Enquanto os dirigentes e membros do Movimento de União dos Servidores Públicos Civis e Militares amargam o encerramento unilateral das negociações pelo pagamento das datas-bases de 2015 e 2016, pelo governo estadual, a sociedade toma conhecimento nesta sexta-feira, 4, por meio do Diário Oficial do Estado (DOE, edição de quinta-feira,3), da sanção da lei que concede a revisão geral da remuneração dos servidores do quadro de cargos efetivos e de provimentos em comissão do Judiciário.

A Lei 3.147/2016 autoriza o pagamento da data-base de 2015 e 2016 aos servidores desse poder, condição negada aos do Executivo aos 34 mil servidores públicos estaduais. O benefício é extensivo às funções comissionadas. De acordo com a lei, as despesas com a data-base de 2016 será custeada com recursos do duodécimo do próprio Tribunal de Justiça. Já a de 2015, tudo indica que será pelo Tesouro Estadual, já que não é mencionada a fonte.

Os salários dos servidores do Judiciário tocantinense são os maiores do país, segundo a publicação do Relatório Justiça em Números, do Conselho Nacional de Justiça. Quando o pagamento da data-base de 2016 se concretizar, essa remuneração será melhor ainda. O analista judiciário vai ganhar entre R$ 8,5 mil a R$ 16,9 mil por mês, dependendo do seu enquadramento funcional.

Já o técnico judiciário perceberá entre R$ 5,1 mil a R$ 10,1 mil e o auxiliar judiciário entre R$ 2,2 mil e R$ 4,4 mil. Os oficiais de justiça, escrivães e contadores receberão entre R$ 8,5 mil a R$ 16,9 mil. O subsídio de assessores e diretores será de R$ 16,4 mil. São 19 pessoas ocupando alguma dessas funções. O maior salário da casa é do de diretor-geral, com vencimento de R$ 19,5 mil.
Confira o conteúdo da sanção da Lei 3.147 aqui. http://www.cnj.jus.br/programas-e-acoes/pj-justica-em-numeros
Conheça o Relatório Justiça em Números http://www.cnj.jus.br/programas-e-acoes/pj-justica-em-numeros

fonte:portal stylo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here