Cantor Henrique Vilarins nas paradas de sucesso

Antonio Neves

Palmas/Jornal do Tocantins Música
Celeiro sertanejo made in Tocantins

Além de abraçar o estilo, estado se tornou uma vitrine e forma duplas que fazem sucesso no país

O Tocantins vem batendo um bolão no campo da música sertaneja. A região, que há duas décadas e meia fazia parte do Centro-Oeste, era sinônimo de abandono, esquecimento, e parecia não acreditar que um dia se tornaria independente e inclusa ao resto do Brasil.  Recém-criado, o Tocantins ganhou manchetes como o Estado mais novo da federação e tinha como referência a dupla Leandro e Leonardo, proprietária de fazenda na região de Formoso do Araguaia. A dupla famosa arrebatava multidões, com ginásios lotados por onde quer que se apresentava. Mesmo sendo goiana, ajudava a divulgar o nome do Tocantins lá fora.

fotos do meu celular..Varias 609Ainda no início década de 90, os moradores de Gurupi, Sul do Estado, conviviam com nada mais nada menos que Bruno e Marrone, uma vez que era comum a dupla se apresentar pelos bares da cidade. Quando menos esperavam as porteiras do sucesso se abriram. Dormi na Praça que nada, a dupla fez como Leandro e Leonardo, embarcou no Primeiro Avião e decolou rumo ao sucesso. Quase que no mesmo período, mas pelas ondas médias do rádio, os moradores de Monte do Carmo já se orgulhavam com o sucesso do filho ilustre, Rick, que lá no Planalto Central quebrou paradigma ao formar a dupla Rick e Renner, numa cidade marcada pelo rock.

A explosão da música sertaneja nas grandes cidades fez o caminho inverso, mostrando que é o reflexo do avanço socioeconômico que ocorreu, e ainda vem ditando o ritmo das baladas pelo interior do País. Ela tem como um dos pilares de desenvolvimento a riqueza proporcionada e multiplicada pelo agro aos demais setores da economia (indústria, comércio e serviços) e, conseqüentemente, para a sociedade que deixou o preconceito de lado e abraçou a idéia, por modismo ou não, do romantismo e da paquera caipira que estão em alta.

fotos do meu celular..Varias 610Em Palmas e no Tocantins como um todo não é diferente. A Capital respira o sertanejo 24 horas. É só ligar as estações de rádios, principalmente as FMs, e lá estão as canções, motivos pelos quais os promotores de eventos não se arriscam em outro gênero, pelo menos por enquanto. A onda é “sertanejar”, até os bares e casas noturnas aderiam ao momento. Onde tem sertanejo é sinônimo de casa lotada. Na cidade há algumas casas noturnas que mantém em cartaz na programação semanal pelo menos três atrações do gênero e se transformaram em ‘point’ da moçada descolada.

Tocantins

Atualmente, o tocantinense se orgulha e vislumbra o estrondoso sucesso de duas duplas genuinamente “made in Tocantins”, que estão no topo das paradas. Primeiro, João Lucas e Marcelo, e agora Henrique e Juliano. O público, o chamado sertanejo universitário, que se configurou em um bombástico sucesso entre os jovens, é cativo e motiva a quem tem talento e se arrisca a enveredar na carreira musical. Estes são estudantes em maior parte do interior, mas que se configuram numa expansão que se deve ao crescimento verificado em diversas regiões, principalmente com a expansão do agronegócio.

A convivência é marcada pela troca de influências. O intercâmbio entre os jovens do campo e das cidades resultou nesta nova roupagem da música sertaneja, que rompeu fronteiras, e fez surgir novos. A galera também se organizou e se mantém unida com a formação das comitivas. Em determinada época chega a bancar o show do cantor de sua preferência.

fotos do meu celular..Varias 607Queremos frisar a revelação do momento pelo Brasil. Henrique Vilarins está entre as novas apostas do universo sertanejo. É funcionário público e teve que trancar a faculdade de Medicina para cuidar da carreira, mas com a promessa de obter melhores condições financeiras e poder voltar concluir os estudos de forma mais tranquila. Marca registrada, o sertanejo aspirante viu as portas se abrirem ao se apresentar no eixo Goiânia, Brasília e Rio de Janeiro, e percebeu que ao citar a sua origem Tocantins, a receptividade do público e do contratante é bem maior e desperta curiosidade.

“As pessoas querem saber como é cantar onde tem muita gente boa fazendo sucesso em nível nacional e se a gente tem contato mais próximo entre os artistas” afirmou, garantindo que tem os pés no chão. Segundo ele, a estrada é longa, mas nada é impossível quando se tem um objetivo. “Percebi que o Tocantins é bem recebido lá fora, principalmente no mercado sertanejo. O Estado tornou-se uma vitrine e quando digo que sou daqui parece que as coisas mudam e para melhor, as portas se abrem. Isso é muito bom! É sinal de que estamos fazendo o diferencial”, disse Vilarins.

A dupla Emerson e Danilo é um exemplo disso e vem confirmar a observação de Henrique Vilarins. A dupla é de Governador Valadares no leste mineiro. Emerson é universitário e cursa Administração. Danilo faz Engenharia de Produção. Eles vivem a expectativa de ver a carreira despontar ao incluir, no início de uma turnê, o Tocantins como ponto de partida. “As referências relativas ao Tocantins são as melhores possíveis. Para nós, se apresentar no Estado é um sonho. Cantar na terra de Henrique e Juliano, João Lucas e Marcelo e de Rick e Renner é como conquistar um selo de qualidade”, disse Emerson.https:

https://youtu.be/wj1oK6jgffo

Estilo

O editor de vídeo Comandos Silva é adepto do estilo. O chapéu se transformou na marca registrada dele e está sempre nos ambientes temáticos que retratam o campo. “É um clima mais comportado. As pessoas costumam ficar juntas à noite inteira. Não tem essa história de sair beijando um monte de gente”, diz Silva, que começou a gostar de música sertaneja aos sete anos, por influência dos primos que moram no interior.

Empresários da noite

Gustavo Borges é cantor e empresário da noite. No ano 2000, foi surpreendido pelo estouro de sua música Garagem da Vizinha, com mais de um milhão de copias vendidas. Em uma de suas viagens conheceu Palmas e se apaixonou. Foi então que resolveu empreender na Capital e abriu uma casa noturna, tendo na programação música ao vivo, principalmente do gênero sertanejo.

O empresário Sandro Kruger foi além e investiu em um estúdio de gravação. Segundo ele, por mês uma média de dez cantores, a maioria sertanejos, passa pelo estúdio.

“As pessoas querem saber como é cantar onde tem muita gente boa fazendo sucesso em nível nacional e se a gente tem contato mais próximo entre os artistas” afirmou, garantindo que tem os pés no chão. Segundo ele, a estrada é longa, mas nada é impossível quando se tem um objetivo. “Percebi que o Tocantins é bem recebido lá fora, principalmente no mercado sertanejo. O Estado tornou-se uma vitrine e quando digo que sou daqui parece que as coisas mudam e para melhor, as portas se abrem. Isso é muito bom! É sinal de que estamos fazendo o diferencial”, disse Vilarins.

O cantor Henrique Vilarins iniciou a carreria nos barzinhos de Palmas-TO em 2001. Hoje é compositor e vem se destacando no cenário nacional. Já se apresentou nas melhores casas de Goiânia como a Wood’s, Santa Fé, Rodeo Rock Bar, Carlota, que é a capital da música sertaneja. Em março de 2016 o artista gravou o seu primeiro DVD Pocket em Goiânia com composições próprias.

https://youtu.be/gGam8wHMuio

Contatos para show do cantor Henrique Vilarins: (63) 8426 4392 / (63) 8438 1731 / (63) 8121 38 15 / (63) 8412 7568.

www.suamusica.com.br/henriquevilarins2016

www.palcomp3.com/henriquevilarins

https://www.youtube.com/channel/UCHI8MPuY7wZb-4lnuN8Jyhw

 

Deixe um comentário