Yohana Silva morreu no final da manhã deste sábado (15) no Hospital da Criança, em Rio Branco. Bebê era filha de Marluce Silva dos Santos, que morreu na terça (11).

Mais uma vítima da explosão de uma embarcação no Rio Juruá, em Cruzeiro do Sul, interior do Acre, não resistiu aos ferimentos e morreu. A pequena Yohana Silva, de 9 meses, estava internada no Hospital da Criança, em Rio Branco, e morreu no final da manhã deste sábado (15).

Yohana era filha de Marluce Silva dos Santos, de 38 anos, que morreu na terça-feira (11) no Hospital do Juruá. A criança sofreu duas paradas cardiorrespiratórias.
O bebê estava internado em estado gravíssimo. A família estava no barco que explodiu no último dia 7, quando seguia viagem para Marechal Thaumaturgo, também no interior.

Família estava de mudança para outra cidade

Marluce estava com o marido, José Artemísio, e três filhos na embarcação, sendo Yohana e outros dois meninos. Eles estavam de mudança para Marechal Thaumaturgo à procura de trabalho, pois enfrentavam dificuldades financeiras.
Os dois adolescentes receberam alta médica dias após a explosão. Já José Artemísio da Conceição, de 38 anos, foi transferido para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte.

‘Despedaçado’

Em postagem em uma rede social, o irmão da bebê e filho de Marluce, Felipe Ibernon, lamentou a morte da criança e disse que estava despedaçado com a perda.

“Queria tanto que você tivesse resistido, meu anjinho. Se você não tivesse vindo a óbito, seria minha lembrança mais viva que ia restar da nossa mãe. Mas, infelizmente Deus decidiu levar você. Agora você está juntinho da nossa mãe e de nossa vozinha! Me dá força, Senhor, eu preciso tanto”, desabafou.

Em conversa com o site no último dia 10, Ibernon contou que o padrasto, José Artemísio, é carpinteiro e, por estar sem emprego em Cruzeiro do Sul, decidiu mudar para Marechal Thaumaturgo com a família.
“Como eles estavam passando necessidades, eles iam em busca de melhoras, já que a família dele é toda de lá”, falou.

Vítimas fatais

Duas mulheres morreram devido complicações dos ferimentos causados pela explosão. A primeira a não resistir foi Simone Souza Rocha, de 24 anos, morreu no domingo (9), após uma parada cardiorrespiratória, no Hospital do Juruá.

Conforme o diretor clínico da unidade, Marlon Holanda, ela teve de 80% a 90% da superfície do corpo queimada. Simone chegou a ir para o centro cirúrgico, onde foi feito curativo cirúrgico, voltou para UTI, mas acabou não resistindo.
Marluce Silva dos Santos foi a segunda vítima fatal. Ela também estava internada no Hospital do Juruá.

Em entrevista ao G1, o filho de Marluce, Gustavo Silva dos Santos, de 15 anos, disse que a mãe chegou a hesitar ao saber que o barco carregaria combustível.
Na madrugada deste sábado (15), Antônio José de Oliveira da Silva, de 33 anos, morreu no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, onde estava internado desde a segunda-feira (12).

G1.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here