O 3º Torneio Leiteiro da VI Expo-Palmeirópolis teve premiações e foi um sucesso

Este ano teve premiação até o quinto lugar no torneio.

O Torneio Leiteiro que aconteceu de quinta-feira à sábado foi organizado por Fernando Coelho, técnico Agropecuária do SEBRAE, e Lual Junqueira, secretário do Sindicato Rural e Veterinário da prefeitura de Palmeirópolis. Em parceria com Sindicato Rural, SENAR, FAET e Prefeitura. 

O Veterinário Lual Junqueira, disse que viu uma evolução muito grande da primeira à terceira edição do torneio leiteiro, tanto na área tecnológica quanto na genética dos animais dos produtores de leite. “Tem sido bom para eles trabalhar com leite, antes era um martírio, hoje agente vê que eles estão desenvolvendo muito bem, tanto economicamente, como socialmente. Foi uma disputa bem acirrada a partir do segundo lugar. Porque o Claudio já faz este trabalho há mais tempo, está bem evoluído.  Já estamos pensando ano que vem abrir para produtores de outras regiões participarem”, concluiu.

O Torneio aconteceu nos dias 07 a 09 de junho e a competição foi para quem tirasse a maior quantidade de leite. As premiações aos donos das vacas foram até o quinto lugar.

Os animais e participantes estiveram em exposição no Pavilhão Leiteiro do Parque de Exposições durante toda a competição.

Deputado Ricardo Ayres entregando o prêmio para Wander Luiz Correia, segundo lugar.

O Zootecnista Eurizan Barbosa Junior, que participou do torneio como patrocinador do Wandinho, falou da emoção e adrenalina em competir junto com a equipe. “Para nós, é uma enorme satisfação alcançar o segundo lugar, pelo 3º ano consecutivo. No próximo ano queremos ganhar em primeiro lugar”, disse sorrindo ao comentar que conhece o esforço do Wander.

Zootecnista Eurizan Barbosa Junior

O prefeito Fábio Vaz, explicou que todo o leite foi doado à comunidade carente da região. “Em parceria com os laticínios, grande parte do leite foi doado a essas comunidades”. Segundo ele, todo o produto teve um longo processo de resfriamento e armazenamento para serem entregues.

Os troféus para os participantes do Torneio foram entregues pelas mãos das lideranças no evento a noite. “É gratificante prestigiar estes participantes em um dia importante dedicado a cada produtor de leite. Foi um evento muito bem organizado, todos estão de parabéns, isso concretiza o trabalho que vem sendo realizado por eles”, comentou o prefeito.

Prefeito Fábio Vaz entregando o prêmio para o 1º lugar, Claudio Rodrigues.

O vencedor dos três torneios consecutivos Claudio Rodrigues das Neves, falou a nossa equipe de reportagem que tudo foi fruto de um trabalho de nove (9) anos que ele está na atividade leiteira e sempre melhorando o rebanho.

“Estes animais é produção da nossa propriedade, e graças a Deus estamos colhendo resultado de um trabalho de algum tempo. É um torneio diferenciado porque só entra quem realmente é produtor de leite. Não são pessoas que vendem genéticas, ou compram animais para ganhar torneio leiteiro, são pessoas que estão nas atividades e isso para mim é gratificante obter resultado. Meu rebanho é bem cuidado na parte genética e alimentação, bem avaliados por  toda equipe que trabalha comigo, ganhamos novamente em primeiro lugar, devo isso a todos os meus parceiros”, finalizou entusiasmado.    

Premiações:

1º 2000.00 reais

2º1000.00 reais

3º800.00 reais

4º600.00 reais

5º 400.00 reais

Posições

1-Claudio Rodrigues das Neves:/média de 31,2 kg por dia

2-Wander Luiz Correia (Wandinho):/média de 25,11 kg por dia

3-Alaíde:/média de 25,02 kg por dia

4-Deosdete Tochio(Galego):/média de 22,03 kg por dia

5-Joaquim Donizete (Zetti):/média de 21,35 kg por dia.

Presidente do Sindicato Rural João Parrião e Alaíde, terceiro lugar no torneio.

Por: Alexandre Machado

Histórias e Memórias: Projeto desenvolvido por alunos e professores de Palmeirópolis está fazendo o maior sucesso

O projeto ainda está em andamento, e a equipe de coordenadores, professores e alunos estão muito engajados na execução.

Os alunos do 8º ano da Escola Estadual Maria Guedes no município de Palmeirópolis/Tocantins, estão participando do projeto de construção de um livro.

De acordo com a professora Miriam Nunes da Silva, o livro em andamento “Histórias e Memórias”, é um projeto com a finalidade de resgatar a cultura familiar, local e estabelecer um elo entre as gerações, bem como, desenvolver no aluno o gosto pela leitura e escrita. 

“A partir desse projeto, nós faremos a escrita de um livro com memórias, poemas, crônicas, com todas as turmas do 6º ao 9º ano da Escola Estadual Prof.ª Maria Guedes. Por isso, o diretor José Daniel propôs uma palestra com o filho da prof.ª Maria Guedes, explicou Miriam.

O diretor José Daniel explicou, que convidou Antônio Guedes (Kinka) que também é professor, (ofício herdado de sua mãe), para falar um pouco da trajetória da professora Maria Guedes como sendo a primeira professora do município de Palmeirópolis.

Diretor José Daniel e professor Antônio Guedes

A palestra com o profº. Antônio Guedes, foi para que os alunos entendessem melhor, o porquê deste nome na escola e a história da educação em Palmeirópolis. Ele (Kinka), emocionado, por estar falando da pessoa tão amada e admirada por todos que era prof.ª Maria Guedes, tentou segurar a emoção, mas não conteve as lágrimas por algumas vezes.

Kinka como é conhecido, contou a nossa equipe de reportagem que ficou surpreso e bastante agradecido pelo convite. Ele disse que superou todas as suas expectativas ministrar a palestra em todos os oitavos anos. Fez elogios a professora Miriam e a equipe da escola.

“Estou sem palavras para expressar tamanha gratidão e admiração, muito impressionado com os alunos, todos bem orientados, num trabalho levado a sério, todos unidos no mesmo objetivo”.

Emocionado e quase sem voz disse: “Falar da minha mãe não foi difícil e nunca será, ela vai ser para sempre muito importante na minha vida. Estou radiante com este trabalho aqui nesta escola”. 

Professor Antônio Guedes ainda acrescentou, que ficou admirado com tudo que a escola tem feito. “Confesso que como professor, filho de professora e como pessoa gerada e criada em corredor de escola, eu estou impressionado com a equipe de profissionais desta escola que leva o nome da minha mãe. Com todas as dificuldades que existem em escolas públicas, a equipe tem foco e meta de trabalho, estão de parabéns”. Finalizou Guedes.

As professoras Miriam Nunes (responsável pelo projeto) e Dângela Rodrigues (historiadora) ambas envolvidas no projeto, ficaram impressionadas com a dedicação na pesquisa feita pelo professor Antônio Guedes bem como, pela sua capacidade de exposição e criatividade. A palestra deixou os alunos e funcionários da escola encantados.

A coordenadora Maria de Fátima Cavalcante Silva, ressaltou ainda a importância e relevância do filho da professora Maria Guedes levar ao conhecimento de toda a equipe, bem como dos alunos a trajetória da professora e o legado que ela deixou para o nosso município, sempre enfatizando a sua preocupação com a educação e as questões sociais. “A realização desse projeto faz com que a história da professora Maria Guedes até então desconhecida se torne conhecida e admirada por todos os palmeiropolenses”.

O ideação do livro está sendo desenvolvido com o apoio de toda equipe escolar, da comunidade e da Secretaria Estadual  de Educação e com previsão de término para o final do ano com a culminância do projeto por meio do lançamento do livro  em uma noite de autógrafos. 

Da redação

O evento “Vai ter Capoeira Nagô” aconteceu neste final de semana em Palmeirópolis e foi um sucesso

A capoeira é feita ao som de música, que segue um ritmo semelhante ao do movimento corporal.

No último final de semana Palmeirópolis foi palco do I Encontro de “Vai ter Capoeira Nagô”, onde reuniu mestres capoeiristas de diversas regiões do Tocantins e de outros estados, onde reuniu mais de 50 capoeiristas de várias localidades, além de familiares de aluno.

O evento foi aberto ao público e realizado entre nos dias (27 e 28), na escola Carolina Maciel Barbosa e também no Centro de Convivência do Idoso. A prefeitura de Palmeirópolis cedeu o local para a equipe fazer o evento. 

De acordo com os organizadores, o convite foi estendido em nível nacional pelas redes sociais. Esta foi a 1ª edição do Encontro, a primeira, de maior porte, como explicou o graduado Valdeçon Nascimento (Baiano), um dos responsáveis pela organização do evento. “Este encontro, que visou, além de qualificar atletas, promover o esporte no município e região”, explicou. 

Segundo o graduado Baiano que foi o anfitrião do evento, o I Encontro de Capoeira Nagô em Palmeirópolis, teve ainda o objetivo de zelar pelo cultura de um povo.

Professor Jacarandá Nagô e graduado Baiano.

”Professor Jacarandá ressaltou que há quase dois anos é realizado o trabalho de capoeira em Palmeirópolis e precisava de um evento a altura para apresentar a comunidade, “nossa cultura é nosso maior patrimônio, o objetivo principal deste evento foi mostrar a comunidade a nossa cultura, inclusão social e incentivar a prática do esporte. Agregar os valores culturais que a capoeira traz junto à sociedade”, finalizou.

Os capoeiristas aproveitaram a ocasião para discutir novos rumos da capoeira no Tocantins e formas de aperfeiçoamento das técnicas da prática cultural.

O encerramento do encontro ficou por conta do batizado de capoeira, onde vinte (20) alunos receberam a primeira corda.

Participaram mais de quinze (15) convidados capoeiristas e aproximadamente mais de (15) convidados especiais como mestres, contramestres, professores, formados, graduados e instrutores. Com a presença de mestres pioneiros do Estado, entre eles, mestre Gamela e Contramestre Penugem (Grupo Raízes) e do Contramestre Chorão (Grupo Candeias), além da presença de grandes profissionais da capoeira de nove (9) cidades do Tocantins e do Brasil. 

A capoeira é uma expressão cultural brasileira que combina artes marciais, música, acrobacias e dança na realização golpes e movimentos rápidos, complexos e únicos, que requer uma grande quantidade de força e flexibilidade corporal.

Esteve presente também no evento a professora e pesquisadora Noeci Carvalho Messias, da Universidade Federal do Tocantins que está realizando uma pesquisa do mapeamento da capoeira no Tocantins, com o objetivo de documentar, proteger e promover novas ações de incentivo a este importante patrimônio cultural brasileiro. A pesquisa está sendo realizada em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Tocantins (Iphan-TO).

A realização e organização foi do graduado Baiano que ministra aulas há mais de um ano em São Salvador e Palmeirópolis. Na coordenação professor Jacarandá de Palmas. Supervisão contramestre Assis.

Da redação

 

Ex-prefeito de Fátima apresenta case de sucesso na 3ª edição do Fórum de Desenvolvimento Econômico

Evento promovido pelo Governo Estadual começa nesta quinta-feira, 19, em Araguatins.

O ex-prefeito de Fátima, Raimundo Mascarenhas faz a apresentação da gestão de Fátima – 2013/2016, como case de sucesso na programação da 3ª  edição do Fórum de Desenvolvimento Econômico do Tocantins que será realizada na cidade de Araguatins, a 611 km de Palmas, região do extremo  norte do Estado. A programação acontece nos dias 19 e 20 de outubro, no Instituto Federal do Tocantins (IFTO). A palestra do ex-prefeito acontece nesta na sexta-feira, 20, às 11 horas. 

Tendo se destacado no cenário estadual pela eficiência de gestão em Fátima, o ex-prefeito Raimundo Mascarenhas apresenta os detalhes do trabalho desenvolvido à frente da Prefeitura.  Ações que o levaram a concluir o mandato deixando mais de R$ 1 milhão em caixa, com pagamento do funcionalismo em dia e diversos maquinários entregues no final de governo. 

A gestão Raimundo Mascarenhas foi noticiada por emissora local como exemplo de sucesso e o vídeo circulou todo o Brasil.

Fórum

No Fórum de Desenvolvimento Econômico estão em pauta temas que envolvem os desafios enfrentados para uma gestão eficiente, como práticas da vivência administrativa; e captação de recursos e oportunidades de negócios para as cadeias produtivas da piscicultura, avicultura, leite e derivados; e extrativismo. A programação conta com palestras, reuniões técnicas, painéis e workshops.

O encontro envolve representantes de 26 municípios do extremo norte do Tocantins e é uma iniciativa da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden), em parceria com Agência de Fomento do Tocantins, Banco do Empreendedor, Junta Comercial do Estado do Tocantins (Jucetins), Secretaria de Estado do Trabalho e Assistência Social (Setas) e Agência Tocantinense de Saneamento (ATS), e apoio do Conselho de Desenvolvimento Econômico do Tocantins (CDE).

Esta edição conta também com a parceria da Federação da Indústria do Estado do Tocantins (Fieto), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Tocantins (Fecomércio), da Federação das Microempresas, Empresas de Pequeno Porte e Empreendedor Individual do Tocantins (Femicro), da Federação das Associações Comerciais e industriais do Estado do Tocantins (Faciet), da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), do Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado do Tocantins (Sescoop), da prefeitura municipal de Araguatins e Associação Comercial do município; do Instituto Federal do Tocantins (IFTO); e do Sistema Nacional de Empregos (Sine).

O Fórum de Desenvolvimento Econômico do Tocantins já foi realizado em Guaraí e Gurupi. As próximas edições serão realizadas na região sudeste, em Dianópolis; e no norte do Estado, em Araguaína.

(Com informações do Governo do Estado)/Lorena  Karlla