Ponte que liga Pedro Afonso a Tocantínia foi incendiada em agosto (Foto: Divulgação) ação que obriga Estado a construir ponte incendiada

Ponte foi queimada em agosto e desde então população está isolada.
A Ação Civil Pública obriga Estado e município a realizarem obra.

A Defensoria Pública Agrária protocolou uma Ação Civil Pública em que obriga o Estado, e a Prefeitura de Mateiros, a apresentarem um projeto com urgência para a construção da ponte do povoado de Mumbuca, que foi incendiada de forma criminosa em agosto. A ponte liga  Tocantínia a Pedro Afonso.

A Defensoria Pública pediu que providencie no prazo de 15 dias, um acesso alternativo para a comunidade, a ser utilizado enquanto o projeto não for apresentado e concluído. O projeto não sendo providenciado, Estado e município podem sofrer multa de R$ 10 mil.

Das 68 aldeias da comunidade Xerente, a maioria depende da ponte e está praticamente isolada. Há quatro meses os moradores vêm enfrentando problemas na travessia. As crianças da região, mal conseguiram concluir o ano letivo, devido ao isolamento.

Estado e município
Assim que a ponte foi incendiada em agosto, a Defensoria Pública oficiou o prefeito de Mateiros, Júlio Mokfa, e o governo, pedindo providências. Na resposta do município, foi encaminhado um projeto de construção da nova ponte de madeira com orçado em R$ 800 mil, e informado a ausência de verbas municipais. O Estado nunca respondeu sobre o assunto, porém, A Defensoria Pública foi informada de que o Estado havia elaborado um projeto de construção com um orçamento de R$ 64 mil.

(g1 to)

Deixe um comentário