Vereador Major Negreiros presta depoimento sobre esquema de corrupção

Vereador foi preso no Rio de Janeiro pela Polícia Federal ao desembarcar no Brasil. Ele é um dos alvos da 2ª fase da operação Jogo Limpo, que investiga desvio de R$ 7 milhões.

Vereador investigado por desvio na Prefeitura de Palmas é preso no aeroporto do RJ

Delegado informou que Major Negreiros foi detido pela Polícia Federal no Rio de Janeiro. Ele estava no Chile com a família e é suspeito de fazer parte de um suposto esquema criminoso.

O vereador Major Negreiros, investigado por fazer parte de um suposto esquema criminoso que desviou R$ 7 milhões da Prefeitura de Palmas, foi detido pela Polícia Federal no aeroporto do Rio de Janeiro. A informação é do delegado da Polícia Civil, Guilherme Rocha, responsável pelas investigações.

O parlamentar tinha um mandado de prisão em aberto. Ele estava viajando para o Chile com a família, quando foi deflagrada a 2ª fase da operação Jogo Limpo. Três parlamentares teriam participado do esquema.

Major Negreiros está sob custódia da PF do Rio de Janeiro e será encaminhado para Palmas. O site aguarda contato com a defesa do vereador.

Ao todo, 26 mandados de prisão temporária foram cumpridos na última sexta-feira (3), sendo que 24 pessoas foram liberadas, entre elas o vereador Rogério Freitas. Apenas o presidente da Câmara de Vereadores, José do Lago Folha, segue preso na Casa de Prisão Provisória de Palmas.

As investigações apontam que eles fazem parte de um suposto grupo criminoso que desviou R$ 7 milhões da Fundação Municipal de Esporte e Lazer (Fundesportes) e da Secretaria de Governo e Relações Institucionais da capital. A verba seria destinada a projetos sociais, mas o dinheiro teria sido usado em campanhas eleitorais de 2014.

O esquema

O esquema envolve quatro núcleos compostos por servidores, políticos, empresas fantasmas e entidades. Segundo a decisão judicial, 10 entidades investigadas admitiram o uso de notas frias fornecidas por sete empresas fantasmas.

As notas seriam para justificar despesas e serviços não realizados. Depois, o dinheiro seria desviado para servidores e agentes políticos ou para terceiros indicados por eles.

A polícia informou na última sexta-feira (3) que encontrou R$ 40 mil na conta do vereador Rogério Freitas oriundos de uma empresa fantasma utilizada no esquema e R$ 10 mil na conta pessoa do vereador Folha.

Outro lado

O presidente da Câmara de Palmas disse que teve ciência das denúncias através da imprensa. Falou que desconhece e que não autorizou que fossem feitos depósitos na conta dele e garante que é inocente. A defesa dele informou que fez o pedido de liberdade.

A Prefeitura de Palmas informou que está à disposição da Justiça e da investigação para contribuir com qualquer esclarecimento. O vereador Rogério Freitas disse em entrevista à TV Anhanguera que até o momento não foi acusado de nada e é inocente. O G1 ainda não conseguiu contato com a defesa dos demais citados na reportagem.

1ª fase da operação

A primeira fase da operação foi realizada em fevereiro deste ano contra uma organização criminosa suspeita de lavagem de dinheiro. O crime era praticado por meio de entidades sem fins lucrativos e empresas fantasmas, conforme as investigações. Ao todo, 10 federações e organizações não governamentais (ONG) podem estar envolvidas, além de quatro empresas.

Na época, os policiais cumpriram 24 mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão em Palmas e em mais quatro cidades do Tocantins: Paraíso do Tocantins, Nova Rosalândia, Paranã e Miracema.

‘Trata homossexualidade como doença’, diz OAB sobre vereador que mudou nome de creche

Para vereador Filipe Martins (PSC), nome Arco-íris ‘promove o homossexualismo’. Com alteração, unidade se chamará Romilda Budke Guarda.

Para a Ordem dos Advogados, o pedido do vereador Filipe Martins (PSC) para mudar o nome do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Arco-íris, dá a homossexulaidade um tratamento de doença. Ele solicitou a mudança argumentando que o nome ‘promove o homossexualismo’.

“Para justificar a alteração que propôs, ele disse que o arco-íris fazia apologia ao homosexulismo. O sufixo “ismo” é ligado a doença. Desde de 1990, que o homosexualismo saiu do rol de doenças mentais da Organização Mundial de Saúde. A gente vê na justificativa dele um atraso de quase 30 anos, desrespeitando a população LGBT, tratando a homossexualidade como se fosse doença”, diz a presidente da Comissão de Diversidade Sexual da OAB, Karoline Chaves.

Ela também questiona o uso de recurso público empregado na mudança. “Desrespeita a população de Palmas porque nós temos uma população significativa LGBT e desrespeita o público geral, fazendo o uso de recurso público para esse tipo de atuação na Câmara, quando na verdade a gente espera outro tipo de ação.”

Entenda

O problema começou após a prefeitura enviar um projeto de lei para a Câmara de Vereadores criando seis novas creches. Uma das unidades seria chamada de Arco-íris, mas o nome encontrou resistência por ser “usado para a promoção do homossexualismo”, segundo o vereador Filipe Martins.

Conforme a Secretaria Municipal de Educação, o nome da creche foi escolhido pela própria comunidade da Arse 102 (antiga 1.006 Sul). Porém, a unidade teve o nome mudado a pedido do vereador.

A prefeitura informou que o projeto com o novo nome foi sancionado, uma vez que seus trâmites cumpriram todos os requisitos legais. (veja a nota completa no fim desta reportagem)

O projeto com o novo nome foi publicado no Diário Oficial do Município, na semana passada, após ser sancionado pela prefeita de Palmas. A creche passou a se chamar Romilda Budke Guarda.

A mudança no nome da escola foi divulgada no próprio site do vereador: “o objetivo é homenagear uma das pioneiras de Palmas como reconhecimento pelos relevantes serviços prestados aos palmenses, além de substituir o nome Arco-Íris, que apesar de ser um símbolo do cristianismo, também é usado para promoção do homossexualismo”, diz trecho de nota publicada.

Nas redes sociais, os internautas comentaram a medida aprovada pelos vereadores. “É isso aí vereador, agora só falta trocar o veado das placas nas rodovias que alerta sobre animais silvestres”, comentou um internauta.

“Eu que pensava que a buraqueira, a falta de iluminação pública, segurança educação de qualidade fossem de maior necessidade […] Deve ser difícil para o senhor sair às ruas em dias de sol e chuva”, comentou uma mulher.

“O problema não é colocar o nome de uma pessoa. Porque se é uma pessoa que tem serviços prestados, tudo bem. Só que ele foi eleito para cuidar de tantas outras questões mas importantes do que isso”, comentou o professor Luciano Coelho, que é orientador educacional na rede municipal de educação.

O vereador informou que pediu a mudança do nome após ser procurado por moradores de uma quadra de Palmas para homenagear Romilda Budke Guarda, que foi pioneira na região norte da cidade. Ainda segundo ele, o nome fazia referência a uma única bandeira, mas a administração pública não pode privilegiar nenhum grupo em detrimento dos demais.

“Além disso, o grupo LGBTI tem usado bastante a bandeira do Arco-íris. Eles usam como símbolo deles. Então para não ter uma bandeira fizemos a substituição, que é de direito do vereador. Já que essa bandeira tem apologia do homossexualismo e estaria dentro de um centro infantil, fizemos a alteração. Mas não tenho nada contra o homossexualismo.”

Essa não é a primeira vez que a Câmara de Vereadores de Palmas se envolve em polêmicas envolvendo questões de gênero. Em 2016, por exemplo, os parlamentares aprovaram uma lei proibindo a discussão sobre ideologia de gênero (diversidade sexual) nas escolas municipais.

Cmei

O Cmei Romilda Budke Guarda está sendo construído na Arse 12 (antiga 106 Sul). A unidade ainda não tem uma data de inauguração, mas deve ter oito salas com capacidade para atender cerca de 450 crianças.

A Prefeitura de Palmas informou, em nota, que publicou no Diário Oficial do dia 9 de julho, a Lei nº 2.399, que cria, denomina e localiza seis Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs). E que após indicação da comunidade, a Câmara de Vereadores, aprovou por maioria e em dois turnos de votação, a escolha da líder comunitária Romilda Budke Guarda para dar nome ao CMEI localizado na Arse 102. A prefeita Cinthia Ribeiro sancionou a matéria, uma vez que seus trâmites cumpriram todos os requisitos legais.

A nota diz ainda, que a creche deve ficar pronta neste segundo semestre de 2018.

G1 Tocantins.

Creche Arco-íris muda de nome após pedido de vereador: ‘promove o homossexualismo’

Nome da creche foi escolhido por moradores de quadra em Palmas, mas foi mudado a pedido do vereador. Caso gerou polêmica nas redes sociais.

A escolha do nome de um Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) tem causado polêmica em Palmas. O problema começou após a prefeitura enviar um projeto de lei para a Câmara de Vereadores criando seis novas creches. Uma das unidades seria chamada de Arco-íris, mas o nome encontrou resistência por ser “usado para a promoção do homossexualismo”, segundo o vereador Filipe Martins (PSC).

Conforme a Secretaria Municipal de Educação, o nome da creche foi escolhido pela própria comunidade da Arse 12 (antiga 106 Sul). Porém, a unidade teve o nome mudado a pedido do vereador.

O projeto com o novo nome foi publicado no Diário Oficial do Município, na semana passada, após ser sancionado pela prefeita de Palmas. A creche passou a se chamar Romilda Budke Guarda.

A mudança no nome da escola foi divulgada no próprio site do vereador: “o objetivo é homenagear uma das pioneiras de Palmas como reconhecimento pelos relevantes serviços prestados aos palmenses, além de substituir o nome Arco-Íris, que apesar de ser um símbolo do cristianismo, também é usado para promoção do homossexualismo”, diz trecho de nota publicada.

Nas redes sociais, os internautas comentaram a medida aprovada pelos vereadores. “É isso aí vereador, agora só falta trocar o veado das placas nas rodovias que alerta sobre animais silvestres”, comentou um internauta.

Adolescentes são suspeitos de invadir casa de vereador e fazer família refém

Quatro pessoas invadiram a casa e amarraram o vereador e a família em Riachinho, no norte do Tocantins. Dois suspeitos foram encontrados em um matagal, os outros dois conseguiram fugir.

Dois adolescentes, de 14 e 15 anos, foram detidos pela Polícia Civil como suspeitos de fazer parte de um grupo que invadiu a casa de um vereador em Riachinho, no norte do Tocantins, e fez ele e a família de refém. O caso foi na madrugada desta segunda-feira (14), quando um grupo de quatro pessoas invadiu o imóvel e amarrou os moradores para assaltar.

Corpo de vereador presidente da Câmara que morreu em acidente é velado em Peixe Tocantins

Sandro Cássio Cordeiro era presidente da Câmara de Vereadores da cidade. Ele morreu após acidente na BR-242, entre Peixe e o povoado Vila Quixaba.

O corpo do presidente da Câmara de vereadores de Peixe, Sandro Cássio Cordeiro de Souza (PMN), está sendo velado na casa dos pais, que fica no setor Aeroporto.

O vereador morreu em um acidente neste sábado (31). Segundo o prefeito da cidade, José Augusto, o velório vai ser realizado na Câmara Municipal, a partir do meio-dia.

O acidente aconteceu na BR-242, entre a cidade de Peixe e o povoado Vila Quixaba, após a caminhonete em que ele estava capotar.

A previsão é que às 16h, parentes e amigos celebrem uma missa na Câmara. O corpo será enterrado logo em seguida no cemitério público municipal.

Souza estava no primeiro mandato e era presidente da Câmara desde o ano passado.

O governador interino Mauro Carlesse lamentou a morte do vereador. “Jovem engenheiro, filho da cidade de Peixe, um homem de bem, promissor na política e referência em seu município. Peço a Deus que conforte os corações de todos que conviveram proximamente a ele e que tiveram o privilégio de ser seu amigo”.

G1 Tocantins

Vereador que presidia a Câmara de Peixe Tocantins, morre em acidente na BR-242

O corpo do vereador foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Gurupi e será velado na Câmara Municipal de Peixe.

Faleceu na tarde deste sábado 31, na BR-242, vítima de um acidente de trânsito, o vereador e presidente da Câmara Municipal de Peixe, Sandro Cássio Cordeiro de Souza (PMN), de 37 anos.

O parlamentar exercia seu primeiro mandato e sua morte está sendo lamentada por várias lideranças políticas da região Sul e do Estado.

Conforme apurado a caminhonete em que o vereador estava capotou na rodovia, entre a cidade de Peixe e o povoado de Vila Quixaba. O passageiro do veículo foi socorrido e encaminhado ao Hospital Regional de Gurupi e não corre risco de morte.

A Polícia Rodoviária Federal esteve no local e as causas do acidente serão investigadas. O corpo do vereador foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Gurupi e será velado na Câmara Municipal de Peixe.

O prefeito de Peixe José Augusto, lamentou profundamente a morte do parlamentar e decretou luto oficial de três dias.

O deputado estadual Wanderlei Barbosa também lamentou o ocorrido por meio de nota de pesar.

“Lamentamos, profundamente, eu e minha família, esta perda tão precoce de Cássio. Cidadão de bem, compromissado com o município de Peixe, deixa um legado de companheirismo, altruísmo e respeito ao próximo. Nesse momento de tristeza, nos solidarizamos com a sua família e amigos. Tenho a certeza de que Sandro Cássio deixa uma lacuna no coração e na memória de todos os que tiveram a oportunidade de desfrutar de sua amizade. Que Deus conforte sua família neste momento de dor”.

T1noticias

Vereador de Palmeirópolis Fábio Gonçalves, otimista acredita no projeto de Carlesse para o Tocantins

Carlesse assumiu interinamente o Governo nesta terça após o governador Marcelo Miranda e sua vice, Claudia Lelis, serem afastados dos cargos nesta última quinta-feira, 22.

Vereador pelo segundo mandato em Palmeirópolis Fábio Gonçalves esteve participando nesta terça-feira (27), da solenidade de posse do Governador Interino do Tocantins, e presidente da Assembléia Legislativa, Mauro Carlesse.

Fábio Gonçalves chegou em Palmas na segunda-feira e ficou acompanhando junto com a equipe de governo até o momento da posse.

O vereador, que é uma das principais lideranças em Palmeirópolis, vê com otimismo esse período provisório que Carlesse vai estar à frente do Estado até que aconteça as eleições suplementares.

De acordo com Fábio Gonçalves renasce a esperança de ver a serra “cortada” e o problema do apertado da hora resolvido.

“Nunca imaginei que ia acontecer esta cassação! Mas confesso que fiquei animado, renasceu a esperança que já havia morrido dentro de mim e de muitos da sociedade de Palmeirópolis. Sei que os moradores da minha região, ainda esperam uma pessoa que olhe para aquele trecho com seriedade e compromisso e resolva. Eu acredito e estou confiante que agora, o Carlesse vai levar adiante este projeto da curva da morte”, explicou Fábio Gonçalves.

No início deste ano, foi aprovado na Assembléia Legislativa (um milhão e duzentos mil) projeto do Carlesse, com a finalidade de ser invertido no trecho da “curva da morte”, até agora nada tinha feito. Como governador fica mais  fácil dar andamento à ordem de serviço.

O vereador ainda acrescentou que vai tentar trazer o governador em Palmeirópolis mês que vem. 

Da redação

Vereador ferido em acidente segue internado; pai e tio morreram após carro bater em kombi

Colisão foi registrada na TO-050 perto de Conceição do Tocantins. Motorista de kombi escolar também morreu e três alunos ficaram feridos.

O vereador Ricardo Brito (PV) do município de Combinado, ferido durante um acidente na manhã deste sábado (24) na TO-050, segue internado no Hospital Regional de Gurupi.

A informação é do amigo, o vereador Eli Pereira, que o acompanha na unidade. O carro em que ele e mais quatro pessoas estavam bateu numa kombi escolar, próximo a Conceição do Tocantins.

Ricardo passou por uma drenagem no tórax nesta tarde e deve fazer cirurgia neste domingo. O amigo disse que ele está consciente.

O pai do vereador, José de Brito Filho, chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do hospital de Arraias. O motorista Juarez Brito, tio do parlamentar, ficou preso às ferragens e também morreu no local.

A mulher de Juarez ficou ferida e está internada no Hospital Regional de Gurupi. Já a filha do casal, uma adolescente de 12 anos está no Hospital de Arraias. A unidade informou que ela está em observação.

O vereador Eli disse que chegou a conversar com Ricardo e que ele estava desorientado e perguntou pelo pai.

O acidente também provocou a morte do motorista da Kombi, Joaquim Ramalho dos Santos. Ele morreu a caminho do hospital de Arraias.

Três adolescentes que estavam no veículo foram socorridos por pessoas que passavam pelo local e levados para essa mesma unidade.

Momentos depois, um deles foi levado para Gurupi. Os outros foram encaminhados para o hospital de Campos Belos para fazer tomografia. 

Segundo informações da Polícia Civil, o carro de passeio bateu em um bezerro, fazendo o motorista perder o controle da direção e bater na kombi escolar que trafegava no sentido contrário.

G1 Tocantins

Caminhonete com prefeita e vereador capota na TO-080 durante chuva

Acidente aconteceu na TO-080, próximo de para Paraíso do Tocantins. Conforme os Bombeiros, o motorista contou que aquaplanou na pista.

Uma caminhonete capotou na manhã desta quarta-feira (21) na TO-080, próximo de Paraíso do Tocantins. No veículo estavam a prefeita de Araguacema, Isabela Alves Simas Pereira (MDB), o marido dela, Fábio Dias Pereira, e o vereador Mardônio Guedes Araújo.

Além do motorista Fabio Dias Pereira. Segundo o Corpo de Bombeiros, nenhum deles apresentava lesões aparentes.

O acidente aconteceu por volta de 11h, na saída para Monte Santo. Conforme os Bombeiros, chovia no momento do acidente e o motorista da caminhonete contou que aquaplanou na pista – quando o veículo perde aderência e desliza pela pista.

As vítimas contaram aos bombeiros que somente o motorista estaria sem o cinto de segurança. A avaliação feita pela equipe de resgate apontou que ele era o único apresentado sinais vitais alterados.

Além do motorista, a prefeita e o marido foram levados para o Hospital Regional de Paraíso. O vereador recusou atendimento.

G1 Tocantins