Será possível conhecer um pouco mais da história de diversas mulheres que atuam de alguma forma no agro.

O agronegócio é o setor que mais têm mulheres na liderança e durante a Feira Agrotecnológica do Tocantins – Agrotins 2021 100% Digital, o assunto também é debatido no Campo do Conhecimento – espaço dedicado a palestras, bate-papos e lives.

“Nosso objetivo é conhecer um pouco mais da realidade de mulheres que de alguma forma atuam no agro, seja dentro ou fora da porteira, e entender acerca desse protagonismo feminino na agricultura e pecuária, assunto tão pouco abordado pela sociedade”, pontuou o secretário da Seagro Jaime Café, reforçando que o tema é muito interessante e será possível conhecer um pouco mais da história de diversas mulheres que atuam de alguma forma no agro.

Para cumprir com tal intuito, foram entrevistadas diversas mulheres que se encontram nessa realidade, para que elas possam nos guiar de primeira mão nesse assunto, no qual conquistam cada vez mais espaço.

Segundo, Valéria Mota, Gerente de Desenvolvimento Tecnológico da Seagro, as mulheres tem mostrado seu devido valor, principalmente no setor do agro. “Estão cada vez mais ganhando força e mercado de trabalho nos negócios que envolvem a cadeia do agronegócio. Interessante também é o perfil da mulher que atua no agronegócio brasileiro. Escolaridade alta e independência financeira. A maioria acessa a internet todos os dias, têm curso superior completo e se consideram independentes financeiramente”, detalhou.

Crescimento

A participação das mulheres no mercado cresce progressivamente, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2019, a força de trabalho feminina está em alta pelo quinto ano consecutivo, representando 54,5%, e no agro não é diferente. Segundo a Esalq/USP, o número de mulheres no setor aumentou 8,3% em 11 anos. Entretanto, nem sempre foi assim, a luta por equidade e respeito por parte das mulheres ocorre há séculos e essa constante reivindicação está passando a refletir resultados cada vez mais, sendo evidente a forma com que as mulheres tem ganhado vez e voz, tanto no agronegócio quanto em todos os outros âmbitos; o que também é consequência de ações de incentivo e capacitação ocorridas em diversas frentes, que traz formações relacionadas a gestão de propriedades e crescimento pessoal.

Participantes: Elaine Silva, coordenadora regional do grupo das Agroligadas; Consolata Piastrella, CEO e fundadora da Piastrella Rastreabilidade Animal; Isabelle Leal Varnier, líder do Comitê do Agronegócio do grupo Mulheres do Brasil do núcleo de Palmas; Milene Souza, diretora de agronegócio e meio ambiente da Associação dos Jovens Empresários e Empreendedores do Tocantins; Valéria Mota, gerente de Desenvolvimento Tecnológico na Ditec/Seagro; Flávia Tonani, coordenadora do mestrado em Agroenergia Digital na Universidade Federal do Tocantins; Izabel Pereira Alexandrina, representante indígena e Técnica em Agronegócio; Andreza de Fátima, representante quilombola e agricultora familiar; Patrícia Maria Rodrigues, representante quilombola e agricultora; Dilciane Viana, gerente de Sociobiodiversidade da Seagro; Sarah Pires, editora chefe do Portal de Notícias Tocantins Rural; Marluce Zacariotti, jornalista e professora da Universidade Federal do Tocantins, coordenadora do grupo de pesquisa Comunicação, sociedade e meio ambiente.

Secom TO.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here