População presidiária de Anápolis aumentou 76% com decisão equivocada

A decisão equivocada do governador Marconi Perillo (PSDB) e do vice José Eliton (PSDB) aumentou, em 24 horas, a população carcerária de Anápolis em 76%, sem que a cidade estivesse preparada para isso. A penitenciária em Anápolis ainda não foi inaugurada por falta de licença ambiental, móveis e agentes prisionais e recebeu de uma vez 558 presos dia 24 de fevereiro, sexta-feira de carnaval.

A transferência destes 558 presos de Aparecida para Anápolis, segundo decisão da juíza Lara Gonzaga de Siqueira, “atropela as regras legais” e coloca em risco a segurança de Anápolis, já que houve aumento da população carcerária da cidade em 76%. Além disso, a nova cadeia (que nem foi inaugurada) tem capacidade para 300 presos e já estava superlotada com 558 presos.

A promotora Adriana Marques informou que, ao saber da transferência, o MP-GO entrou com pedido para que os detentos retornassem à POG. Segundo ela, a realocação dos presos não poderia ter sido feita.

O presidente da Associação dos Agentes Prisionais, Jorimar Bastos, comentou ao portal G1 que a falta de servidores e a superlotação dos presídios dificulta o trabalho dos agentes ao precisar conter os presos. Segundo ele, 12 agentes atuavam no momento da confusão de quinta-feira, em Aparecida de Goiânia, que resultou em 5 mortos e dezenas de feridos.

“O Complexo é uma bomba relógio há 10 anos. A população cresce 7% ao ano, então em 10 anos ela cresceu 70% e não foi criada uma vaga, não foi contratado nenhum efetivo a mais para controlar isso”, disse.(Fonte:Goiás Real)

Deixe um comentário