Marconi veta data-base e gasta R$ 167 milhões com duas categorias

O governador Marconi Perillo (PSDB) decidiu mesmo sacrificar os demais servidores do Estado para bancar o auxílio-transporte de R$ 3,6 mil para os auditores do Fisco. No caso, mexeu-se na carreira do Fisco da Sefaz e foi regulamentado o Conselho Administrativo Tributário, com regime de subsídio para os cargos integrantes da carreira do Fisco. A lei, de autoria do governador, permite que, a partir do mês que vem, o valor referência dos subsídios dos auditores passe a ser de R$ 29.869,77.

Além disso, Marconi conseguiu aprovar a reestruturação da carreira de procurador do Estado de Goiás. A ideia é “corrigir” distorção remuneratória decorrente da fixação da diferença de 10% entre as três categorias existentes na carreira prevista na Lei Complementar em questão.

Enquanto isso, como é de domínio público, o concurso público para PMs  prevê salário inicial bruto de R$ 1500,00 e o restante dos funcionários públicos não tem o reajuste anual da inflação (data-base) há dois anos.

 

Deixe um comentário