Mais de 150 mulheres foram levadas para se prostituir na Europa

Quinze suspeitos foram presos, segundo a Polícia Federal

Quinze pessoas foram presas em Fortaleza, Itália e Eslovênia suspeitas de envolvimento em esquema internacional de tráfico de seres humanos e para fins de prostituição. O plano foi desmontado pela Polícia Federal, na última semana, durante a Operação Marquerita. De acordo com as investigações, a quadrilha agia desde 2010 e conseguiu levar mais de 150 mulheres para países europeus.

Segundo informações de uma fonte  nesse domingo (19), os mandados de prisão foram expedidos pela 32ª Vara da Justiça Federal no Ceará. Na operação, a PF teve a parceria das polícias da Itália, da Eslovênia e também da Interpol. A condenação para os envolvidos pode chegar a 25 anos de prisão pelos crimes de trágico internacional de pessoas, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

As prisões aconteceram na madrugada desse domingo (19), em um condomínio da Avenida Beira-Mar, em Fortaleza. Foram presos os eslovenos Vito Camerník e Tíne Mótoh, suspeitos de fazer parte da rede que explorava brasileiras na Itália e na Eslovênia, além de três italianos, identificados como Marco Paolo Villa, Flávio Frúgis e Pasquale Ferrante.

Os brasileiros envolvidos no esquema tiveram prisão decretada na Itália e na Eslovênia. Na operação, três brasileiras também foram presas acusadas de fazer parte da quadrilha. São elas Carla Sueli Silva Freitas, Dayana Paula Ribeiro da Silva, conhecida como Paloma, e Emanuella Andrade Bernardo.(Fonte:Noticias ao Minuto)

Deixe um comentário