Casal dopado durante assalto a chácara segue internado em Goiânia

Parentes dizem que eles estão bem, mas continuam com forte sonolência.
Vítima contou que 4 homens armados invadiram e roubaram propriedade.

Os caseiros Aurino Ribeiro de Souza, de 58 anos, e Valdivina Rodrigues Souza, de 54, que foram encontrados desacordados em uma chácara na Vila Dilce, em Goiânia, permanecem internados na manhã deste domingo (4). Segundo os parentes, eles foram dopados por assaltantes, que levaram diversos objetos da propriedade. Por causa da forte sonolência, permanecem em observação.

“Os médicos dizem que eles estão bem, mas ainda sob forte efeito da droga que deram para eles. A dona Valdivina acorda, conversa um pouco, mas logo dorme de novo. Já o Aurino acordou um pouco ontem [sábado], mas logo apagou de novo e segue dormindo até agora. Mas, felizmente, eles não correm riscos maiores”, disse ao G1 um genro do casal, João Batista Rodrigues Dias.

O casal foi encontrado desacordado na chácara na manhã de sábado (2). O Corpo de Bombeiros foi acionado e encaminhou as vítimas ao Centro de Atenção Integral à Saúde (Cais) Cândida de Morais, onde foram internados. Eles só acordaram pela primeira vez 15 horas depois de tomar a substância.

Enquanto ficou um período acordado, Aurino contou que quatro homens chegaram na chácara por volta das 22h de sexta-feira (21). Após anunciar o assalto, um deles deu uma coronhada na cabeça dele.

“Nós estávamos dentro da casa, eu e minha mulher. A porta estava aberta. Eu estava até passando um bifinho para jantar. O cara chegou e enfiou o revólver no meu ouvido”, relatou.

Em seguida, o casal foi dopado. Os médicos dizem que eles tomaram uma mistura chamada de “boa noite, Cinderela”. Como ambos não possuem problemas de saúde, o remédio não causou consequências graves, como insuficiência respiratória.

Apesar disso, os parentes estão assustados com a situação. “Eles trabalham nessa chácara há menos de um mês, mas já conhecem os donos há muitos anos. O que sei é que os bandidos levaram um caminhão, uma caminhonete e vários maquinários. Mas depois do que eles fizeram com meus sogros, não tem como eles voltaram para lá. A gente tem medo que os criminosos voltem”, ressaltou João Batista.

A Polícia Militar informou que registrou o caso na Central de Flagrantes de Goiânia.(fonte:g1/go)

 
 

Deixe um comentário