Aluna de 14 anos do Colégio Família Agrícola em São Salvador escreve carta aberta

 Um retrocesso de um projeto lindo, construído há anos e que corre o risco de acabar por uma politicagem suja”. Disse a garota emocionada.

Uma aluna de 14 anos da cidade de Jaú do Tocantins, resolveu fazer um desabafo através de uma carta aberta para chamar atenção das autoridades do Tocantins.

Ela e a família, estão preocupados com a demissão do Cirineu da Rocha, ex-coordenador e idealizador do projeto Família Agrícola.

Veja a carta na Integra:

“Meu nome é Lyvia Guilherme Monteiro, tenho 14 anos, moro em Jau do Tocantins e  sou estudante do (CEFA) José Porfirio de Souza, município de São Salvador do Tocantins”.

“Comecei a estudar naquela escola há pouco mais de um ano, (assim que a escola começou a funcionar). No início foi um pouco complicado para mim, ficar longe de casa, da minha família, durante uma semana, deixar meus amigos de Jaú não foi fácil. Mas depois de um certo tempo, percebi que estava certa, era o melhor para mim. Os educandos, professores e servidores tinham se tornado minha família”.

“Apesar da escola estar funcionando há pouco mais de um ano, ela é um projeto de luta dos atingidos por barragem há mais de dez (10) anos, não podemos nos esquecer disso. O colégio Família Agrícola, foi pensado para os filhos dos trabalhadores e também para ajudar os atingidos por barragem”.

“Durante estes dez (10) anos nosso querido diretor Cirineu da Rocha, esteve lutando e fazendo de tudo para que o colégio começasse a funcionar o mais rápido possível”.

“Para isso, ele comprou as camas com seu próprio dinheiro e várias outras coisas. No começo do ano passado tivemos muitas dificuldades em relação a alimentação, mas nunca nos faltou nada. O nosso ex-diretor Cirineu da Rocha sempre correndo atrás de doações para que não passássemos fome. Sempre atencioso, paciente e preocupado com o ser humano”.

“No começo deste ano, recebemos a revoltante notícia que o nosso diretor havia sido exonerado do cargo. Frustrante! O motivo? Politicagem! Sabe porquê? O nosso diretor não apoiou o atual prefeito de São Salvador nas eleições passada”. Estranho isso, parece uma barganha, mais quem sou eu para acusar”.

“Quero aqui dizer que, não duvidamos do profissionalismo do novo diretor, mas sim, da forma que ele tem sindo usado por políticos. Um retrocesso de um projeto lindo, construído há anos que corre o risco de acabar por uma politicagem suja e maldosa”.

“Peço a compreensão de todos e que veja este caso, principalmente o governador uma explicação uregente”.  

Lyvia Guilherme Monteiro em um dos momentos de aula prática (como preparar a terra).
Lyvia Guilherme Monteiro em um dos momentos de aula prática (como preparar a terra).

Autora: Lyvia Guilherme Monteiro

Fotos: Arquivo de família

Até o momento ninguém se pronunciou sobre o caso, enviamos vários email,s para o governador e também SEDUC, mais até agora não obtivemos resposta. Estamos aguardando.

Estudantes do Colégio Estadual Família Agrícola protestam contra o novo diretor

Estudantes do Colégio Estadual Família Agrícola José Porfírio de Souza, protestaram contra o novo diretor da unidade escolar.

Nesta segunda feira (17), os estudantes, realizaram diversos protestos contra a nomeação do novo diretor Carlos Gomes, que por interferência política na unidade escolar e a pedido do atual prefeito da cidade de São Salvador André Borba assumiu o cargo. Os alunos revoltados recusaram entrar nas salas de aula, colocaram cartazes nos espaços da unidade escolar e gritaram em protesto. Nesta segunda feira, foi o primeiro dia de aula depois que o novo diretor assumiu o cargo.

Isso vem acontecendo devido à exoneração do diretor Cirineu da Rocha, que contribuiu com a construção da unidade escolar, buscando as parcerias com as comunidades, agricultores e instituições públicas e privadas. Com a equipe escolar construiu-se a proposta pedagógica a partir dos princípios da Educação do Campo e os instrumentos da Pedagogia da Alternância. 

Camila dos Santos, estudante do 2º Ano disse que não duvida do profissionalismo do novo diretor Carlos, mas sim, do que ele representa. Ou seja, “uma ruptura do processo construído há anos, e que por capricho do atual prefeito que não tem preocupação de uma educação de qualidade para os filhos dos trabalhadores, tem tentado trocar os profissionais com capacidade técnica por outros com objetivo de assim cumprir com suas promessas de campanhas”, desabafou indignada.  Já o estudante Jorge da Silva, do 1º Ano Técnico em Agropecuário Integrado ao Ensino Médio, relata que: “o novo diretor é uma pessoa despreparada para gerir essa unidade escolar por desconhecer os princípios da Educação do Campo e os Instrumentos da Pedagogia da Alternância algo que é de suma importância para o bom funcionamento na modalidade de educação”.

Estudantes, pais, alunos e agricultores estão lutando pela volta do Cirineu da Rocha.

Em nota, o prefeito criticou o jornal por erros de concordância e pontuação na matéria postada, sem muito o que falar, achou mais fácil criticar e ameaçar um veículo de comunicação que apenas está fazendo o seu papel de informar a população.

Quando um jornal sério publica suas matérias, faz isso com responsabilidade e sem mentiras. Sobre as críticas? Todas elas, fazem parte do jornalismo.

O jornal mapa da noticia aguarda a resposta do prefeito sobre este assunto.

Conheça mais da história da unidade escolar

 O Colégio Estadual Família Agrícola José Porfírio de Souza, (CEFA), nasceu a partir de uma negociação após a implantação das Usinas Hidrelétricas de Peixe Angical e São Salvador do Tocantins, como forma compensatória as famílias atingidas, seria construída uma Escola Família Agrícola – EFA, que atenderia a todos os reassentamentos e demais famílias de agricultores familiares da região, sendo pactuado no documento “Termo de Compromisso para Implantação de Reassentamentos Coletivos” assinado pelos componentes do foro de negociação em outubro de 2008, onde ficaram definidas as responsabilidades das partes envolvidas, cabendo à CESS o aporte de recursos financeiros para aquisição de área e construção da Escola Família Agrícola e às famílias reassentadas e o MAB – Movimento dos Atingindo por Barragens, discussão e articulação da proposta pedagógica com a participação da Secretaria de Educação do Estado do Tocantins.

O entendimento das comunidades atingidas é que a construção da Escola Família Agrícola seria de extrema importância para além do pedagógico construir também um debate sobre o planejamento e organização da produção de alimentos para a região onde foram construídas as hidrelétricas de São Salvador, Cana Brava e Peixe Angical, incluindo as regiões Sul e Sudeste do Estado do Tocantins.

Assim, ao longo de 10 anos foram realizadas diversas reuniões com a SEDUC – Secretaria de Educação do Estado do Tocantins, com a participação de representante da CESS, Tractebel Energia, prefeitos, bem como reuniões com as famílias dos reassentamentos e demais comunidades de agricultores familiares da região, que resultaram na constituição da Associação de Apoio à Escola Família Agrícola José Porfírio de Souza, que tem como objetivos principais: I) A promoção do desenvolvimento rural sustentável, através da educação, da formação dos jovens, valorizando o espírito de solidariedade e respeito ao meio ambiente; II) A formação integral, visando uma educação pautada em valores humanos, técnico-científico e artístico-cultural, garantindo aos jovens do campo uma melhor qualidade de vida; III) A geração de trabalho e renda através da pré-profissionalização dos jovens estudantes.

Após ter um tempo sem discussão e reuniões, mas acreditando ser possível, em 2015, teve uma retomada dos debates sobre a implementação da Escola Família Agrícola José Porfírio de Souza, através de reuniões e debates entre a Secretaria de Educação, prefeituras da região e as comunidades, Reassentamentos e Assentamentos das Regiões Sul e Sudeste do Tocantins, que resultou por parte da prefeitura de São Salvador através da lei nº 386/2015 de 13 de Fevereiro de 2015, a doação ao Estado do Tocantins das estruturas da Escola Piabanha I, com sua respectiva área, localizada no Reassentamento Piabanha I. Na época com ajuda do prefeito Charles Evilacio M. Barbosa, que abraçou a causa da escola. 

Mas para a efetivação da unidade escolar e a necessidade de mais espaços para alojamento a Associação dos Agricultores do Reassentamento Piabanha-I, cedeu o Centro Comunitário e a área comunitária para implementar o alojamento e as unidades de produção.

Acreditando que com toda essa junção de forças e apoio levou o governador Marcelo Miranda, a sancionar a lei nº 3.040/2015, criando o Colégio Estadual Família Agrícola José Porfírio de Souza no Município de São Salvador do Tocantins.

Assim em 07 de março de 2015 inicia as atividades da referida unidade escolar, com um prédio doado pelo município e alojamento cedido pela associação e os demais aportes sendo coletados através de doação e empréstimo garantindo assim seu funcionamento.

A construção dessa unidade de ensino tem como objetivo um novo projeto de desenvolvimento para a região sul/sudeste do Estado do Tocantins, que está mais isolada e que, portanto, necessita de um trabalho que venha auxiliar no seu crescimento e nada melhor do que através da melhoria da educação do povo que aqui reside. Essa proposta deve ser pautada num pensar de políticas, princípios e métodos pedagógicos comprometidos com a tarefa de proporcionar à população condições de se manter na escola, garantindo assim essa mudança e melhoria não só de sua população, mas de toda a região.

Então é necessário pensar que para um Projeto de Educação do Campo dar certo, primeiramente devemos repensar sua concepção de educação, lembrando que esta deve estar preocupada com o desenvolvimento humano de todas as pessoas, de todo mundo. Nesse sentido não podemos esquecer que para isso precisa contrapor-se um pouco aos valores anti-humanos que sustentam o formato da sociedade capitalista atual, ou seja, o consumismo, o individualismo, o egoísmo, o conformismo e reafirmarmos práticas e posturas humanizadoras como a solidariedade, a sobriedade, a indignação diante das injustiças, a autoconfiança, a esperança e o amor ao próximo entre outras.

Judite da Rocha

 

Colégio Família Agrícola em conflito, prefeito de São Salvador faz ameaças

Sonho interrompido: Alunos, pais e funcionários lamentam a demissão do coordenador Cirineu da Rocha, do (CEFA) Jose Porfírio de Souza em São Salvador do Tocantins que por politicagem foi exonerado do cargo.

Momento de descontração no colégio.
Momento de descontração no colégio.

O clima tem sido de tensão no Colégio Estadual Família Agrícola José Porfírio de Souza, de São Salvador do Tocantins. Desde que o prefeito André Borba assumiu a prefeitura do município há pouco mais de quatro meses, ninguém mais pôde trabalhar, o clima de angustia e terror tem acompanhado toda equipe de funcionários e colaboradores do referida colégio. Por implicância e politicagem o prefeito Borba não fez mais nada ao seu município, a não ser tentar acabar com o colégio que o MAB (Movimento dos Atingidos por Barragem), lutou por anos para construir.

De acordo com as primeiras informações e gravações, o prefeito com ajuda de alguns políticos dentre eles a deputada federal Josi Nunes, e outros nomes de lideranças da região de Palmeirópolis não mencionados aqui, resolveram mandar embora todos que não votaram e nem apoiaram André Borba nas eleições para prefeito. Ou seja, no colégio só iam continuar apenas quem estava do lado dele e se envolveu na campanha para prefeito ano passado.

Na abertura do ano letivo, a equipe do colégio foi pega de surpresa quando recebeu a presença do prefeito todo arrogante ao referir que a escola pertencia ao seu município e ali só iam ficar quem ele quisesse e fazia questão de estar presente em todas as reuniões. Como se o colégio pertencesse somente a ele. O prefeito André Borba em momento algum pensou nos alunos, nos funcionários, nos pais, no sonho e na luta do povo para abrir o CEFA – José Porfírio, um sonho dos ribeirinhos atingidos pela barragem da região indo embora por políticos incompetentes e despreparados.

Na reunião de posse do novo diretor, o engenheiro Agrônomo Carlos Gomes o clima piorou. Com a presença da Diretora Regional de Ensino (DRE), no momento de uma reunião fechada para receber o novo diretor Carlos Gomes, Cirineu da Rocha explicou todo o processo do colégio, das conquistas e parcerias construídas ao logo do tempo, relatou que sua saída representa uma ruptura ao processo de dialogo e construção que vem sendo feito com os diversos parceiros. Parte do que o colégio utiliza pertence a associação e aos agricultores, ou seja os alojamentos, refeitório, cozinha, banheiros com vestiários, ferramentas (enxadas, foices, facão, entre outros) e panelas, não pertencem ao colégio, mas sim a associação e agricultores.

Cirineu disse ainda, que não estava ali duvidando do trabalho ou do profissionalismo do novo diretor Carlos, mas sim, do que ele representa, ou seja, uma ruptura do processo construído há anos, e que por capricho do atual prefeito que não tem preocupação de uma educação de qualidade para os filhos/as dos trabalhadores/as, tem tentado trocar os profissionais com capacidade técnica por outros com objetivo de assim cumprir com suas “promessas de campanhas”.

Disse ainda que o novo diretor tinha a oportunidade de se demitir ou deixar em seu currículo a mancha que contribuiu para acabar com os sonhos de centenas de jovens e com um colégio que vem dando certo, se o mesmo não se demitir todos os servidores/as que acreditam que o que esta acontecendo é algo muito ruim para a construção de um colégio de referencia em Educação do Campo iram se demitir.

No final da posse, em uma reunião fechada com a DRE e os agricultores, o prefeito chegou novamente de surpresa e continuou aterrorizando as pessoas, dizendo que o nome do Colégio   José Porfírio é um nome de um terrorista, que só este nome já é uma vergonha para colégio e o município. E que não voltaria atrás com a ideia dele, disse ainda que o Cirineu manipula o povo e implanta idéias na cabeça dos mesmos, deixou bem claro que não está nem um pouco preocupado se o colégio acabar.

De acordo com André, ele tem o aval do governador e de assessores do governo Marcelo Miranda para trocar e tirar quem ele quiser. Acrescentou ainda que tinha que passar um corretivo nos professores. Frase esta até agora não explicada.

Associação deu prazo de 15 dias para o novo diretor se demitir, se isso não acontecer vai tomar de volta o Centro Comunitário onde fica o alojamento e o refeitório todo equipado, tudo pertence a associação e não a escola. Computadores, biblioteca, material, ou seja, a escola vai ter que começar do zero.

Não conseguimos falar com o novo diretor Carlos Gomes para saber qual a ideia dele sobre este assunto, vamos continuar tentando.

Em menos de quatro (4) meses um prefeito assume e destrói o sonho de mais de dez (10) anos de luta das associações e comunidades regionais que era a construção de um Colégio Família Agrícola. Que apenas com um ano de funcionamento já fez a diferença na vida de estudantes das comunidades mais carentes do município de Paranã, São Salvador, Palmeirópolis, Jau do Tocantins e Peixe.

Qualquer líder politico em sã consciência queria uma escola deste porte no seu município, com visão de um abatedouro de frango, e aguardando vários outros projetos com recursos de grandes empresas, uma alavancada a qualquer município. Fica aqui a pergunta porque o prefeito André Borba quer acabar com o colégio…?

Até o fechamento desta matéria apenas um vereador de São Salvador se mostrou interessado no assunto, vereador Pesão, os demais estão a favor do prefeito, ou se esconde por medo.  O vereador Fabio Gonçalves do município de Palmeirópolis, o vereador Pesão do município de São Salvador disseram que vão mandar oficio e pedir uma audiência pública para tratar com dignidade do assunto. Os vereadores da cidade de Jaú todos estão empenhados na causa do colégio.

O professor e coordenador do MAB – Movimento dos Atingidos por Barragem, Cirineu da Rocha, foi exonerado de um projeto de colégio que ele mesmo idealizou, sonhou, e junto com uma equipe, lutou para fundar e manter funcionado a partir da Pedagogia da Alternância. Ajudando agricultores familiares, camponeses, ribeirinhos e quilombolas, as famílias a formar seus filhos com dignidade.

Um colégio agrícola apenas começando e agora prestes acabar. Dezenas de alunos do Colégio Família Agrícola José Porfirio de Souza, se mobilizaram em protesto contra a demissão do professor Cirineu, que lutava há mais de dez (10) anos junto com sua equipe para que o mesmo fosse aberto.

Tinha o apoio da Tractebel Energia e aguardava apenas o terreno para implantar o tão desejado sonho. Um acordo feito entre a empresa e os ribeirinhos atingidos pela construção da barragem na época. Nenhum prefeito quis doar o terreno, aliás nenhum político acreditou nesta história de “Escola Agrícola”, muitos até usaram o palanque para pedir votos e prometeram ajudar, a abrir a referida escola, porque era bom para a região. Diziam nos palanques, ”temos meio milhão da Tractebel para abrir uma escola e vamos colocar isso para funcionar, porque até agora ninguém fez, eu vou fazer”, Ilusão e promessas, nada disso foi feito.  Apenas promessas. Outros, criticaram dizendo que era uma ideia de doidos, Flavio Gonçalves muitas vezes foi chamado de “o doidinho”, por políticos de Palmeirópolis que pensam apenas em si.

Os anos se passaram e novos prefeitos assumiram, e nada, ninguém interessou pelo projeto. Tempo depois, o ex prefeito de São Salvador Charlles Evilacio, resolveu abraçar a causa e doar o prédio já pronto para funcionar a escola Agrícola na região da Piabanha. Em parceria com vários municípios a escola foi aberta e inaugurada ano passado pelo governo do estado que se empenhou em contratar o quadro de funcionários.

Equipe trabalhando, mais de 180 Educandos/as matriculados, outros na lista de espera. Ainda com muita luta para aprovar projetos, adquirir merenda escolar, mais colégio indo de “vento em polpa”, toda equipada, com recursos da associação, sobrevivendo sem depender muito de políticos, até o prefeito André Borba assumir a prefeitura e começar a guerra, as ameaças, o verdadeiro terror. A primeira coisa que ele fez, mostrou poder, “vou mostrar quem manda aqui”, disse com tom de arrogância. Amedrontando todos que ali estavam. “No mundo em que vivemos a gente pensa que já viu de tudo né? ”, disse uma moradora indignada com situação. “A cidade de São Salvador com tanta coisa para fazer, tantas obras a realizar, o prefeito preocupado com quem demitir no colégio, para colocar os deles”.

Ele (prefeito), correu atrás dos políticos maiores e pediu a exoneração do diretor Cirineu da Rocha, autor do projeto do colégio. Ele foi demitido e tudo indica que por “politicagem”, sem ter recebido nenhuma explicação ou motivo por parte do estado e prefeitura. Com ele, alguns nomes foram citados pelo prefeito André também para retirar da lista de funcionários. Simples assim: “Não quero ninguém da oposição nesta escola”, declarou entusiasmando o prefeito.

O bate-boca maior foi na posse do novo diretor, Carlos que chegou humilde sem saber a dimensão do problema. O prefeito chegou sem ser convidado e adentrou a sala com palavras de baixo calão entre os presentes, partiu para baixaria, com voz alterada, tenso chamou um dos funcionários de moleque, batia no peito e dizia “Eu tenho dois coco, sou homem, não tô nem aí si esta escola acabar”. Num dos momentos mais tensos, o prefeito André Borba detonou o nome da escola José Porfirio de Souza, dizendo que era uma escola de movimento e não servia para educar ninguém. Você parece um moleque, referindo a Sebastião Wagner, idealizador e funcionário da escola, o prefeito fez questão de dizer na cara, que ele não era bem-vindo na escola. Após tomar conhecimento do afastamento do coordenador, os professores, alunos, funcionários e os pais ficaram decepcionados e estão tomando as devidas providencias.

Conheça um pouco da história do Colégio Agrícola

O Colégio Estadual Família Agrícola José Porfírio de Souza, nasceu a partir de uma negociação após a implantação das Usinas Hidrelétrica de Peixe Angical e São Salvador do Tocantins, como forma compensatória as famílias atingidas, seria construída uma Escola Família Agrícola – EFA, que atenderia a todos os reassentamentos e demais famílias de agricultores familiares da região, sendo pactuado no documento “Termo de Compromisso para Implantação de Reassentamentos Coletivos” assinado pelos componentes do foro de negociação em outubro de 2008, onde ficaram definidas as responsabilidades das partes envolvidas, cabendo à CESS o aporte de recursos financeiros para aquisição de área e construção da Escola Família Agrícola e às famílias reassentadas e o MAB – Movimento dos Atingindo por Barragens, discussão e articulação da proposta pedagógica com a participação da Secretaria de Educação do Estado do Tocantins.

O entendimento das comunidades atingidas é que a construção da Escola Família Agrícola seria de extrema importância para além do pedagógico construir também um debate sobre o planejamento e organização da produção de alimentos para a região onde foram construídas as hidrelétricas de São Salvador, Cana Brava e Peixe Angical, incluindo as regiões Sul e Sudeste do Estado do Tocantins.

Assim,ao longo de 10 anos foram realizadas diversas reuniões com a SEDUC – Secretaria de Educação do Estado do Tocantins, com a participação de representante da CESS, Tractebel Energia, prefeitos, bem como reuniões com as famílias dos reassentamentos e demais comunidades de agricultores familiares da região, que resultaram na constituição da Associação de Apoio à Escola Família Agrícola José Porfírio de Souza, que tem como objetivos principais: I) A promoção do desenvolvimento rural sustentável, através da educação, da formação dos jovens, valorizando o espírito de solidariedade e respeito ao meio ambiente; II) A formação integral, visando uma educação pautada em valores humanos, técnico-científico e artístico-cultural, garantindo aos jovens do campo uma melhor qualidade de vida; III) A geração de trabalho e renda através da pré-profissionalização dos jovens estudantes.

Após ter um tempo sem discussão e reuniões, mas acreditando ser possível, em 2015, teve uma retomada dos debates sobre a implementação da Escola Família Agrícola José Porfírio de Souza, através de reuniões e debates entre a Secretaria de Educação, prefeituras da região e as comunidades, Reassentamentos e Assentamentos das Regiões Sul e Sudeste do Tocantins, que resultou por parte da prefeitura de São Salvador através da lei nº 386/2015 de 13 de Fevereiro de 2015, a doação ao Estado do Tocantins das estruturas da Escola Piabanha I, com sua respectiva área, localizada no Reassentamento Piabanha I. Na época com ajuda do prefeito Charles Evilacio M. Barbosa, que abraçou a causa da escola.  Antes nenhum prefeito da região se interessou pelo projeto, muitos até levaram na brincadeira e não deram nenhuma atenção ao assunto. Não acreditaram na equipe do Cirineu da Rocha,Judite, Flavio Gonçalves, Sebastião Wagner e muitos outros que muitas vezes foram chamados de doidinho na época por alguns políticos.

Mas para a efetivação da unidade escolar e a necessidade de mais  espaços para alojamento a Associação dos Agricultores do Reassentamento Piabanha-I, cedeu o Centro Comunitário e a área comunitária para implementar o alojamento e as unidades de produção.

Acreditando que com toda essa junção de forças e apoio levou o governador Marcelo Miranda, a sancionar a lei nº 3.040/2015, criando o Colégio Estadual Família Agrícola José Porfírio de Souza no Município de São Salvador do Tocantins.

Assim em 07 de março de 2015 inicia as atividades da referida unidade escolar, com um prédio doado pelo município e alojamento cedido pela associação e os demais aportes sendo coletados através de doação e empréstimo garantindo assim seu funcionamento.

Desta forma informamos, que até o presente momento o Estado do Tocantins não fez nenhum repasse de verba para aquisição de bens de capital, o que significa que a unidade escolar por iniciativa de seu gestor e através do trabalho árduo tem garantido o atendimento de educandos através de doações e empréstimos de equipamentos, bem como o uso de materiais e equipamentos particulares.

Diante das considerações acima a escola agradeceu o repasse de recursos da merenda escolar e da Gestão Compartilhada, bem como as contratações para o funcionamento da unidade escolar, e pede que o olhar à unidade transpassasse a questão política, pois a metodologia adotada da Pedagogia da Alternância, que funciona como um semi-internato requer muito mais do que apenas estruturas, requer dedicação, compromisso, amor.

Pois a unidade escolar atende um público diferenciado, com um grupo significativo de alunos desacreditado do sistema convencional de ensino. Além disso é uma escola do campo, onde os alunos se deslocam de outros municípios para serem atendidos, as vezes necessitando serem encaminhados para casa antes do previsto e tudo isso feito com carro cedido e com combustível dos profissionais dessa unidade escolar, ou por um ônibus escolar que pega os alunos no início da semana.

A construção dessa unidade de ensino tem como objetivo um novo projeto de desenvolvimento para a região sul/sudeste do Estado do Tocantins, que está mais isolada e que, portanto, necessita de um trabalho que venha auxiliar no seu crescimento e nada melhor do que através da melhoria da educação do povo que aqui reside. Essa proposta deve ser pautada num pensar de políticas, princípios e métodos pedagógicos comprometidos com a tarefa de proporcionar à população condições de se manter na escola, garantindo assim essa mudança e melhoria não só de sua população, mas de toda a região.

Então é necessário pensar que para um Projeto de Educação do Campo dar certo, primeiramente devemos repensar sua concepção de educação, lembrando que esta deve estar preocupada com o desenvolvimento humano de todas as pessoas, de todo mundo. Nesse sentido não podemos esquecer que para isso precisa contrapor-se um pouco aos valores anti-humanos que sustentam o formato da sociedade capitalista atual, ou seja, o consumismo, o individualismo, o egoísmo, o conformismo e reafirmarmos práticas e posturas humanizadoras como a solidariedade, a sobriedade, a indignação diante das injustiças, a autoconfiança, a esperança e o amor ao próximo entre outras.

Diante de todo o exposto gostaríamos que os políticos, dentre ele o governador do Tocantins que entendesse a importância de nosso gestor Cirineu da Rocha, nesse processo, tendo sido ele o grande líder na busca e nas discussões para a efetivação dessa unidade de ensino, estando a frente das discussões ao longo desses dez anos, garantindo a manutenção da ideia e a implementação de fato da unidade escolar, cancelando sua exoneração para que o trabalho iniciado não se encerre nesse momento, mas que possa produzir bons frutos e bons resultados para a sociedade tocantinense.

Este colégio foi de uma luta grande e agora por questão política muda todo o foco.  Por questão partidária a prefeitura de São Salvador achou melhor trocar o diretor, ou seja, mexer para mostrar que tem poder, tudo indica que ele não se informou e não conhece nada da história do Colégio Família Agrícola. Porque se soubesse da luta do povo para conseguir fundar e manter ia pensar muito em pedir para exonerar Cirineu da Rocha.

Até o fechamento desta matéria não conseguimos falar com André Borba prefeito de São Salvador, nem com assessoria da deputada Josi Nunes e do governador Marcelo Miranda.

Estamos aguardando a resposta.

Da redação/MN

Fotos: Arquivo CEFA

Salas equipadas no Colégio Agrícola.
Salas equipadas no Colégio Agrícola.
Ex-Coordenador Cirineu da Rocha acompanhado de um aluno.
Ex-Coordenador Cirineu da Rocha acompanhado de um aluno.
Professor Cirineu da rocha, acompanhado de servidores e alunos.
Professor Cirineu da rocha, acompanhado de servidores, alunos e da secretária de educação do estado do Tocantins: Wanessa Zavarese Sechim.
Inauguração ano passado com a presença do governador Marcelo Miranda e deputados.
Inauguração ano passado com a presença do governador Marcelo Miranda, deputados do ex-prefeito Charlles Evilacio Maciel.
Reunião com Cirineu no refeitório do colégio.
Reunião com Cirineu no refeitório do colégio.
Alunos aprendendo a trabalhar a terra.
Alunos aprendendo a trabalhar a terra.
Momento de descontração, peça teatral dos alunos.
Momento de descontração, peça teatral dos alunos.

Vendaval derruba árvores e deixa rastro de destruição em São Salvador TO

Vários estragos foram causados por temporal em São Salvador do Tocantins.
Apesar dos vários estragos, não há registro de feridos na cidade.

Uma tempestade derrubou árvores, construções e até um poste, além de destelhar casas em vários bairros de São Salvador do Tocantins, na região sul do Tocantins. Moradores informaram que a chuva aconteceu durante a madrugada deste domingo (12) e foi acompanhada de ventos fortes. De acordo com o perfeito da cidade, não houve feridos e o trabalho de limpeza está sendo feito.

Muros e construções foram derrubadas pelos ventos (Foto: Prefeitura de São Salvador/Divulgação)
Muros e construções foram derrubadas (Foto: Prefeitura de São Salvador/Divulgação)

Segundo o prefeito, a chuva foi muito rápida e chegou a cair granizo. Segundo a Polícia Militar, pelo menos 20 árvores caíram dentro da cidade.

“Algumas árvores caíram em cima de casas, mas não tinha ninguém na hora. Só mesmo prejuízos matérias.  Domingo começamos os trabalhos de limpeza desde cedo, mas tivemos que parar porque começou a chover novamente à tarde”, contou o prefeito André Miguel Ribeiro.

Na Praia da Moreninha, cartão postal da cidade, árvores foram arrancadas e algumas caíram em cima dos banheiros. Além disso, um poste também foi deslocado pela força dos ventos.

O Corpo de Bombeiros de Gurupi, mais próximo da cidade, informou que não recebeu chamados da cidade neste domingo. O Instituto Nacional de Meteorologia não tem estações na cidade, por isso não é possível verificar a velocidade dos ventos na região.

Funcionários foram convocados para limpeza da cidade (Foto: Prefeitura de São Salvador/Divulgação)
Funcionários foram convocados para limpeza da cidade (Foto: Prefeitura de São Salvador/Divulgação)
Várias árvores foram derrubadas na cidade (Foto: Prefeitura de São Salvador/Divulgação)
Várias árvores foram derrubadas na cidade (Foto: Prefeitura de São Salvador/Divulgação)
Árvores caíram em cima de casas (Foto: Prefeitura de São Salvador/Divulgação)
Árvores caíram em cima de casas (Foto: Prefeitura de São Salvador/Divulgação)

Fonte:G1

Policia Militar prendeu quadrilha que sequestrou agente bancário de São Salvador

Na tarde desta terça-feira, 13, policiais militares do Pelotão de Palmeirópolis – TO, área circunscricional do 4º Batalhão de Polícia Militar, prenderam 01 (um) homem de 24 anos e apreenderam uma adolescente de 16 anos, acusados de integrarem quadrilha de roubo a banco. Em poder da dupla, a PM encontrou 01 revólver cal. 32 e 16 munições de mesmo calibre.

A prisão do casal aconteceu após sequestro do gerente da agência do banco Bradesco da cidade de São Salvador, o qual foi libertado por policiais militares da cidade de Paranã, que também prenderam 04 (quatro) membros da quadrilha durante a operação. Na ocasião, os policiais daquele município foram acionados por uma testemunha, que notou a atitude suspeita dos homens – [04 integrantes] próximo à agência bancária e também a presença estranha do gerente da agência da cidade de São Salvador, uma vez que naquele horário ele deveria está em atendimento no seu posto de atendimento.

Equipes de Rádio Patrulha de Paranã diligenciaram imediatamente e prenderam os quatro integrantes do bando, apreenderam 02 armas de fogo (revólveres), munições e R$ 1.500,00 reais em espécie. Após a prisão dos homens e posterior localização do gerente da agência de São Salvador, o qual aguardava sob ameaça da quadrilha, dentro da agência do banco em Paranã, os militares esclareceram o episódio e libertaram o funcionário do poder dos criminosos.

De acordo com as informações, o gerente da agência de São Salvador havia sido sequestrado pela quadrilha e levado para a cidade de Paranã, onde, sob ameaça e com o auxílio do gerente da agência desta cidade retirariam o dinheiro do cofre após o abastecimento pelo carro forte e repassariam aos criminosos, que os aguardavam nas imediações do banco. Entretanto, graças à intervenção da PM, a ação delituosa foi frustrada e crime não se consumou.

Ainda, durante as diligências, o bando confessou a autoria do delito e indicou outro casal integrante da ação delituosa, que os aguardavam na cidade de São Salvador. Com as informações, os militares de Palmeirópolis localizaram o casal e o prendeu em flagrante, pois além da participação na ação criminosa, eles portavam uma arma de fogo consigo.

Todos os envolvidos na prática delituosa e o produto do crime foram conduzidos para a Delegacia da cidade de Arraias para os devidos procedimentos.(fonte:4°BPM)

Prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e suplentes são diplomados no sul do Tocantins

A justiça Eleitoral realizou ontem quinta feira 08, a partir das 19h, no Fórum de Paranã, uma cerimônia conjunta para diplomar os prefeitos e vice eleitos, assim como os vereadores e suplentes, de Palmeirópolis, São Salvador e Paranã.   

A solenidade foi presidida pelo Juiz Eleitoral Márcio Soares da Cunha que em seu discurso ressaltou a importância dos poderes Executivo e Legislativo para a sociedade, parabenizou e desejou sorte aos eleitos.

    O promotor de justiça eleitoral da Comarca de Paranã, Dr. Milton Quintana, que também participou do evento colocou o ministério público a disposição dos eleitos. Ele disse que a sociedade está mais atenta no que diz a respeito à fiscalização dos poderes.

Os candidatos foram chamados à frente, de acordo com as coligações, os suplentes de vereadores, vereadores e em seguida vice-prefeitos e prefeitos eleitos em 2016.

Dos prefeitos o primeiro a receber o diploma foi Fabrício Viana de Paranã. De acordo com ele a sua eleição é uma grande honra. “Sei o tamanho da minha responsabilidade, por isso vou trabalhar para fazer o melhor para o povo de Paranã,” ressaltou

O prefeito eleito de São Salvador do Tocantins André Miguel, disse que vai trabalhar para honrar os votos recebidos, e que com a experiência que tem como vereador vai facilitar o diálogo com o legislativo para que o trabalho do executivo em parceria com o poder legislativo venha de encontro às necessidades da população de São Salvador. 

Já o prefeito reeleito do município de Palmeirópolis Tocantins Fábio Vaz, falou da importância da transparência dos poderes e das dificuldades que o País está passando. Vaz disse que seu primeiro mandato de prefeito foi um milagre de Deus, segundo ele, um mandato marcado pela crise financeira e política que se instalou no Brasil. Falou da importância da parceria do legislativo para o desempenho de excelência do executivo. Lembrou que já foi vereador duas vezes e sabe respeitar os vereadores, por isso que na sua atual gestão tem um bom relacionamento com o legislativo. “Tenho o maior respeito para com os vereadores e quero aproveitar para dizer que a política passou, agora vamos começar um novo mandato e fazer o melhor para nossa cidade”, finalizou.

O prefeito parabenizou todos os eleitos e diplomados desejando sorte em seus trabalhos, para os prefeitos Fabrício Viana e André Borba ele disse que ser prefeito é um desafio todo instante.

Destaque

As únicas mulheres diplomadas da noite foram do município de Palmeirópolis, Josemir Bastos a primeira vice-prefeita da história município, e Hildene Macedo foi a única mulher eleita para o pleito 2017-2020 na região da 18ª zona eleitoral.

A vice-prefeita disse que está muito feliz com a conquista e que vai trabalhar ao lado do prefeito para fazer o melhor para sua cidade.

Diplomação é o ato pelo qual a Justiça Eleitoral atesta que o candidato foi efetivamente eleito pelo povo e, por isso, está apto a tomar posse no cargo. Nessa ocasião, ocorre a entrega dos diplomas, que são assinados, conforme o caso, pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ou da junta eleitoral.

A entrega dos diplomas ocorre depois de terminado o pleito, apurados os votos e passados os prazos de questionamento e de processamento do resultado das eleições.

Segundo o Código Eleitoral (art. 215, parágrafo único), no diploma devem constar o nome do candidato, a indicação da legenda sob a qual concorreu, o cargo para o qual foi eleito ou a sua classificação como suplente, e, facultativamente, outros dados a critério do juiz ou do tribunal.

Após a solenidade de diplomação em si, por este ser um ato administrativo meramente formal, consideram-se diplomados todos os eleitos e os suplentes, independentemente do comparecimento e recepção do diploma assinado, sendo que, em geral, a Justiça Eleitoral imprime e entrega na solenidade os diplomas dos eleitos e dos suplentes até o terceiro de cada partido ou coligação, devendo os demais solicitarem a impressão e entrega do diploma posteriormente, ficando a cargo de cada Tribunal regulamentar essa quantidade.

Eleito de Palmeirópolis

Prefeito

Fabio Vaz e vice Josemi Bastos (PSD)

Vereadores

Arara (PMDB)

Daniel Rosa (DEM)

Fábio Gonçalves (PTN)

Guedes (PSD)

Willian Pinturas (PT)

Nilson Rodrigues (PSDB)

Prof. Hildene Macedo (PSD)

Nonato (PTB)

Divino da Patrola (PSD)

Suplentes

Lual Junqueira (PRB)

Márcia Araújo (PSB)

Neia Tavares (PSD)

Candidatos eleitos de São Salvador do To

 Prefeito

André Borba (PMDB)

Vice-prefeito

Branco – Edilson Martins Gonçalves (PMDB)

Vereadores

Marquinhos (PSC)

João da Tânia (PMDB)

Pesão (PR)

Biza (PR)

Edivan Conceição (PMDB)

Elyésyo Bezerra (PSB)

Ileide Abreu (PSD)

Jesus Juvito (PDT)

Bena (PV)

Nelson Rodrigues (PT)

Salvador (PPS)

Fabrício Nogueira (PV)

Prefeito Eleito de Paranã

Fabricio Viana (PMDB)

Vice-Prefito

 Edilton B. Chaves (Vein Chaves (PMDB)

 Vereadores

Valdemir Arcanjo (PTN)

Bebeto (PMDB)

Ozeias da Rodoviaria (PROS)

Joao Paulo (PSDB)

Gênio (PR)

Zé Quirino do Bom Jesus (DEM)

Zé Rodrigues (PRP)

Conrado(PP)

Luciano (PMDB)

Suplentes

Iran Aguiar (PP)

Wilton do Gás(PSD)

Amancim(PMDB)

img-20161209-wa00111-1

img-20161209-wa00121

img-20161209-wa00101

img-20161209-wa00211

 

Por: Rozineide Gonçalves/Marilene Correia

PT de São Salvador lança pré-candidatura do professor João Alves à prefeitura

Na última sexta-feira (03), o PT de São Salvador lançou a pré-candidatura do companheiro João Alves à prefeitura, em um evento que lotou a Câmara de Vereadores e contou com a presença do presidente estadual do PT – Júlio César Brasil, do senador Donizeti Nogueira, do deputado Zé Roberto, do secretário estadual de juventude do PT – Domingos Santos, do vereador de São Salvador – Nelson Rodrigues, do presidente do Ruraltins – Pedro Dias e do presidente do diretório municipal do PT – Milton de Oliveira Cunha.

Compareceram também, o pré-candidato a prefeito, Denival e os presidentes municipais de outros partidos: vereador André Borba (PMDB); vereador Marquinhos (PSC); Isael Nunes (PV); vereador Jesus Jovito (PDT) e o vereador Salvador Felicíssimo (PPS).

O professor João Alves iniciou sua fala agradecendo a presença da população do campo e da cidade de São Salvador, em especial do Retiro, Reassentamentos Piabanha I e Piabanha II e Almas e se disse bastante otimista.

João Alves nasceu e cresceu na Vila Retiro. Estudou e se formou professor. Na Educação, João Alves exerceu diversas funções, como docente, coordenador pedagógico e diretor escolar por 6 anos, onde desenvolveu um ótimo trabalho, tendo a comunidade escolar colhido bons resultados.

Estes conhecimentos trouxeram ao professor João Alves, experiência em gestão pública e ótimo relacionamento com os mais diversos segmentos da comunidade. Em 2011 o professor João Alves se filiou ao PT e contribuiu para a reestruturação do partido no município de São Salvador, por acreditar na ideologia do partido, onde os menos favorecidos também façam parte do processo, por meio de políticas públicas de inclusão social.

Em 2013, ingressou na função de assessor parlamentar do Deputado Zé Roberto, onde teve a oportunidade de visitar diversos municípios do Estado, conhecendo e aprendendo com as mais distintas realidades. Por meio deste trabalho, João Alves também participou ativamente da conquista de benefícios para os municípios.

João Alves afirma que é pré-candidato, porque acredita que pode fazer uma gestão diferenciada no município. “Me sinto preparado para essa função, porque além de experiência em gestão pública, tenho acompanhado de perto experiências exitosas de outros municípios, que acredito contribuir efetivamente para uma gestão de sucesso”. Enfatiza.

O presidente estadual do PT – Júlio César Brasil afirmou que o PT do Tocantins está feliz e bem representado com a pré-candidatura do companheiro João Alves, homem honrado, capacitado e com bastante vontade de trabalhar pelo município.

a705b3a8-06d7-4d7b-8493-2a1ad4a8f411

Atenciosamente,
Assessoria de Comunicação Partido dos Trabalhadores do Tocantins
Maria José Ribeiro
Jornalista –  SRTE/TO 628
Fone/WhatsApp: (63) 9934-0746
Twitter: @jornalistamaria 
 
 
Diretório Estadual do PT
Telefone: 3224 3220
Endereço: Quadra 110 Sul Al 03 Lote 40/42
Site: www.pttocantins.org.br

Twitter: @pttocantins

Governo do estado inaugura Escola Família Agrícola em São Salvador

Um projeto de muitos anos foi realizado hoje, a inauguração da escola

IMG-20160606-WA0040Para muitos, apenas uma simples inauguração, mais para aqueles que lutaram com garra, um sonho foi realizado nesta segunda feira, 6.

“A inauguração da (CEFA) é muito mais que uma inauguração de uma unidade escolar, é na verdade a concretização, ou melhor, é sem dúvida a coroação de todos os nossos trabalhos de toda luta desenvolvida em parceria com a UHE de São Salvador, prefeitura e governo do estado em prol das famílias de agricultores da região”, disse emocionado Flavio Gonçalves um dos idealizadores da escola.

Frente ao fortalecimento da educação do campo, o governador Marcelo Miranda inaugurou em São Salvador do Tocantins, mais uma escola família agrícola. O Colégio Estadual Família Agrícola (CEFA) José Porfírio de Souza atende cerca de 150 alunos, no regime de tempo integral, e desenvolve a pedagogia da alternância, atendendo o ensino fundamental do 6º ano ao 9º ano, 1ª série do ensino médio e curso técnico em Agropecuária integrado com o ensino médio básico.

Durante visita ao colégio, Marcelo Miranda reforçou a importância das escolas agrícolas para permanência dos jovens no campo, com qualidade de vida. “Tudo começa pela educação e, hoje, damos um passo muito importante para a formação dos nossos jovens, que agora não vão mais precisar deixar suas famílias para se profissionalizarem. Com muito trabalho, conseguimos dobrar o número de escolas com essa metodologia no Estado”, pontuou.

Quando o governador Marcelo Miranda assumiu o governo, existiam quatro unidades escolares atendendo na modalidade de escola agrícola, distribuídas nos municípios de Natividade, Monte do Carmo, Porto Nacional e Arraias. Sendo esta a terceira unidade deste modelo entregue à população somente neste ano, agora já somam sete escolas agrícolas. As outras estão localizadas em Esperantina e Colinas.

Estrutura

A unidade escolar de São Salvador do Tocantins está construída no reassentamento Piabanha I, em um terreno de aproximadamente 4,8 hectares, doado pela prefeitura do município. Atende alunos de São Salvador do Tocantins, Palmeirópolis, Jaú do Tocantins, Paranã e Peixe. Todos eles oriundos de famílias atingidas pelos impactos das barragens da Usina Hidrelétrica construída na região.

Conforme o secretário de Estado da Educação, Juventude e Esportes, Adão Francisco, a proposta do Governo do Estado é que todas as escolas que atendem os alunos na zona rural, passem a atender com a metodologia das escolas agrícolas. “Queremos oferecer aos nossos alunos um ensino contextualizado com a realidade de cada região”, disse.

Escolas agrícolas

Com a pedagogia da alternância, em que o aluno fica um período na escola e outro em casa, nas escolas agrícolas, os estudantes têm disciplinas regulares do currTículo escolar, além de disciplinas técnicas voltadas às atividades do campo e, no período em que passam em casa, colocam em prática o aprendizado adquirido durante o período de estadia na escola.

No Tocantins, atualmente, cerca de 1.500 alunos são atendidos nas escolas agrícolas e recebem formação técnica em agropecuária, agroecologia, zootecnia e agroindústria. Esses cursos técnicos são ofertados nas escolas conforme as demandas socioeconômicas da região, incentivando as organizações do povo na luta pelos seus direitos e na busca por melhores condições de vida.

Benefícios

O aluno do 6º ano da Cefa José Porfírio de Souza, Uesimaar Farias Costa destacou que os conhecimentos adquiridos na sala de aula já estão sendo aplicados na propriedade dos pais. “Aqui temos disciplinas que ensinam coisas que podem ser aplicadas nas fazendas, onde moramos. Depois que comecei a estudar aqui já estamos fazendo uma horta”, contou.

O diretor da unidade escolar, Cirineu da Rocha, destacou que a escola é a realização de um sonho, que cria novas perspectivas para os produtores rurais. “Esse é o momento de comemorarmos. Era um sonho nosso ter um espaço onde os produtores, aqui da região, pudessem receber formação sobre a produção agrícola, processamento e comercialização. Hoje, temos o Colégio Estadual Família Agrícola José Porfírio de Souza”, celebrou.

Presenças

Estiveram presentes na solenidade de inauguração da escola, que passou por uma reforma geral e revitalização, a deputada federal Josi Nunes; o deputado estadual Valdemar Junior; o chefe de gabinete do governador, Elmar Borges (Cenourão); produtores rurais; lideranças políticas locais; estudantes; o secretário de Estado da Infraestrutura, Sérgio Leão; e o presidente da Agência Tocantinense de Saneamento, Eder Martins.

Governador ressalta que obras entregues em São Salvador vão melhorar a qualidade de vida dos cidadãos

Os moradores da zona rural de São Salvador do Tocantins, a cerca de 400 quilômetros de Palmas, receberam na manhã desta segunda-feira, 6, das mãos do governador Marcelo Miranda, o certificado de propriedade das cisternas do Programa Água Para Todos. Na ocasião, também foram inauguradas obras do Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável (PDRIS), realizadas em 74,02 km de rodovias vicinais.

Para o governador, os benefícios vêm para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. “Para ajudar nos efeitos da estiagem, entregamos a titularidade de 259 cisternas. Também melhoramos as rodovias vicinais nesta região em mais de 74 quilômetros, com patrolamento, pontes, bueiros e obras que vão beneficiar diretamente a vida das pessoas e a circulação do que é produzido aqui. As obras físicas são importantes, mas o que mais queremos é a valorização do ser humano”, reforçou.

Outra ação do Governo, no município, é a construção de cinco barragens. Desse volume, três já estão concluídas e outras duas estão em fase de execução. “Esse ano, com certeza, também vamos conseguir encaminhar os carros-pipas para essa região. Medida que minimiza os efeitos da seca no período mais crítico das secas”, adiantou Marcelo Miranda.

O prefeito de São Salvador do Tocantins, Charles Evilácio, ressaltou a importância das parcerias para o município. “Com alegria, temos o Governo do Estado como parceiro do desenvolvimento local. Os benefícios que foram entregues hoje vêm atender às necessidades da população de São Salvador. Hoje, temos muito a agradecer”, afirmou.

Cisternas

As 259 cisternas instaladas beneficiam mais de mil pessoas no município. Com validade de 35 anos e capacidade de armazenamento de 16 mil litros de água, as cisternas de polietileno são entregues com cobertura e uma bomba para retirada da água. Desde o início da gestão, o número de cisternas entregues por meio da Agência Tocantinense de Saneamento (ATS) saltou de 12% para mais de 60% do número total.

O Programa Água Para Todos é uma das estratégias do Governo do Estado, em parceria com o governo federal, por meio do Ministério da Integração Nacional, para amenizar a crise da falta de água. Em São Salvador do Tocantins, os investimentos do programa somam R$ 1,5 milhão, sendo que o montante de investimentos do Água Para Todos no Tocantins soma R$ 72 milhões.

A pequena produtora rural, Eleona Pereira de Sousa, uma das beneficiadas com a entrega das cisternas, emocionada, lembrou-se das dificuldades que passava antes de receber o benefício. “Antes, tínhamos que carregar água da casa do meu sogro, em um balde na cabeça. É uma alegria muito grande ter água aqui na porta para cozinhar e fazer as atividades de casa”, comemorou.

PDRIS

Quanto ao melhoramento nos 74,02 km de rodovias vicinais, foram feitas construções de pontes pré-moldadas de concreto, bueiros celulares de concreto, bueiros tubulares de concreto e patrolamento de estradas.

As 18 obras hidráulicas entregues, em um investimento de R$ 1.165.470,20, oriundos de financiamento junto ao Banco Mundial (Bird), visam o desenvolvimento local e buscam a melhoria da qualidade de vida da população tocantinense. “São aparatos do Governo do Estado para garantir, com mais facilidade, o acesso da população aos serviços disponíveis na sede do município, assim como o acesso de técnicos às propriedades, para levar orientações aos produtores. Estamos trabalhando para garantir qualidade de vida para a população”, explicou o secretário de Estado de Infraestrutura, Habitação e Serviços Públicos, Sérgio Leão.

Ordem de Serviço

Durante a solenidade de entrega das obras, o governador também assinou Ordem de Serviço para reforma e urbanização das Instalações da ATS no município, com investimento de R$ 54.182,55. O serviço compreende a pintura (reservatórios, paredes, portas, portões, pisos e tubulações), capina, roçagem, limpeza de reservatório, instalação de cercas, e pequenos reparos como soldagem das chapas de aço dos reservatórios e troca de dobradiças.

IMG-20160606-WA0027

IMG-20160606-WA0032 (1)

IMG-20160606-WA0030

IMG-20160606-WA0029

IMG-20160606-WA0035

IMG-20160606-WA0037

Rozineide Gonçalves/Secom Governo

Fotos:Leila Novais

Homem é atingido por golpes de facão na cidade de São Salvador do Tocantins

O autor do homicídio esta foragido e a vítima morreu no local.

Da redação M/N

IMG-20160403-WA0009

Nesta madrugada 03, um homem foi morto com golpe de facão na cidade de São Salvador do Tocantins. De acordo com testemunha havia uma seresta no bar Alta Horas, e por volta das 4 horas da madrugada, depois que o show tinha acabado começou uma discussão entre dois homens.  Foi quando Zezão (de Iracema) puxou o facão e golpeou no pescoço e na face de Adilson de Regino que morreu na hora.  Após desferir golpes fugiu do local.

IMG-20160403-WA0008

A vítima, segundo informações, já tinha várias passagem pela policia. Não há informações sobre as motivações do homicídio. O autor do crime Zezão esta foragido, os dois são da mesma cidade (São Salvador).

Voltaremos com a cobertura completa a qualquer momento.

SÃO SALVADOR: 25 ANOS

received_952097978219454Prefeitura e comunidade comemoraram em grande estilo

 A Prefeitura da cidade de São Salvador do Tocantins realizou em fevereiro um grande evento para comemorar os 25 anos do município. A programação foi bem extensa e muito agradável. Entre as atrações, shows, eventos esportivos, concurso de música para jovens talentos da região, além de outras atividades.

A população recebeu consultas e orientações sobre saúde com a equipe de profissionais que esteve à disposição durante todo o evento no Pronto Atendimento. A secretaria de Saúde atendeu à população com aferição de pressão arterial, teste de glicemia e outros.

received_952075751555010O Festival de música foi um sucesso à parte com premiações especiais. O objetivo principal foi atingido: criar espaço para artistas regionais mostrarem seus talentos. No sábado (20) pela manhã foi inaugurado o pórtico de entrada da cidade, que ficou lindo aos olhos de quem por ali passa.

A prefeitura montou uma grande estrutura com atividades para crianças e adultos e o palco ficou pequeno para tantos sucessos em um só local. O ponto alto da comemoração, como já era esperado, foi à apresentação da dupla de sertanejo universitário que é sucesso em todo o país: Edy Brito e Samuel. Eles cantaram e mostraram muita carisma.

A surpresa aconteceu quando a dupla chamou ao palco Henrique e Juliano, filhos de Palmeirópolis; e Edson, daHENRIQUE E JULIANO dupla Edson e Udson. Juntos eles proporcionaram gritaria e emoção entre os fãs de todas as idades, fazendo o chão tremer e o público dançar e pular. O evento reuniu cerca de 10 mil pessoas, com o show principal começando por volta de meia noite, com direito à contagem regressiva. Como nos anos anteriores, a festa aconteceu no centro da cidade.

received_952097881552797 (1)Foi providenciada uma estrutura completa para o grande evento, incluindo praça de alimentação e palco com efeitos especiais. Também foi dada atenção especial para a segurança pública em parceria com Polícia Militar, Civil e CIPAMA, que fizeram um brilhante trabalho. O balanço da prefeitura foi altamente positivo.

Para fechar com chave-de-ouro aconteceu o final do circuito de vaquejada no domingo, com os vaqueiros locais e das cidades vizinhas e a noite um eletrizante show mecânico. Diante da crise que passa todo o país e pela necessidade de received_952078611554724tentar fazer o melhor com poucos recursos, a prefeitura de São Salvador, com muita criatividade, não mediu esforços para levar à população esta grande festa que já virou tradição. “Tudo foi preparado com carinho e profissionalismo, com a certeza de que tanto as atrações locais como o show maior agradaram a todos. Foi economizando um pouquinho daqui e dali que conseguimos realizar a festa”, disse o prefeito Charles Evilácio.

A programação alusiva ao aniversário da cidade atendeu a todos os públicos, com competições esportivas, vaquejada, cavalgada e grandes shows. 
O prefeito Charlereceived_952075664888352s agradeceu a presença de todos e disse estar feliz por proporcionar momentos de muita alegria aos cidadãos e visitantes. “Estamos trabalhando com muita dedicação e vontade para atender e suprir as necessidades da comunidade, e vamos continuar trabalhando received_952075704888348para o progresso e o desenvolvimento de nossa querida cidade. Parabéns, minha querida São Salvador”,concluiu.

Marcaram presenças diversas autoridades, dentre elas o prefeito de Palmeirópolis, Fabio Vaz, do Jaú Onassys Moreira, o deputado Ricardo Aires e vereadores locais. A festa de aniversário de São Salvador teve ainda um grande bolo com 25 metros e o tradicional ‘Parabéns a Você’, cantado com muita alegria por todos.