Taxista é feito refém e tem carro incendiado após criminosos se passarem por clientes

Homens armados ligaram para pedir uma corrida e aproveitaram para praticar o roubo. Eles abandonaram a vítima e fugiram com o carro, que foi queimado.

O taxista Wellington Neves Miranda, conhecido como Bil, de 47 anos, foi feito refém por pelo menos três criminosos em Gurupi, na noite desta quinta-feira (12). Eles se fingiram de clientes, chamaram o taxista para uma corrida e aproveitaram para praticar o crime. Largaram a vítima no meio do mato e na fuga queimaram o táxi.

A ação dos criminosos começou por volta da meia-noite. O taxista estava no ponto de táxi da rodoviária e recebeu a ligação. O destino era o setor União. Quando ele chegou ao local, foi rendido pelos homens que colocaram um capacete na vítima.

Em seguida, eles percorreram a BR-153, na zona rural de Cariri do Tocantins, onde o abandonaram em um matagal. Depois, voltaram para Gurupi.

Durante a madrugada desta sexta-feira, o motorista caminhou por quilômetros até alcançar um posto de combustível no município, onde ligou para a polícia avisando sobre o crime. Ele foi levado para a delegacia, sem ferimentos.

O veículo foi encontrado na manhã desta sexta-feira, no setor Atalaia, em Gurupi. A perícia esteve no local e a polícia agora investiga o caso. Os assaltantes levaram dinheiro do taxista.

G1 Tocantins

Taxista é amarrado durante assalto e consegue se soltar após morder cinto de segurança no Tocantins

Ele foi feito refém por quatro homens que contrataram o táxi em Palmas. Vítima foi amordaçada e amarrada com um cinto do carro e abandonada em uma mata.

O taxista Silvino Lucena de Cavalcante, de 61 anos, foi amarrado e amordaçado com um cinto de segurança durante um assalto na madrugada deste sábado (6), por volta das 2h54, em Palmas. Ele foi abandonado em uma mata e conseguiu se soltar após morder o cinto. Quatro criminosos participaram da ação e além do veículo, levaram R$ 1.100.

De acordo com a mulher da vítima, Maria Consuelo Cavalcante, os crimininosos ligaram para pedir um táxi no setor Jardim Aureny III. No local, três homens entraram no carro e informaram que precisavam ir até o Aureny IV para buscar uma mulher. Ao chegar no endereço, o quarto suspeito entrou no veículo.

Nesse momento, eles colocaram o motorista deitado embaixo do banco de trás do carro, com uma arma apontada para ele. Ao chegarem na saída para Lajeado, os suspeitos amordaçaram e amarraram o motorista usando um dos cintos do veículo e o abandonaram em uma região de mata.

Em seguida, os criminosos fugiram com o carro. Segundo Consuelo, o taxista mordeu a mordaça até conseguir rompê-la e em seguida conseguiu se soltar e pedir ajuda.

Conforme Consuelo, o veículo foi encontrado abandonado nesta manhã na quadra 806 Sul. A Polícia Militar informou que faz buscas pelos suspeitos.Carro foi encontrado na quadra 806 Sul (Foto: Arquivo Pessoal)

G1 Tocantins

Delegado prende homem que tentou assaltar taxista com um garfo, em Goiânia

Titular da Derfrva flagrou suspeito e vítima se agredindo em uma rua no Setor Leste Universitário

Um homem foi preso na manhã deste sábado (4) após ser flagrado lutando com um taxista no Setor Leste Universitário. Ele havia ameaçado a vítima com um garfo logo após concluírem uma corrida.

O delegado titular da Delegacia de Repreensão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (Derfrva), Adriano Sousa Costa, conta que trafegava pela Rua 213 quando se deparou com um táxi desgovernado descendo pela via. “O carro veio descendo de ré e parou quando bateu em um poste”, relatou.

Em seguida, o policial viu um homem de camiseta vermelha, do lado de fora do veículo, trocando agressões com outro homem, de camiseta azul, que estava dentro do carro. O delegado, então, portando duas armas de fogo rendeu os dois indivíduos.

O de vermelho informou se um taxista que estava sendo assaltado pelo outro homem. Ele afirmou que o suspeito havia pedido uma corrida e, ao chegar ao destino final, colocou um garfo em seu pescoço como forma de ameaça, o que desencadeou o confronto físico entre eles.

“O assaltante estava com o corpo queimado, utilizando luvas de proteção, e inclusive utilizou isso como forma de disfarce”, disse o delegado. “Ele pediu uma corrida até o Crer [Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo] e chegando lá anunciou o assalto.”

Após a abordagem, o delegado encontrou o objeto utilizado para o roubo dentro do veículo e notou que o taxista, de fato, estava com marcas no pescoço que poderiam ter sido causadas pelo garfo. O suspeito foi preso, com o apoio da Polícia Militar, e está sendo autuado na Derfrva. Ele já tinha passagens por estelionato.(fonte:mais goiás)