que 30 crianças serão envenenadas

Ameaça deixou pais e educadores em pânico e leva terror a Ipanema, em Minas Gerais. Atenção a todos os pais do Brasil, fica alerta.

Pânico entre pais, alerta máximo nos corredores e imediações da Escola Estadual Nilo Morais Pinheiro, nesta quarta-feira (19), em Ipanema, Minas Gerais. A instituição de ensino seria o alvo de um “estágio” do jogo Baleia Azul. É o que diz uma mensagem que circula pelo WhatsApp desde às 15h30 e informa que 30 crianças seriam envenenadas.

Assinada por um remetente de nome Lucas, o texto informa que o décimo desafio é “dar balas envenenada pra 30criancas de 3escolas diferentes como já conhece bem a cidade escolhi o Nilo e a escolinha do campo e a imaculada pois tem mais criancas pequenas (sic)”, como escrito originalmente.

Por fim, Lucas pede desculpas às mães, mas garante que tem de “cumprir ou eles vêm atrás de mim sinto muito pelos filhos de vocês – desafio aceito”. O diretor da Nilo Morais Pinheiro, Robson Nogueira, disse que, assim que a instituição tomou conhecimento da ameaça, convocou uma reunião para decidir que medidas seriam tomadas.

“Por volta de 13h30, recebemos uma mensagem de alguém que estaria aceitando um desafio de envenenar crianças da cidade, dentre elas, alunos da escola. Recomendamos a nossos alunos a não aceitar nenhum doce, reforçamos a segurança no portão da escola e acionamos a polícia”, afirmou Nogueira ao jornal O Globo. A escola tem 800 alunos matriculados. À tarde, a maioria dos estudantes tem entre 6 e 11 anos.

O tentente Bruno de Miranda Fernandes, comandante do Pelotão da Polícia Militar de Ipanema, informou que o número de pais e responsáveis entrando em contato com a PM aumentou nesta tarde. O PM lembrou, no entanto, que o desafio da Baleia Azul não tem sido ligado a nenhuma ação nociva a terceiros, mas à automutilação e ao suicídio. A PM avisou que o policiamento foi reforçado nas redondezas. 

Noticias ao Minuto

Polícia Federal deflagra operação contra fraudes no seguro-desemprego em Goiás e mais 3 estados

Corporação diz que quadrilha desviou mais de R$ 3 milhões em benefícios de trabalhadores. Há suspeita de envolvimento de policiais civis e servidores do Ministério do Trabalho e Emprego.

A Polícia Federal deflagrou na madrugada desta quarta-feira (19) uma operação para combater fraudes no seguro-desemprego. Além de Goiás, os policiais cumprem os mandados judiciais em Minas Gerais, Mato Grosso e Pará. Segundo a corporação, a quadrilha desviou mais de R$ 3 milhões em benefícios de trabalhadores.

No total, a Operação Stellio Natus visa o cumprimento de 18 mandados, sendo nove de prisão e nove de busca e apreensão. Em Goiás, foram realizadas prisões em Goiânia, Anápolis e Caldas Novas, cujos alvos foram uma policial civil e servidores do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Segundo a PF, o grupo alvo da operação é suspeito de usar dados de pessoas que tinham direito ao benefício para desviar o envio do Cartão Cidadão. Assim, os integrantes da quadrilha usavam o documento para sacar o dinheiro das vítimas em agências lotéricas.

Ainda de acordo as investigações, servidores do MTE são suspeitos de vender senhas de acesso e informações para que o grupo criminoso cometesse as fraudes.

Os detidos em Goiás devem ser encaminhados para Anápolis. A corporação deve divulgar mais detalhes sobre a operação ainda nesta manhã.

G1/Go

Homem usa filho com problemas mentais para transportar crack

Quatro quilos de droga estavam escondidos embaixo do carpete do porta-malas do veículo, debaixo da cadeira de rodas do rapaz.

Um homem, de 55 anos, foi preso pela Polícia Civil do Distrito Federal quando transportava 4kg de crack de Goiânia (GO) para Brasília. Ele foi abordado em um Toyota/Corolla na BR-060, próximo ao Gama, na noite de sexta-feira (14/4).

De acordo com a polícia, o suspeito levava o filho de 23 anos, que tem graves problemas motores e mentais, como passageiro. A droga estava escondida embaixo do carpete do porta-malas do veículo, debaixo da cadeira de rodas do rapaz.

A Coordenação de Repressão às Drogas (Cord) usou um cão farejador para localizar a droga, avaliada em R$ 40 mil. A quantidade seria suficiente para 16 mil doses da droga, segundo a polícia.

De acordo com o Metrópoles, Osmar foi autuado em flagrante por tráfico interestadual de drogas. Ele contou na delegacia que receberia R$ 3 mil para fazer o transporte.

O suspeito já tem antecedentes criminais por furto qualificado e moeda falsa. Ele cumpria pena em regime domiciliar com tornozeleira eletrônica.

Noticias ao Minuto

Preso por tráfico, jovem diz que caixas de som com cocaína eram presente para mãe

Foram encontrados 8,4 kg da droga dentro dos objetos. Prisão aconteceu durante a operação Semana Santa da Polícia Rodoviária Federal, em Colinas do Tocantins.

Um rapaz de 20 anos foi preso em flagrante por transportar 8,4 kg de cocaína. A prisão aconteceu em um ônibus interestadual na BR-153 próximo de Colinas do Tocantins, norte do estado. A droga foi encontrada dentro de duas caixas de som que o suspeito afirmou serem presentes para a mãe dele.

A cocaína foi encontrada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) neste domingo (16), no último dia da Operação Semana Santa. O ônibus tinha saído de Goiânia (GO) com destino a Teresina (PI). Conforme a PRF, as caixas de som foram apreendidas porque estavam sem nota fiscal.

Os agentes começaram a analisar as caixas de som e sentiram o cheiro de droga. Dentro dos objetos foram encontrados quatro sacos plásticos em cada caixa. O jovem foi preso em flagrante por tráfico de drogas e levado para a delegacia da Polícia Civil de Colinas.

 G1/To

Quatro jovens são encontrados mortos dentro de casa em Goiás

Segundo delegado, eles foram mortos a tiros em local de comércio e consumo de drogas. Duas das vítimas tinham passagens pela polícia.

Quatro jovens, entre 18 e 21 anos, foram encontrados mortos em uma casa alugada no Setor Independência Mansões, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. O delegado responsável pelo caso, Anderson Pimentel, informou que eles foram executados com tiros nas cabeças e que o local em que foram achados funcionava como ponto de venda e consumo de drogas.

As vítimas foram encontradas na madrugada deste domingo (16). Os jovens são: Igor da Silva de Souza, de 21 anos, um dos locatários da casa onde ocorreu o crime e que tinha uma passagem por roubo, Diogo Martins Pereira, 23, com passagens por receptação, roubo, posse e tráfico de drogas, Cristiano Alves da Silva, de 20 anos, e Wirculles Thiago Bandeira da Silva, 18, que não tinham passagens pela polícia.

Pimentel afirmou que o crime apresenta características de execução, já que todos foram encontrados com marcas de tiros na cabeça e deitados lado a lado. Conforme o delegado, dois homens chegaram ao local em uma moto, um deles desceu, pediu que todos se deitassem e atirou nas quatro vítimas.

“A princípio, acreditamos que o alvo era o Diogo, porque apuramos que ele tinha desavenças com pessoas por causa do tráfico de drogas. No entanto, ainda é cedo para afirmar. Estamos conversando com testemunhas e vamos falar com familiares para delimitar possíveis suspeitos”, disse o delegado ao G1.

Ainda conforme Pimentel, a casa onde os corpos foram achados era alugada há cerca de dois meses. Uma das vítimas era um dos locatários, mas o segundo ainda está sendo procurado pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH), que apura o caso.

“Verificamos que, no local, comercializavam e consumiam maconha, crack, cocaína e lança-perfume. Na casa havia apenas uma televisão, um colchão e um banco, não foram encontradas armas ou drogas com as vítimas ou no local”, afirmou.

 G1/Go

Quadrilha que invadia fazendas para abater gado e levar carne é presa

Quatro homens foram presos com armas e carnes furtadas de propriedades no Tocantins. Eles esquartejavam os animais nos pastos e deixavam as carcaças para trás.

 Quatro homens foram presos nesta sexta-feira (14) suspeitos de fazer parte de uma quadrilha que invadia fazendas, matava o gado e furtava a carne no sul do Tocantins. De acordo com a Polícia Civil, o grupo agia desde novembro e já tinha cometido o crime em ao menos 12 fazendas. A carne furtava era revendida clandestinamente. Os suspeitos têm idades entre 20 e 28 anos.

As prisões foram na cidade de Formoso do Araguaia, na região sul do estado. Junto com o grupo, foram encontradas armas e pedaços de carne do último furto. A polícia informou que os homens conheciam a região e levavam o gado para partes mais afastadas das pastagens onde matavam e esquartejavam os animais. O grupo levava apenas as partes mais macias e deixava as carcaças para trás

Os quatro foram levados para a cadeia pública de Formoso do Araguaia. De acordo com a Polícia Civil, eles confessaram participação em ao menos dois casos.

G1/To