Inscrições do Enem começam hoje; o que os candidatos devem saber

Na hora da inscrição, os candidatos devem informar telefones fixo ou celular, além de e-mails.

Começam hoje (8), a partir das 10h, as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As inscrições devem ser feitas pela internet, no site do Enem. O prazo de inscrição termina às 23h59 do dia 19 de maio. A taxa do exame este ano é R$ 82. As provas serão aplicadas em dois domingo consecutivos, nos dias 5 e 12 de novembro.

Na hora da inscrição, os candidatos devem informar telefones fixo ou celular, além de e-mails, para que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) possa entrar em contato com o participante. Os dados devem estar atualizados.

O estudante também terá que criar uma senha de, no mínimo, seis e, no máximo, dez caracteres. Essa senha deve ser guardada, pois o candidato precisará dela até o ano que vem seja para conferir o resultado do exame ou para participar de processos seletivos que utilizam as notas das provas, como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e Programa Universidade para Todos (ProUni).

“O processo de recuperação de senha foi alterado este ano, para garantir maior segurança aos participantes. É importante que os candidatos anotem a senha, pois vão usá-la em vários momentos”, diz a diretora de Gestão e Planejamento do Inep, Eunice Santos.

Informações

A inscrição começa com o fornecimento do CPF e da data de nascimento. O Inep cruzará as informações com o banco de dados da Receita Federal. O nome do participante, o nome da mãe e a data de nascimento serão preenchidos automaticamente e não podem ser alterados.

Segundo o Inep, caso as informações estejam incorretas no processo de inscrição, embora corretas na base da Receita Federal, o participante deve sinalizar o fato em um campo próprio e prosseguir com a inscrição. Se o participante souber que seus dados estão errados, inclusive na Receita Federal, deve procurar a Receita, solicitar a correção e também sinalizar o fato no campo próprio.

É também na inscrição que os candidatos escolhem a opção de língua estrangeira entre inglês e espanhol. Eles devem indicar a cidade onde querem fazer o exame, que não precisa ser o local onde o participante reside.

Os candidatos poderão ainda solicitar o atendimento especializado ou específico. Atualmente, o Inep disponibiliza guia-intérprete, tradutor-intérprete de Libras, leitura labial, prova ampliada, prova em braile, prova super ampliada, auxílio para leitura, auxílio para transcrição, entre outros mecanismos para promover a acessibilidade.

Nesta edição, um novo recurso vai auxiliar participantes com surdez e deficiência auditiva: a prova em vídeo Libras, oferecida em caráter experimental. Participantes com surdez e deficiência auditiva poderão selecionar apenas um tipo de recurso.

Os participantes transexuais e travestis devem fazer a inscrição com o nome civil. Só depois, entre 29 de maio e 4 de junho, poderão solicitar, pela Página do Participante, o uso do nome social.

Quando for finalizado o processo de preenchimento dos dados, será gerado um número de inscrição em uma página com o resumo das informações fornecidas. Nessa seção também é indicada a situação da inscrição. Os candidatos devem conferir os dados. Até o término das inscrições, é possível atualizar dados de contato, mudar o município escolhido para a realização das provas e a opção de língua estrangeira, além de solicitar atendimento especializado e/ou específico. Terminado o prazo de inscrição não é possível fazer qualquer alteração.

Isenções

Três grupos terão direito à isenção do pagamento da taxa de R$ 82 do exame. Para os concluintes do ensino médio no ano letivo de 2017, matriculados na rede pública de ensino, a isenção é automática. Os membros de família de baixa renda que declarem estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica, de acordo com o Decreto 6.135/2007, e que estejam inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), têm direito à isenção. Outro grupo beneficiado é o de membros de família com renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio (R$ 1.405,50) e que cursaram todo o ensino médio na rede pública de ensino ou como bolsista integral em escola da rede privada, seguindo a Lei 12.799/2013.

A isenção deve ser solicitada na inscrição, por meio de Declaração de Carência Socioeconômica. Nesse momento, o próprio sistema vai cruzar os dados inseridos pelo participante, de renda e de escolaridade, entre outros. Se a solicitação não for aceita, o sistema vai gerar, automaticamente, a Guia de Recolhimento da União (GRU). “Os participantes que tentarem burlar os critérios de isenção, que oferecerem informações falsas, poderão ser eliminados a qualquer momento do Enem, inclusive quando estiverem participando de processos seletivos para o ensino superior”, diz Eunice.

O prazo para o pagamento da taxa de inscrição vai até 24 de maio, respeitando os horários de compensação bancária. O participante isento da taxa no Enem 2016 e que não compareceu à prova só terá direito à isenção no Enem 2017 se justificar o motivo da ausência no sistema de inscrição.

Enem

O resultado das provas poderá ser usado em processos seletivos para vagas no ensino público superior, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

No primeiro domingo, dia 5 de novembro, os estudantes farão provas de ciências humanas, linguagens e redação. No segundo, no dia 12, as provas serão de matemática e ciências da natureza.

Caso haja algum problema na hora de inscrição, os candidatos podem acionar o Inep pelo telefone 0800 616161. O atendimento é das 8h às 20h, no horário de Brasília.

Noticias ao Minuto

IV unidade do Colégio da Polícia Militar instalado em Arraias beneficiará cerca de 350 estudantes

“Um sonho antigo sendo concretizado”, assim descreve o diretor do Colégio Militar IV Unidade, capitão Marcos César de Almeida Pimentel, durante a cerimônia de inauguração, que aconteceu nesta sexta-feira, 24, em Arraias, sudeste do Tocantins. A ação do Governo do Estado foi realizada por meio da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc).

O governador Marcelo Miranda e a secretária Wanessa Zavarese Sechim realizaram o descerramento da placa, repassando a gestão da Escola Estadual Jacy Alves de Barros ao comando da Polícia Militar. As autoridades visitaram as instalações do prédio, e acompanharam a apresentação da Banda da Polícia Militar, que executou Exórdio, em acolhimento a equipe.

O comandante geral da Polícia Militar do Tocantins, coronel Glauber dos Santos, reforçou o papel da Polícia Militar na sociedade. “Muito mais que uma polícia, precisamos trabalhar a valorização do conhecimento, pilar de qualquer gestão bem-sucedida. Nos últimos anos conseguimos o primeiro lugar no Exame Nacional do Ensino Médio, e obtivemos maior aprovação nas federais”, destacou. 

Marcelo Miranda lembrou que os anos de 2015 e2016 foram períodos difíceis, mas que foram superados. “Administrar vai além de estar em um gabinete, é preciso conhecer a realidade do nosso povo. Alegro-me em saber que estão conosco novas lideranças que surgem neste Estado, são estes alunos que exercerão funções administrativas e políticas. É preciso ressaltar a importância do diálogo e da democracia em qualquer circunstância”.

Para Wanessa Zavarese Sechim, a passagem da escola para o comando da Polícia Militar foi em atendimento a uma demanda de alunos e familiares de Arraias e Região. Na ocasião, a professora lembrou a qualidade de ensino promovido em outras escolas da PM no Tocantins.

“Em todo o Estado temos Colégio da Polícia que oferece ensino no nível médio, fundamental e técnico profissional. Em Arraias, assim como em outras unidades, ofereceremos o ensino fundamental com estratégias inovadoras de gestão. Temos certeza de que essa escola vai auxiliar a cada um de vocês a realizar o seu sonho. O Militar possui grande credibilidade e vem apresentando para a sociedade tocantinense jovens cada vez mais preparados para os exames de admissão em universidades e também para uma atuação imediata no mundo do trabalho após a conclusão dos seus cursos. Só educando que podemos mudar a vida das pessoas e, consequentemente, do Tocantins”, reforçou a secretária e agradeceu a acolhida.

Capitão Pimentel, gestor da escola, destacou a importância dessa conquista para a sociedade. “O modelo de gestão do Colégio Militar, agora instalado no sudeste, contribui para a disciplina, organização e concentração dos alunos. Isso nos auxiliará no resgate de valores éticos e morais, tendo como foco o processo de ensino e aprendizagem”, completou.

Mãe da estudante do 7º ano do ensino fundamental, Naiane Ferreira, dona Nilzete Macedo de Souza contou que o sonho da filha é tornar-se policial. “Fiquei muito feliz com a transição da escola, pois traz mais segurança para nós pais, eles aprendem mais, pois têm diversas atividades, e minha filha por ser especial tem um ensino diferenciado”, disse entusiasmada com a implantação do Colégio da Polícia Militar.

História

Criada em 1993, a Escola Estadual Jacy Alves de Barros participa desde 2003 do Prêmio Nacional de Referência em Gestão, e foi classificada no âmbito estadual por cinco anos consecutivos, de 2005 a 2010.

Colégio Militar Unidade IV

O Colégio da Polícia Militar de Arraias funcionará nas instalações da Escola Estadual Jacy Alves de Barros e, atualmente, atende 350 alunos matriculados do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, e Educação Especial com faixa etária de dez a 19 anos de idade, destes, 20 alunos possuem necessidades educacionais, como Síndrome de Down, Deficiência Intelectual e Deficiências Múltiplas.

O Militar possui em seu quadro 16 docentes e mais de 50 servidores, dentre eles, componentes da Banda de Música Santa Cecília da Polícia Militar. O calendário letivo iniciou no dia 13 de março, com a semana de adaptação. Além do ensino regular, a unidade oferece atividades extracurriculares como aulas de música, teatro, capoeira, atividades esportivas e reforço escolar. A escola conta com seis salas de aula, laboratório de informática, sala de aula para o Programa Mais Educação, e sala de aula para o reforço escolar, além da quadra poliesportiva coberta, biblioteca e cozinha.

Atualmente o Tocantins conta com quatro unidades militares, sendo duas em Palmas, uma em Araguaína e uma em Arraias, que beneficia 2.633 estudantes.

A inauguração da escola contou com a participação da comunidade em geral, dos estudantes, do governador Marcelo Miranda, da secretária da Educação, Juventude e Esportes, professora Wanessa Zavarese Sechim, do comandante da Polícia Militar Glauber de Oliveira Santos, do secretariado estadual, deputados, e demais autoridades.

A placa foi descerrada pela professora Wanessa Sechim, pelo governador Marcelo Miranda e autoridades estaduais
A placa foi descerrada pela professora Wanessa Sechim, pelo governador Marcelo Miranda e autoridades estaduais
Professora Wanessa cumprimenta alunos do Colégio da Polícia Militar em Arraias
Professora Wanessa cumprimenta alunos do Colégio da Polícia Militar em Arraias
Disciplina e concentração são trabalhadas junto aos alunos do Colégio da Polícia Militar
Disciplina e concentração são trabalhadas junto aos alunos do Colégio da Polícia Militar

Fotos: Márcio Vieira / Governo do Tocantins

Universidade Corporativa do Tocantins divulga resultado preliminar para contratação de instrutor e conteudista

A Universidade Corporativa do Tocantins – Unicet divulgou hoje o resultado preliminar para contratação de instrutor e conteudista para os cursos de “Relações Humanas com ênfase na Qualidade dos Serviços Públicos” e “Redação Oficial”. A lista com os nomes e notas dos candidatos está disponível no link: http://sistemas.secad.to.gov.br/portal/unicet/instrutor/inscricoes/index.xhtml. O resultado também pode ser visualizado no SIGA e no portal do servidor. Os candidatos selecionados deverão comparecer na Unicet na próxima semana, nos dias 27 e 28, para levarem os documentos de comprovação das informações inseridas no cadastro. O resultado final será divulgado no próximo dia 29, quarta-feira. – See more at: http://secom.to.gov.br/noticia/334373/#sthash.AeUxp7un.dpuf

Fonte:Sylvia Gondim/Governo do Tocantins

Termina prazo para estudantes na lista de espera do Fies concluirem inscrição

Os estudantes na lista de espera do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) têm até hoje (17) para verificar se foram pré-selecionados. A informação fica na página do Fies, no boletim de acompanhamento de cada candidato. Caso seja pré-selecionado, o estudante deve acessar o Sistema Informatizado do Fies (SisFies) e fazer a inscrição. 

Pelas regras do programa, o aluno deve ficar atento ao boletim, pois terá cinco dias úteis após ser pré-selecionado para informar os dados solicitados no sistema. A pré-seleção ocorre desde o dia 14 de fevereiro. O prazo se encerraria no último dia 3, mas foi estendido pelo Ministério da Educação. No ato da inscrição, o candidato deve escolher a instituição bancária e a agência de sua preferência.

Depois de inscrito no sistema, o estudante deve validar as informações na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição de educação superior em até dez dias. Por mais dez dias, o candidato (ou os seus fiadores) deve comparecer a um agente financeiro do Fies para formalizar a contratação do financiamento.

Neste semestre, o Fies ofertou 150 mil vagas. Para ter direito ao benefício, o estudante deve comprovar renda bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa da família, além de ter participado de alguma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a partir de 2010, com nota mínima de 450 pontos nas provas de conhecimentos gerais e nota superior a zero na redação.

Vagas remanescentes

Após a conclusão da etapa de seleção pela lista de espera, as vagas que não forem preenchidas serão ofertadas novamente. Isso será feito a partir do dia 20. O processo seletivo será aberto a todos que fizeram o Enem desde 2010, obtiveram a pontuação mínima e que atendem às regras do programa, independentemente de participação no processo seletivo regular.

O Fies oferece financiamento a estudantes em cursos de instituições privadas de ensino superior. A taxa efetiva de juros do programa é de 6,5% ao ano. O percentual de financiamento é definido de acordo com o comprometimento da renda familiar mensal bruta per capita do estudante. O candidato deve ter renda mensal de até três salários mínimos por pessoa.Com informações da Agência Brasil.

Escola rural do TO com 9 alunos tem 100% de aprovação em vestibulares

Extensão rural tem três professores que dão aulas em todas as disciplinas.
“Percebemos que temos potencial, que poderemos ter sonhos”, diz aluna.

Todos os estudantes do 3º ano de uma escola da zona rural de Guaraí, na região central do estado, foram aprovados em vestibulares neste ano. O aproveitamento de 100% encheu os professores e parentes de orgulho por ver os nove alunos da turma vencerem as dificuldades da educação no campo, em uma escola em que três professores dão aulas em todas as disciplinas para as turmas de ensino médio.

“Percebemos que temos potencial, que poderemos ter sonhos e procurar realizá-los”, comentou Samara Machado Damasceno, 17 anos, aprovada em 8º lugar no curso de ciências biológicas, na Faculdade de Guaraí.

Samara machado é motivo de orgulho para os pais (Foto: Marcio Vieira/Seduc/Divulgação)
Samara machado é motivo de orgulho para os pais (Foto: Marcio Vieira/Seduc/Divulgação)

Os alunos estudam na extensão rural da Escola Estadual Irineu Albano Hendges, que funciona na fazenda Bom Lugar, a 60 quilômetros de Guaraí. Ao todo, 28 alunos do ensino médio aprendem em salas cedidas por uma escola municipal, que oferece o ensino fundamental.

“Antes nem imaginávamos que poderíamos ser aprovados em algum vestibular. Como os meus pais moram no campo, aprendi a gostar das coisas da roça, por isso, escolhi a área da biologia”, diz a estudante Jocastra Morais Lima, de 18 anos. Ela foi aprovada em 5º lugar no curso de ciências biológicas, também em Guaraí.

Para os parentes, as conquistas representam orgulho e esperança de um futuro cada vez melhor. “Vivemos da roça, e não imaginava que a minha filha pudesse chegar tão longe. Agora, estamos torcendo para que ela supere os empecilhos da vida”, contou Maria de Fátima, mãe de Samara Machado.

Professores
Os professores precisam fazer uma viagem de duas horas todos os dias até a escola para dar as aulas. Segundo a Secretaria de Educação, ofertar o ensino médio na localidade foi um pedido dos próprios moradores. Antes, os estudantes é que se deslocavam para a cidade todos os dias e ainda tinham que ajudar os parentes nos trabalhos rurais.

Levar o ensino para mais próximo dos jovens fez os educadores perceberem que os estudantes precisavam de uma proposta de ensino diferente. Por isso começaram a dar aulas de reforço para conteúdos básicos.

“Muitas vezes nos preocupamos com a aprovação dos alunos nas diversas avaliações, mas deixamos de lado os conteúdos que eles não conseguiram aprender. E foi o que fizemos, dedicamos horários especiais para revisar assuntos ou conversar sobre temas básicos que eles precisam aprender”, comentou o professor Sebastião Mendes de Sousa.

“É uma iniciativa que vem acontecendo há quatro anos na escola e, com isso, promovemos a aprovação de todos os alunos em cursos superiores, em 2015 e 2016. Isso é o reflexo do resultado do nosso trabalho”, afirmou o professor de linguagens, Hadley Aguiar da Cruz.

Os nove estudantes foram aprovados no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO), na Faculdade de Guaraí (FAG) e na Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC).(Fonte:G1/To)

Enem 2017 será em dois domingos consecutivos: 5 e 12 de novembro

O Ministério da Educação (MEC) anunciou mudanças no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que, este ano, será realizado em dois domingos consecutivos – dias 5 e 12 de novembro – e não mais em um único fim de semana. As inscrições estarão abertas de 8 a 19 de maio.

A medida deverá beneficiar os sabatistas, integrantes de religiões que guardam o sábado. Até o ano passado, eles tinham que ficar isolados em uma sala das 13h (horário de início da prova) até o sol se pôr e faziam as provas de sábado à noite. 

“As mudanças garantem mais tranquilidade para os estudantes, que terão mais espaço entre uma prova e outra e, ao mesmo tempo, resolve uma questão histórica dos sabatistas, que tinham a condição muito desumana de ficarem confinados aguardando o pôr do sol para iniciar a aplicação da prova. Além de aspectos relativos a segurança. A gente amplia a segurança da aplicação das duas provas tendo em vista esse espaço de dois domingos”, disse o ministro da Educação, Mendonça Filho.

No primeiro domingo, os estudantes farão provas de ciências humanas, linguagens e redação. No segundo, as provas serão de matemática e ciências da natureza. Até o ano passado, o exame era realizado em um sábado e um domingo, no mesmo fim de semana, e a prova de redação era aplicada no segundo dia de exame. Com a mudança, no primeiro domingo os estudantes terão cinco horas e meia de prova e, no segundo, quatro horas e meia. 

Os candidatos interessados em fazer o exame devem pagar uma taxa de inscrição. O MEC ainda discute o valor a ser cobrado. A taxa deve ser conhecida a partir da publicação do edital, prevista para 10 de abril. São isentos do pagamento da taxa os estudantes concluintes do ensino médio em escolas públicas e os participantes de baixa renda. Os estudantes isentos que não comparecerem e não justificarem a ausência perderão o benefício em 2018, caso queiram fazer a prova novamente. 

As mudanças foram feitas com base em consulta pública realizada pelo ministério. Cerca de 600 mil pessoas participaram da consulta, que ficou disponível no período de 18 de janeiro a 17 de fevereiro.

Segurança

Cada prova será identificada com o nome do candidato, tanto o caderno de questões quanto o caderno de respostas. “Com isso, tem instrumento a mais para identificar e eventualmente permitir a rastreabilidade, saber se porventura uma prova foi subtraída ou canalizada para uso indevido”, destacou Mendonça Filho. No ano passado, operações da Polícia Federal foram realizadas no dia de aplicação do exame. As provas também teriam vazado para alguns candidatos.

Enem por computador

A consulta pública mostrou que 70,1% dos participantes são contra a aplicação do Enem por computador. A ideia vem sendo discutida desde 2012. Mendonça cogitava fazer testes de aplicação este ano. “Imaginava que haveria receptividade maior para a prova aplicada em computador, mas é algo que acontecerá, num espaço de tempo não definido, certamente será uma evolução que ocorrerá também para a aplicação do Enem”, disse o ministro.(Fonte:Agência Brasil)

Apesar de homenagens, professor brasileiro ganha mal e sofre mais violência

Mas a homenagem a Luiz Antônio Jarcovis, que dava aula de Ciências na Escola Estadual Almirante Custódio José de Mello, também motivou comentários sobre as dificuldades vivenciadas por professores brasileiros.

Para que se destaquem, muitos deles têm de enfrentar uma série de obstáculos, como baixos salários, longas jornadas de trabalho e até o risco de agressões frequentes.

Em estudos da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), grupo que agrega 34 economias avançadas ou emergentes, o Brasil desponta como um dos países mais hostis para professores de escolas públicas.

Segundo a pesquisa Um Olhar sobre a Educação 2016, que compara a situação da educação em 45 países, professores brasileiros dos ensinos médio e fundamental recebem menos da metade do que a média dos países membros da OCDE.

No Brasil, professores lecionam em média 42 semanas anuais
No Brasil, professores lecionam em média 42 semanas anuais

O salário médio da categoria no Brasil é de US$ 12,3 mil ao ano (R$ 38,6 mil), valor também inferior ao de outras nações latino-americanas como Chile, Colômbia e México.

Além disso, professores brasileiros são, entre todos os países do estudo, os que trabalham mais semanas ao ano.

No Brasil, eles lecionam em média 42 semanas anuais, enquanto a média da OCDE são 40 semanas no pré-primário e 37 nos cursos técnicos.

Padrões escandinavos

Em compensação, professores universitários em instituições federais públicas no Brasil recebem entre US$ 40 mil e US$ 76 mil ao ano (de R$ 125,5 mil a R$ 238,6 mil), valor mais elevado do que em vários países da OCDE e equivalente ao de países escandinavos, como Finlândia, Suécia e Noruega.

O Brasil gasta US$ 13,5 mil (cerca de R$ 42,4 mil) por aluno universitário ao ano, índice próximo à média da OCDE (US$ 15,8 mil).

Em comparação com outros países analisados, Brasil investe pouco no ensino básico
Em comparação com outros países analisados, Brasil investe pouco no ensino básico

Por outro lado, o gasto do Brasil com cada aluno do ensino fundamental ou médio, US$ 3,8 mil ao ano (cerca de R$ 11,9 mil), é menos da metade da média da OCDE (US$ 8,5 mil no fundamental e US$ 9,8 mil no médio).

Agressões e intimidações

Outra pesquisa da OCDE pôs o Brasil na liderança de um ranking sobre violência nas escolas.

Em 2014, a organização entrevistou mais de 100 mil professores e diretores de escola em 34 países. No Brasil, 12,5% dos educadores ouvidos disseram sofrer agressões verbais ou intimidações de alunos ao menos uma vez por semana.

A média entre todos os países foi de 3,4%.

Em alguns deles, como Coreia do Sul, Malásia e Romênia, o índice foi zero.

O estudo revelou ainda que 12,6% dos professores no Brasil acreditam que sua profissão é valorizada. A média geral foi de de 31%.

Nesse indicador, o Brasil ficou à frente de países tidos como mais avançados em educação, como França e Suécia. Nas duas nações, apenas 4,9% dos professores disseram que são devidamente valorizados.

Os líderes da lista foram Malásia (83,8%), Cingapura (67,3%) e Coreia do Sul (66,5%).(Fonte:BBC)

Governo de Goiás desorganiza quadro de professores e deixa alunos sem aula

Com a implantação das Organizações Sociais (OS) barrada na justiça, a Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) desorganizou o quadro de professores no Estado. Em Aparecida de Goiânia, por exemplo, várias escolas estão tendo que improvisar para manter aulas.

Alunos do Colégio Estadual Irma Angélica, no Jardim Monte Cristo, estão sendo liberados mais cedo por falta de professores. A direção da escola relata aos pais e alunos que o problema é devido a um déficit de profissionais não solucionado pelo governo do Estado. 

Alunos de outras escolas em Aparecida também entraram em contato com a fonte para relatar o mesmo problema. O último processo seletivo da Seduce, com salário de R$ 1.308,44 afugentou professores qualificados. 

As gestões do governador Marconi Perillo (PMDB) são marcadas pelo improviso na educação. É muito comum o desvio de função na rede estadual. Professores lecionando em disciplinas diferente de formação, carga horária excessiva e baixos salários.(Fonte:Goiás Real)

Mais de 30 escolas da rede estadual seguem com as obras paradas no TO

Situação foi mostrada em fevereiro de 2016, mas o problema continua.
Secretaria Estadual da Educação ainda não se manifestou sobre o caso.

Mais de 30 escolas da rede estadual seguem com as obras paradas no Tocantins. Em fevereiro do ano passado, o G1 fez reportagem sobre o caso. Mais de um ano se passou e o problema continua sem solução. A Secretaria Estadual da Educação não se manifestou sobre o caso, mas no ano passado o Estado disse que todas as obras seriam finalizadas no final desse ano.

Nas escolas não se vê qualquer movimentação de trabalhadores. Em uma construção, que fica na região sul de Palmas, por exemplo, a obra foi orçada em quase R$ 8 milhões, recurso dos governos federal e estadual. A construção começou em dezembro de 2012. A escola deveria ter ficado pronta em janeiro de 2014, mas o canteiro de obras está parado.

Das três unidades que estavam com as obras paralisadas no ano passado em Palmas, os trabalhos foram retomados apenas na construção que fica na quadra 401 Sul. Mas ainda não há previsão de quando o prédio será entregue.

Outro exemplo fica na cidade de Pedro Afonso. A construção da escola foi orçada em mais de R$ 10 milhões e deveria estar atendendo mais de 1,5 mil alunos. Pouco mais de R$ 4 milhões já foram investidos, mas não há previsão de quando as obras serão retomadas.

“Continua a mesma situação, sem nada mudar. Os alunos continuam nas escolas ruins e as obras novas paradas”, comentou o presidente do Sindicato dos Profissionais da Educação, José Roque.(Fonte:G1/To)

Selecionados na 2ª chamada do ProUni têm até hoje para comprovar dados

Os candidatos pré-selecionados na segunda chamada para receber bolsas integrais e parciais do Programa Universidade para Todos (ProUni) têm até hoje (24) para comprovar as informações prestadas durante a inscrição. O resultado dessa fase da seleção foi divulgado na última segunda-feira (20).

O estudante deve apresentar seus documentos originais e de integrantes da família, quando for o caso, na instituição para a qual foi selecionado. A lista completa de documentos está disponível no site do ProUni.

Os candidatos que não foram selecionados nas duas primeiras chamadas poderão manifestar interesse em participar da lista de espera, que será usada pelas instituições de ensino na convocação de candidatos para preenchimento de bolsas eventualmente não ocupadas. A manifestação poderá ser feita entre 7 e 8 de março. Nesse caso, os dias 13 e 14 de março serão reservados para apresentar a documentação.

O ProUni oferece bolsas de estudo integrais e parciais (de 50%) em instituições privadas de educação superior, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, a estudantes brasileiros sem diploma de nível superior.

No total, foram ofertadas 214.242 bolsas em 13.521 cursos, distribuídos em 1.065 instituições de todo o Brasil. Esta edição do ProUni teve 1.535.042 candidatos inscritos na primeira chamada.(Fonte:Agência Brasil)