Rozineide Gonçalves

Mauro Carlesse cumpre agenda de campanha no fim de semana

O governador em exercício, Mauro Carlesse (PHS), candidato a governador pela Coligação Governo de Atitude nas eleições suplementares de 3 de junho, cumpre agenda de campanha no final de semana.

Carlesse esteve na noite do sábado, 28, em Pedro Afonso, por volta das 21 horas, na Festa do Trabalhador organizada pelo vereador Gordo.

No domingo, 29, o governador cumpre participa da Cavalgada em Aragominas, às 9 horas.

Após o evento , Carlesse segue para Pau D’Arco, onde participa de um almoço de aniversário do prefeito João da Serraria.

Gaguim pede a Carlesse que tome sem efeito exonerações dos servidores essenciais

Gaguim está no palanque de Carlesse na eleição suplementar e é um dos maiores apoiadores.

O deputado federal Carlos Henrique Gaguim (DEM/TO) solicitou ao governador Mauro Carlesse (PHS) que torne sem efeito as exonerações dos servidores contratados dos serviços essenciais à população tocantinense como: Saúde, Educação e Segurança Pública e de outros órgãos essenciais para que a população não sejam prejudicada, em caráter de urgência.A informação é da assessoria do parlamentar.

Mesmo querendo os servidores de volta, Gaguim diz ser a favor das medidas para reenquadrar o Estado:

“Entretanto, o parlamentar entende que a medida foi importante para o Executivo Estadual consiga enquadrar os gastos na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Com o Estado dentro do percentual de 49%, conforme estabelece a LRF, o Tocantins fica apto a adquirir recursos em prol da população. Gaguim também parabeniza a equipe do governador que agiu de forma responsável ao tomar medidas de redução de despesas, o que consequentemente garantirá mais investimentos ao Tocantins e geração de emprego e renda”, divulgou a assessoria do parlamentar.

Ascom deputado Gaguim

No tocantins: Mãe descobre troca de bebês em necrotério ao vestir filho para ser enterrado

Erro ocorreu na maior maternidade do Tocantins, em Palmas. Quando dona de casa percebe problema corpo do filho estava sendo levado para Porto Nacional.

Os corpos de dois bebês que morreram neste sábado (28) foram trocados no necrotério do Hospital Dona Regina em Palmas. A dona de casa Maria Aparecida Alves percebeu o erro quando foi vestir o filho e prepará-lo para o enterro, por volta das 14h.

O corpo do bebê Lázaro Alves tinha sido levado momentos antes e estava a caminho de Porto Nacional, onde seria enterrado por outra família.

“Fui ao necrotério vestir o bebê e prepará-lo para o enterro e quando cheguei ao local vi que não era ele. Tinha uma placa com o nome de uma menina. Eu também olhei e vi que não era ele. Eu disse: ‘Meu bebê não é esse'”, contou.

A dona de casa explicou que momentos antes o bebê tinha sido levado para Porto Nacional, por outra família. Maria Aparecida contou que os funcionários do hospital disseram que iriam resolver o problema.

A funerária que levava o corpo para a outra cidade precisou voltar à capital. Os bebês foram destrocados cerca de três horas depois. “Meu marido ficou alterado e chamamos a Polícia Militar para registrar a ocorrência. O assistente social do hospital deveria acompanhar o pessoal da funerária para garantir que isso não acontecesse”, disse.

A Secretaria de Estado da Saúde afirmou, em nota, que a troca dos corpos foi feita pela funerária, “que não observou a identificação com a etiqueta do nome do bebê”. Ainda segundo o Estado, assim que percebido o problema, a equipe do Hospital e Maternidade Dona Regina resolveu a situação. “A secretaria lamenta o ocorrido e informa que irá investigar os fatos.”

G1 Tocantins

Lindbergh pede investigação sobre tiros em acampamento pró-Lula

O petista diz que pediu ao ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann, que as investigações sejam feitas pela Polícia Federal.

“Quem foi que comprou essas armas nesse período aqui no Brasil? Porque essa portaria é de 8 de agosto de 2017. Tem uma relação das pessoas que compraram essas armas. Tem que investigar por aí”, acredita.

Para o senador, a polícia precisa fazer um levantamento de quem está atualmente com esse tipo de arma no país. “Tem que analisar todas as hipóteses. Veio de fora? Teve algumas que foram roubadas?”, questiona.

Durante a madrugada, uma pessoa ainda não identificada disparou contra o acampamento. Duas pessoas ficaram feridas. O caso está sob investigação da Polícia Civil, a cargo da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), de Curitiba.

O petista diz que pediu ao ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann, que as investigações sejam feitas pela Polícia Federal. A Secretaria de Segurança Pública do Paraná preferiu não comentar as declarações do senador.

Lindbergh afirmou ainda que irá dormir esta noite no acampamento alvo do ataque, que fica a cerca de um quilômetro da sede da Polícia Federal.

MARIELLE

Farias lembra que o tipo de armamento usado no ataque ao acampamento é o mesmo que matou a vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) e o motorista dela, Anderson Gomes, em março deste ano.

“[Foi] o mesmo tipo de pistola, o mesmo tipo de calibre que atiraram contra Mariele e Anderson, o tipo de pistola que era exclusividade das Forças Armadas e da Polícia Federal e que, em agosto do ano passado [2017] ampliaram para as outras polícias comprarem também”, diz.

O senador também foi questionado pela reportagem sobre uma possível transferência de Lula, atualmente detido na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, para outro local. Ele afirmou que quem precisa definir essa questão são os advogados dele e que não poderia opinar a respeito.

REPERCUSSÃO

Presidenciáveis também condenaram neste sábado o ataque. Ciro Gomes (PDT) pediu que a polícia esclareça o caso e traga à justiça os responsáveis. “A falta de punição para quem assassinou a vereadora Marielle Franco e para quem atacou o ônibus da caravana do ex-presidente Lula também no Paraná é que permite que crimes como esses se repitam”, escreveu em rede social.

“Não podemos tolerar que a violência seja usada como forma de expressão de antagonismos na política.”

A pré-candidata à Presidência Manuela D’ávila (PCdoB) afirmou que os tiros são uma ameaça à democracia. “No Brasil que eu quero viver tiros não são disparados contra quem faz política”, escreveu em rede social. Ela também cobrou um posicionamento do pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL).

Guilherme Boulos (PSOL), que também concorre ao Planalto, chamou o episódio de “absurdo”. “Nossa solidariedade aos militantes e exigimos punição dos responsáveis. É preciso barrar a escalada de violência no Brasil.”

Com informações da Folhapress e noticia ao minuto.

Prazo para entregar declaração do Imposto de Renda acaba amanhã

Quem perder o prazo estará sujeito a multa de 1% ao mês.

Quem perder o prazo estará sujeito a multa de 1% ao mês ou fração de atraso sobre o imposto devido, com valor mínimo de R$ 165,74 e máximo de 20% sobre o tributo a pagar.

Para evitar a multa, a recomendação de especialistas é que o contribuinte entregue a declaração, mesmo que incompleta ou com dados incertos, e depois retifique.

A retificação é feita pelo mesmo programa usado para preencher e enviar a declaração de ajuste anual. É importante lembrar que não é possível alterar o modelo da declaração. Ou seja, caso o contribuinte tenha optado pelo completo, e depois visto que o simplificado era mais vantajoso, terá que permanecer com a alternativa inicial.

São obrigadas a declarar as pessoas que, no ano passado, receberam rendimentos tributáveis cuja soma seja maior que R$ 28.559,70.

Também deve entregar a declaração quem: recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil; obteve ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeito à incidência do imposto; realizou operações em Bolsas de Valores e/ou possua bens, incluindo terras, de valor superior a R$ 300 mil.

Para declarar, não é preciso ter o recibo da declaração passada. Basta abrir um formulário novo e preencher as abas.

Após a declaração ser enviada, a recomendação é que o contribuinte acompanhe o processamento dos dados, para descobrir se está tudo em ordem ou se há problemas ou pendências. Para isso, é preciso gerar um código de acesso pelo site da Receita Federal para acessar o portal e-CAC.

Além de evitar o atraso na prestação de contas, quem tiver imposto a pagar precisa se programar para não atrasar a quitação dos débitos. Há incidência de multa (de 0,33% ao dia, limitada a 20% após 61 dias de atraso) e juros equivalentes à taxa básica Selic no caso de atraso no pagamento.

O prazo para pagar o imposto devido também acaba nesta segunda-feira. Se o débito for inferior a R$ 100, deverá ser pago de uma única vez.

Valores acima disso podem ser parcelados em até oito vezes, com cota mínima de R$ 50 cada uma. No caso do parcelamento, o primeiro pagamento vence também nesta segunda. As demais, nos últimos dias úteis de maio a novembro.

O pagamento pode ser feito por débito automático desde a primeira cota. Mas, para isso, a declaração precisaria ter sido entregue até o dia 31 de março.

Quem não declarou no mês passado só poderá optar pelo débito automático a partir da segunda cota. Nesse caso, a primeira tem de ser paga em banco, por meio de Darf (emitido pelo programa do IR), com o código 0211.

Quem tiver direito a restituição receberá na conta informada na declaração. O primeiro lote sai em 15 de junho, e o último, em 17 de dezembro. Os valores serão corrigidos pela taxa Selic.

Mesmo quem não é obrigado a declarar pode ter direito a restituição. Isso acontece quando houve imposto retido durante o ano, como é o caso de quem recebeu o pagamento de férias ou resgatou aplicação financeira tributada, como títulos públicos do Tesouro Direto.

A Receita fez alterações na declaração deste ano às quais o contribuinte precisa atentar para evitar erros. A principal é a exigência da inclusão do CPF dos dependentes com 8 anos ou mais –no ano passado, a regra valia para 12 anos.

Além disso, as fichas de bens têm mais campos, como IPTU do imóvel e Renavam do carro. O preenchimento será obrigatório a partir de 2019, mas especialistas recomendam que o contribuinte busque essas informações desde já.

Com informações da Folhapress e noticia ao minuto.

Homenagens marcam enterro de sargento da PM morto por policiais civis

Sargento foi enterrado com honras militares e tiros da guarda fúnebre. Delegado e policiais civis envolvidos na ocorrência foram afastados.

Aplausos e homenagens marcaram o enterro do sargento da Polícia Militar José Maria Rodrigues de Almeida, de 50 anos. O sepultamento foi realizado por volta das 17h deste sábado (28), no cemitério Jardim da Paz em Palmas. 

O sargento morreu na manhã desta sexta-feira (27). Ele estava internado em estado grave no Hospital Geral de Palmas, após ter sido atingido por três tiros, durante uma confusão envolvendo um delegado e três agentes da Polícia Civil.

Centenas de carros percorreram as principais avenidas de Palmas até o cemitério, durante o cortejo. A Polícia Militar estima que 150 veículos participaram. O sargento foi enterrado com honras militares e tiros da guarda fúnebre.

O caso aconteceu em um bar localizado em Taquaralto, região sul da capital, por volta da meia noite.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que o delegado Cassiano Oyama, da delegacia de Homicídios, havia sido chamado para um reforço policial no 5º DP. Ele e dois agentes passavam pelo bar quando perceberam o som alto e o sargento “visivelmente sob efeito de álcool”. O delegado e os policiais pediram que ele abaixasse o volume, momento em que Rodrigues reagiu mostrando a arma de fogo.

Sargento José Maria Rodrigues morreu após ser baleado em um bar (Foto: Arquivo Pessoal)

O PM foi atingido no braço, o joelho e o abdômen. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Palmas, mas não resistiu aos ferimentos. Os tiros, conforme a Polícia Civil, foram disparados por um fuzil e pistolas ponto 40.

A corregedoria da Polícia Militar afirmou que o sargento não atirou contra a equipe de policiais civis. “Colocamos oficiais da corregedoria para acompanhar a investigação. Foi uma atuação lamentável, mas nós temos que ter o equilíbrio necessário no sentido de apurar tanto pela Polícia Civil, quanto pela Polícia Militar”, disse o corregedor-geral da PM, coronel Henrique Júnior.

Os três policiais civis e o delegado envolvidos na ocorrência foram afastados e tiveram as armas apreendidas para perícia. A Associação dos Policiais Militares do Tocantins pediu a prisão dos envolvidos. O Ministério Público Estadual também está analisando o caso.

“A gente pede que a Justiça esclareça isso o mais rápido possível porque tem um ser humano, um homem da lei, um homem que trabalha para sustentar sua família”, lamentou o irmão da vítima, Marcos Rodrigues.

G1 Tocantins

O corpo do ex-deputado Júnior Coimbra é sepultado em Palmas

Velório foi realizado na Assembleia Legislativa e missa de corpo presente celebrada na igreja São Judas Tadeu. Sepultamento foi no cemitério Jardim das Acácias.

Foi enterrado na noite desta sexta-feira (27) no cemitério Jardim das Acácias, o corpo do ex-deputado Júnior Coimbra. O velório ocorreu durante todo o dia na Assembleia Legislativa em Palmas. Por volta das 17h, o corpo foi levado para a igreja São Judas Tadeu, também em Palmas, onde foi feita a missa de corpo presente. O sepultamento foi acompanhado por centenas de parentes e amigos.

Corpo de Júnior Coimbra chegou de manhã à Assembleia para velório (Foto: Rozineide Gonçalves/Jornal Mapa da Noticia)

A missa foi celebrada pelo arcebispo de Palmas, Dom Pedro Brito e contou com a presença de vários políticos tocantinenses. Entre eles o candidato a governador Carlos Amastha (PSB), de quem o ex-deputado participava da comitiva em uma visita na região sul do estado.

Depois da missa, por volta das 19h, o corpo foi levado em cortejo até o cemitério em um carro do Corpo de Bombeiros.

O acidente que matou o ex-deputado aconteceu em uma rotatória na TO-070. O carro em que ele estava com outras três pessoas desceu uma ribanceira, descontrolado, o veículo só parou depois de capotar e bater na cerca de uma fazenda que fica às margens da rodovia.

Ex-deputado morreu em acidente na TO-070 (Foto: Débora Ciany/TV Anhanguera)

As outras três pessoas que estavam no carro, o vereador de Palmas Thiago Andrino (PSB), o ex-subprefeito da capital Adir Gentil e o motorista, coronel da reserva da PM José Ribamar Amorim, tiveram ferimentos leves. Eles foram atendidos em hospitais da região sul e tiveram alta.

Corpo foi levado em cortejo até o cemitério (Foto: Djavan Barbosa/ Jornal do Tocantins/Divulgação)

Este era o primeiro dia da caravana, que saiu de Talismã durante a manhã, que ia até Formoso do Araguaia. A campanha é para a eleição suplementar de 3 de junho, convocada após a cassação de Marcelo Miranda (MDB) e Cláudia Lelis (PV) dos cargos de governador e vice.

Perfil

Ao longo da vida pública, Júnior Coimbra foi prafeito de Itaporã, vereador de Palmas, deputado estadual, presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins e deputado federal. Recentemente, foi secretário de governo da Prefeitura de Palmas. Ele deixou o cargo no começo do mês para concorrer às eleições de outubro.

As prefeituras de Palmas e Paraíso do Tocantins, o governador interino Mauro Carlesse (PHS), o senador Ataídes Oliveira (PSDB) e o Partido dos Trabalhadores emitiram notas lamentando o acidente. O governo do Estado e a Prefeitura de Palmas decretaram luto oficial de três dias.

G1 Tocantins

Júnior Coimbra pretende disputar uma vaga na Assembleia Legislativa (Foto: Divulgação/Prefeitura de Palmas)

 Júnior Coimbra pretendia disputar uma vaga na Assembleia Legislativa (Foto: Divulgação/Prefeitura de Palmas)
Vereador Fábio Gonçalves de Palmeiropolis de terno preto aguardando a chegada do corpo.
O vereador de Palmeirópolis Fábio Gonçalves também esteve acompanhando o velório do deputado em Palmas. Fábio disse emocionado que por dois mandatos consecutivos trabalhou na campanha de Juinor Coimbra para deputado federal. “Nas duas ultimas eleições, trabalhamos com o ex-deputado em Palmeiropolis, vim pessoalmente dar um abraço na Laudecy e dizer que sentimos muito com a perda tão dolorosa, que Deus possa dar forças para a familia superar tamanha dor”, relatou.
 

Amigos, políticos e parlamentares lamentam profundamente a morte de Júnior Coimbra

O ex-deputado Júnior Coimbra, de 53 anos, faleceu no início da noite desta quinta-feira, 26, em um acidente na TO-070, entre os municípios de Sandolândia e Formoso do Araguaia.

Por meio de depoimentos nas redes sociais e notas, amigos, eleitores, conhecidos, admiradores, políticos e autoridades lamentam profundamente o falecimento do ex-deputado Júnior Coimbra, 53 anos, ocorrido no início da noite desta quinta-feira, 26, em um acidente na TO-070, entre os municípios de Sandolândia e Formoso do Araguaia, próximo ao povoado de Dorilândia.

Em nota enviada à imprensa, o deputado federal César Halum (PRB) lamentou a perda do amigo. “Com profunda consternação recebi a notícia do falecimento do amigo e ex-deputado federal Junior Coimbra, vítima de uma acidente automobilístico nesta quinta-feira.

Ele que foi meu companheiro na Assembleia do Tocantins e também na Câmara dos Deputados, cumpriu com maestria a missão de representar o nosso Estado. Minhas condolências à esposa, vereadora Laudecy Coimbra, aos filhos Sandra, Larissa, Natália e Lucas, e a todos os familiares, amigos e admiradores. Me uno a todos em oração para que Deus, em sua infinita misericórdia conforte a todos”.

O deputado estadual Jorge Frederico também emitiu nota de pesar. “Foi com profundo pesar que recebi a notícia do falecimento do ex-deputado federal, Júnior Coimbra, ocorrida em um trágico acidente de trânsito, no começo da noite desta quinta-feira, 26. Político experiente, Júnior fez muito pelo estado do Tocantins, tanto na Assembleia Legislativa quanto na Câmara Federal. Rogo a Deus para que seus familiares possam encontrar a paz necessária num momento de tanta tristeza”.

Através do Twitter, o ex-deputado Marcelo Lelis também lamentou a morte de Júnior Coimbra. “Meus sentimentos à família, a Laudecy e aos filhos do amigo Junior Coimbra, independente de posições políticas nesse momento, convivemos juntos 8 anos na Assembleia e tínhamos uma relação de amizade. Que Deus o tenha”.

Ex-deputado federal Júnior Coimbra falece em acidente no Sul do Tocantins

O ex-deputado estadual e federal Júnior Coimbra faleceu no início da noite desta quinta-feira, 26, em um grave acidente ocorrido na região Sul do Tocantins. O veículo teria capotado na TO-070, entre os municípios de Sandolândia e Formoso do Araguaia, próximo ao povoado de Dorilândia.

Acompanhavam o ex-deputado, no mesmo veículo, o ex-secretário de Palmas Adir Gentil, o vereador de Palmas Tiago Andrino (PSB) e o coronel Ribamar. Todos participavam da caravana com apoiadores e correligionários da campanha do candidato ao governo do Estado pelo PSB, Carlos Amastha, iniciada na cidade de Talismã na manhã de hoje. Os eventos de campanha foram cancelados após o acidente.

Todos estavam em um veículo Pajero Dakar, do coronel Ribamar, que teria passado direto pelo trevo e em seguida capotado duas vezes. Conforme as informações apuradas pelo T1 Notícias, o ex-deputado estaria no banco do passageiro da frente e teria sido arremessado para fora do veículo.

Adir Gentil, coronel Ribamar e Tiago Andrino foram encaminhados ao Hospital de Formoso do Araguaia após o acidente. Os três não sofreram ferimentos e passam bem. Eles foram submetidos a exames apenas por precaução.

Ainda segundo apurado, o velório do ex-deputado acontece nesta sexta-feira, 27, em Palmas, na Assembleia Legislativa. A esposa do ex-deputado, a vereadora de Palmas Laudecy Coimbra recebeu a notícia do acidente em Brasília (DF), onde estava em viagem, e aguarda voo para retornar a Palmas.

O jornalista Raimundo Coimbra Júnior tinha 53 anos e era natural de Filadélfia (TO), mas cresceu em Itaporã do Tocantins. Júnior Coimbra, como é mais conhecido, formou-se em Comunicação Social, especificamente em jornalismo, pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) em 1988 e foi repórter esportivo de várias rádios naquele Estado. Sua carreira política teve início em 1989, quando voltou ao seu Estado natal.

No ano de 1992, elegeu-se prefeito de Itaporã do Tocantins e, em 1997, foi diretor-superintendente da antiga TV Palmas, a atual Redesat de Televisão.

Em 2000, Júnior Coimbra retorna à vida política como o vereador mais bem votado da Capital, Palmas, tendo, durante esse período, assumido também a Secretaria de Governo do município. Foi deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins e exerceu ainda o mandato de deputado federal na Câmara dos Deputados.

Foi secretário na gestão do ex-prefeito Amastha e se desincompatibilizou para disputar novamente nas eleições gerais deste ano.

Júnior Coimbra nasceu em 28 de março de 1965 e deixa sua esposa, Laudecy Coimbra, seus filhos Sandra, Larissa, Natália e Lucas, e um neto, Luis Alberto.

Pesar

Por meio de depoimentos nas redes sociais e notas, amigos, eleitores, conhecidos, admiradores do ex-deputado, políticos e autoridades lamentam profundamente o falecimento de Júnior Coimbra.

Deputado Jorge Frederico: “Foi com profundo pesar que recebi a notícia do falecimento do ex-deputado federal, Júnior Coimbra, ocorrida em um trágico acidente de trânsito, no começo da noite desta quinta-feira, 26. Político experiente, Júnior fez muito pelo estado do Tocantins, tanto na Assembleia Legislativa quanto na Câmara Federal. Rogo a Deus para que seus familiares possam encontrar a paz necessária num momento de tanta tristeza”.

Marcelo Lelis: “Meus sentimentos à família, a Laudecy e aos filhos do amigo Junior Coimbra, independente de posições políticas nesse momento, convivemos juntos 8 anos na Assembleia e tínhamos uma relação de amizade. Que Deus o tenha”.

T1noticias

Wanderlei Barbosa desmente notícia falsa e reafirma compromisso com servidores

Após ver notícia tendenciosa em um site de notícias do Estado, o deputado Wanderlei Barbosa (SD) se pronunciou afirmando que informação não passa de falácia.

O site noticiou que o parlamentar teria chamado professores, Auxiliares de Serviços Gerais (ASGs) e enfermeiros de cabos eleitorais.

Durante a sessão ordinária desta quarta-feira, 25, Wanderlei Barbosa pontuou que o Governo precisou adotar medidas para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) por determinação do Ministério Público (MP) e dos órgãos de controle como o Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Disse ainda que as exonerações têm o objetivo de detectar quem de fato está trabalhando, e que os servidores poderão ser recontratados.

Nesta quinta-feira, 26, ao retomar o assunto, Wanderlei, que é defensor dos servidores públicos, esclareceu seu pronunciamento do dia anterior e reiterou o comprometimento e responsabilidade com os servidores públicos.

O parlamentar, ciente da sua contribuição com a classe trabalhadora, não concorda com a retirada de professores e profissionais de saúde e está lutando junto ao governo para que seja retornado aos seus postos de trabalhos o mais rápido possível. “Professor fora da sala de aula não vai melhorar a vida de nenhum político”, disse.

Na oportunidade, o deputado pediu aos secretários de Educação e Saúde, que nenhum profissional que esteja prestando serviço seja retirado de seus postos de trabalho e se foram que sejam recolocados.

O parlamentar reafirma que nunca votou contra o funcionário público e nem a favor de aumento de tributos. O parlamentar mantém sua posição e garante que nunca trabalhou pela demissão de qualquer servidor público e sim pelo preenchimento dos postos de trabalhos o mais rápido possível.

Ascom deputado Wanderlei