Torcida em Palmas comemora vitória do Brasil sobre o México na Copa do Mundo

A vitória por 2×0, com gols de Neymar e Firmino, garantiu vaga do Brasil nas quartas de final. O próximo confronto será na sexta-feira (6), às 15h.

Palmenenses acompanharam a disputa entre Brasil e México na Copa do Mundo em diferentes pontos da capital, na manhã desta segunda-feira (2). Com a vitória por 2×0, com gols de Neymar e Firmino, o Brasil garantiu vaga nas quartas de final. O próximo confronto será na sexta-feira (6), às 15h. O adversário será definido no jogo entre Bélgica e Japão.

Os torcedores lotaram um shopping da capital na região norte de Palmas. Eles vibraram quando o Neymar marcou o gol para a seleção brasileira.Moradores do Jardim Aureny II também se juntaram em um estabelecimento para acompanhar as emoções da Copa.

G1 Tocantins.

Em Palmeirópolis, vereadores e aliados comemoram a vitória de Mauro Carlesse

Mais de 300 mil eleitores deixaram de registrar seus votos, um percentual equivalente ao número de votos obtidos por Carlesse.

Carlesse teve mais de 400 votos em Palmeirópolis, mesmo sem ter ido pessoalmente na cidade. Lideranças fortes no município, os vereadores Divino da Patrol, Fábio Gonçalves e Hildene Tóquio, uniram forças buscando aliados na tentativa de eleger o novo governador. Radiantes, os vereadores agradeceram toda equipe e os votos de confiança que conseguiram  

A eleição suplementar para governador do Tocantins, realizada neste domingo (3), vai ser decidida no segundo turno, em 24 de junho. A disputa será entre os candidatos Mauro Carlesse (PHS) e Vicentinho Alves (PR), os mais bem posicionados na eleição que teve sete candidatos. 

Carlesse, que ficou em primeiro lugar, com 30,3% dos votos, é deputado estadual e assumiu interinamente o governo do Estado após a saída do ex-governador Marcelo Miranda (MDB). Vicentinho, que teve 22,2%, é senador e está no último ano do seu mandato no Congresso.

Quem assumir ficará no cargo até  31 de dezembro. Novas eleições para governador ocorrerão normalmente em outubro.

Da disputa do primeiro turno em Tocantins participaram também Carlos Amastha (PSB), que ficou com 21,3%, a senadora Kátia Abreu (PDT), que teve 15,6%, Marlón Reis (Rede Sustentabilidade), com 9,9%, Marcos de Souza (PRTB), com 0,5%, e Mario Lucio Avelar (PSOL), que não teve os votos registrados porque sua candidatura aguarda análise do TRE.  

A eleição teve um alto índice de abstenção, superior a 30%. Em Tocantins, todos os eleitores foram recadastrados e 100% das urnas operam com o sistema biométrico, o que significa que o número de abstenção reflete efetivamente os que resolveram não participar do pleito. Houve também alto número de votos brancos e nulos.

Confira os votos obtidos em Palmeirópolis

Katia Abreu -970 votos

Vicentinho -856

Mauro Carlesse- 408

Marlon Reis -310

Carlos Amastha -201

Marcos de Souza -2 

Da redação

Comícios em Araguaína e Palmas consagram vitória de Carlesse: “Vamos governar este Estado juntos”

Os últimos grandes comícios da campanha eleitoral em apoio à candidatura de Mauro Carlesse (PHS), da coligação Governo de Atitude, ao Governo do Estado para o pleito suplementar deste domingo, 3, reuniram multidões em Araguaína e na região sul de Palmas na noite desta quinta-feira, 31.

No norte do Estado, a força dos líderes do município no apoio ao candidato levou mais de 10 mil pessoas ao setor Araguaína Sul para aplaudir Carlesse. Simultaneamente, em Palmas, milhares de pessoas de Taquaralto e de outros bairros da região, como o Setor Taquari e as Aurenys, foram ao encontro do governador interino para defender a estabilidade do Estado, com a permanência de Carlesse à frente do Executivo até dezembro.

Em meio à multidão, ele garantiu que seu governo terá verdadeira participação popular. “Nós vamos governar este Estado juntos. As decisões têm que ser tomadas junto com a comunidade. Quem sabe do sofrimento é quem está lá na ponta”, destacou. Ele defendeu a adoção de medidas urgentes para reduzir os preços abusivos pagos pela população para ter acesso a produtos como gás de cozinha e combustível. “Nós temos que tomar uma decisão nesse Estado e diminuir esses impostos. É assim que queremos o Tocantins. Não é fazendo promessas, mas realizando agora”, frisou.

Carlesse voltou a destacar as importantes medidas que seu governo interino conseguiu executar em pouco mais de um mês, a exemplo da implantação do programa Opera Tocantins, que está tirando milhares de pessoas de filas de até 3 anos para realização de cirurgias eletivas. Desde que foi iniciado, conforme destacou, foram realizadas uma média de 40 cirurgias/dia, resgatando a dignidade dos pacientes. Além disso, também apontou medidas adotadas no âmbito da educação, segurança e funcionalismo público, cujos salários de mais de 60% dos servidores estão sendo pagos nesta sexta-feira, 1 de junho.

Araguaína

O palanque recheado de líderes de Araguaína e região foi a demonstração de uma campanha vitoriosa que cresceu na hora certa e colocou Carlesse em primeiro lugar na corrida pelo Palácio Araguaia. “Fico feliz em ver tantos líderes importantes nos apoiando. Araguaína me traz uma energia tão grande que só me fortalece em todo o Estado. Estamos firmes porque estou no Governo não para fazer debates em momento que nos exige realizações urgentes”, disse Carlesse.

Palmas

Após passar por Araguaína, Carlesse chegou ao comício em Taquaralto, onde foi recebido com entusiasmo pelos moradores, líderes políticos de Palmas e lideranças comunitárias da região sul. “Eu não poderia ficar calado neste momento em que vejo essa multidão abraçando a candidatura deste homem que tem palavra, que tem compromisso com o povo do Tocantins. Nós do Taquari não poderíamos ficar de braços cruzados com tantas falsas promessas que foram feitas naquele bairro, com tanta mentira e enganação. Usaram e abusaram daquele povo e o troco nós vamos dar no dia 3 de junho, com Mauro Carlesse governador”, destacou Ronaldo da Moradia, representando os moradores do Taquari.

O palanque de Carlesse na Capital contou com a presença do candidato a vice-governador Wanderlei Barbosa, dos deputados federais Professora Dorinha e Carlos Henrique Gaguim, dos deputados estaduais Olyntho Neto, Eli Borges, Cleiton Cardoso e Luana Ribeiro, presidente da Assembleia Legislativa; dos vereadores Marilon Barbosa, Vandim do Povo, Léo Barbosa, Milton Neres e Claudemir Portugual; ex-vereadores do município, dentre tantos outros.

O último comício da campanha de Carlesse em Palmas foi encerrado com uma oração conduzida pelo deputado e pastor Eli Borges. De mãos dadas, a multidão agradeceu e pediu pelo Estado do Tocantins e por um futuro melhor para a população.

Goiatins

Antes dos comícios em Araguaina e Palmas, o próximo governador Carlesse passou em Goiatins, onde realizou uma grande carreata e recebeu o apoio de Max Luz, presidente da Câmara Municipal, e dos vereadores Claudio Cruz, Jose filho, Salmeron Luz, Edimilson do Cartucho, além do ex-prefeito Manoel Natalino e do presidente do PHS de Goiatins Gilson Fernandes.

Ascom Coligação Governo de Atitude

Gaguim lutou pela derrubada do veto do Refis e comemora com as micro e pequenas empresas tocantinenses essa vitória

Segundo o Sebrae, o programa vai beneficiar cerca de 600 mil empresas cadastradas no Simples Nacional.

O deputado federal Carlos Henrique Gaguim (DEM-TO) participou ativamente no Congresso Nacional pela derrubada do veto 5/2018, mantendo o programa especial de regularização tributaria das microempresas e empresas de pequeno porte optantes pelo simples nacional, aprovado pela lei complementar nº 162/2018.

“Com a derrubada deste veto, quem ganha é a sociedade, pois precisamos fomentar a oferta de emprego e renda, e as microempresas e as empresas de pequeno são importantes geradoras de emprego no Brasil”, afirmou Gaguim. 

Gaguim esteve, por diversas vezes, acompanhando líderes do setor, no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), na Federação das Microempresas, Empresas de Pequeno Porte e Empreendedor Individual (Fecomicro-TO), na Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon), na Confederação Nacional das Microempresas e Empresas (Comicro), na Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), na Federação das Associações de Micro e Pequenas empresas e Empreendedor Individual de Santa Catarina (Fampesc) e na Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

Segundo o Sebrae, o programa vai beneficiar cerca de 600 mil empresas cadastradas no Simples Nacional. Juntas estas empresas devem aproximadamente R$ 21 bilhões em impostos à União.

O prazo para as empresas optantes se inscreverem estará aberto até as 21 horas do dia 9 de julho, exclusivamente pela internet, no Portal e-CAC PGFN. Os interessados devem clicar na opção “Programa Especial de Regularização Tributária – Simples Nacional”, disponível em “adesão ao parcelamento”.

Conforme a União, o programa abrange os débitos vencidos até a competência do mês de novembro de 2017 e inscritos em Dívida Ativa da União até a data de adesão ao programa, inclusive aqueles que foram objeto de parcelamentos anteriores ativos ou rescindidos, ou que estão em discussão judicial, mesmo que em fase de execução fiscal ajuizada.

Para aderir ao programa, segundo a União, o contribuinte deverá pagar uma entrada correspondente a 5% do valor total da dívida, que poderá ser dividida em cinco prestações mensais. O montante restante poderá ser quitado em até 175 parcelas. Os juros poderão ter redução de 50% a 90% e as multas de 25% a 70%, de acordo com o número de parcelas.

Ascom deputado Gaguim

‘Eles vão ter que me engolir’, diz Lula num ato em Vitória

Ex-presidente iniciou nesta segunda-feira caravana pelo Espírito Santo e pelo Rio de Janeiro.

Dois dias após a divulgação de pesquisa Datafolha que o aponta na liderança da corrida presidencial em 2018, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou de bobagem a suposição de que pode não ser candidato na disputa.

“Como disse Zagallo, eles vão ter que me engolir”, disse, em referência a uma frase que ficou famosa na boca do ex-técnico da seleção Mário Jorge Lobo Zagallo.

Durante ato no centro de Vitória (ES), na noite desta segunda-feira (4), o petista afirmou: “Não fiquem com essa bobagem de que o Lula não será candidato, não. Vou ser candidato e vou ganhar as eleições”.

Um drone foi usado para detectar a ocorrência de manifestação antes que a comitiva chegasse ao ato.

Pouco antes de o petista assumir o microfone no ato, o presidente da CUT, Vagner Freitas, citou a pesquisa Datafolha para dizer que há uma tentativa de impedir a candidatura do ex-presidente. “Eleição sem Lula é golpe”, discursou.

Ao pé do palco, o coordenador das Caravanas de Lula e vice-presidente do PT, Marcio Macedo, disse que os números da pesquisa, somado às consultas encomendadas pelo partido, consolidam a candidatura do ex-presidente, algo irrevogável, segundo ele.

Em seu primeiro discurso após a divulgação da pesquisa, o ex-presidente também lembrou ter lançado, durante a disputa presidencial de 2002, uma carta aos brasileiros em uma tentativa de tranquilizar o mercado quanto a riscos de sobressalto na economia. E acrescentou: “Quero voltar a ser Lulinha paz e amor”.

Mais uma vez, Lula disse não depender do apoio do mercado, afirmando também que os empresários e banqueiros foram beneficiados em seu governo.

“O mercado vai precisar muito mais de mim do que eu deles”, disse.

Em seu discurso, Lula ironizou o desempenho do presidente Michel Temer nas pesquisas de opinião. Afirmou que o peemedebista terminará seu mandato, que disse ter conquistado via golpe, “devendo ao Datafolha e ao Ibope”.

Temer, de acordo com o Datafolha, é rejeitado por 71%, uma variação de dois pontos para baixo do registrado em setembro, dentro da margem de erro.

Sem citar o nome do prefeito de São Paulo,João Doria, Lula afirmou que o Brasil não está precisando de um gestor, “como se fosse uma oficina mecânica”, mas de alguém que entenda do país. Também afirmou que não tem vergonha de ser político, nem de seu partido.

CARAVANA

O discurso de Lula marcou a abertura de sua caravana pelos Estados do Espírito Santo e do Rio de Janeiro. De Vitória, Lula seguirá até Campos, Maricá, Nova Iguaçu e Rio, passando por Cariacica.

Manifestantes chegaram a levar um trio elétrico ao aeroporto onde Lula era esperando por apoiadores. Mas, em menor número, se retiraram logo depois. 

Noticias ao Minuto